All Coptic Links - Coptic Directory - Orthodox Church Directory The Agbeya - The Coptic Book of Prayers (English Agbiya + Arabic Agpeya) English Bible + Holy Bible in other languages - Arabic, French, Ethiopian Amharic Holy Bible, ArabicBible, Enjeel Saint Takla dot org - Main page - English Photo and Image Gallery: Jesus - Mary - Saints - St. Takla - Church - Priests - Bible - Activities - pictures and Icons.. Download and listen to Hymns - Carols - Midnight Praise (Tasbeha) - Midis - Videos - Liturgies - Masses - Sermons - Online Streaming St-Takla.org   Coptic Church Website Logo of Saint Takla Haymanot the Ethiopian Website - Alexandria - Egypt - موقع الأنبا تكلا هيمانوت FAQ - Frequently Asked Questions and Answers - Coptic and Christan Q&A - Faith, Creed, Site, Youth, Family, Holy Bible Contact Us - Address - Map - Online Support Send a free Christian and Coptic Greeting Cards to your friends موقع الكنيسة القبطية باللغة العربية - الموقع العربي StTaklaorg Site News and Updates Downloads.. Winamp Skins - Coptic fonts - Agbeya - Software - Freeware - Icons - Gallery - Mp3s Feedback - Submit URL - ideas - Suggestions.. Kids' Corner - Coloring - Songs - Games - Stories Free Coptic Books - Christian Arabic Books, Orthodox English Books  

Portuguese Bible - BÍBLIA ON-LINE - Novo Testamento

II Coríntios

 

[II Coríntios 1]II Coríntios 1
PRÓLOGO

ENDEREÇO E SAUDAÇÃO
1. Paulo, apóstolo de Jesus Cristo pela vontade de Deus, e o irmão Timóteo, à igreja de Deus que está em Corinto, e também a todos os cristãos que se encontram por toda a Acaia.
2. A graça e a paz a vocês da parte de Deus nosso Pai e do Senhor Jesus Cristo.

SOLIDARIEDADE NA PERSEGUIÇÃO
3. Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai das misericórdias e Deus de toda consolação!
4. Ele nos consola em todas as nossas tribulações, para que possamos consolar os que estão em qualquer tribulação, através da consolação que nós mesmos recebemos de Deus.
5. Na verdade, assim como os sofrimentos de Cristo são numerosos para nós, assim também é grande a nossa consolação por meio de Cristo.
6. Se somos atribulados, nós o somos para a consolação e salvação de vocês. Se somos consolados, é para a consolação de vocês, para que possam suportar os mesmos sofrimentos que também nós padecemos.
7. E a nossa esperança a respeito de vocês é firme, pois sabemos que se vocês participam dos nossos sofrimentos, também participarão da nossa consolação.
8. Irmãos, não queremos que vocês ignorem isto: a tribulação que sofremos na Ásia nos fez sofrer muito, além de nossas forças, a ponto de perdermos a esperança de sobreviver.
9. Sim, nós nos sentíamos como condenados à morte: a nossa confiança já não podia estar apoiada em nós, mas em Deus que ressuscita os mortos.
10. Foi Deus quem nos libertou dessa morte, e dela nos libertará; nele colocamos a esperança de que ainda nos libertará da morte.
11. Para isso, vocês vão colaborar por meio da oração. Desse modo, a graça que obteremos pela intercessão de muitas pessoas provocará a ação de graças de muitos em nosso favor.

I. A VISITA ADIADA

CONSCIÊNCIA LIMPA
12. Este é o nosso motivo de orgulho: o testemunho da consciência de que nos comportamos no mundo, e mais particularmente em relação a vocês, com a santidade e sinceridade que vêm de Deus. Não foram razões humanas que nos moveram, mas a graça de Deus.
13. De fato não há nada em nossas cartas além daquilo que vocês lêem e compreendem. E espero que vocês compreendam plenamente,
14. assim como em parte já nos compreenderam que somos para vocês motivo de glória, assim como vocês o serão para nós, no Dia do Senhor Jesus.

FIRME E FIEL
15. Animado por essa certeza, eu pretendia em primeiro lugar ir ao encontro de vocês, para que recebessem uma segunda graça;
16. depois seguiria para a Macedônia; e finalmente, da Macedônia retornaria até vocês, a fim de que me preparassem a viagem para a Judéia.
17. Será que fui leviano ao fazer esse projeto? Será que meus planos foram inspirados por objetivos puramente humanos, de tal modo que em mim existe "sim e não" ao mesmo tempo?
18. Deus é testemunha fiel de que a palavra que dirigimos a vocês não é "sim e não." 19De fato Jesus Cristo, o Filho de Deus, que eu, Silvano e Timóteo anunciamos a vocês, não foi "sim e não", mas unicamente "sim."
20. Todas as promessas de Deus encontraram nele o seu sim; por isso, é por meio dele que dizemos "Amém" a Deus, para a glória de Deus.
21. Quem nos fortalece juntamente com vocês em Cristo e nos dá a unção é Deus.
22. Deus nos marcou com um selo e colocou em nossos corações a garantia do Espírito.

NÃO DOMINAR A FÉ
23. Quanto a mim, invoco a Deus como testemunha da minha vida: foi para poupar vocês que eu não voltei a Corinto.
24. Não é nossa intenção dominar a fé que vocês têm, mas colaborar para que vocês tenham alegria. Quanto à fé, vocês estão firmes.

