All Coptic Links - Coptic Directory - Orthodox Church Directory The Agbeya - The Coptic Book of Prayers (English Agbiya + Arabic Agpeya) English Bible + Holy Bible in other languages - Arabic, French, Ethiopian Amharic Holy Bible, ArabicBible, Enjeel Saint Takla dot org - Main page - English Photo and Image Gallery: Jesus - Mary - Saints - St. Takla - Church - Priests - Bible - Activities - pictures and Icons.. Download and listen to Hymns - Carols - Midnight Praise (Tasbeha) - Midis - Videos - Liturgies - Masses - Sermons - Online Streaming St-Takla.org   Coptic Church Website Logo of Saint Takla Haymanot the Ethiopian Website - Alexandria - Egypt - موقع الأنبا تكلا هيمانوت FAQ - Frequently Asked Questions and Answers - Coptic and Christan Q&A - Faith, Creed, Site, Youth, Family, Holy Bible Contact Us - Address - Map - Online Support Send a free Christian and Coptic Greeting Cards to your friends موقع الكنيسة القبطية باللغة العربية - الموقع العربي StTaklaorg Site News and Updates Downloads.. Winamp Skins - Coptic fonts - Agbeya - Software - Freeware - Icons - Gallery - Mp3s Feedback - Submit URL - ideas - Suggestions.. Kids' Corner - Coloring - Songs - Games - Stories Free Coptic Books - Christian Arabic Books, Orthodox English Books  

Portuguese Bible - BÍBLIA ON-LINE - Antigo Testamento

Eclesiástico

 

Eclesiástico 1

I. A SABEDORIA DE ISRAEL: CAMINHO PARA A VIDA

A sabedoria é dom de Deus

1. Toda sabedoria vem do Senhor e está com ele para sempre.
2. Quem poderá contar a areia das praias, as gotas da chuva e os dias do mundo?
3. Quem poderá explorar a altura do céu, a extensão da terra e a profundeza do abismo?
4. A sabedoria foi criada antes de todas as coisas, e a inteligência prudente foi criada antes dos séculos.
5. A quem foi revelada a raiz da sabedoria? Quem conhece os seus projetos?
6. Somente um é sábio, e é por demais terrível quando se assenta em seu trono:
7. é o Senhor, ele que criou a sabedoria, a conheceu, a enumerou e a derramou sobre todas as suas obras.
8. Ele a repartiu entre os seres vivos, conforme a sua generosidade, e a concedeu a todos aqueles que o amam.

A raiz da sabedoria

9. O temor do Senhor é glória e honra, alegria e coroa de júbilo.
10. O temor do Senhor alegra o coração, dá contentamento, gozo e vida longa.
11. Quem teme ao Senhor acabará bem, e será abençoado no dia da morte.
12. O princípio da sabedoria é temer ao Senhor, e os fiéis a recebem já no seio materno.
13. Ela se firma entre os homens com alicerce perene, e permanece junto com os descendentes deles.
14. A plenitude da sabedoria é temer ao Senhor e, com seus frutos, ela embriaga os homens.
15. Ela enche a casa deles com tesouros, e os celeiros com seus produtos.
16. A coroa da sabedoria é temer ao Senhor, e ela faz florescer a paz e a saúde.
17. Deus viu e enumerou a sabedoria, fazendo chover a ciência e a inteligência, e exaltando a honra daqueles que a possuem.
18. A raiz da sabedoria é temer ao Senhor, e seus ramos são vida longa.

Esperar o momento oportuno

19. A irritação injusta não se poderá justificar, porque o ímpeto da paixão provoca ruína.
20. O homem paciente resiste até o momento oportuno, e será recompensado no final com a alegria.
21. Até o momento certo, ele esconde o que pensa, e muitos elogiarão a sua inteligência.

Sabedoria e mandamento

22. Os provérbios instrutivos são o tesouro da sabedoria, mas o pecador detesta a religião.
23. Se você deseja ter sabedoria, observe os mandamentos, e então o Senhor a concederá para você.
24. O temor do Senhor é sabedoria e educação, e se compraz na fidelidade e na mansidão.
25. Não seja desobediente ao temor do Senhor, e dele não se aproxime de coração fingido.
26. Não seja hipócrita no trato com os homens, e saiba controlar suas palavras.
27. Não se eleve, para não cair, atraindo a vergonha sobre você mesmo,
28. porque o Senhor descobrirá o que você esconde e o humilhará no meio da assembléia.
29. Isso porque você não procurou o temor do Senhor e manteve o coração cheio de falsidade.


Eclesiástico 2

Fidelidade a toda prova

1. Meu filho, se você se apresenta para servir ao Senhor, prepare-se para a provação.
2. Tenha coração reto, seja constante e não se desvie no tempo da adversidade.
3. Una-se ao Senhor e não se separe, para que você no último dia seja exaltado.
4. Aceite tudo o que lhe acontecer, e seja paciente nas situações dolorosas,
5. porque o ouro é provado no fogo e as pessoas escolhidas, no forno da humilhação.
6. Confie no Senhor, e ele o ajudará; seja reto o seu caminho, e espere no Senhor.
7. Vocês que temem ao Senhor, confiem na misericórdia dele, e não se desviem, para não caírem.
8. Vocês que temem ao Senhor, confiem nele, que não lhes negará a recompensa de vocês.
9. Vocês que temem ao Senhor, esperem dele os benefícios, a felicidade eterna e a misericórdia.
10. Examinem a história, e verão. Quem confiou no Senhor, e ficou desiludido? Quem perseverou no seu temor, e foi abandonado? Quem o invocou, e não foi atendido?
11. Porque o Senhor é compassivo e misericordioso, perdoa os pecados e salva no tempo do perigo.
12. Ai dos corações covardes e mãos preguiçosas, ai do pecador que anda por dois caminhos!
13. Ai do coração preguiçoso que não confia, porque não será protegido!
14. Ai de vocês que perderam a paciência! O que farão vocês quando o Senhor lhes pedir contas?
15. Os que temem ao Senhor não desobedecem às suas palavras, e aqueles que o amam observam os caminhos dele.
16. Os que temem ao Senhor procuram agradar-lhe, e aqueles que o amam cumprem a Lei.
17. Os que temem ao Senhor preparam seus corações, e diante dele se humilham.
18. Cada um de nós se coloque nas mãos do Senhor, e não nas mãos dos homens, pois a misericórdia dele é como a sua grandeza.


Eclesiástico 3

Respeito para com os pais

1. Escutem-me, filhos, porque eu sou o pai de vocês. Façam o que lhes digo, e serão salvos.
2. O Senhor quer que o pai seja honrado pelos filhos, e confirma a autoridade da mãe sobre os filhos.
3. Quem honra o próprio pai alcança o perdão dos pecados,
4. e quem respeita sua mãe é como quem ajunta um tesouro.
5. Quem honra seu pai será respeitado pelos seus próprios filhos, e quando rezar será atendido.
6. Quem honra o seu pai terá vida longa, e quem obedece ao Senhor dará alegria à sua mãe.
7. Quem teme ao Senhor, honra seus pais, e serve a eles como se fossem seus patrões.
8. Honre a seu pai em atos e palavras, para que a bênção dele venha sobre você.
9. A bênção do pai consolida a casa dos filhos, mas a maldição da mãe arranca os alicerces.
10. Não se vanglorie com a desonra de seu pai, porque você não conseguirá honra nenhuma com a desonra de seu pai.
11. Pois a glória do homem está na honra do seu pai, e a desonra da mãe é vergonha para os filhos.
12. Meu filho, cuide de seu pai na velhice, e não o abandone enquanto ele viver.
13. Mesmo que ele fique caduco, seja compreensivo e não o despreze, enquanto você está em pleno vigor,
14. pois a caridade feita ao pai não será esquecida, e valerá como reparação pelos pecados que você tiver cometido.
15. No dia do perigo, o Senhor se lembrará de você, e seus pecados se derreterão como geada ao sol.
16. Quem despreza seu pai é um blasfemador, e quem irrita sua mãe será amaldiçoado pelo Senhor.

Consciência dos próprios limites

17. Meu filho, seja modesto em sua atividade, e será mais estimado que um homem generoso.
18. Quanto mais importante você for, tanto mais seja humilde, e encontrará favor diante do Senhor.
19. Pois o poder do Senhor é grande,
20. mas ele é glorificado pelos humildes.
21. Não procure o que é muito difícil para você, e não investigue coisas que superam suas forças.
22. Empenhe-se naquilo que lhe foi ordenado, e não se ocupe de coisas misteriosas.
23. Não se aplique em coisas que superam sua capacidade, porque já lhe foi mostrado mais do que a inteligência humana pode compreender.
24. Muitos se perderam por suas especulações e se extraviaram por suas ilusões perversas.
25. Um coração obstinado acabará mal, e quem ama o perigo nele cairá.
26. Um coração obstinado acumula sofrimentos, e o pecador vai somando pecado a pecado.
27. A desgraça não cura o soberbo, porque a planta do mal criou raízes nele.
28. A mente sábia medita a parábola, e o sábio deseja ter ouvido atento.

O olhar do pobre

29. A água apaga o fogo, e a esmola apaga os pecados.
30. Quem retribui com o bem armazena para o futuro, e no tempo de sua queda encontrará apoio.


Eclesiástico 4

1. Meu filho, não recuse ajudar o pobre, e não seja insensível ao olhar dos necessitados.
2. Não faça sofrer aquele que tem fome, e não piore a situação de quem está em dificuldade.
3. Não perturbe mais ainda a quem já está desesperado, e não se negue a dar alguma coisa ao necessitado.
4. Não rejeite a súplica de um pobre, e não desvie do indigente o seu olhar.
5. Não desvie o olhar daquele que pede alguma coisa para você, e não dê ocasião para que alguém o amaldiçoe,
6. porque se uma pessoa amaldiçoa você com amargura, o Criador atenderá ao pedido dela.
7. Seja simpático para a comunidade, e diante de um grande abaixe a cabeça.
8. Incline o ouvido ao pobre e responda com delicadeza à saudação dele.
9. Arranque o oprimido do poder do opressor, e não seja covarde em fazer justiça.
10. Seja como um pai para os órfãos e como um marido para a mãe deles. Desse modo, você será como um filho do Altíssimo, e o Altíssimo amará você mais do que a sua própria mãe.

A sabedoria educa o homem

11. A sabedoria educa os seus filhos e cuida daqueles que a procuram.
12. Quem tem amor a ela, ama a vida, e os que madrugam para procurá-la, ficarão cheios de alegria.
13. Quem a possui, terá como herança a honra, e aonde quer que vá, o Senhor o abençoará.
14. Aqueles que servem a ela prestam culto ao Santo, e o Senhor ama aqueles que a amam.
15. Quem a escuta, julga com justiça, e quem lhe dá atenção viverá tranqüilo.
16. Quem nela confia, a receberá como herança, e seus descendentes a conservarão como propriedade.
17. Primeiro, ela o conduzirá por caminhos tortuosos, causando-lhe medo e tremor, e o atormentará com sua disciplina, até que o homem confie nela e até que ela o tenha provado com suas exigências.
18. Depois, ela o reconduzirá pelo caminho reto, o alegrará e lhe manifestará os seus segredos.
19. Se ele se desviar, ela o abandonará e o entregará ao sabor do próprio destino.

Autenticidade e coerência

20. Observe as circunstâncias, mas guarde-se do mal e não se envergonhe de si mesmo.
21. Existe uma vergonha que conduz ao pecado, e existe uma vergonha que traz honra e graça.
22. Não seja muito severo consigo mesmo, e não se envergonhe do seu erro.
23. Não deixe de falar no momento oportuno, e não esconda a sua sabedoria,
24. porque é pelo falar que se reconhece a sabedoria, e é pela palavra que se percebe a instrução.
25. Não contradiga a verdade, mas envergonhe-se de sua própria ignorância.
26. Não se envergonhe de confessar os próprios pecados, e não se oponha à correnteza de um rio.
27. Não se submeta a um insensato, e não seja parcial em favor de um poderoso.
28. Lute até à morte pela verdade, e o Senhor Deus combaterá por você.
29. Não seja arrogante no falar, nem preguiçoso e covarde no agir.
30. Não seja um leão para a sua família, nem suspeite de seus dependentes.
31. Não tenha a mão aberta para receber e fechada na hora de dar.


Eclesiástico 5

A ilusão do rico

1. Não confie em suas riquezas, nem diga: "Elas resolvem tudo".
2. Não siga o seu instinto nem a sua força, para satisfazer os seus caprichos.
3. Não diga: "Quem me poderá dominar?" Porque o Senhor castiga, e castigará você.
4. Não diga: "Pequei, e nada me aconteceu", pois o Senhor é paciente.
5. Não fique muito seguro do perdão, a ponto de amontoar pecados.
6. Não diga: "A misericórdia de Deus é grande, e ele me perdoará todos os meus pecados". Porque ele tem compaixão e cólera, e sua ira cairá sobre os pecadores.
7. Não demore para se converter ao Senhor, e não fique adiando isso de um dia para outro, porque a ira do Senhor virá de repente, e você perecerá no dia do castigo.
8. Não confie nas riquezas injustas, porque elas não o ajudarão no dia da desgraça.

Prudência no falar

9. Não peneire o grão em qualquer vento, nem siga por qualquer direção.
10. Seja constante no modo de pensar e coerente na maneira de falar.
11. Esteja pronto para ouvir e lento para dar a resposta.
12. Se você for capaz, responda a seu próximo; se não for, fique calado.
13. Falar pode trazer honra ou desonra, e a língua do homem é a sua ruína.
14. Não tenha fama de caluniador, nem use a língua para preparar armadilhas, porque para o ladrão existe a vergonha, e para o homem falso uma condenação severa.
15. Evite erros grandes e pequenos, e de amigo não se transforme em inimigo.


Eclesiástico 6

1. A má fama atrai a vergonha e o desprezo, e essa é a sorte do pecador que não tem palavra.
2. Não seja vítima de sua própria paixão, para que ela não o despedace como touro furioso.
3. Ela poderá devorar as folhas que você tem, e lhe fará perder os frutos, deixando-o como árvore seca.
4. A paixão violenta destrói quem a possui e o transforma em zombaria diante dos inimigos.

A amizade verdadeira

5. Palavras afáveis aumentam os amigos, e fala amável encontra acolhida.
6. Tenha muitos conhecidos, mas um só confidente entre mil.
7. Se você quiser um amigo, coloque-o à prova, e não vá logo confiando nele.
8. Porque existe amigo de ocasião, que não será fiel quando você estiver na pior.
9. Existe amigo que se transforma em inimigo, e envergonhará você, revelando suas coisas particulares.
10. Existe amigo que é companheiro de mesa, mas que não será fiel quando você estiver na pior.
11. Quando tudo correr bem, ele estará com você, mas quando as coisas forem mal, ele fugirá para longe.
12. Se você for apanhado pela desgraça, lhe dará as costas e se esconderá de você.
13. Mantenha-se longe de seus inimigos e seja cauteloso com os amigos.
14. Amigo fiel é proteção poderosa, e quem o encontrar, terá encontrado um tesouro.
15. Amigo fiel não tem preço, e o seu valor é incalculável.
16. Amigo fiel é remédio que cura, e os que temem ao Senhor o encontrarão.
17. Quem teme ao Senhor tem amigos verdadeiros, pois tal e qual ele é, assim será o seu amigo.