[II Coríntios 2]
II Coríntios 2

1. Por isso, preferi não visitá-los, para não provocar tristeza.
2. De fato, se causo tristeza para vocês, quem me dará alegria? Somente vocês, a quem entristeci.
3. A finalidade da minha carta era evitar que, ao chegar, eu experimentasse tristeza daqueles que me deveriam proporcionar alegria. Quanto a vocês, estou convencido de que a minha alegria é também a alegria de todos vocês.
4. De fato, quando escrevi, eu estava tão preocupado e aflito que até chorava; não pretendia entristecê-los, mas escrevi para que compreendam o imenso amor que tenho por vocês.
5. Se alguém causou tristeza, não foi a mim, mas de certo modo (não vamos exagerar) a todos vocês.
6. Para tal pessoa, basta o castigo que a comunidade resolveu impor-lhe.
7. Mas agora é melhor que o perdoem e o consolem, para que ele não fique sob o peso de tristeza excessiva.
8. Peço-lhes, portanto, que dêem provas de amor a essa pessoa.
9. Realmente, ao escrever-lhes, eu queria pôr à prova a obediência de vocês e verificar se era uma obediência total.
10. A quem vocês perdoam, eu também perdôo. Se perdoei - medida que tinha de perdoar - eu o fiz diante de Cristo em favor de vocês.
11. Desse modo, não seremos enganados por Satanás, cujas
2. intenções não ignoramos.
12. Cheguei então a Trôade para aí pregar o Evangelho de Cristo. Embora o Senhor me tivesse aberto uma grande porta,
13. não tive paz de espírito, pois não encontrei o meu irmão Tito. Por isso despedi-me deles e parti para a Macedônia.

II. GRANDEZA E FRAQUEZA DOS APÓSTOLOS

QUEM ESTÁ À ALTURA?
14. Graças sejam dadas a Deus, que nos faz participar do seu triunfo em Cristo e que, através de nós, espalha o perfume do seu conhecimento no mundo inteiro.
15. De fato, diante de Deus nós somos o bom perfume de Cristo entre aqueles que se salvam e entre aqueles que se perdem:
16. para uns, perfume de morte para a morte; para outros, perfume de vida para a vida. E quem estaria à altura de tal missão?
17. Nós não somos como tantos daqueles que falsificam a Palavra de Deus; pelo contrário, é com sinceridade e como enviados de Deus que falamos a respeito de Cristo na presença de vocês.

[II Coríntios 3]
II Coríntios 3

A COMUNIDADE TESTEMUNHA A AUTENTICIDADE DO APÓSTOLO
1. Vamos começar de novo a fazer recomendação de nós mesmos? Ou precisamos apresentar cartas de recomendação para vocês, como fazem alguns? Ou, então, pedir essa carta a vocês?
2. Nossa carta de recomendação são vocês mesmos, carta escrita em nossos corações, conhecida e lida por todos os homens.
3. De fato, é evidente que vocês são uma carta de Cristo, da qual nós fomos o instrumento; carta escrita, não com tinta, mas nas tábuas de carne do coração de vocês.
4. Essa é a convicção que temos diante de Deus, graças a Cristo.
5. Não nos atreveríamos a pensar que essa obra é devida a algum mérito nosso; pelo contrário, é de Deus que vem a nossa capacidade.
6. Foi ele que nos tornou capazes de sermos ministros de uma aliança nova, não aliança da letra, mas do Espírito; pois a letra mata, e o Espírito é que dá a vida.

A NOVA ALIANÇA LIBERTA E TRANSFIGURA
7. O ministério da morte, gravado com letras sobre a pedra, ficou tão marcado pela glória, que os israelitas não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa do fulgor que nele havia - fulgor, aliás, passageiro.
8. Quanto mais glorioso não será o ministério do Espírito!
9. Na verdade, se o ministério da condenação foi glorioso, muito mais glorioso será o ministério da justiça.
10. Mesmo a glória que aí se verificou, já não pode ser considerada glória, em comparação com a glória atual, que lhe é muito superior.
11. De fato, se foi marcado pela glória o que é passageiro, com maior razão há de ser glorioso o que é permanente.
12. Fortalecidos por tal esperança, estamos plenamente confiantes:
13. nós não fazemos como Moisés que colocava um véu sobre a face para que os filhos de Israel não percebessem o fim daquilo que era passageiro...
14. No entanto, os espíritos deles se tornaram obscurecidos. Sim, até hoje, quando eles lêem o Antigo Testamento, esse mesmo véu permanece; não é retirado, porque é em Cristo que ele desaparece.
15. Sim, até hoje, todas as vezes que lêem Moisés, há um véu sobre o coração deles.
16. Somente pela conversão ao Senhor é que o véu cai,
17. pois o Senhor é o Espírito; e onde se acha o Espírito do Senhor aí existe a liberdade.
18. E nós que, com a face descoberta, refletimos como num espelho a glória do Senhor, somos transfigurados nessa mesma imagem, cada vez mais resplandecente pela ação do Senhor, que é Espírito.

[II Coríntios 4]
II Coríntios 4

O APÓSTOLO É TESTEMUNHA DE CRISTO
1. Esse é o nosso ministério. Nós o temos pela misericórdia de Deus; por isso, não perdemos a coragem.
2. Dissemos "não" aos procedimentos secretos e vergonhosos, não agimos com astúcia, nem falsificamos a palavra de Deus. Ao contrário, manifestando a verdade, nos recomendamos diante de Deus à consciência de cada homem.
3. Portanto, se o nosso Evangelho continua obscuro, está obscuro para aqueles que se perdem,
4. para os incrédulos, cuja inteligência o deus deste mundo obscureceu a fim de que não vejam brilhar a luz do Evangelho da glória de Cristo, de Cristo que é a imagem de Deus.
5. Não pregamos a nós mesmos, mas Cristo Jesus, Senhor. Quanto a nós mesmos é como servos de vocês que nos apresentamos, por causa de Jesus.
6. Pois o Deus que disse: "Do meio das trevas brilhe a luz!" foi ele mesmo que reluziu em nossos corações para fazer brilhar o conhecimento da glória de Deus, que resplandece na face de Cristo.

FRAQUEZA DO APÓSTOLO E FORÇA DE DEUS
7. Todavia, esse tesouro nós o levamos em vasos de barro,
2. para que todos reconheçam que esse incomparável poder pertence a Deus e não é propriedade nossa.
8. Somos atribulados por todos os lados, mas não desanimamos; somos postos em extrema dificuldade, mas não somos vencidos por nenhum obstáculo;
9. somos perseguidos, mas não abandonados; prostrados por terra, mas não aniquilados.
10. Sem cessar e por toda parte levamos em nosso corpo a morte de Jesus, a fim de que também a vida de Jesus se manifeste em nosso corpo.
11. De fato, embora estejamos vivos, somos sempre entregues à morte por causa de Jesus, a fim de que também a vida de Jesus se manifeste em nossa carne mortal.
12. Desse modo, em nós trabalha a morte; e em vocês, a vida.
13. Animados pelo mesmo espírito de fé, sobre o qual está escrito: "Acreditei, por isso falei", também nós acreditamos e por isso falamos.
14. Pois sabemos que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus, também nos ressuscitará com Jesus e nos colocará ao lado dele juntamente com vocês.
15. E tudo isso se realiza em favor de vocês, para que a graça, multiplicando-se entre muitos, faça transbordar a ação de graças para a glória de Deus.

A MORTE É PASSAGEM PARA A VIDA DEFINITIVA
16. É por isso que nós não perdemos a coragem. Pelo contrário: embora o nosso físico vá se desfazendo, o nosso homem interior vai se renovando a cada dia.
17. Pois a nossa tribulação momentânea é leve, em relação ao peso extraordinário da glória eterna que ela nos prepara.
18. Não procuramos as coisas visíveis, mas as invisíveis; porque as coisas visíveis duram apenas um momento, enquanto as invisíveis duram para sempre.

[II Coríntios 5]
II Coríntios 5

1. Nós sabemos: quando a nossa morada terrestre, a nossa tenda, for desfeita, receberemos de Deus uma habitação no céu, uma casa eterna não construída por mãos humanas.
2. Por isso, suspiramos neste nosso estado, desejosos de revestir o nosso corpo celeste;
3. e isso será possível se formos encontrados vestidos, e não nus.
4. Pois nós, que estamos nesta tenda, gememos acabrunhados, porque não queremos ser despojados da nossa veste, mas revestir a outra por cima desta, e assim, aquilo que é mortal seja absorvido pela vida.
5. E quem para isso nos preparou foi Deus, o qual nos deu a garantia do Espírito.
6. Por essa razão, estamos sempre confiantes, sabendo que enquanto habitamos neste corpo, estamos fora de casa, isto é, longe do Senhor,
7. pois caminhamos pela fé e não pela visão...
8. Sim, estamos cheios de confiança e preferimos deixar a mansão deste corpo, para irmos morar junto do Senhor.
9. Em todo caso, quer fiquemos em nossa morada, quer a deixemos, nos esforçamos por agradar ao Senhor.
10. De fato, todos deveremos comparecer diante do tribunal de Cristo, a fim de que cada um receba a recompensa daquilo que tiver feito durante a sua vida no corpo, tanto para o bem, como para o mal.

A SERVIÇO DO EVANGELHO
11. Portanto, compenetrados do temor do Senhor, procuramos convencer os homens. Somos plenamente conhecidos por Deus; espero que também sejamos plenamente conhecidos pela consciência de vocês.
12. Não nos recomendamos novamente a vocês, mas queremos apenas dar-lhes ocasião de se orgulharem de nós, a fim de que vocês possam dar uma resposta para aqueles que se gloriam somente pelas aparências e não pelo que está no coração.
13. Se perdemos o bom senso, foi por causa de Deus; se nos comportamos com sensatez, foi por causa de vocês.