O aprendizado da sabedoria

18. Meu filho, empenhe-se na disciplina desde a juventude, e até na velhice você terá a sabedoria.
19. Aproxime-se dela como quem ara e semeia, e espere pelos seus frutos saborosos. Você terá um pouco de trabalho para cultivá-la, mas logo comerá dos seus frutos.
20. Para os insensatos, ela é penosa, e quem não tem bom senso desistirá dela.
21. Ele a considera pesada como pedra, e logo se desfará dela.
22. A sabedoria merece o nome que tem, pois não se manifesta para muitas pessoas.
23. Escute, meu filho, aceite minha opinião e não rejeite o meu conselho.
24. Coloque os pés nos grilhões dela e o pescoço debaixo do seu jugo.
25. Incline o ombro para carregá-la, sem se irritar com suas amarras.
26. Aproxime-se dela com alma aberta, e siga-lhe os caminhos com todas as forças.
27. Procure suas pegadas, e ela se manifestará a você. Uma vez possuída, não a deixe mais.
28. No fim, você encontrará nela o repouso, e ela se transformará em alegria para você.
29. Os grilhões dela serão para você uma poderosa proteção, e o jugo dela um enfeite precioso.
30. Seu jugo será ornamento de ouro e seus grilhões fitas de púrpura.
31. Você a vestirá qual manto de glória, e a terá na cabeça como coroa de alegria.
32. Se você quiser, meu filho, ficará instruído e se você se empenhar, se tornará hábil.
33. Se você gosta de escutar, aprenderá; e se der ouvido, se tornará sábio.
34. Freqüente a reunião dos anciãos e apegue-se a quem for sábio.
35. Escute de boa vontade toda palavra divina, e não se descuide das máximas sábias.
36. Se você encontrar um homem sábio, madrugue para visitá-lo, e que seu pé gaste a soleira da porta dele.
37. Reflita sobre os preceitos do Senhor e medite sem cessar nos mandamentos dele. Então ele fortificará em você a inteligência, e o seu desejo de sabedoria ficará saciado.


Eclesiástico 7

Conselhos para a vida em sociedade

1. Não faça o mal, e o mal não lhe acontecerá.
2. Afaste-se da injustiça, e ela se afastará de você.
3. Meu filho, não semeie nos sulcos da injustiça, e não a recolherá sete vezes mais.
4. Não peça ao Senhor o poder, nem ao rei um lugar de honra.
5. Não pretenda ser justo diante do Senhor, nem sábio diante do rei.
6. Não procure tornar-se juiz, se não tiver força para eliminar a injustiça. Do contrário, você se acovardaria diante de um poderoso e mancharia a sua própria integridade.
7. Não ofenda a assembléia da cidade, para não se tornar inimigo do povo.
8. Não repita duas vezes o mesmo pecado, porque basta uma vez para se tornar culpado.
9. Não diga: "Deus levará em conta as minhas numerosas ofertas, e quando eu as oferecer ao Deus Altíssimo, ele as aceitará".
10. Não seja vacilante na oração, nem deixe de dar esmola.
11. Não zombe de um homem desesperado, porque existe alguém que humilha e exalta.
12. Não planeje mentiras contra seu irmão, nem algo semelhante contra um amigo.
13. Não queira mentir de modo nenhum, porque as conseqüências nunca são boas.
14. Não fale demais na assembléia dos anciãos, e não repita palavras na oração.
15. Não despreze o trabalho pesado, nem o trabalho rural, criado pelo Altíssimo.
16. Não se junte à multidão dos pecadores. Lembre-se: a cólera divina não tardará.
17. Humilhe-se profundamente, porque o castigo do injusto é fogo e vermes.
18. Não troque um amigo por dinheiro, nem o irmão fiel pelo ouro mais precioso.
19. Não despreze uma esposa sábia e boa, porque a bondade dela vale mais que o ouro.
20. Não maltrate o empregado que trabalha fielmente, nem o assalariado que dá tudo de si.
21. Ame como a si mesmo o empregado inteligente, e não lhe recuse a liberdade.

Vida familiar

22. Você possui animais? Cuide deles. Se eles são úteis para você, conserve-os.
23. Você tem filhos? Eduque-os e ensine-os a obedecer desde a infância.
24. Você tem filhas? Cuide do corpo delas, e não seja indulgente com elas.
25. Arrume casamento para sua filha, e terá realizado uma grande tarefa, mas faça que ela se case com homem sensato.
26. Você ama a sua esposa? Não se separe dela. Se você não a ama, não confie nela.
27. Honre a seu pai de todo coração, e não esqueça as dores de sua mãe.
28. Lembre-se de que eles o geraram. O que você lhes dará em troca por tudo o que eles deram a você?

Deus e seus ministros

29. Tema ao Senhor de todo coração e respeite os seus sacerdotes.
30. Ame com todas as forças aquele que criou você, e não abandone os ministros dele.
31. Tema ao Senhor e honre o sacerdote, dando-lhe a parte que cabe a ele, como foi ordenado a você: os primeiros frutos, os sacrifícios pelo pecado, a oferta das espáduas, o sacrifício de santificação e os primeiros frutos das coisas consagradas.

Solidariedade e gratuidade

32. Estenda a mão ao pobre, e você será plenamente abençoado.
33. Que sua generosidade se estenda a todos os seres vivos, e não negue sua atenção nem aos mortos.
34. Não evite aqueles que choram, e sofra com os que sofrem.
35. Não demore para visitar um doente, porque isso fará com que você seja amado.
36. Em tudo o que você faz, lembre-se do seu fim, e jamais pecará.


Eclesiástico 8

Prudência e bom senso

1. Não processe nenhum homem poderoso, para não cair nas mãos dele.
2. Não brigue com homem rico, para que ele não coloque o peso do dinheiro dele contra você, pois o ouro já corrompeu muita gente e perverteu a consciência dos reis.
3. Não discuta com homem falador, para não amontoar lenha no fogo dele.
4. Não brinque com o ignorante, para que ele não insulte os seus antepassados.
5. Não repreenda o homem que se converteu do pecado. Lembre-se de que todos somos culpados.
6. Não despreze o homem velho, porque alguns de nós também ficarão velhos.
7. Não se alegre com a morte de ninguém. Lembre-se de que todos nós morreremos.
8. Não despreze os ensinamentos dos sábios. Ao contrário, medite sempre em suas máximas, porque deles você aprenderá a disciplina e a arte de servir aos poderosos.
9. Não rejeite o ensinamento dos anciãos, porque eles também aprenderam dos próprios pais. É deles que você aprenderá a pensar e a responder no momento oportuno.
10. Não atice as brasas do pecador, para não se queimar no fogo de sua chama.
11. Nunca replique ao insolente, para que ele não arme ciladas com o que você diz.
12. Não faça empréstimo a ninguém mais forte que você. E se já lhe emprestou, pode considerar como coisa perdida.
13. Não se torne fiador além de suas possibilidades. E se já fez isso, pense em como vai pagar.
14. Não mova processo contra um juiz, porque decidirão a causa em favor dele.
15. Não viaje com nenhum aventureiro, para que a situação não fique insuportável: ele agirá conforme os próprios caprichos, e você se perderá com ele, por causa da imprudência dele.
16. Não discuta com o violento, nem ande com ele em lugar solitário, porque o sangue para ele é um nada, e ele o matará onde não há possibilidades de socorro.
17. Não faça confidências para uma pessoa ingênua, porque ela não é capaz de manter segredo.
18. Diante de um estranho, não faça nada que deva ficar em segredo, porque você não sabe o que poderá acontecer.
19. Não abra o seu coração para qualquer pessoa, para que ela não leve embora a sua felicidade.


Eclesiástico 9

A mulher é perigosa?

1. Não tenha ciúmes da esposa que você ama, para que ela não aprenda a maltratá-lo.
2. Não se entregue a uma mulher, para que ela não o domine.
3. Não vá ao encontro da mulher fácil, para não cair em suas armadilhas.
4. Não se entretenha com uma tocadora de lira, para não ficar preso em suas artimanhas.
5. Não fixe o olhar numa virgem, para não ser castigado com ela.
6. Não se entregue às prostitutas, para não perder o patrimônio que você tem.
7. Não fique olhando pelas ruas da cidade, nem vagando em recantos solitários.
8. Desvie o seu olhar de uma mulher bonita e não fite uma beleza que não pertence a você. Muitos já se perderam por causa de uma bela mulher, porque o amor por ela queima como fogo.
9. Nunca se assente à mesa ao lado de mulher casada, nem festeje bebendo vinho com ela, para que seu coração não se enamore e a paixão o faça escorregar para a ruína.

Prudência nas relações

10. Não abandone um velho amigo, porque o novo não é como ele. Amigo novo é vinho novo: deixe que ele envelheça, e depois o beberá com prazer.
11. Não inveje o sucesso do pecador, porque você não sabe qual será o fim dele.
12. Não sinta prazer com a felicidade do injusto. Lembre-se: eles não chegarão impunes à mansão dos mortos.
13. Fique longe do homem que pode matar, e você não se sentirá ameaçado de morte. Se você se aproxima dele, fique atento para não errar, para que ele não lhe tire a vida. Saiba que você está caminhando entre armadilhas e andando em cima de muralhas.
14. Responda como puder ao seu próximo, e peça conselhos aos sábios.
15. Converse com homens de bom senso e tenha sempre como assunto as leis do Altíssimo.
16. Que seus companheiros de mesa sejam homens justos, e seja seu orgulho temer ao Senhor.

O governo e o povo

17. O trabalho manual de um artesão sábio é elogiado, mas o chefe do povo deve ser sábio em suas palavras.
18. O homem falador é o terror da cidade; quem não sabe controlar a palavra será detestado.


Eclesiástico 10

1. Governante sábio educa o seu povo, e a autoridade de um homem que tem bom senso é bem organizada.
2. Tal é o governante do povo, tais são os ministros; tal é o chefe da cidade, tais são os habitantes.
3. Um rei sem instrução arruína o seu povo, e uma cidade terá prosperidade com o bom senso dos seus chefes.
4. O governo do mundo está nas mãos do Senhor, e no momento oportuno ele faz aparecer o homem certo.
5. O sucesso de um homem está nas mãos do Senhor, e é ele que investe de autoridade o magistrado.

A raiz da injustiça

6. Seja qual for a ofensa, não guarde ressentimento contra o próximo, e não faça nada levado pela raiva.
7. A soberba é odiosa para o Senhor e para os homens, e os dois abominam a injustiça.
8. O poder passa de uma nação para outra por causa da injustiça, da violência e das riquezas.
9. Por que se orgulha quem é pó e cinza, se quando vivo já tem podridão nos intestinos?
10. Uma longa doença desafia o médico, e quem hoje é rei, amanhã morrerá.
11. Quando o homem morre, recebe de herança insetos, feras e vermes.
12. A essência do orgulho humano é afastar-se do Senhor e manter o coração longe de quem o criou.
13. O pecado é o princípio do orgulho. Quem se entrega a ele espalha abominação. Por isso, o Senhor pune a pessoa com castigos incríveis, e a destrói completamente.
14. O Senhor derruba o trono dos poderosos e faz os humilhados assentar-se no lugar deles.
15. O Senhor arranca a raiz das nações, e no lugar delas planta os oprimidos.
16. O Senhor destrói o território das nações e o arrasa até os alicerces.
17. Ele arranca as nações e as aniquila, e faz desaparecer da terra a lembrança delas.
18. O orgulho não foi feito para o homem, nem a ira violenta para os nascidos de mulher.

Quem é digno de respeito?

19. Qual é a raça digna de honra? A raça dos homens. Qual é a raça digna de honra? A dos que temem ao Senhor.
20. Qual é a raça digna de desprezo? A raça dos homens. Qual é a raça digna de desprezo? A dos que não obedecem aos mandamentos.
21. Entre irmãos, presta-se honra ao mais velho, porém aos olhos do Senhor são honrados aqueles que temem ao Senhor.
22. Seja ele rico, honrado ou pobre, a honra de alguém está em temer ao Senhor.
23. Não é justo desprezar um pobre que tenha bom senso, e não convém exaltar um homem pecador.
24. O nobre, o juiz e o poderoso são respeitados, mas nenhum deles é maior do que alguém que teme ao Senhor.
25. Homens livres servem a um escravo sábio, e o homem sábio não se queixa disso.

Humildade na simplicidade

26. Não se considere sábio ao realizar o seu trabalho, e não se glorie no tempo da necessidade.
27. É melhor uma pessoa que trabalha e tem tudo em abundância, do que alguém que se gloria e tem falta de alimento.
28. Meu filho, conserve sua honra com modéstia, e saiba apreciar o justo valor que você tem.
29. Quem dará razão àquele que prejudica a si mesmo? Quem estimará aquele que menospreza a si próprio?
30. O pobre é honrado por seu saber, e o rico por suas riquezas.
31. Quem é honrado na pobreza mais ainda o será na riqueza. Quem é desprezado na riqueza mais ainda o será na pobreza.


Eclesiástico 11

As aparências enganam

1. A sabedoria do pobre o faz andar de cabeça erguida, e lhe permite sentar-se entre os grandes.
2. Não elogie um homem por sua beleza, nem deteste uma pessoa por sua aparência.
3. A abelha é pequena entre os seres que voam, mas o que ela produz é o que há de mais doce.
4. Não fique envaidecido por causa das roupas que você usa, nem se torne soberbo nos dias gloriosos, porque as obras do Senhor são admiráveis, mas permanecem ocultas aos homens.
5. Muitos soberbos acabaram por sentar-se no chão, e um desconhecido recebeu a coroa deles.
6. Muitos poderosos foram profundamente humilhados, e muitos homens ilustres caíram em poder de outros.

Não dar passo maior do que a perna

7. Não critique antes de verificar; examine primeiro, para depois julgar.
8. Não responda antes de escutar, e não interrompa a conversa.
9. Não brigue por alguma coisa que não diz respeito a você, nem se meta em briga de pecadores.
10. Meu filho, não se encha de coisas para fazer. Se exagerar, acabará cometendo erros; e mesmo se correr, não chegará, nem fugindo conseguirá escapar.
11. Há pessoas que trabalham, se afadigam e se atropelam e, apesar de tudo, estão sempre atrasadas.

Perseverança confiante

12. Existem pessoas fracas e necessitadas de ajuda, carentes de bens e ricas de miséria. O Senhor, porém, olha para elas com benevolência e as reergue da miséria,
13. fazendo-as ficar de cabeça erguida, a tal ponto que muitos se admiram.
14. Bem e mal, vida e morte, pobreza e riqueza, tudo provém do Senhor.
15. Sabedoria, bom senso e conhecimento da Lei vêm do Senhor, e dele procedem o amor e a prática das boas obras.
16. O erro e as trevas foram criados para os pecadores; e os que gostam do mal, no mal envelhecem.
17. O dom do Senhor é reservado para os justos, e o seu favor sempre os conduz.
18. Há quem se enriquece por meio de privação e economia, e acaba ganhando isto:
19. Quando ele pensa que já pode descansar e aproveitar seus bens, não sabe que logo vai chegar o tempo de morrer e deixar tudo para os outros.
20. Persevere em sua tarefa, faça dela a sua vida, e envelheça cumprindo o seu dever.
21. Não admire o que o pecador faz. Confie no Senhor e persevere na fadiga, pois é fácil para o Senhor enriquecer um pobre de repente.
22. A bênção do Senhor é a recompensa para quem é fiel, e a bênção dele floresce num instante.
23. Não diga: "Do que é que eu preciso? O que ainda me falta?"
24. Não diga: "Tenho tudo o que preciso. Que desgraça me pode acontecer?"
25. No tempo da prosperidade, a pessoa se esquece da desgraça, e no tempo da desgraça nem se lembra da prosperidade.
26. É fácil para o Senhor, na hora da morte, pagar ao homem conforme a conduta de cada um.
27. A infelicidade de um momento faz esquecer o bem-estar, e é na hora da morte que as obras de um homem se manifestam.
28. Não proclame feliz uma pessoa antes que ela morra, pois é somente no fim que se conhece o homem.