O MINISTÉRIO DA RECONCILIAÇÃO
14. O amor de Cristo é que nos impulsiona, quando consideramos que um só morreu por todos, e conseqüentemente todos morreram.
15. Ora, Cristo morreu por todos, e assim, aqueles que vivem, já não vivem para si, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou.
16. Por isso, doravante não conhecemos mais ninguém pelas aparências. Mesmo que tenhamos conhecido Cristo segundo as aparências, agora já não o conhecemos assim.
17. Se alguém está em Cristo, é nova criatura. As coisas antigas passaram; eis que uma realidade nova apareceu.
18. Tudo isso vem de Deus, que nos reconciliou consigo por meio de Cristo, e nos confiou o ministério da reconciliação.
19. Pois era Deus quem reconciliava com ele mesmo o mundo por meio de Cristo, não levando em conta os pecados dos homens e colocando em nós a palavra da reconciliação.
20. Sendo assim exercemos a função de embaixadores em nome de Cristo, e é por meio de nós que o próprio Deus exorta vocês. Em nome de Cristo, suplicamos: reconciliem-se com Deus.
21. Aquele que nada tinha a ver com o pecado, Deus o fez pecado por causa de nós, a fim de que por meio dele sejamos reabilitados por Deus.

[II Coríntios 6]
II Coríntios 6

1. Visto que somos colaboradores de Deus, nós exortamos vocês para que não recebam a graça de Deus em vão.
2. Pois Deus diz na Escritura: "Eu escutei você no tempo favorável, e no dia da salvação vim em seu auxílio." É agora o momento favorável. É agora o dia da salvação.

SUSTENTADO PELA FORÇA DE DEUS
3. De nossa parte, evitamos dar qualquer motivo de escândalo, para que o nosso ministério não seja criticado.
4. Pelo contrário, em tudo nos recomendamos como ministros de Deus: pela grande perseverança nas tribulações, necessidades, angústias,
5. açoites, prisões, desordens, fadigas, vigílias e jejuns;
6. pela pureza, ciência, paciência e bondade, pela atuação do Espírito Santo, pelo amor sem fingimento,
7. pela palavra da verdade, pelo poder de Deus, pelas armas ofensivas e defensivas da justiça;
8. na glória e no desprezo, na boa e na má fama; tidos como impostores e, no entanto, dizendo a verdade;
9. como desconhecidos e, no entanto, conhecidos; como agonizantes e, no entanto, estamos vivos; como castigados e, no entanto, livres da morte;
10. como tristes e, no entanto, sempre alegres; como indigentes e, no entanto, enriquecendo a muitos; nada tendo, mas tudo possuindo.

III. RESTABELECIMENTO DAS RELAÇÕES

DE CORAÇÃO ABERTO
11. Coríntios, eu lhes falo com franqueza: meu coração está aberto para vocês.
12. Em mim, não falta lugar para os acolher, mas em troca vocês têm o coração estreito.
13. Paguem a nós com a mesma moeda. Eu lhes falo como a filhos; abram também o coração de vocês!

NÃO VOLTEM ATRÁS
14. Não se submetam ao mesmo jugo com os infiéis. Que relação pode haver entre justiça e iniqüidade? Que união pode haver entre luz e trevas?
15. Que harmonia pode haver entre Cristo e Beliar? Que relação entre quem acredita e quem não acredita?
16. Que há de comum entre o templo de Deus e os ídolos? Ora, nós somos o templo do Deus vivo, como disse o próprio Deus: "Habitarei no meio deles, e com eles caminharei. Serei o seu Deus, e eles serão o meu povo.
17. Portanto, saiam do meio dessa gente e afastem-se dela, diz o Senhor. Não toquem naquilo que é impuro, e eu acolherei vocês.
18. Serei pai para vocês, e vocês serão para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso."

[II Coríntios 7]
II Coríntios 7

1. Caríssimos, já que temos tais promessas, vamos purificar-nos de toda mancha do corpo e do espírito. E levemos a cabo a nossa santificação no temor de Deus.

A TRISTEZA QUE PRODUZ TRANSFORMAÇÃO
2. Acolham-nos no coração de vocês. Não fizemos injustiça a ninguém, a ninguém causamos dano, a ninguém exploramos.
3. Não é para os condenar que falo assim, porque eu já disse: "Vocês estão em nossos corações para a vida e para a morte."
4. Minha confiança em vocês é grande; e eu me orgulho muito de vocês. Estou cheio de consolo, transbordando de alegria em toda a nossa tribulação.
5. Na verdade, quando chegamos à Macedônia, nossa pobre pessoa não teve um momento de sossego; sofremos toda espécie de tribulação: por fora, lutas; por dentro, temores.
6. Deus, porém, que consola os humildes, confortou-nos com a chegada de Tito.
7. E não somente com a chegada dele, mas também pelo conforto que ele tinha recebido de vocês. Contou-nos que vocês tinham profundo carinho, que estavam sentidos com o que acontecera e que se preocupavam comigo. E eu fiquei muito contente.
8. Se lhes causei tristeza com a minha carta, não me arrependo. E se a princípio me arrependi - pois vejo que essa carta entristeceu vocês, embora por pouco tempo -
9. agora me alegro, não por haver entristecido vocês, mas porque a tristeza fez que vocês se arrependessem. Vocês se entristeceram segundo Deus, e assim não sofreram nenhum dano da nossa parte.
10. De fato, a tristeza que vem de Deus produz arrependimento que leva para a salvação e que não volta atrás; a tristeza segundo este mundo produz a morte.
11. Vejam antes o que produziu em vocês a tristeza que vem de Deus: quantas desculpas, quanta indignação, que temor, que desejo ardente, que afeto, que punição! Vocês demonstraram, de todos os modos, que estavam inocentes naquela questão.
12. Numa palavra: se eu escrevi a vocês, não foi por causa daquele que me injuriou, nem por causa daquele que sofreu o insulto, mas para que ficasse bem claro entre vocês, diante de Deus, o quanto vocês se sentem preocupados por nós.
13. Foi por isso que nos sentimos confortados. Mas, além desse conforto pessoal, eu me alegrei muito ao ver que Tito estava contente devido à maneira como vocês o receberam e o tranqüilizaram.
14. Se diante dele eu me havia gabado um pouco de vocês, não tive do que me envergonhar. Assim como sempre dissemos para vocês a verdade, ficou igualmente comprovado que era verdadeiro o elogio que tínhamos feito de vocês para Tito.
15. Ele sente por vocês afeto ainda maior, ao lembrar-se da obediência de vocês e de como o acolheram com temor e tremor.
16. Eu me alegro, portanto, de poder confiar em vocês, aconteça o que acontecer.