Proteger a própria família

29. Não introduza qualquer pessoa em sua casa, porque são muitas as ciladas do fraudulento.
30. O coração do orgulhoso é como a perdiz que serve de isca na gaiola: como espião, ele fica esperando que você caia em ruína.
31. Ele arma ciladas, transformando o bem em mal, e encontra defeitos até mesmo nas melhores coisas.
32. Como a faísca acende um grande braseiro, o homem perverso tem sede de sangue.
33. Cuidado com o perverso, pois ele trama o mal: ele poderá sujar para sempre o nome que você tem.
34. Hospede o estrangeiro, e ele provocará desordens, transformando você num estranho para seus próprios familiares.


Eclesiástico 12

Não ajudar o dominador

1. Se você faz o bem, saiba a quem, e assim terá recompensa pelo benefício que fez.
2. Faça o bem ao justo, e você será recompensado, ou por ele ou pelo Altíssimo.
3. Não existe recompensa para quem persevera no mal e se recusa a dar esmola.
4. Ajude o homem fiel, e nunca o pecador.
5. Faça o bem ao pobre, mas não dê nada ao injusto. Recuse dar-lhe pão, e não o ajude em nada, para que ele não tire proveito às custas de você, que acabará encontrando o dobro de males por todos os benefícios que tiver feito a ele.
6. O próprio Altíssimo detesta os pecadores, e inflige aos injustos o castigo que eles merecem.
7. Ajude o homem bom, e não o pecador.

Discernir a verdadeira amizade

8. O amigo não se revela na prosperidade, nem o inimigo se esconde no tempo da desgraça.
9. Quando alguém prospera, os inimigos ficam tristes, mas quando alguém cai na desgraça, até o amigo vai embora.
10. Jamais confie no inimigo, pois a sua maldade é metal que enferruja.
11. Mesmo que ele se abaixe e faça muitos cumprimentos, tome cuidado e desconfie dele; comporte-se com ele como quem limpa o espelho, e você perceberá que a ferrugem dele não resiste por muito tempo.
12. Não o coloque ao seu lado, para que ele não empurre você e ocupe o seu lugar; não o coloque sentado à sua direita, para que ele não procure ocupar a sua cadeira. Caso contrário, tarde demais você verá que eu tenho razão, e ficará arrependido por não ter ouvido os meus conselhos.
13. Quem vai ter dó de um encantador que é mordido pela serpente e de todos os que domam feras?
14. É o que acontece com quem se associa a um pecador e se envolve nos pecados dele.
15. Por um instante, ficará com você, mas quando você tropeça, ele não lhe dá apoio.
16. O inimigo tem lábios doces, mas no coração planeja como jogar você no buraco. O inimigo tem lágrimas nos olhos, mas na primeira ocasião lhe beberá até o sangue.
17. Se acontecer a você uma desgraça, ele será o primeiro a chegar e, com a desculpa de ajudar, pegará você pelo pé.
18. Ele vai sacudir a cabeça e agitar as mãos, mas logo depois fará mexericos e voltará as costas.


Eclesiástico 13

Cuidado com os ricos!

1. Quem mexe com piche, acaba se sujando, e quem freqüenta o orgulhoso, torna-se como ele.
2. Não levante peso muito grande para você, e não conviva com alguém mais forte ou mais rico que você. Pode, por acaso, a panela de barro se juntar com a panela de ferro? Haverá um choque, e a primeira se quebrará.
3. O rico comete injustiça, e ainda ameaça; o pobre é injustiçado, e ainda precisa pedir desculpas.
4. Enquanto você for útil, o rico o explorará, mas quando você precisar, ele o abandonará.
5. Se você possuir bens, ele viverá com você, e o explorará sem remorso.
6. Enquanto ele precisar, enganará você, sorrirá e lhe dará esperanças. Dirá coisas bonitas e perguntará: "Do que você precisa?"
7. Fará você ficar envergonhado nos banquetes dele, até despojá-lo por duas ou três vezes. Por fim, vendo você, passará adiante e sacudirá contra você a cabeça.

Cuidado com os poderosos!

8. Cuidado para não enganarem você, e para não ficar humilhado por sua própria falta de bom senso.
9. Quando um poderoso o convidar, recuse com alguma desculpa, e ele o convidará com maior insistência.
10. Não se entusiasme muito para depois não ser rejeitado, nem se mantenha muito distante, para não ser esquecido.
11. Não se dirija a ele de igual para igual, nem acredite em suas muitas palavras:
12. com seu palavreado, ele põe você à prova e, mesmo sorrindo, ele o está examinando.
13. Ele não guardará os segredos que você lhe confiar, e não o poupará de maus tratos e correntes.
14. Tenha cuidado e preste atenção, porque você está caminhando na beira do precipício.

O perigo do preconceito

15. Todo animal gosta do seu semelhante, e todo homem gosta do seu próximo.
16. Todo animal se une com os de sua espécie, e todo homem se associa com seu semelhante.
17. O que há de comum entre o lobo e o cordeiro? A mesma coisa acontece entre o pecador e o fiel.
18. Que paz pode haver entre a hiena e o cão? E que paz pode haver entre o rico e o pobre?
19. Os leões caçam os asnos selvagens, e os ricos caçam os pobres.
20. Para o orgulhoso a humildade é humilhação, e para o rico o pobre é detestável.
21. Quando o rico tropeça, seus amigos o sustentam; quando o pobre cai, seus amigos o rejeitam.
22. Quando o rico comete um erro, muitos o defendem; e se ele diz tolices, os outros o aprovam. Quando o pobre erra, todos o condenam; e quando fala com bom senso, ninguém o escuta.
23. Quando o rico fala, todos se calam e elevam até às nuvens o seu talento; quando o pobre fala, as pessoas perguntam: "Quem é esse fulano?" E quando tropeça, o ajudam a cair.
24. A riqueza é boa quando nela não há pecado; mas a pobreza é má, na opinião do injusto.

A verdadeira felicidade

25. A consciência do homem modifica as feições do seu rosto, tanto para o bem quanto para o mal.
26. Rosto alegre é sinal de bom coração, mas inventar provérbios é trabalho fatigante.


Eclesiástico 14

1. Feliz o homem que não pecou por palavras e não é atormentado pelo remorso dos pecados.
2. Feliz quem não é acusado por sua consciência e quem não perdeu a esperança.

Usar e repartir os bens

3. A riqueza não convém para o homem mesquinho, nem grandes bens para o homem invejoso.
4. Quem se priva para acumular, ajunta para os outros. Serão outros que desfrutarão seus bens.
5. Quem é mau para si mesmo, com quem será bom? Não aproveita nem mesmo os seus próprios bens.
6. Ninguém é pior do que aquele que maltrata a si mesmo. Essa é a recompensa de sua própria maldade.
7. Se faz o bem é por distração, mas no fim mostrará a sua maldade.
8. Mau é o homem de olhar invejoso, que vira o rosto e despreza a vida dos outros.
9. O avarento não se satisfaz com uma parte apenas, pois a avidez insana resseca-lhe a alma.
10. O avarento é cioso do seu pão e mesquinho em sua própria mesa.
11. Meu filho, trate-se bem na medida do possível, e apresente ao Senhor as ofertas que deve a ele.
12. Lembre-se: a morte não tarda, e você não sabe a que horas ela vai chegar.
13. Antes de morrer, faça o bem ao amigo e reparta com ele conforme o que você possui.
14. Não se prive de um dia feliz, nem deixe escapar um desejo legítimo.
15. Por acaso você não vai deixar para outros o fruto de suas fadigas, e não vai ficar para os herdeiros o fruto de seus sacrifícios?
16. Dê e receba, e divirta-se, porque no mundo dos mortos não existe alegria.
17. Todo corpo envelhece como roupa, porque a morte é uma lei eterna.
18. As folhas verdes em árvore frondosa caem ou brotam. O mesmo acontece com as gerações humanas: uns morrem, outros nascem.
19. Toda obra perecível desaparece, e aquele que a fez irá com ela.

A experiência da sabedoria

20. Feliz o homem que se dedica à sabedoria, que reflete com inteligência,
21. que medita no coração sobre os caminhos da sabedoria e com a mente penetra os segredos dela.
22. Ele a persegue como caçador e põe-se de espreita em seus caminhos.
23. Ele se inclina para olhar por suas janelas e escuta junto às suas portas.
24. Ele pára perto da casa da sabedoria e fixa o prego nas suas paredes.
25. Ele arma a tenda junto a ela, e acampa na moradia da felicidade.
26. Ele coloca seus filhos sob a proteção dela e se abriga debaixo de seus ramos.
27. Ela o protege do calor, e ele habita à sombra de sua glória.


Eclesiástico 15

1. Assim age quem teme ao Senhor, e quem é fiel à Lei alcançará a sabedoria.
2. A lei irá ao seu encontro como mãe, e o acolherá como jovem esposa.
3. Ela o alimentará com o pão da inteligência e o saciará com a água da sabedoria.
4. Ele se apoiará nela, e não vacilará. Nela confiará, e não será confundido.
5. Ela o elevará acima de seus companheiros e o fará falar no meio da assembléia.
6. Ele ficará contente, terá uma coroa de alegria e alcançará fama duradoura.
7. Os insensatos nunca alcançarão a sabedoria, e os pecadores jamais a contemplarão.
8. Ela está longe do orgulhoso, e os mentirosos nem a percebem.
9. O louvor destoa na boca dos pecadores, porque não lhes foi concedido pelo Senhor.
10. Porque, de fato, é na sabedoria que se exprime o louvor, e é o Senhor quem o inspira.

Deus criou o homem para a liberdade

11. Não diga: "Eu me afastei por culpa do Senhor". Porque Deus não faz aquilo que ele próprio detesta.
12. Não diga: "Foi ele quem me fez desviar". Porque Deus não tem necessidade do pecador.
13. O Senhor detesta qualquer tipo de abominação, e nenhuma delas é desejada por quem teme ao Senhor.
14. Desde o princípio, Deus criou o homem e o entregou ao poder de suas próprias decisões.
15. Se você quiser, observará os mandamentos, e sua fidelidade vai depender da boa vontade que você mesmo tiver.
16. Ele pôs você diante do fogo e da água, e você poderá estender a mão para aquilo que quiser.
17. A vida e a morte estão diante dos homens, e a cada um será dado o que cada um escolher.
18. De fato, a sabedoria do Senhor é grande, pois ele é Todo-poderoso e tudo vê.
19. Seus olhos estão sobre aqueles que o temem, e ele conhece cada ação que o homem realiza.
20. Ele não mandou ninguém se tornar injusto e a ninguém deu permissão para pecar.


Eclesiástico 16

Deus julga o homem

1. Não deseje ter muitos filhos, para serem inúteis, nem fique alegre com filhos injustos.
2. Ainda que eles se multipliquem, não fique alegre, se neles não houver o temor do Senhor.
3. Não confie na longa vida deles, nem se apóie no seu grande número, porque é preferível ter apenas um, a ter mil, e morrer sem filhos a ter filhos injustos.
4. A cidade poderá ser repovoada por meio de uma só pessoa de bom senso, enquanto a raça dos injustos será destruída.
5. Meu olho já viu muitas coisas desse tipo e meu ouvido já ouviu coisas mais espantosas ainda.
6. Na assembléia dos pecadores um fogo se acende, e a cólera de Deus se acende contra um povo rebelde.
7. Deus não perdoou os gigantes de outrora, que se revoltaram, prevalecendo-se de suas próprias forças.
8. Ele não poupou os concidadãos de Ló, mas os detestou por causa do orgulho deles.
9. Não teve compaixão de um povo que foi destinado à destruição, por causa do orgulho de seus pecados.
10. Assim ele tratou os seiscentos mil soldados que se uniram na própria arrogância.
11. Mesmo que houvesse um só homem obstinado, seria estranho se ficasse sem castigo.
12. Pois a misericórdia e a ira pertencem ao Senhor, poderoso quando perdoa e quando derrama a ira.
13. Sua misericórdia é tão grande quanto o seu castigo, e ele julga o homem conforme as obras de cada um.
14. O pecador não fugirá com o seu roubo, e a paciência do fiel não ficará frustrada.
15. Todo aquele que dá esmola terá uma recompensa, e cada um será tratado segundo as próprias ações.

De Deus ninguém foge

16. Não diga: "Vou me esconder do Senhor. Lá de cima, quem se lembrará de mim?
17. No meio de tanta gente, quem me reconhecerá? Quem sou eu nesta imensa criação?"
18. Veja bem! O céu, o mais alto do céu, o abismo e a terra, tudo isso treme diante da visita de Deus.
19. Os montes e os alicerces da terra se abalam de pavor quando Deus olha para eles.
20. Mas ninguém reflete sobre essas coisas. Quem faz caso do modo de agir dele?
21. Assim como o furacão que ninguém vê, a maior parte das obras de Deus fica escondida.
22. "Quem anunciará as obras da justiça de Deus, ou quem esperará por elas? A aliança, de fato, está longe".
23. Assim pensa o homem de mente curta; o insensato que se transvia só pensa loucuras.

A grandeza da criação

24. Escute-me, filho, e aprenda a ciência. Aplique sua mente aos meus conselhos.
25. Vou apresentar a minha instrução de maneira precisa, e com exatidão anunciarei a ciência.
26. No princípio, o Senhor criou as suas obras e, depois de havê-las feito, colocou cada uma em seu lugar.
27. Fixou uma ordem eterna para suas obras, desde a origem delas até o seu futuro longínquo. Elas não têm fome e não se cansam, e nunca abandonam suas atividades.
28. Nenhuma delas jamais se choca com a outra, e nunca desobedecem ao comando dele.
29. Depois disso, o Senhor olhou para a terra e com seus bens a encheu.
30. Cobriu a superfície dela com todo tipo de animais, e eles voltarão para ela.


Eclesiástico 17

1. Da terra o Senhor criou o homem, e para ela o faz voltar novamente.
2. Concedeu aos homens dias contados e tempo medido, e deu-lhes poder sobre todas as coisas que existem na terra.
3. Revestiu-os com a sua própria força e os criou à sua imagem.
4. Infundiu em todos os seres vivos o temor para com os homens, para que estes dominassem as feras e pássaros.
5. Deu-lhes discernimento, língua, olhos, ouvidos e mente para pensar.
6. Encheu-os de ciência e inteligência, e também mostrou-lhes o bem e o mal.
7. Infundiu o seu temor na consciência deles, para mostrar-lhes a grandeza de suas obras.
8. Eles louvarão o seu nome santo, cantando a grandeza de suas obras.
9. Concedeu aos homens a ciência e lhes entregou como herança a lei da vida.
10. Fez com eles uma aliança eterna e deu-lhes a conhecer suas sentenças.
11. Os olhos dos homens contemplaram a grandeza da glória de Deus, e seus ouvidos ouviram a majestade de sua voz.
12. E disse a eles: "Cuidado para não cometer injustiça!" E ordenou que cada um se preocupasse com o próximo.

O Senhor da história

13. Os caminhos dos homens estão sempre diante de Deus, e não ficam escondidos aos olhos dele.
14. Para cada povo estabeleceu um chefe, mas Israel é a porção do Senhor.
15. Todas as ações dos homens estão diante dele como o sol, e seus olhos observam continuamente a conduta deles.
16. As injustiças que cometem não lhe ficam escondidas, e todos os pecados deles estão diante do Senhor.
17. A esmola que o homem faz é para ele mesmo um selo, e ele conserva uma boa obra como a pupila do próprio olho.
18. Por fim, Deus se levantará para lhes dar a recompensa, devolvendo a cada um o que cada um merece.
19. A quem se arrepende, ele oferece o retorno, e reconforta os que perderam a esperança.

Converter-se e louvar a Deus

20. Converta-se ao Senhor e abandone o pecado. Suplique diante dele e reduza a ofensa que você lhe fez.
21. Volte para o Altíssimo, vire as costas para a injustiça e deteste profundamente aquilo que ele abomina.
22. Quem louvará o Altíssimo na mansão dos mortos, em lugar dos vivos e de todos os que o glorificam?
23. Os mortos não existem mais e já não louvam; só louva ao Senhor quem tem vida e saúde.
24. Como é grande a misericórdia do Senhor, e o seu perdão para todos os que se convertem para ele!
25. O homem não pode ter tudo, pois o ser humano não é imortal.
26. Nada é mais luminoso que o sol. Todavia, também ele desaparece. O homem, que é carne e sangue, planeja o mal.
27. Deus passa revista ao exército celeste, e os homens são apenas terra e cinza.


Eclesiástico 18

1. Aquele que vive para sempre criou o universo inteiro.
2. Somente o Senhor é justo.
3. A ninguém é possível anunciar as obras dele. E quem é capaz de lhe investigar as grandezas?
4. Quem poderá medir o poder da majestade dele? Quem ousará contar seus feitos de misericórdia?
5. Não há nada para tirar e nada para acrescentar. Não é possível investigar as maravilhas do Senhor.
6. Quando alguém chega ao fim, está apenas começando; e quando pára, então fica perplexo.

O que é o homem?

7. O que é o homem, e para que serve? Qual é o seu bem e qual é o seu mal?
8. A duração de sua vida é de cem anos no máximo.
9. Como gota no mar e grão na areia, tais são os seus poucos anos frente a um dia da eternidade.
10. É por isso que o Senhor tem paciência com os homens, e derrama sobre eles a sua misericórdia.
11. Ele vê e reconhece que o fim deles é miserável, e por isso multiplica para eles o seu perdão.
12. A misericórdia do homem é para o seu próximo, porém a misericórdia do Senhor é para todos os seres vivos.
13. Ele repreende, corrige, ensina e dirige, como o pastor conduz o seu rebanho.
14. Ele tem compaixão dos que aceitam a correção, e dos que se esforçam para lhe cumprir os mandamentos.

Agir com generosidade

15. Meu filho, quando você faz um favor, não repreenda, nem ofenda com palavras ao dar esmola.
16. O orvalho abranda o calor, e a palavra é melhor que o presente.
17. De fato, não vale mais a palavra que o presente? O homem generoso oferece as duas coisas.
18. O insensato reprova sem usar tato, e o presente dado de má vontade faz chorar.

É melhor prevenir do que remediar

19. Aprenda antes de falar, e cuide-se para não ficar doente.
20. Examine a si mesmo antes do julgamento e, no momento da sentença, você encontrará perdão.
21. Humilhe-se para não ficar doente, e quando pecar arrependa-se.
22. Que nada impeça você de cumprir logo uma promessa; não espere até à morte para cumpri-la.
23. Prepare-se antes de fazer uma promessa, para não ser como alguém que tenta o Senhor.
24. Lembre-se da ira que virá nos últimos dias, no tempo da vingança, quando Deus desviar o rosto.
25. No tempo da abundância, lembre-se da carestia; nos dias de riqueza, lembre-se da pobreza e da miséria.
26. Entre o amanhecer e a tarde, o tempo muda, e tudo é passageiro diante do Senhor.
27. O homem sábio sempre age com cautela, e evita a negligência quando o pecado se espalha.
28. Todo homem de bom senso conhece a sabedoria, e presta homenagem àquele que a encontrou.
29. Os que sabem falar bem, tornam-se sábios e derramam como chuva provérbios refinados.

Autodomínio e sobriedade

30. Não siga suas paixões. Coloque freio nos seus desejos.
31. Se você permite satisfazer a paixão, ela tornará você motivo de zombaria para seus inimigos.
32. Não se entregue a uma vida de prazeres, para não se empobrecer com os gastos.
33. Não se empobreça banqueteando com dinheiro emprestado, quando você não tem nada no bolso.


Eclesiástico 19

1. Operário beberrão nunca ficará rico, e quem despreza o pouco, cairá logo na miséria.
2. Vinhos e mulheres fazem perder o bom senso, e quem anda com prostitutas torna-se cada vez mais imprudente.
3. Podridão e vermes tomarão conta dele, porque sua imprudência provocará sua ruína.

O perigo dos boatos

4. Quem confia muito depressa, é porque não tem juízo; e quem peca, prejudica a si mesmo.
5. Quem sente prazer na maldade, será condenado,
6. e quem detesta a tagarelice, escapa do mal.
7. Nunca repita um boato, e você não perderá nada.
8. Não conte nada para o seu amigo ou inimigo; só o faça quando o silêncio se torna cumplicidade.
9. Caso contrário, quem ouvir, não confiará mais em você, e quando ele tiver oportunidade, lhe mostrará ódio.
10. Você ouviu alguma coisa? Que ela morra com você. Agüente firme, não receie explodir.
11. O insensato se abala por causa de um segredo, como a mulher grávida no momento de dar à luz.
12. O segredo no peito do insensato é como flecha fincada na coxa.
13. Pergunte ao seu amigo: talvez ele não tenha feito o que estão dizendo dele; ou, se fez, não continuará fazendo.
14. Pergunte ao próximo: talvez ele não tenha falado o que estão dizendo; ou, se falou, não o repetirá mais.
15. Pergunte ao amigo; porque muitas vezes se trata de calúnia. Não acredite em tudo o que se diz.
16. Às vezes, a pessoa escorrega sem querer. Quem nunca pecou com a língua?
17. Pergunte ao seu próximo, antes de ameaçá-lo, e assim você estará observando a lei do Altíssimo.

A verdadeira e a falsa sabedoria

18. Toda a sabedoria consiste em temer ao Senhor, e em toda a sabedoria existe a prática da Lei.
19. Conhecer o mal não é sabedoria, e o conselho dos pecadores não é prudência.
20. Existe habilidade que é abominável, e quem não tem sabedoria é insensato.
21. É melhor ter pouca inteligência com temor, do que ser muito inteligente, mas transgressor da Lei.
22. Existe uma astúcia hábil, no entanto injusta, e há quem use meios fraudulentos para aparentar retidão.
23. Existe malvado que anda curvado pela tristeza, mas por dentro está cheio de falsidade:
24. ele abaixa a cabeça e se faz de surdo, mas quando ninguém está vendo ataca você de surpresa.
25. Se ele não prejudica você, é porque não tem força, mas na primeira ocasião lhe fará o mal.
26. Pode-se conhecer o homem pelo semblante, e pelo aspecto do rosto se conhece a pessoa sensata.
27. A roupa de um homem, seu modo de sorrir e seu jeito de andar revelam quem ele é.


Eclesiástico 20

Ninguém é dono de ninguém

1. Há repreensões inoportunas, e há quem se cala por prudência.
2. É melhor repreender do que se irritar,
3. mas quem admite a própria culpa evita o castigo.
4. Como eunuco que tenta violar uma jovem, assim é aquele que quer fazer justiça com violência.
5. Há quem se cala e é reconhecido como sábio, e há quem é odiado porque fala demais.
6. Há quem se cala por não saber o que responder, e há quem se cala porque sabe qual é o momento certo.
7. O homem sábio fica em silêncio até a hora oportuna, mas o falador e o insensato a deixam passar.
8. Quem fala demais torna-se detestável, e quem procura se impor acaba sendo odiado.

O barato sai caro

9. Na desgraça, um homem pode encontrar a salvação, enquanto que a fortuna pode provocar a ruína.
10. Há presentes que não servem para nada, e há presentes que rendem o dobro.
11. Há quem procura glória e encontra humilhação, e quem foi humilhado, mas levanta a cabeça.
12. Há quem compra barato muitas coisas, e acaba pagando sete vezes mais.

Exigência interesseira

13. Com suas palavras o sábio se torna amável, mas o insensato derrama suas gentilezas inutilmente.
14. O presente do insensato não ajudará você em nada, porque ele espera avidamente receber sete vezes mais.
15. Ele dá pouco e reclama muito, gritando alto como leiloeiro; hoje faz um empréstimo, e amanhã já quer a restituição. Esse tipo de homem é sempre odioso.
16. O insensato diz: "Não tenho amigos. Ninguém reconhece os benefícios que eu faço".
17. Até os que comem do seu pão falam mal dele, e quantos muitas vezes não zombam dele!

É impossível agradar a todos

18. É melhor escorregar no chão do que no falar, pois a queda dos maus chega depressa.
19. Do homem grosseiro saem palavras fora de hora, que se multiplicam na boca dos insensatos.
20. Ninguém aceita provérbio dito por um insensato, porque ele não sabe dizê-lo na hora certa.
21. Há quem não pode pecar, só por causa da pobreza, e ainda consegue descansar sem remorso.
22. Há quem se destrói por causa do respeito humano, e há quem se perde por respeito ao insensato.
23. Há quem por timidez faz promessas a um amigo, e sem necessidade o transforma em inimigo.

A mentira

24. A mentira é mancha infame para o homem, e está sempre na boca dos insensatos.
25. Um ladrão vale mais do que um mentiroso incorrigível, mas os dois terão como herança a perdição.
26. O vício do mentiroso é uma desonra, e a vergonha sempre o acompanha.

Conseguir justiça e sabedoria

27. O sábio se promove com a palavra, e o homem de bom senso agrada aos poderosos.
28. Quem cultiva a terra consegue boa colheita, e quem agrada os poderosos consegue perdão para a injustiça.
29. Favores e presentes cegam o sábio: são mordaça na boca, porque impedem a repreensão.
30. Sabedoria escondida e tesouro oculto são coisas inúteis.
31. É melhor um homem que esconde a sua loucura, do que um homem que esconde a própria sabedoria.


Eclesiástico 21

O pecado destrói vidas humanas

1. Meu filho, você pecou? Não torne a pecar, e peça perdão das culpas passadas.
2. Fuja do pecado como de uma serpente, porque, se você se aproximar, ele o morderá. Os dentes dele são dentes de leão, capazes de destruir vidas humanas.
3. Toda desobediência é como espada de dois gumes, e sua ferida não tem cura.
4. Crueldade e arrogância destroem a riqueza, e por isso a casa do soberbo será devastada.
5. A súplica do pobre sai de sua boca e vai direto aos ouvidos de Deus, que lhe faz justiça imediatamente.
6. Quem despreza a correção segue o caminho do pecador, mas quem teme ao Senhor se arrepende sinceramente.
7. De longe se conhece o falador, mas quem reflete sabe reconhecer quando tropeça.
8. Quem constrói a própria casa com dinheiro de outros, ajunta pedras para sua própria sepultura.
9. A reunião dos injustos é monte de estopa, que acabará em chamas de fogo.
10. O caminho dos pecadores é bem pavimentado, mas desemboca nas profundezas da mansão dos mortos.

O sábio e o insensato

11. Quem observa a Lei torna-se capaz de controlar seu próprio pensamento, e a sabedoria é a perfeição do temor ao Senhor.
12. Quem não tem capacidade não consegue ficar instruído, mas existe capacidade que aumenta a amargura.
13. A ciência do sábio é vasta como inundação, e o seu conselho é como fonte de vida.
14. A mente do insensato é como vaso quebrado: não guarda nenhum conhecimento.
15. Quando o inteligente ouve uma palavra sábia, ele a recebe e a enriquece. Quando o folgazão ouve uma palavra sábia, ele a despreza e a joga para trás.
16. A explicação dada pelo insensato é como fardo de viagem, mas na boca do inteligente encontra-se a graça.
17. A assembléia solicita o discurso do sensato, e reflete seriamente em suas palavras.
18. Para o imbecil a sabedoria é como casa em ruínas, e sua ciência é um discurso que não se entende.
19. Para o imbecil a instrução é como corrente nos pés e algema na mão direita.
20. O insensato ri alto, fazendo barulho; o sábio sorri discretamente.
21. Para o sábio a instrução é jóia de ouro, um bracelete no braço direito.
22. O imbecil entra numa casa apressadamente, mas o homem experiente mostra-se respeitoso.
23. O imbecil espia da porta o que há dentro da casa, mas a pessoa educada fica do lado de fora.
24. O mal-educado fica ouvindo atrás da porta, mas o homem prudente se envergonha de fazer isso.
25. Os faladores repetem o que os outros dizem, porém os sábios pesam suas próprias palavras na balança.
26. Os imbecis têm a mente na língua; os sábios têm a língua na mente.
27. Quando o injusto amaldiçoa Satanás, está amaldiçoando a si próprio.
28. O maledicente prejudica a si mesmo, e acaba sendo detestado pela vizinhança.


Eclesiástico 22

O preguiçoso

1. O preguiçoso é como pedra cheia de lodo, e todos zombam dele com desprezo.
2. O preguiçoso parece monte de esterco: quem toca nele, logo sacode a mão.

Educação dos filhos

3. Filho mal-educado é vergonha para o pai, e se for uma filha, a desgraça é ainda maior.
4. Filha sensata arranja marido; filha sem-vergonha é desgraça para os pais.
5. Filha insolente envergonha o pai e o marido, e é desprezada pelos dois.
6. Advertência fora de hora é como festa em velório, mas vara e disciplina é sabedoria em qualquer tempo.

É inútil ensinar o imbecil

7. Ensinar o imbecil é como emendar cacos, ou acordar alguém que dorme sono profundo.
8. Falar ao imbecil é como falar a quem está dormindo; no fim ele pergunta: "O que é que foi mesmo?"
9. Chore pelo morto, porque ele perdeu a luz; chore pelo imbecil, porque ele perdeu o bom-senso.
10. É menos triste chorar pelo morto que agora descansa, porque a vida do imbecil é pior que a morte.
11. O luto pelo morto dura sete dias, mas para o imbecil e para o injusto dura a vida inteira.
12. Não gaste palavras com o insensato, e evite andar com o estúpido.
13. Fique longe dele, para não se aborrecer e não se sujar lidando com ele. Afaste-se dele e ficará tranqüilo, e a insensatez dele não irritará você.
14. O que é mais pesado que o chumbo? Qual é o seu nome, senão "insensato"?
15. Areia, sal e barra de ferro são mais fáceis de carregar do que um insensato.

Refletir para decidir

16. Casas travadas com viga de madeira não virão abaixo por ocasião de um terremoto; da mesma forma, a mente que decide após muito refletir não se deixará abalar no momento do perigo.
17. Mente apoiada em reflexão prudente é como enfeite de estuque em muro polido.
18. Cascalho no alto do muro não resiste ao vento, e mente que vacila diante de opiniões insensatas também não resiste diante de ameaças.