[II Coríntios 8]
IV. COLETA PARA OS CRISTÃOS DE JERUSALÉM

II Coríntios 8

O EXEMPLO DOS CRISTÃOS DA MACEDÔNIA
1. Irmãos, agora damos a conhecer a vocês a graça que Deus concedeu às igrejas da Macedônia.
2. Em meio às muitas tribulações que puseram à prova essas igrejas, a grande alegria e a extrema pobreza delas transbordaram em riquezas de generosidade.
3. Eu sou testemunha de que eles, conforme seus meios e até além de seus meios, com toda a espontaneidade
4. e com muita insistência, nos rogaram a graça de tomarem parte nesse serviço em favor dos cristãos.
5. Ultrapassando qualquer de nossas expectativas, eles se entregaram primeiramente ao Senhor, e pela vontade de Deus, também a nós.
6. Por isso, insistimos junto a Tito para que termine essa obra de generosidade, que ele já havia começado entre vocês.

O EXEMPLO DE CRISTO
7. Em tudo vocês sobressaem: na fé, no dom da palavra, no conhecimento e entusiasmo, além do amor que vocês têm por nós. Pois então, procurem também distinguir-se nessa obra de generosidade.
8. Não digo isso para lhes impor uma ordem. Cito para vocês o exemplo de outros, para lhes dar ocasião de provar a sinceridade do amor que vocês têm.
9. De fato, vocês conhecem a generosidade de nosso Senhor Jesus Cristo; ele, embora fosse rico, se tornou pobre por causa de vocês, para com a sua pobreza enriquecer a vocês.
10. A propósito, vou dar-lhes uma sugestão, e é o que convém a vocês, já que foram os primeiros, desde o ano passado, não só a realizar, mas também a querer realizar essa obra.
11. Agora, portanto, a executem até o fim, de modo que a essa boa disposição da vontade corresponda a realização, na medida dos meios que vocês têm.
12. Quando existe boa vontade, somos bem aceitos com os recursos que temos; pouco importa o que não temos.
13. Não queremos que o alívio para os outros seja causa de aflição para vocês; mas que haja igualdade.
14. Neste momento, o que está sobrando para vocês vai compensar a carência deles, a fim de que o supérfluo deles venha um dia compensar a carência de vocês. Assim haverá igualdade,
15. como está na Escritura: "A quem recolhia muito, nada lhe sobrava; e a quem recolhia pouco, nada lhe faltava."

RECOMENDAÇÕES
16. Graças sejam dadas a Deus, que colocou no coração de Tito o mesmo zelo por vocês.
17. Ele acolheu o meu pedido e, mais apressado que nunca, vai espontaneamente ao encontro de vocês.
18. Com ele estamos enviando o irmão que é elogiado em todas as igrejas, por causa da pregação do Evangelho.
19. Mais ainda: foi escolhido pelas igrejas para ser nosso companheiro de viagem nesta obra de generosidade, serviço que empreendemos para dar glória ao Senhor e realizar as nossas boas intenções.
20. Tomamos essa precaução para evitar qualquer crítica na administração da grande quantia que nos confiaram.
21. De fato, estamos preocupados com o bem, não somente aos olhos de Deus, mas também diante dos homens.
22. Junto com os representantes, enviamos também o nosso irmão, cuja dedicação muitas vezes e de muitos modos temos experimentado, e que agora se mostra muito mais disposto, já que deposita plena confiança em vocês.
23. Quanto a Tito, ele é meu companheiro e colaborador junto a vocês, ao passo que os nossos irmãos são os enviados das igrejas, as quais são a glória de Cristo.
24. Portanto, diante das igrejas, dêem a eles provas do amor de vocês, e façam que eles vejam como é justo o motivo do nosso orgulho a respeito de vocês.