A amizade

19. Quem machuca os olhos faz cair lágrimas, e quem fere um coração revela os sentimentos dele.
20. Quem atira pedra nos pássaros acaba por afugentá-los, e quem ofende um amigo perde a amizade.
21. Embora já tenha empunhado a espada contra o amigo, não se desespere, porque ainda há remédio.
22. Ainda que já tenha aberto a boca contra o amigo, não se apavore, porque pode haver reconciliação. Mas o ultraje, a arrogância, a violação de segredos e a traição são coisas que fazem o amigo fugir.
23. Conquiste a confiança do próximo quando ele está na pobreza, para desfrutar junto, quando ele estiver na prosperidade. Faça-lhe companhia quando ele estiver na dificuldade, para que você possa ter parte na herança dele.
24. Antes que o fogo se acenda, a chaminé solta fumaça e vapor, e antes do sangue vêm os insultos.
25. Não me envergonho de defender um amigo, e nem me escondo da sua presença;
26. mas, se algum mal por culpa dele me acontecer, quem ficar sabendo tomará cuidado com ele.

Oração para ter o discernimento

27. Quem irá colocar um guarda na minha boca e um selo de prudência nos meus lábios, para eu não cair por culpa deles e a minha língua não me arruinar?


Eclesiástico 23

1. Senhor, pai e soberano da minha vida, não me abandones ao capricho deles, e por culpa deles não me deixes cair.
2. Quem irá dar chicotadas em meus pensamentos e disciplinar a minha mente com a sabedoria, para que os meus erros não sejam poupados e as culpas deles não sejam toleradas?
3. Dessa forma os meus erros não se multiplicarão, e os meus pecados não se avolumarão; não cairei diante dos meus adversários, e o meu inimigo não se alegrará às minhas custas.
4. Senhor, pai e Deus da minha vida, não permitas que o meu olhar seja altivo.
5. Afasta de mim os maus desejos.
6. Que a sensualidade e a luxúria não me dominem. Não me entregues ao desejo vergonhoso.

Deus não é cúmplice da nossa injustiça

7. Meus filhos, escutem como disciplinar a boca. Quem assim fizer nunca será surpreendido.
8. O pecador será apanhado por seus próprios lábios, e o maldizente e o orgulhoso tropeçarão neles.
9. Não se acostume a fazer juramentos, nem se habitue a repetir o Nome Santo.
10. O escravo está sempre sob controle, e não escapa de ficar marcado pelos golpes. O mesmo acontece com quem jura e repete o nome de Deus por qualquer coisa: nunca ficará livre de pecar.
11. O homem que vive fazendo juramentos acaba cometendo muitos pecados, e o chicote não se afastará da sua casa. Se ele erra, cai em pecado. Se não cumpre o juramento, peca duas vezes. Se jura em falso, não será perdoado, e sua casa ficará cheia de desgraças.

A palavra mortífera

12. Há um modo de falar que é comparável à morte, e que não deveria ser encontrado entre os descendentes de Jacó. Os homens fiéis ficam longe de tais coisas, e assim não se afundam em pecados.
13. Não se acostume a dizer vulgaridades grosseiras, pois nelas há sempre motivo de pecado.
14. Lembre-se de seu pai e sua mãe, quando você se sentar entre os grandes. Não esqueça seus pais, quando estiver diante dos grandes; você se tornaria tão imbecil no seu comportamento que desejaria não ter nascido, e amaldiçoaria o seu próprio nascimento.
15. O homem acostumado à linguagem inconveniente ficará incorrigível até o fim da vida.

O perigo do adultério

16. Há duas espécies de coisas que multiplicam os pecados, e uma terceira que provoca a ira:
17. a paixão que arde como fogo aceso e que não se apaga enquanto não se consumar; o homem entregue à sensualidade, que não cessa enquanto o fogo não o devorar; o homem sensual, para o qual todo alimento é doce, e não se satisfaz enquanto não morrer;
18. o homem que trai o leito matrimonial, dizendo: "Quem me vê? As trevas me envolvem e as paredes me escondem. Ninguém me vê. O que tenho a temer? O Altíssimo não se lembrará dos meus pecados".
19. Ele só tem medo do que os homens vêem, e não sabe que os olhos do Senhor são mil vezes mais luminosos que o sol, porque vêem todos os caminhos dos homens e penetram os lugares mais escondidos.
20. Deus conhecia as coisas, ainda antes de criar o universo, e o mesmo acontece depois que as criou.
21. Tal homem será castigado na praça da cidade e será preso onde não espera.
22. O mesmo acontece com a mulher que abandona o marido e gera um herdeiro com outro homem.
23. Em primeiro lugar, ela desobedece à lei do Altíssimo; em segundo, ofende o seu marido; em terceiro, se prostitui com o adultério e gera filhos de um estranho.
24. Ela será arrastada diante da assembléia, e sobre os seus filhos se fará uma pesquisa.
25. Seus filhos não criarão raízes e seus ramos não darão frutos.
26. A memória dela será amaldiçoada, e sua infâmia nunca será apagada.
27. Os sobreviventes saberão que nada é melhor do que o temor do Senhor, e nada é mais doce do que observar os seus mandamentos.


Eclesiástico 24

Israel é a morada da sabedoria

1. A Sabedoria louva a si mesma e se gloria no meio do seu povo.
2. Ela abre a boca na assembléia do Altíssimo e se glorifica diante do poder dele:
3. "Eu saí da boca do Altíssimo e recobri a terra como névoa.
4. Armei a minha tenda nas alturas, e o meu trono ficava sobre uma coluna de nuvens.
5. Percorri sozinha a abóbada do céu e passei pelas profundezas dos abismos.
6. Estendi o meu poder sobre as ondas do mar, sobre a terra inteira e sobre todos os povos e nações.
7. Em todos eles procurei um lugar para repousar e uma propriedade onde pudesse me estabelecer.
8. Então o Criador do universo me deu uma ordem. Aquele que me criou armou a minha tenda, e disse: 'Instale-se em Jacó e tome Israel como herança'.
9. Ele me criou desde o princípio, antes dos séculos, e eu nunca deixarei de existir.
10. Oficiei na Tenda santa, na presença dele, e desse modo me estabeleci em Sião.
11. Ele me fez habitar na cidade amada, e em Jerusalém exerço o meu poder.
12. Coloquei raízes no meio de um povo glorioso, na porção do Senhor, seu patrimônio.
13. Cresci como cedro no Líbano e como cipreste nos montes do Hermon.
14. Cresci como palmeira de Engadi e como roseira em Jericó. Cresci como oliveira majestosa na planície, e fiquei alta como plátano.
15. Espalhei o meu perfume como canela, bálsamo e mirra escolhida, como gálbano, ônix, estoraque e vapor de incenso na Tenda.
16. Estendi os meus ramos como terebinto, e a minha ramagem é bela e frondosa.
17. Como videira produzi brotos graciosos, e as minhas flores e frutos são belos e abundantes.
18. Venham a mim vocês todos que me desejam, e fiquem saciados com os meus frutos.
19. Pensar em mim é mais doce que o mel, e possuir-me é mais doce que o favo de mel.
20. Os que se alimentam de mim terão ainda mais fome, e os que bebem de mim terão ainda mais sede.
21. Quem me obedece não ficará envergonhado, e os que trabalham comigo não pecarão".

A Sabedoria é a Lei

22. Tudo isso é o livro da Aliança do Deus Altíssimo, a Lei que Moisés nos deu como herança para as comunidades de Jacó.
23. A Lei transborda de Sabedoria como o Fison, e como o rio Tigre no tempo dos primeiros frutos.
24. Ela inunda de inteligência como o rio Eufrates e como o rio Jordão nos dias da colheita.
25. Ela espalha instrução como o rio Nilo e como o Geon no tempo da vindima.
26. O primeiro homem não esgota o conhecimento dela, e o último também não conseguirá investigá-la completamente.
27. De fato, o pensamento dela é maior do que o mar, e o seu conselho é maior do que o oceano.
28. Eu sou como o canal de um rio, um curso d'água que rega o paraíso.
29. Eu disse: "Vou regar meu jardim e empapar os meus canteiros". Mas o meu canal se tornou um rio, e o meu rio se transformou em mar.
30. Farei que a minha instrução resplandeça como aurora, para que ilumine os lugares mais distantes.
31. Derramarei o ensinamento como profecia e o transmitirei para as gerações futuras.
32. Vejam: Não trabalhei apenas para mim, mas para todos os que procuram a sabedoria.


Eclesiástico 25

A maior felicidade

1. Três coisas me satisfazem e agradam ao Senhor e aos homens: concórdia entre irmãos, amizade entre vizinhos e mulher vivendo em harmonia com o marido.
2. Há também três tipos de pessoas que eu detesto e cujo comportamento me irrita profundamente: o pobre orgulhoso, o rico mentiroso e o ancião adúltero e sem bom senso.
3. Se você não acumulou na juventude, como poderia encontrar alguma coisa na velhice?
4. Como é belo para os cabelos brancos saber julgar, e para os anciãos saber dar conselhos!
5. Como fica bem a sabedoria para os anciãos e o discernimento sábio para as pessoas honradas!
6. A coroa dos anciãos é uma grande experiência, e o orgulho deles é temer ao Senhor.
7. Há nove coisas que, no meu íntimo, considero felizes, e a décima eu proclamo com a minha boca: o homem que se alegra com seus filhos; aquele que vive para ver a ruína de seus inimigos;
8. feliz aquele que vive com mulher de bom senso; aquele que não faz trabalhar juntos o boi e o burro; aquele que não peca por palavra; aquele que não serve a um patrão indigno;
9. feliz aquele que encontrou a prudência; e aquele que fala para quem escuta.
10. Como é grande aquele que encontrou a sabedoria! Mas ninguém ultrapassa aquele que teme ao Senhor.
11. O temor do Senhor ultrapassa tudo, e a quem será comparado aquele que o possui?

Mulher: anjo ou demônio?

12. Nenhuma ferida é como a do coração, e maldade nenhuma é como a da mulher!
13. Nenhuma desgraça é como a causada pelos adversários, e nenhuma vingança é como a dos inimigos.
14. Não há veneno pior do que o veneno da serpente, nem ira pior do que a do inimigo.
15. Prefiro morar com um leão ou dragão a morar com mulher maldosa.
16. A maldade da mulher muda a sua fisionomia, e seu rosto fica tenebroso como o de um urso.
17. Seu marido vai sentar-se no meio dos vizinhos e, constrangido, suspira amargamente.
18. Qualquer maldade é um nada diante da maldade da mulher: caia sobre ela a sorte dos pecadores!
19. Como ladeira de areia para os pés de um velho, assim é a mulher faladeira para um marido pacífico.
20. Não se deixe prender pela beleza de uma mulher, nem se apaixone por ela.
21. Motivo de irritação, desprezo e grande vergonha é a mulher sustentar o marido.
22. Coração abatido, rosto triste e coração ferido, é a obra da mulher má.
23. Mãos inertes e joelhos vacilantes, é a mulher que não torna feliz o próprio marido.
24. Foi pela mulher que começou o pecado, e é por culpa dela que todos morremos.
25. Não deixe a água escapar, nem dê liberdade de falar para a mulher má.
26. Se ela não obedece às ordens que você lhe dá, separe-se dela.


Eclesiástico 26

1. Feliz o marido que tem mulher virtuosa; a duração de sua vida será o dobro.
2. Mulher habilidosa é alegria para o marido, que viverá em paz por toda a vida.
3. Uma boa mulher é uma sorte grande, que será dada aos que temem ao Senhor.
4. Rico ou pobre, estará contente e terá sempre rosto alegre.
5. Meu coração teme três coisas, e uma quarta me assusta: calúnia espalhada pela cidade, revolta do povo e acusação falsa. Tudo isso é pior que a morte.
6. Mas a mulher ciumenta de uma rival causa grande dor e aflição. E a praga da língua é o ponto comum de todas essas coisas.
7. Mulher má é canga de boi mal ajeitada, e querer dominá-la é como pegar escorpião.
8. Mulher embriagada provoca indignação, e não consegue esconder a sua inconveniência.
9. A má conduta da mulher se manifesta na excitação dos olhos, e se reconhece pelas pálpebras.
10. Reforce a vigilância sobre a filha impetuosa, para que ela não se aproveite da fraqueza que você tem.
11. Cuidado com os olhos desavergonhados dela, e não estranhe que ofenda você.
12. Como viajante sedento, ela abre a boca e bebe qualquer água que encontra; ela se assenta diante de qualquer estaca e abre a aljava para qualquer flecha.
13. Mulher graciosa alegra o marido, e com seu saber o fortalece.
14. Mulher discreta é dom do Senhor, e mulher bem-educada não tem preço.
15. Mulher modesta duplica seu encanto, e não há valor que pague a mulher casta.
16. Como o sol levantando-se sobre as montanhas do Senhor, assim é a beleza da mulher em sua casa bem arrumada.
17. Como lâmpada brilhando no candelabro sagrado, tal é a beleza do rosto num corpo bem acabado.
18. Colunas de ouro sobre bases de prata, assim são as belas pernas sobre sólidos pés.

A corrupção do justo

19. Duas coisas me entristecem e uma terceira me dá raiva: o soldado reduzido à miséria, homens sábios tratados com desprezo, e aquele que passa da justiça para o pecado: a este o Senhor o entregará à morte pela espada.

O lucro é fonte de injustiças

20. Dificilmente um comerciante fica isento de culpa e um negociante fica livre de pecado.


Eclesiástico 27

1. Muitos pecam por amor ao lucro, e quem busca enriquecer-se age sem escrúpulos.
2. Entre as junturas das pedras finca-se a estaca, e entre a compra e a venda o pecado se infiltra.
3. Se a pessoa não se agarra com firmeza ao temor do Senhor, sua casa logo será destruída.

Pensar antes de falar

4. Sacudindo a peneira, ficam os restos, e quando a pessoa discute aparecem seus defeitos.
5. O forno prova os vasos do oleiro, e a prova do homem está no seu raciocínio.
6. O fruto da árvore mostra como ela foi cultivada, e a palavra revela o íntimo do homem.
7. Nunca elogie um homem antes que ele fale, porque o falar prova quem são as pessoas.

A prática da justiça

8. Se você procura a justiça, certamente a encontrará, e se revestirá dela como roupa de festa.
9. Cada passarinho se aninha com outros da mesma espécie, e a verdade volta para aqueles que a praticam.
10. O leão espreita a presa, e o pecado espreita aqueles que praticam a injustiça.

Vivendo e aprendendo

11. O homem fiel fala sempre com sabedoria, mas o insensato muda como a lua.
12. Meça o tempo quando estiver entre os insensatos, mas demore-se quando estiver entre os sábios.
13. A conversa dos insensatos é detestável, e o riso deles é orgia de pecado.
14. A conversa de quem vive jurando eriça os cabelos, e suas discussões obrigam a tapar os ouvidos.
15. A briga dos orgulhosos faz derramar sangue, e os insultos que eles fazem machucam os ouvidos.