[II Coríntios 9]
II Coríntios 9

DEUS AMA QUEM DÁ COM ALEGRIA
1. Quanto ao serviço a ser prestado aos cristãos, é inútil que eu escreva a vocês.
2. Conheço a boa vontade de vocês e por causa dela me orgulho de vocês junto aos macedônios, dizendo-lhes: "A Acaia está preparada desde o ano passado." E o zelo de vocês tem servido de estímulo para a maioria das igrejas.
3. Entretanto, estou mandando os irmãos até vocês, a fim de que o elogio que fiz de vocês não seja desmentido nesse ponto e para que vocês - como eu dizia antes - estejam realmente preparados.
4. Se alguns macedônios fossem comigo e não os encontrassem preparados, essa plena confiança seria motivo de nos envergonharmos, para não dizer que seria motivo de vocês se envergonharem.
5. Julguei, portanto, necessário pedir aos irmãos que fossem até vocês à nossa frente e organizassem as ofertas já prometidas; uma vez recolhidas, tais ofertas seriam sinal de autêntica generosidade, e não demonstração de avareza.
6. Saibam de uma coisa: quem semeia com mesquinhez, com mesquinhez há de colher; quem semeia com generosidade, com generosidade há de colher.
7. Cada um dê conforme decidir em seu coração, sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria.
8. Deus pode enriquecer vocês com toda espécie de graças, para que tenham sempre o necessário em tudo e ainda fique sobrando alguma coisa para poderem colaborar em qualquer boa obra,
9. conforme diz a Escritura: "Ele distribuiu e deu aos pobres; e sua justiça permanece para sempre."
10. Deus, que dá semente ao semeador, também dará o pão em alimento; para vocês multiplicará a semente, e ainda fará crescer o fruto da justiça que vocês têm.
11. E vocês ficarão enriquecidos de todos os modos para praticar toda espécie de generosidade, que provocará a ação de graças a Deus por meio de nós.
12. De fato, o serviço desta coleta não deve apenas satisfazer às necessidades dos cristãos, mas há de ser ocasião de dar efusivas ações de graças a Deus.
13. Tal serviço será para eles uma prova; e eles agradecerão a Deus pela obediência que vocês professam ao Evangelho de Cristo e pela generosidade com que vocês repartem os bens com eles e com todos.
14. Eles manifestarão a sua ternura, rezando por vocês por causa da graça extraordinária que Deus concedeu a vocês.
15. Graças sejam dadas a Deus por seu dom extraordinário.

[II Coríntios 10]
V. DEFESA DE PAULO

II Coríntios 10

RECOMENDADO PELOS HOMENS OU POR DEUS?
1. Sou eu mesmo, Paulo, quem suplica a vocês com a mansidão e a bondade de Cristo. Eu que sou "tão humilde quando estou entre vocês e tão prepotente quando estou longe."
2. Rogo que vocês não me obriguem, quando eu estiver aí em pessoa, a mostrar-me prepotente, recorrendo à audácia com que pretendo agir contra aqueles que nos julgam, como se nos comportássemos com interesses humanos.
3. Embora seja homem, não luto por interesses humanos.
4. De fato, as armas da nossa luta não são humanas; o seu poder vem de Deus e são capazes de destruir fortalezas. Nós destruímos os raciocínios presunçosos
5. e qualquer poder altivo que se levante contra o conhecimento de Deus. Obrigamos toda inteligência a obedecer a Cristo,
6. e estamos dispostos a punir qualquer desobediência, desde que a obediência de vocês seja perfeita.
7. Olhem as coisas frente a frente. Se alguém está convencido de pertencer a Cristo, tome consciência, de uma vez por todas, de que assim como ele pertence a Cristo, também nós pertencemos a Cristo.
8. E ainda que eu me orgulhasse um pouco mais do poder que Deus nos deu para edificar e não destruir vocês, eu não me envergonharia disso.
9. Não quero dar a impressão de estar ameaçando vocês com minhas cartas,
10. pois, como dizem alguns, "as cartas são duras e fortes, mas a presença dele é fraca e sua palavra é desprezível."
11. Aquele que diz isso fique sabendo que, assim como somos pela linguagem e por carta quando estamos ausentes, tais seremos por nossos atos quando estivermos presentes.
12. É verdade que não temos a ousadia de nos igualar ou de nos comparar a alguns que fazem recomendação de si mesmos, que se tornam insensatos, porque se medem de acordo com a sua própria medida e se comparam a si mesmos.
13. Quanto a nós, não nos orgulharemos além da justa medida; ao contrário, tomaremos como medida a própria regra que Deus nos assinalou: a de termos chegado até vocês.
14. Não nos estendemos indevidamente, como seria o caso se não tivéssemos chegado até vocês, pois na verdade fomos ao encontro de vocês anunciando o Evangelho de Cristo.
15. Não nos orgulhamos desmedidamente, apoiados em trabalhos alheios. E temos a esperança de que, com o progresso da fé que vocês têm, cresceremos mais e mais segundo a nossa regra.
16. Desse modo, levaremos o Evangelho para além das fronteiras da região de vocês, sem contudo entrarmos em campo alheio, para não nos orgulharmos de trabalhos realizados por outros, como se fossem feitos por nós.
17. Quem se orgulha, que se orgulhe no Senhor.
18. Pois é aprovado não aquele que faz recomendação de si próprio, mas aquele que Deus recomenda.

[II Coríntios 11]
II Coríntios 11

FIDELIDADE AO ÚNICO SENHOR
1. Tomara que vocês pudessem suportar um pouco da minha loucura! É claro que vocês vão me suportar!
2. Sinto por vocês um ciúme semelhante ao ciúme de Deus. Eu os entreguei a um único esposo, a Cristo, a quem devo apresentar vocês como virgem pura.
3. Receio, porém, que assim como a serpente, com sua astúcia, seduziu Eva, os pensamentos de vocês se corrompam, desviando-se da simplicidade devida a Cristo.
4. De fato, se chega alguém e prega a vocês um Jesus diferente daquele que lhes pregamos, ou se vocês acolhem um espírito diferente daquele que receberam, ou um evangelho diverso daquele que vocês abraçaram, vocês o suportam de bom grado.
5. Todavia, não me considero inferior em coisa alguma a esses "superapóstolos!"
6. Ainda que eu não seja hábil no falar, eu o sou no saber. Em tudo e de todos os modos, nós já mostramos isso a vocês.

AÇÃO PASTORAL DESINTERESSADA
7. Será que foi um erro meu humilhar-me para exaltar vocês, porque lhes anunciei gratuitamente o Evangelho de Deus?
8. Despojei outras igrejas, recebendo delas o necessário para viver, a fim de servir a vocês.
9. E quando passei necessidade entre vocês, não fui pesado a ninguém, porque os irmãos que vieram da Macedônia supriram às minhas necessidades. Em tudo evitei ser pesado a vocês e continuarei a evitá-lo.
10. Pela verdade de Cristo que está em mim, declaro que esse título de glória não me será tirado nas regiões da Acaia.
11. E por quê? Será porque não amo vocês? Deus o sabe!
12. O que faço, continuarei fazendo, a fim de tirar qualquer pretexto daqueles que procuram algum para se gabarem dos mesmos títulos que nós temos.
13. Esses tais são falsos apóstolos, operários fraudulentos, disfarçados de apóstolos de Cristo.
14. E não é de estranhar! O próprio Satanás se disfarça em anjo de luz!
15. Por isso, não me surpreendo de que os ministros de Satanás se disfarcem como servidores da justiça. Mas o fim deles corresponderá às suas obras.

TÍTULOS QUE TESTEMUNHAM
16. Repito: que ninguém me considere louco, ou então: que me suportem como louco, a fim de que também eu possa me gabar um pouco.
17. O que vou dizer, não o direi conforme o Senhor, mas como louco, certo de que tenho motivos para me gabar.
18. Visto que muitos se gabam de seus títulos humanos, também eu vou me gabar.
19. Vocês, assim tão sensatos, suportam de boa vontade os loucos.
20. E suportam que os escravizem, que os devorem, que os despojem, que os tratem com soberba, que os esbofeteiem.
21. Digo isto para a vergonha de vocês: até parece que nós é que somos fracos... Aquilo que outros têm a ousadia de apresentar - falo como louco - eu também tenho.
22. São hebreus? Eu também. São israelitas? Eu também. São descendentes de Abraão? Eu também.
23. São ministros de Cristo? Falo como louco: eu o sou muito mais. Muito mais pelas fadigas; muito mais pelas prisões; infinitamente mais pelos açoites; freqüentemente em perigo de morte;
24. dos judeus recebi cinco vezes os quarenta golpes menos um.
25. Fui flagelado três vezes; uma vez fui apedrejado; três vezes naufraguei; passei um dia e uma noite em alto mar.
26. Fiz muitas viagens. Sofri perigos nos rios, perigos por parte dos ladrões, perigos por parte dos meus irmãos de raça, perigos por parte dos pagãos, perigos na cidade, perigos no deserto, perigos no mar, perigos por parte dos falsos irmãos.
27. Mais ainda: morto de cansaço, muitas noites sem dormir, fome e sede, muitos jejuns, com frio e sem agasalho.
28. E isso para não contar o resto: a minha preocupação cotidiana, a atenção que tenho por todas as igrejas.
29. Quem fraqueja, sem que eu também me sinta fraco? Quem cai, sem que eu me sinta com febre?
30. Se é preciso gabar-se, é de minha fraqueza que vou me gabar.
31. O Deus e Pai do Senhor Jesus, que é bendito para sempre, sabe que não minto.
32. Em Damasco, o governador do rei Aretas guardava a cidade dos damascenos com a intenção de me prender;
33. mas fizeram-me descer de uma janela, ao longo da muralha, dentro de um cesto; e assim eu escapei das mãos dele.

[II Coríntios 12]
II Coríntios 12

UMA EXPERIÊNCIA EXTRAORDINÁRIA
1. É preciso gabar-se? Embora não convenha, vou mencionar as visões e revelações do Senhor.
2. Conheço um homem em Cristo, que há catorze anos foi arrebatado ao terceiro céu. Se estava em seu corpo, não sei; se fora do corpo, não sei; Deus o sabe.
3. Sei apenas que esse homem - se no corpo ou fora do corpo não sei; Deus o sabe!
4. foi arrebatado até o paraíso e ouviu palavras inefáveis, que não são permitidas ao homem repetir.
5. Quanto a esse homem, eu me gabarei; mas quanto a mim, só vou me gabar das minhas fraquezas.
6. Se eu quisesse me gabar, não seria louco, pois só estaria dizendo a verdade. Mas isso eu não faço, a fim de que ninguém tenha de mim conceito superior àquilo que vê em mim ou me ouve dizer.