Amizade é relação sagrada

16. Quem revela o segredo destrói a confiança, e nunca mais encontrará um amigo íntimo.
17. Ame o seu amigo e seja fiel a ele. Contudo, se você revelou os segredos dele, não o procure mais.
18. Porque, assim como se perde uma pessoa que morre, da mesma forma você perdeu a amizade do seu próximo.
19. Como pássaro que escapa da mão, você deixou escapar seu amigo, e não conseguirá mais apanhá-lo.
20. Não vá atrás, pois ele já foi para longe, fugindo como gazela que escapou da armadilha.
21. Uma ferida pode ser curada, e pode-se perdoar um insulto, mas para quem revelou segredos não há mais esperança.
22. Quem pisca um olho está planejando maldade, mas quem o conhece afasta-se dele.
23. Na frente de você, ele fala com delicadeza e elogia o que você diz, mas, por detrás ele fala diferente, e arma ciladas com as mesmas palavras que você disse.
24. Eu detesto muitas coisas, e a esse tal muito mais, e também o Senhor o detesta.

O mal prejudica o mau

25. Jogue uma pedra para o alto, e ela cairá em sua própria cabeça; dê um golpe por traição, e você receberá o golpe de volta.
26. Quem cava um buraco, nele cairá; quem prepara uma armadilha, ficará preso nela.
27. O mal se volta contra quem o pratica, e sem que a pessoa saiba de onde ele vem.
28. Sarcasmo e ultraje são próprios do soberbo, mas a vingança o espreita como leão.
29. Os que se alegram com a queda dos fiéis serão apanhados na própria armadilha e, antes de morrer, a dor os consumirá.

Perdoe, e você será perdoado

30. Rancor e cólera são coisas abomináveis, mas o pecador as conserva.


Eclesiástico 28

1. Quem se vinga sofrerá a vingança do Senhor, que severamente lhe pedirá contas de seus pecados.
2. Perdoe a injustiça que o seu próximo cometeu e, quando você pedir, Deus também perdoará os pecados que você tiver cometido.
3. Se um homem guarda rancor contra outro, como poderá pedir que Deus o cure?
4. Se não usa de misericórdia para com o seu semelhante, como se atreve a pedir perdão de seus próprios pecados?
5. Se ele, que é carne, guarda rancor, quem perdoará os seus pecados?
6. Lembre-se do seu fim, e pare de odiar. Lembre-se da corrupção e da morte, e persevere nos mandamentos.
7. Lembre-se dos mandamentos, e não guarde rancor contra o seu próximo. Lembre-se da aliança com o Altíssimo, e não leve em conta a ofensa que fizeram a você.

Briga é ocasião de pecado

8. Fique longe das discussões, e você evitará o pecado, porque o homem raivoso atiça a briga.
9. O homem pecador provoca discórdia entre os amigos e desavença entre os que vivem em paz.
10. Quanto mais lenha, tanto mais arde o fogo, e quanto mais teimosia, tanto mais aumenta a briga. O furor de um homem depende de sua força, e sua cólera é proporcional à sua riqueza.
11. A luta repentina acende o fogo, e a briga violenta derrama sangue.
12. Se você sopra uma fagulha, ela se inflama, e se você lhe cospe em cima, ela se apaga. Note bem que as duas coisas saem da mesma boca.

Força e perigo da língua

13. Amaldiçoem o difamador e o homem falso, porque eles arruínam muitos que vivem em paz.
14. A língua intrometida inquieta muitos, fazendo-os fugir de nação em nação; ela destrói cidades fortes e devasta as casas dos poderosos.
15. A língua intrometida faz com que mulheres excelentes sejam repudiadas, privando-as do fruto de seus trabalhos.
16. Quem dá atenção a ela não encontra mais descanso nem tranqüilidade em casa.
17. A chicotada deixa marca, mas o golpe da língua quebra os ossos.
18. Muitos já caíram pelo fio da espada, mas não foram tantos como as vítimas da língua.
19. Feliz de quem se protege dela e não se expõe ao seu furor. Feliz quem não arrastou o jugo dela, nem foi enredado em suas cadeias.
20. De fato, o jugo dela é de ferro, e suas cadeias são de bronze.
21. A morte que ela provoca é terrível, e é preferível estar no túmulo.
22. Ela, porém, não tem poder sobre os homens fiéis, que não se queimarão em sua chama.
23. Os que abandonam o Senhor, nela cairão, e ela os consumirá sem se apagar; ela se lançará contra eles como leão, e como pantera os despedaçará.
24. Atenção! Proteja a sua propriedade com uma cerca de espinhos e guarde bem o seu ouro e prata.
25. Pese na balança as palavras que você diz, e feche a boca com porta de ferrolho.
26. Cuidado para não tropeçar com a língua, para não cair diante de quem espreita você.


Eclesiástico 29

Emprestar
ou não emprestar?

1. Quem pratica misericórdia faz empréstimos ao próximo, e quem lhe estende a mão cumpre os mandamentos.
2. Empreste ao próximo quando ele tiver necessidade, e devolva ao próximo no tempo combinado.
3. Mantenha a palavra dada e seja fiel com o próximo, e em qualquer momento você encontrará o que precisa.
4. Muitos consideram o empréstimo como se fosse coisa achada, e deixam os credores em dificuldade.
5. Antes de receberem, beijam a mão do credor e amaciam a voz para conseguir os bens do próximo. Na hora de devolver, porém, adiam a data, respondem com palavras evasivas e culpam as circunstâncias.
6. Quando eles podem pagar, com dificuldade o credor recupera a metade, e pode considerar isso como um achado. Caso contrário, o credor ficará sem os bens que emprestou e, além disso, ganhará sem motivo um inimigo. Este lhe devolverá maldições e injúrias e, em vez de agradecer, o desprezará.
7. Muitos, por causa de tais maldades, se recusam a fazer empréstimos, com medo de perder os bens sem mais nem menos.

Treinamento para a partilha

8. Com o pobre, porém, seja compreensivo, e não o faça esperar muito pela esmola.
9. Por causa do mandamento, socorra o indigente conforme a necessidade dele. Não o despeça de mãos vazias.
10. Perca o dinheiro com o irmão e o amigo, para que ele não se enferruje inutilmente debaixo de uma pedra.
11. Use seus bens segundo os mandamentos do Altíssimo, e eles serão mais úteis para você do que o ouro.
12. Dê esmola daquilo que você tem nos celeiros, e ela o livrará de qualquer desgraça;
13. mais do que forte escudo e lança pesada, ela combaterá por você diante do inimigo.

Arriscar-se pelo próximo

14. O homem bom se dispõe a ser fiador do seu próximo, mas aquele que perdeu a vergonha o abandona.
15. Não se esqueça do favor prestado pelo seu fiador, pois ele se expôs por você.
16. O pecador se aproveita dos bens do seu fiador, e o ingrato abandona propositalmente quem o ajudou.
17. A fiança já arruinou muitos que prosperavam e os agitou como ondas do mar.
18. Ela deixou sem casa homens poderosos, que foram obrigados a vagar em meio a estrangeiros.
19. O pecador que se apressa em ser fiador para buscar lucro, acabará nos tribunais.
20. Ajude seu próximo conforme o que você pode, mas tome cuidado para também você não se arruinar.

Dignidade e humilhação

21. São coisas indispensáveis para a vida: água, pão, roupa e casa para preservar a própria intimidade.
22. É melhor viver vida de pobre embaixo de um barraco, do que saborear comidas em casa alheia.
23. Com pouco ou muito esteja contente, e você não será desprezado como imigrante.
24. É vida dura andar de casa em casa, porque você é imigrante por onde anda, e não pode abrir a boca.
25. Você será recebido como estranho, beberá constrangido, e ainda ouvirá coisas desagradáveis:
26. "Venha, forasteiro, arrume a mesa e, se tiver alguma coisa, me dê de comer".
27. Ou: "Saia, forasteiro! Dê o lugar para uma pessoa mais digna. Preciso da casa para hospedar o meu irmão".
28. Ser censurado pelo dono da casa e insultado pelo credor são coisas duras para um homem sensato.


Eclesiástico 30

Educar com bom senso

1. Quem ama o próprio filho, usa bastante o chicote, para no fim se alegrar.
2. Quem corrige o próprio filho, depois terá satisfação, e ficará orgulhoso dele na frente dos conhecidos.
3. Quem educa o próprio filho faz inveja ao inimigo, e fica alegre diante dos amigos.
4. O pai morre, mas é como se não tivesse morrido, porque deixa depois de si alguém semelhante a ele.
5. Durante a vida, o pai se alegra ao ver o filho, e não fica triste na hora da morte.
6. Para os inimigos, deixa um vingador; para os amigos, deixa alguém que irá recompensá-los.
7. Quem mima o próprio filho, depois terá que lhe curar as feridas, e, a cada grito dele, suas entranhas estremecerão.
8. O cavalo xucro se torna intratável, e o filho entregue a si mesmo se torna teimoso.
9. Dê muito mimo a seu filho, e ele trará surpresas desagradáveis para você; siga os caprichos dele, e ele deixará você triste.
10. Não ria com ele, e com ele você também não irá chorar, para que você não acabe rangendo os dentes.
11. Não lhe dê liberdade na juventude, nem feche os olhos para os defeitos dele.
12. Obrigue-o a curvar o pescoço enquanto é jovem, e bata nas costas dele enquanto é menino, para que não cresça teimoso, não lhe desobedeça e nem lhe cause muito sofrimento.
13. Corrija seu filho e faça-o responsável, para depois você não tropeçar na insolência dele.

A saúde é a maior riqueza

14. É melhor um pobre robusto e sadio do que um rico cheio de doenças.
15. Saúde e vigor valem mais do que todo o ouro, e é melhor um corpo robusto que uma enorme fortuna.
16. Não há riqueza maior que a saúde do corpo, nem maior satisfação que um coração contente.
17. É melhor a morte do que viver com amargura, e o descanso eterno vale mais do que doença crônica.
18. Boa comida diante de boca fechada é como oferta de alimentos em cima de um túmulo.
19. De que serve oferecer frutos ao ídolo? Ele não come nem sente cheiro. Assim é aquele que está sendo perseguido pelo Senhor:
20. fica observando e suspirando, como eunuco abraçado a uma jovem.

Alegria é vida

21. Não se deixe dominar pela tristeza, nem se aflija com preocupações.
22. Alegria do coração é vida para o homem, e a satisfação lhe prolonga a vida.
23. Anime-se, console o coração e afaste a melancolia para longe. Pois a melancolia já arruinou muita gente, e não serve para nada.
24. Inveja e ira encurtam os anos, e a preocupação faz envelhecer antes do tempo.
25. Coração alegre favorece o bom apetite e faz sentir o gosto da comida.


Eclesiástico 31

Para quem servem as riquezas?

1. A insônia por causa da riqueza consome o corpo, e a preocupação que ela provoca afasta o sono.
2. As preocupações do dia não deixam dormir, e são piores que doença grave para tirar o sono.
3. O rico se afadiga para acumular riquezas e, quando descansa, afoga-se em prazeres.
4. O pobre se afadiga, consumindo suas forças e, quando descansa, cai na miséria.
5. Quem ama o ouro não se conserva justo, e quem corre atrás do lucro, com ele se perderá.
6. Muitos foram vítimas do ouro, e sua ruína foi inevitável.
7. É uma armadilha para os que com ele se entusiasmam, e todo insensato é apanhado nela.
8. Feliz o rico que se conserva íntegro e não corre atrás do ouro.
9. Quem é esse homem? Nós o felicitaremos, porque realizou coisa maravilhosa no meio do seu povo.
10. Quem sofreu essa prova e se revelou perfeito? Tal fato será para ele motivo de glória. Quem podia violar a lei e não violou? E quem podia fazer o mal e não o fez?
11. A prosperidade dessa pessoa será garantida, e a assembléia celebrará a sua generosidade.

Comportamento num banquete

12. Você está sentado diante de uma farta mesa? Não escancare a boca diante dela, nem diga: "Quanta coisa!"
13. Lembre-se: olhar ávido é coisa má. Existe criatura pior que o olho? É por isso que o olho lacrimeja por qualquer motivo.
14. Não estenda a mão para onde outro estiver olhando, nem se precipite junto com ele para o mesmo prato.
15. Compreenda o que o seu próximo quer a partir do que você mesmo quer. Pense naquilo que desagrada a você.
16. Coma educadamente o que lhe oferecerem e não mastigue de boca aberta, para não ser desagradável.
17. Por educação acabe primeiro e não seja guloso, para que não o desprezem.
18. Se estiver sentado entre muitos convidados, não seja o primeiro a estender a mão.
19. O homem bem educado se satisfaz com pouca coisa e, quando vai para a cama, não se sente sufocado.
20. O sono saudável depende do estômago moderado: a pessoa se levanta cedo e com boa disposição. O homem guloso é sempre acompanhado por mal-estar, insônia, náusea e cólica.
21. Porém, se você foi forçado a comer muito, levante-se, vá vomitar, e ficará aliviado.
22. Escute-me, filho, e não me despreze, e depois você compreenderá o que estou falando. Seja moderado em tudo o que fizer, e nenhuma doença o atingirá.
23. Muitos farão elogios a quem é pródigo em dar banquetes, e o testemunho sobre a generosidade dele é verdadeiro.
24. A cidade inteira critica quem é mesquinho ao dar banquete, e é correto o testemunho sobre a mesquinhez dele.
25. Não banque o valente com o vinho, porque ele já arruinou muita gente.
26. A fornalha prova a têmpera do metal, e o vinho esquenta a briga dos arrogantes.
27. O vinho traz vida para os homens, desde que você o beba com moderação. Que vida existe quando falta vinho? Ele foi criado para alegrar as pessoas.
28. Bebido em tempo certo e na medida certa, o vinho traz gozo para o coração e alegria para a alma.
29. Todavia, bebido em excesso, por vício ou desafio, o vinho traz amargura para a alma.
30. A embriaguez aumenta a ira do insensato para sua própria ruína, diminuindo-lhe as forças e provocando ferimentos.
31. Num banquete, não repreenda o próximo, nem zombe por ele estar alegre; não o reprove com palavras, nem o atormente com reclamações.


Eclesiástico 32

1. Pediram para você presidir o banquete? Não fique envaidecido, mas se comporte com os outros como se fosse um deles. Cuide de cada um, e depois sente-se.
2. Tendo providenciado o que cada um necessita, acomode-se para alegrar-se com eles e receber a coroa pelo seu bom desempenho.
3. Fale, ancião, pois isso convém a você, mas tenha discrição e não atrapalhe a música.
4. Durante o espetáculo, não fique falando, e não exiba sua sabedoria fora de hora.
5. Como rubi em anel de ouro, assim é uma audição musical durante um banquete.
6. Como esmeralda engastada em ouro, assim é uma ária musical unida ao vinho delicioso.
7. Fale, jovem, se for necessário, mas apenas umas duas vezes, quando interrogado.
8. Resuma o que tem a dizer, e diga muito em poucas palavras. Seja como alguém que sabe, mas se cala.
9. Não procure impor-se no meio dos grandes, nem fique tagarelando enquanto outro fala.
10. Antes do trovão vem o raio, e a graça precede o homem modesto.
11. Chegando a hora levante-se, e não fique por último. Volte logo para casa, em vez de ficar vagando.
12. Aí você poderá divertir-se e fazer o que desejar, mas não peque falando com insolência.
13. Por tudo isso, agradeça ao seu Criador, que o enche de benefícios.

O início da sabedoria

14. Quem teme ao Senhor aceita a correção, e aqueles que o buscam encontram o seu favor.
15. Quem investiga a Lei, dela ficará saciado, mas para o hipócrita ela é motivo de queda.
16. Os que temem ao Senhor encontram a justiça, e suas ações justas brilham como luz.
17. O homem pecador não aceita a correção, e encontra sempre justificativa para seguir os próprios caprichos.
18. O homem de bom senso não deixa de refletir, enquanto o estrangeiro e o orgulhoso não conhecem o temor.
19. Não faça nada sem refletir, e não mude de idéia enquanto está agindo.
20. Não ande por caminho acidentado, e você não tropeçará nas pedras.
21. Não confie no caminho que não tem obstáculos,
22. e seja cauteloso até com seus filhos.
23. Em tudo o que você faz, acredite em si mesmo, porque também isso é observar os mandamentos.
24. Quem acredita na Lei, observa os mandamentos; quem confia no Senhor, não ficará frustrado.


Eclesiástico 33

1. Quem teme ao Senhor não sofre nenhum mal, e se passar por alguma tentação, ficará livre dela.
2. O homem sábio não odeia a Lei, mas quem finge amá-la é como navio na tempestade.
3. O homem de bom senso confia na Lei; para ele, a Lei é digna de confiança como a resposta de um oráculo.
4. Prepare seu discurso, e você será ouvido; põe ordem na instrução, e só depois responda.
5. As emoções do insensato são como roda de carro, e seu raciocínio é como eixo que gira.
6. O amigo zombador é como o cavalo no cio: relincha sempre, qualquer que seja o cavaleiro montado.

O confronto gera novidade

7. Por que um dia é mais importante do que o outro, se a luz de cada dia do ano vem sempre do sol?
8. Eles foram separados no pensamento do Senhor, que diferenciou as estações do ano e as festas.
9. Elevou e consagrou alguns deles, e deixou outros como dias comuns.
10. Também os homens vêm todos do mesmo solo, e da terra Adão foi criado.
11. Mas o Senhor, na sua grande sabedoria, os distinguiu, e diversificou os caminhos deles.
12. A uns, ele abençoou e exaltou, consagrando-os e aproximando-os de si; a outros amaldiçoou e humilhou, derrubando-os de suas posições.
13. Como argila na mão do oleiro, que ele amolda conforme quer, assim são os homens nas mãos do seu Criador, que lhes retribui segundo o julgamento dele.
14. Diante do mal está o bem, diante da morte está a vida, e diante do fiel está o pecador.
15. Considere, portanto, todas as obras do Altíssimo que, duas a duas, estão todas uma diante da outra.

Conclusão da primeira parte

16. Quanto a mim, eu sou o último a ficar desperto, como aquele que colhe os restolhos atrás dos vindimadores.
17. Com a bênção do Senhor, atingi a meta, e como o vindimador, enchi o tanque de espremer uvas.
18. Vejam que eu não me afadiguei só para mim, mas para todos aqueles que procuram a instrução.

II. PRATICAR A SABEDORIA

Convite

 

19. Escutem-me, chefes do povo, e ouçam-me, presidentes da assembléia.

Como governar a família

20. Enquanto viver, não dê poderes sobre você ao seu filho, mulher, irmão e amigo. Não dê seus bens a outro, para depois não se arrepender e ter que pedi-los de volta.
21. Enquanto estiver vivo e tiver um sopro de vida, não se entregue ao poder de ninguém.
22. É melhor que seus filhos peçam a você, do que você depender deles.
23. Em tudo o que você faz, seja sempre dono de seus atos, e não deixe que se manche a sua boa fama.
24. Quando chegar o fim dos dias de sua vida, no momento da morte, reparta a herança.

A respeito dos escravos

25. Para o asno, forragem, chicote e carga; para o escravo, pão, correção e trabalho.
26. Faça o seu escravo trabalhar com disciplina, e você encontrará sossego. Deixe-o com as mãos livres, e ele procurará a liberdade.
27. Jugo e rédea dobram o pescoço; torturas e interrogatório dobram o mau escravo.
28. Mande-o trabalhar, para que não fique ocioso, porque a ociosidade ensina muitos males.
29. Obrigue-o ao trabalho que compete a ele; e se não obedecer, prenda-o em correntes.
30. Entretanto, não cometa excessos com ninguém, e não pratique nada contra a justiça.
31. Se você tem só um escravo, trate-o como a você mesmo, pois você o comprou a preço de sangue.
32. Se você tem só um escravo, trate-o como irmão, porque você precisa dele, assim como de si mesmo.
33. Se você o maltratar, ele fugirá, e por qual caminho você irá procurá-lo?


Eclesiástico 34

O valor dos sonhos

1. O insensato tem esperanças vãs e ilusórias, e os imbecis voam com os sonhos.
2. Quem confia nos sonhos está agarrando sombras e perseguindo o vento.
3. A visão dos sonhos é um simples reflexo, é como imagem do rosto diante do espelho.
4. Do impuro, o que pode sair de puro? E que verdade se pode tirar da mentira?
5. Adivinhações, presságios e sonhos são coisas inúteis, como as imaginações da mulher em dores de parto.
6. Se não forem enviados pelo Altíssimo numa de suas visitas, não lhes dê atenção.
7. Os sonhos fizeram muitos extraviar-se, e muitos que neles esperaram acabaram caindo.
8. A perfeição da Lei está além dessas mentiras, e a sabedoria é perfeita para a boca do fiel.

O aumento da experiência

9. O homem que muito viajou conhece muitas coisas, e quem tem muita experiência fala com discernimento.
10. Quem não foi provado conhece pouco, mas quem muito viaja aumenta sua habilidade.
11. Vi muitas coisas em minhas viagens, e o meu conhecimento ultrapassa as minhas palavras.
12. Muitas vezes estive em perigo de morte, mas fui salvo graças à minha experiência.
13. O espírito daqueles que temem ao Senhor viverá, porque a esperança deles está em alguém que pode salvá-los.
14. Quem teme ao Senhor não tem medo de nada e não se assusta, porque o Senhor é a sua esperança.
15. Feliz aquele que teme ao Senhor. Em quem se apóia? Quem é que o sustenta?
16. O Senhor cuida daqueles que o amam. Ele é escudo poderoso e sustentáculo forte, abrigo contra o vento sufocante e abrigo contra o ardor do meio-dia, proteção contra os obstáculos e socorro contra as quedas.
17. O Senhor eleva a alma e ilumina os olhos, concedendo saúde, vida e bênção.

Religião que esconde a injustiça

18. Oferecer sacrifício de bens injustamente adquiridos é fazer zombaria, e as ofertas dos infiéis não são agradáveis.
19. O Altíssimo não gosta das ofertas dos injustos e não é pela abundância das vítimas que ele perdoa os pecados.
20. Como quem imola o filho na presença do próprio pai, assim é aquele que oferece sacrifícios com os bens dos pobres.
21. O pão dos indigentes é a vida dos pobres, e quem tira a vida dos pobres é assassino.
22. Mata o próximo quem lhe tira seus meios de vida, e derrama sangue quem priva o operário de seu salário.

A verdadeira religião

23. Um constrói e outro derruba. Que proveito tiram disso, além da fadiga?
24. Um abençoa, outro amaldiçoa. Qual dos dois será ouvido pelo Senhor?
25. Um se purifica do contato com cadáver, e depois o toca de novo. Que proveito tira de sua purificação?
26. Assim é o homem que jejua por seus pecados, mas depois vai e os comete de novo. Quem ouvirá a súplica dele? De que serviu a sua humilhação?


Eclesiástico 35

1. Observar a Lei vale mais do que oferecer sacrifícios, e observar os mandamentos é como oferecer sacrifício de comunhão.
2. Retribuir um favor é como oferecer flor de farinha, e dar esmola é como oferecer sacrifício de louvor.
3. O que agrada ao Senhor é afastar-se do mal, e o sacrifício pelo pecado é afastar-se da injustiça.
4. Não se apresente de mãos vazias diante do Senhor, pois tudo isso é pedido pelos mandamentos.
5. A oferta do justo alegra o altar, e o perfume dela sobe até o Altíssimo.
6. O sacrifício do justo é aceito, e o seu memorial não ficará esquecido.
7. Glorifique o Senhor com generosidade, e não seja mesquinho nos primeiros frutos que você oferece.
8. Quando oferecer alguma coisa, esteja de rosto alegre, e consagre o dízimo com boa vontade.
9. Ofereça ao Altíssimo conforme o dom que ele fez a você; dê com generosidade, segundo suas possibilidades.
10. Porque o Senhor retribui a oferta e ele, em troca, lhe dará sete vezes mais.

Deus ouve o clamor do pobre

11. Não tente subornar a Deus, porque ele não aceitará o suborno. Não confie num sacrifício injusto,
12. porque o Senhor é juiz que não faz diferença entre as pessoas.
13. Ele não dá preferência a ninguém contra o pobre. Pelo contrário, atende a súplica do oprimido.
14. Ele não despreza a súplica do órfão, nem a viúva que desafoga suas queixas.
15. Será que as lágrimas da viúva não lhe descem pela face, e o grito dela não se levanta contra quem a faz chorar?
16. Quem serve ao Senhor será recebido com benevolência, e sua súplica chegará até as nuvens.
17. A súplica do pobre penetra as nuvens, e ele não sossega, enquanto ela não chegar até lá.
18. Ele não desiste, até que o Altíssimo intervenha para fazer justiça aos justos e realize o julgamento.
19. O Senhor não tardará, nem terá paciência com os injustos,
20. enquanto não quebrar as costas dos cruéis e tomar vingança das nações;
21. enquanto não exterminar a multidão dos orgulhosos e quebrar o cetro dos injustos,
22. enquanto não retribuir a cada um conforme as suas ações e julgar as ações humanas segundo as intenções de cada um;
23. enquanto não fizer justiça ao seu povo e o alegrar com a sua misericórdia.
24. A misericórdia é bem-vinda no tempo da aflição, como as nuvens de chuva no tempo da seca.


Eclesiástico 36

Grito do povo oprimido

1. Tem compaixão e olha por nós, Senhor Deus do universo. Infunde o teu temor em todas as nações.
2. Levanta a tua mão contra as nações estrangeiras, para que elas vejam o teu poder.
3. Castigando-nos, tu mostraste às nações a tua santidade. Agora, mostra-nos a tua grandeza, castigando as nações.
4. Desse modo elas reconhecerão, como também nós reconhecemos, que não existe um Deus além de ti, Senhor.
5. Renova os sinais e realiza outros prodígios. Glorifica a tua mão e o teu braço direito.
6. Desperta o teu furor e derrama a tua ira, para destruir o adversário e abater o inimigo.
7. Apressa o tempo e lembra-te do juramento, e assim teus grandes feitos serão proclamados.
8. Que o sobrevivente seja devorado pela ira do fogo, e os que maltratam o teu povo encontrem a ruína.
9. Esmaga a cabeça dos chefes inimigos, que dizem: "Não há ninguém como nós!"
10. Reúne todas as tribos de Jacó e dá-lhes a herança, como no princípio.
11. Senhor, tem piedade do povo que é chamado com o teu nome. Tem piedade de Israel, que trataste como primogênito.
12. Tem compaixão de Jerusalém, tua cidade santa, e lugar do teu repouso.
13. Enche Sião com o relato das tuas maravilhas, e o teu povo com a tua glória.
14. Dá testemunho diante das tuas criaturas, que existem desde o princípio, e cumpre as profecias feitas em teu nome.
15. Recompensa aqueles que esperam em ti, e que os teus profetas sejam dignos de crédito.
16. Senhor, ouve a oração dos teus servos, segundo a bênção de Aarão sobre o teu povo.
17. E todos os que habitam a terra reconheçam que tu és o Senhor, o Deus dos séculos.

Como discernir

18. O estômago consome todo tipo de alimento, mas um alimento é melhor do que outro.
19. O paladar distingue o gosto da caça, e a mente sábia discerne as palavras mentirosas.
20. Coração perverso causa tristeza, mas o homem experiente o acalma.

O valor da mulher

21. A mulher aceita qualquer marido, mas as mulheres não são todas iguais.
22. A beleza da mulher alegra o rosto e supera todos os desejos do homem.
23. Se nos lábios dela existe bondade e doçura, o seu marido é o mais feliz dos homens.
24. Quem adquire esposa tem o começo da fortuna, pois ela é auxiliar semelhante a ele e coluna de apoio.
25. Onde não há cerca, a propriedade é saqueada, e onde não há mulher, o homem vagueia gemendo.
26. Quem confia em ladrão esperto que corre de cidade em cidade?
27. Assim é o homem que não tem ninho e se deita onde a noite o surpreende.


Eclesiástico 37

O verdadeiro amigo

1. Todo amigo declara amizade, mas existe amigo que é amigo só de nome.
2. Por acaso, não é tristeza mortal o companheiro ou amigo que se transforma em inimigo?
3. Ó inclinação perversa! De onde saiu você para cobrir a terra com traição?
4. O companheiro se alegra com o amigo na felicidade, mas no momento da desgraça torna-se hostil.
5. O companheiro sofre com o amigo por interesse, mas no momento da briga toma o escudo.
6. Em seu coração não se esqueça do amigo; e não se esqueça dele quando você estiver na prosperidade.

Cuidado com os conselheiros

7. Todo conselheiro dá conselhos, mas há quem dá conselho em seu próprio interesse.
8. Seja cauteloso com o conselheiro, e procure saber quais são as necessidades dele. Pois ele pode aconselhar em benefício próprio e não lançar a sorte em favor de você,
9. dizendo: "Você está num bom caminho". Depois, ele fica de longe, vendo o que vai acontecer a você.
10. Não peça conselhos a quem olha você com desconfiança, e esconda a sua intenção de todos os que têm inveja de você.
11. Nunca peça conselhos a uma mulher sobre a rival dela; nem a um covarde sobre a guerra; nem a um negociante sobre o comércio; nem a um comprador sobre a venda; nem a um invejoso sobre a gratidão; nem a um egoísta sobre a bondade; nem a um preguiçoso sobre o trabalho; nem a um empreiteiro sobre o fim da tarefa; nem a um empregado preguiçoso sobre um grande trabalho. Não procure nenhuma dessas pessoas para receber delas algum conselho.
12. Ao contrário, freqüente sempre o homem fiel, a quem você conhece como praticante dos mandamentos, que tenha a mesma disposição sua e que, se você tropeçar, sofrerá com você.
13. Siga o conselho do seu próprio coração, porque mais do que este ninguém será fiel a você.
14. A alma do homem freqüentemente o avisa melhor do que sete sentinelas colocadas em lugar alto.
15. Além disso tudo, peça ao Altíssimo que dirija seu comportamento conforme a verdade.

O verdadeiro sábio

16. A palavra é o princípio de qualquer obra, e antes de agir, é preciso refletir.
17. A raiz dos pensamentos é a mente, e ela produz quatro ramos:
18. bem e mal, vida e morte. Mas os quatro são dominados pela língua.
19. Existe quem é capaz de instruir muitas pessoas, mas é inútil para si mesmo.
20. Existe quem ostenta sabedoria em palavras, mas é detestado e acaba morrendo de fome.
21. Porque o Senhor não lhe concede sua graça, ele fica desprovido de qualquer sabedoria.
22. Existe quem é sábio só para si, e os frutos seguros de sua inteligência estão em sua própria boca.
23. O homem sábio instrui o seu povo. Todos podem confiar nos frutos de sua inteligência.
24. O homem sábio é cumulado de bênçãos, e é proclamado feliz por todos os que o vêem.
25. A vida do homem tem os dias contados, porém os dias de Israel são incontáveis.
26. O sábio gozará de confiança no meio do seu povo, e seu nome viverá para sempre.