NA FRAQUEZA SE MANIFESTA A FORÇA
7. Para que eu não me inchasse de soberba por causa dessas revelações extraordinárias, foi me dado um espinho na carne, um anjo de Satanás para me espancar, a fim de que eu não me encha de soberba.
8. Por esse motivo, três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim.
9. Ele, porém, me respondeu: "Para você basta a minha graça, pois é na fraqueza que a força manifesta todo o seu poder." Portanto, com muito gosto, prefiro gabar-me de minhas fraquezas, para que a força de Cristo habite em mim.
10. E é por isso que eu me alegro nas fraquezas, humilhações, necessidades, perseguições e angústias, por causa de Cristo. Pois quando sou fraco, então é que sou forte.

CARACTERÍSTICAS DE UM APÓSTOLO
11. Procedi como louco! Mas foram vocês que me forçaram. Eram vocês que deviam me recomendar. Pois, embora eu não seja coisa alguma, em nada esses "superapóstolos" ganham de mim.
12. De fato, no meio de vocês se realizaram os sinais do verdadeiro apóstolo: paciência a toda prova, sinais, milagres e prodígios.
13. O que é que vocês tiveram menos do que as outras igrejas, se não o fato de que eu não fui pesado para vocês? Perdoem-me essa injustiça!
14. Estou pronto para ir ao encontro de vocês pela terceira vez. E não lhes serei pesado, pois o que procuro não são os bens que vocês possuem, mas vocês mesmos. Não são os filhos que devem acumular bens para os pais, mas sim os pais para os filhos.
15. Quanto a mim, de boa vontade me gastarei e me desgastarei totalmente em favor de vocês. Será que dedicando-lhes mais amor, serei por causa disso menos amado?
16. "Tudo bem", dirão alguns. Eu não fui pesado a vocês, mas, esperto como sou, eu os conquistei com fraude!
17. Por acaso, eu os explorei através de algum daqueles que enviei a vocês?
18. Pedi a Tito que fosse encontrar vocês e com ele enviei o irmão. Será que Tito explorou vocês? Será que não caminhamos no mesmo espírito? E não seguimos os mesmos passos?

ÚLTIMA ADVERTÊNCIA
19. Já faz tempo que vocês pensam que nós estamos querendo nos justificar diante de vocês. Não! É diante de Deus, em Cristo, que falamos. E tudo, caríssimos, para edificação de vocês.
20. De fato, receio que, quando aí chegar, eu não os encontre do jeito que eu gostaria de encontrá-los, e que vocês, por conseguinte, me encontrem do jeito como não gostariam. Tenho receio de que entre vocês haja discórdia, inveja, animosidade, rivalidade, maledicências, falsas acusações, arrogância, desordens.
21. Tenho receio de que, quando eu voltar a encontrá-los, o meu Deus me humilhe em relação a vocês, e que eu tenha de chorar por muitos que pecaram no passado e ainda não se tenham convertido da impureza, da fornicação e dos vícios que antes praticavam.

[II Coríntios 13]
II Coríntios 13

1. Esta é a terceira vez que vou encontrá-los. "Qualquer questão será resolvida pela palavra de duas ou três testemunhas."
2. Eu já disse isso antes e, hoje, estando ausente, torno a dizer, como por ocasião da minha segunda visita, àqueles que pecaram no passado e a todos os outros: quando eu voltar, não usarei de meias medidas,
3. pois vocês estão procurando uma prova de que é Cristo quem fala em mim. Ele não é fraco com vocês; ao contrário, ele mostra o seu poder no meio de vocês.
4. De fato, ele foi crucificado pela sua fraqueza, mas está vivo pelo poder de Deus. Também nós somos fracos nele, mas com ele viveremos pelo poder de Deus em relação a vocês.

REVEJAM A PRÓPRIA VIDA
5. Examinem-se a si próprios e vejam se estão firmes na fé. Façam uma revisão de si mesmos. Será que vocês não reconhecem que Jesus Cristo está em vocês? A não ser que não passem na prova!
6. Espero que reconheçam que nós somos aprovados.
7. Pedimos a Deus que vocês não cometam mal nenhum. O nosso desejo não é aparecer como aprovados, mas sim que vocês pratiquem o bem, ainda que devamos passar como não aprovados.
8. Nada podemos contra a verdade; só temos poder em favor da verdade.
9. E nos alegramos todas as vezes que nos sentimos fracos, enquanto vocês se sentem fortes. E o que pedimos em nossas orações é que vocês se tornem sempre mais perfeitos.
10. Escrevo essas coisas estando ausente; assim, quando aí chegar, não terei que recorrer à severidade, conforme o poder que o Senhor me deu para construir, e não para destruir.

CONCLUSÃO

SAUDAÇÕES FINAIS
11. Ademais, irmãos, fiquem alegres. Procurem a perfeição e animem-se. Tenham os mesmos sentimentos, vivam na paz e o Deus do amor e da paz estará com vocês.
12. Saúdem-se uns aos outros com o beijo santo. Todos os cristãos enviam saudações.
13. Que a graça do Senhor Jesus Cristo, o amor de Deus e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vocês.

Send this page to a friend

St. Takla Church - Main IndexIndex of Novo Testamento - BÍBLIA ON-LINE - Portuguese Bible (Brazil)

Like & share St-Takla.org

_


© Saint Takla Haymanout Website: Coptic Orhtodox Church - Alexandria, Egypt / URL: http://St-Takla.org / Contact us at

http://st-takla.org/Bibles/Portuguese-Bible/02-Novo-Testamento/08-ii-corintios.html