Autocontrole

27. Meu filho, prove a si mesmo durante a sua vida. Veja o que é prejudicial, e não o conceda a si próprio.
28. Nem tudo convém a todos, nem todos gostam de tudo.
29. Não seja insaciável de prazeres, nem se precipite sobre os pratos de comida.
30. Porque o abuso na comida provoca doenças, e a gula produz cólicas.
31. Muitos morreram por causa da gula, e quem sabe se controlar vive muito tempo.


Eclesiástico 38

Medicina e projeto de Deus

1. Honre os médicos por seus serviços, pois também o médico foi criado pelo Senhor.
2. Do Altíssimo vem a cura, e o médico recebe do rei o pagamento.
3. A ciência do médico o faz levantar a cabeça e ser admirado pelos grandes.
4. Da terra, o Senhor criou os remédios, e o homem de bom senso não os despreza.
5. Não foi para manifestar o poder do Senhor que as águas foram adoçadas com um pedaço de madeira?
6. O Senhor deu aos homens a ciência para que pudessem glorificá-lo por causa das maravilhas dele.
7. Com elas, o médico cura e elimina a dor, e o farmacêutico prepara as fórmulas.
8. Dessa maneira, as obras de Deus não têm fim, e dele vem o bem-estar para a terra.
9. Meu filho, se você ficar doente, não se descuide. Suplique ao Senhor, e ele o curará.
10. Evite as faltas, lave as mãos e purifique o coração de todo pecado.
11. Ofereça incenso e um memorial de flor de farinha, e faça gordas ofertas, conforme suas possibilidades.
12. Depois, consulte o médico, pois também ele foi criado pelo Senhor. Não o afaste, porque você precisa dele.
13. Há casos em que a cura depende só dele.
14. Ele também suplica ao Senhor, a fim de que lhe conceda aliviar a doença e curar seus pacientes.
15. Quem peca contra o seu Criador, que caia nas mãos do médico!

O luto

16. Meu filho, derrame lágrimas pelo morto, e faça luto como alguém que sofre profundamente. Depois enterre o cadáver segundo o costume, e não deixe de honrar o túmulo dele.
17. Chore amargamente, bata no peito e observe o luto proporcional à dignidade do morto, durante um ou dois dias, para evitar os comentários do povo; e depois console-se de sua tristeza.
18. Porque a tristeza leva para a morte, e qualquer aflição do coração consome as forças.
19. Na desgraça a tristeza permanece, e uma vida triste é insuportável.
20. Não entregue seu coração à tristeza, mas afaste-a, pensando no fim que você terá.
21. Não se esqueça: da morte não há retorno. Sua tristeza em nada servirá ao morto, e você acabará se prejudicando.
22. Lembre-se: a sorte dele será também a sua. Eu ontem, e você hoje.
23. Quando o morto repousa, pare de pensar nele. Console-se, porque o espírito dele já partiu.

Construtores do mundo

24. A sabedoria do escriba é adquirida em horas de lazer. Aquele que está livre de atividades, torna-se sábio.
25. Como poderá tornar-se sábio aquele que maneja o arado e cuja glória consiste em manejar o ferrão? Como pode tornar-se sábio aquele que guia bois, não abandona o trabalho e só sabe falar das crias de vacas?
26. Somente se preocupa com os sulcos que traça, e fica sem dormir, preocupado com a forragem das bezerras.
27. O mesmo acontece com todo carpinteiro e construtor, e com qualquer pessoa que trabalha dia e noite: aqueles que fazem entalhes para os selos procuram pacientemente variar o desenho; eles tentam reproduzir o modelo e se preocupam em terminar o trabalho.
28. Da mesma forma, o ferreiro se assenta diante da bigorna e se entrega a trabalhar o ferro: a chama de fogo seca-lhe a carne, e ele se debate com o calor da forja; o barulho do martelo o ensurdece e seus olhos se fixam no modelo do objeto. Ele se esforça em acabar o trabalho e fica atento para retocá-lo, até ficar perfeito.
29. O oleiro se assenta para fazer o trabalho, girando a roda com os pés e dedicando total cuidado à sua obra. Todos os seus gestos são calculados:
30. com o braço modela a argila e com os pés quebra sua resistência; ele se preocupa em acabar o polimento e passa a noite limpando o forno.
31. Todos esses artesãos confiam em suas próprias mãos, e cada um é hábil em sua profissão.
32. Sem eles, seria impossível construir uma cidade, e ninguém poderia nelas habitar ou andar.
33. Mas eles não são requisitados no conselho do povo, não têm lugar especial na assembléia, não se assentam na cadeira do juiz, nem conhecem as disposições legais.
34. Eles não brilham pela cultura, nem pelo julgamento, e não entendem de provérbios. Entretanto, são eles que sustentam as necessidades básicas, e a oração deles consiste em realizar o próprio trabalho.


Eclesiástico 39

Preservando a memória do povo

1. Diferente é o caso de quem se aplica em meditar a Lei do Altíssimo. Ele investiga a sabedoria de todos os antigos e se dedica ao estudo das profecias.
2. Preserva as sentenças dos homens famosos e penetra a sutileza das parábolas.
3. Busca o sentido oculto dos provérbios e se ocupa com os enigmas das parábolas.
4. Desempenha funções entre os grandes e marca presença nas reuniões dos chefes. Viaja entre povos estrangeiros, fazendo a experiência do bem e do mal entre os homens.
5. De manhã cedinho, dirige o coração ao Senhor que o criou e reza diante do Altíssimo, abrindo a boca em oração e implorando por seus pecados.
6. Se for da vontade do supremo Senhor, ele ficará repleto do espírito de inteligência e fará chover palavras de sabedoria e agradecerá ao Senhor na oração.
7. O Senhor dirigirá seu conselho e sua ciência, e ele meditará nos mistérios divinos.
8. Ele fará brilhar a instrução do seu ensinamento e se orgulhará com a Lei da Aliança do Senhor.
9. Muitos elogiarão a sua inteligência, e ele nunca será esquecido. Não desaparecerá a sua recordação, e a sua fama viverá de geração em geração.
10. Os povos falarão da sua sabedoria e a assembléia proclamará os seus louvores.
11. Se viver por muito tempo, deixará um nome mais famoso que mil outros, e quando morrer, isso lhe bastará.

Todas as coisas são boas

12. Vou expor agora as minhas reflexões, pois estou repleto delas como a lua cheia.
13. Escutem-me, filhos santos, e cresçam como roseira plantada à beira d'água corrente.
14. Espalhem bom perfume como incenso e floresçam como lírio. Espalhem perfume e entoem um canto, bendizendo ao Senhor por todas as suas obras.
15. Engrandeçam o nome do Senhor e proclamem os louvores dele com seus cânticos e cítaras. Vocês o louvarão assim:
16. Como são magníficas todas as obras do Senhor! Todas as suas ordens são executadas pontualmente. Não é preciso dizer: "O que é isto? Por que aquilo?" Todas as coisas serão esclarecidas a seu tempo.
17. A uma ordem dele, a água parou e se juntou e, à sua voz, se formaram os reservatórios de água.
18. Sob sua ordem, tudo o que ele deseja é realizado, e não há quem possa impedir sua obra de salvação.
19. Diante dele estão todas as obras dos homens, e nada consegue esconder-se de seus olhos.
20. Seu olhar se estende de eternidade em eternidade, e para ele nada é extraordinário.
21. Não é preciso dizer: "O que é isto? Por que aquilo?" Pois todas as coisas foram criadas para uma finalidade.
22. Sua bênção transborda como rio e rega a terra como inundação.
23. Dessa forma, as nações fazem experiência de sua ira, tal e qual como transformou as águas em deserto salgado.
24. Seus caminhos são retos para os homens santos, mas para os injustos estão cheios de obstáculos.
25. Desde o princípio, as coisas boas foram criadas para os bons, assim como os males foram criados para os pecadores.
26. Para a vida do homem, as coisas de primeira necessidade são as seguintes: água, fogo, ferro, sal, farinha de trigo, leite, mel, suco de uva, óleo e roupa.
27. Todas essas coisas são boas para os fiéis, mas para os pecadores se tornam más.
28. Há ventos que foram criados para castigar e que, enfurecendo, se tornam flagelo. Quando chegar o fim, eles desencadearão sua violência, e aplacarão o furor do seu Criador.
29. Fogo e granizo, fome e morte foram criados para castigar.
30. Os dentes das feras, os escorpiões, as cobras e a espada vingadora existem para arruinar os injustos.
31. A uma ordem do Senhor, essas coisas se alegram e estão prontas na terra para qualquer necessidade. No tempo oportuno, não transgredirão a ordem recebida.
32. Por isso, desde o início tive certeza e, depois de refletir, coloquei por escrito:
33. "Todas as obras do Senhor são boas, e ele prevê todas as necessidades no momento certo".
34. Não se pode dizer: "Isto é pior do que aquilo", porque no momento certo todas as coisas serão reconhecidas como boas.
35. Agora, cantem hinos com o coração e com a boca, e bendigam o nome do Senhor.


Eclesiástico 40

A vida é um absurdo?

1. Sorte penosa foi criada para cada homem, e jugo pesado foi dado aos filhos de Adão, desde o dia em que saem do ventre materno até o dia em que voltam para a mãe de todos. O objeto de suas reflexões e o temor do seu coração exprimem a espera pelo dia da morte.
3. Desde aquele que se assenta em trono glorioso até o mendigo sentado no chão e na cinza;
4. desde aquele que veste púrpura e coroa até o que se veste com pano grosseiro, tudo é raiva, inveja, ansiedade, inquietação, medo da morte, ressentimento e brigas.
5. Mesmo quando o homem repousa na cama, o sonho noturno lhe perturba os pensamentos.
6. Por um pouco, quase nada, ele repousa. Mas no sono, como em pleno dia, fica perturbado pelos fantasmas de sua mente, como quem fugiu da linha de batalha.
7. No momento em que está para salvar-se, acorda, e fica maravilhado porque não havia nada a temer.
8. Isso acontece a toda criatura, desde o homem até o animal, mas para o pecador é sete vezes pior:
9. morte, sangue, luta, espada, miséria, fome, destruição e flagelos.
10. Tais males foram criados para os injustos, e foi por causa deles que aconteceu o dilúvio.
11. Tudo o que vem da terra volta para a terra, e tudo o que vem da água volta para o mar.

A justiça triunfará

12. Todo suborno e injustiça desaparecerão, mas a fidelidade permanecerá para sempre.
13. A riqueza dos injustos desaparecerá como torrente, como trovão que ribomba no meio da tempestade.
14. Assim como o injusto se alegrará abrindo as mãos, também os transgressores cairão na ruína.
15. Os brotos dos injustos não multiplicarão seus ramos, porque são como raízes impuras sobre pedra dura.
16. São como caniço na margem do rio, à beira d'água, que é arrancado antes de qualquer outra erva.
17. A bondade é como paraíso de bênçãos, e a misericórdia permanece para sempre.

O sentido da vida

18. Doce é a vida de quem é autônomo e do trabalhador. No entanto, mais feliz que os dois é aquele que encontra um tesouro.
19. Os filhos e a fundação de uma cidade perpetuam o nome, porém acima dos dois está a mulher irrepreensível.
20. Vinho e música alegram o coração; mas acima das duas está o amor à sabedoria.
21. Flauta e harpa tornam agradável o canto, mas acima dos dois está a voz melodiosa.
22. A graça e a beleza agradam aos olhos, mas acima delas está o verde dos campos.
23. O amigo e o companheiro são encontrados no momento oportuno, mas acima dos dois está a mulher com o homem.
24. Irmãos e ajuda são úteis no tempo da aflição, mas acima dos dois está a esmola que liberta.
25. Ouro e prata dão firmeza aos pés, mas acima dos dois estima-se o conselho.
26. Riqueza e força engrandecem o coração, mas acima delas está o temor do Senhor. Com o temor do Senhor nada falta, e além dele não é preciso buscar outra ajuda.
27. O temor do Senhor é como paraíso de bênçãos, e sua proteção está acima de qualquer glória.

Atentado à dignidade humana

28. Meu filho, não viva mendigando, porque é melhor morrer do que mendigar.
29. A pessoa que fica olhando para a mesa dos outros tem uma vida que nem se pode chamar de vida. Ela suja a garganta com o alimento alheio, mas o homem sábio e educado evita fazer isso.
30. Na boca da pessoa que não tem vergonha, mendigar é agradável. Contudo, no seu ventre, isso lhe queima como fogo.


Eclesiástico 41

A morte

1. Ó morte, como é amarga a sua lembrança para o homem que vive tranqüilo entre seus bens, para o homem seguro e afortunado em tudo, e ainda com forças para experimentar o prazer!
2. Ó morte, sua sentença é bem-vinda para o homem indigente e sem forças, para o velho em idade avançada e preocupado com tudo, para o rebelde que perdeu a paciência!
3. Não tema a sentença da morte. Lembre-se dos que vieram antes de você e dos que virão depois.
4. Essa é a sentença do Senhor para todo ser vivo. Por que revoltar-se contra a vontade do Altíssimo? Quer você viva dez, cem, ou mil anos, na mansão dos mortos ninguém ficará discutindo sobre a vida.

Os injustos envergonham os próprios filhos

5. Os filhos dos pecadores tornam-se filhos abomináveis, que freqüentam a casa dos injustos.
6. A herança dos filhos dos pecadores acabará em ruína, e a desonra ficará para sempre com a descendência deles.
7. Os filhos censuram um pai injusto, porque é por causa deste que eles sofrem a desonra.
8. Ai de vocês, homens injustos, que abandonaram a Lei do Deus Altíssimo!
9. Vocês nasceram, mas foi para a perdição. Na hora da morte, vocês vão ter como herança a perdição.
10. Tudo o que vem da terra, voltará para a terra, e os injustos irão da maldição para a ruína.
11. Os homens fazem luto por um cadáver, mas o nome maldito dos pecadores será apagado.
12. Cuide bem do seu próprio nome, pois ele acompanhará você mais do que mil tesouros preciosos.
13. Mesmo a vida feliz tem seus dias contados, mas o bom nome permanece para sempre.

Não sentir vergonha de ser justo

14. Meus filhos, conservem a instrução em paz, pois a sabedoria escondida e o tesouro invisível não servem para nada.
15. Mais vale o homem que esconde a sua insensatez do que o homem que esconde a sua sabedoria.
16. Envergonhem-se apenas nos casos que vou dizer, porque não é bom cultivar qualquer tipo de vergonha, nem tudo é igualmente apreciado por todos.
17. Envergonhem-se da prostituição diante dos pais, e da mentira diante de um chefe e de um poderoso.
18. Envergonhem-se de um crime diante do juiz e do magistrado, e da injustiça diante da assembléia e do povo.
19. Envergonhe-se da deslealdade diante do companheiro e do amigo, e do roubo diante da vizinhança onde você mora.
20. Envergonhe-se diante da fidelidade de Deus e da aliança dele, por apoiar os cotovelos sobre os pães;
21. por ser desdenhoso ao receber ou dar alguma coisa; por ficar em silêncio diante de quem o cumprimenta;
22. por dirigir olhares para uma prostituta; por evitar o encontro com um parente;
23. por apropriar-se de uma herança ou doação; por dirigir olhares cobiçosos para a mulher casada;
24. por ter intimidades com uma escrava - não se aproxime do leito dela;
25. por dizer palavras ofensivas aos amigos - não ofenda ninguém depois de lhe ter dado alguma coisa;
26. por repetir uma palavra que você ouviu; por revelar segredos.
27. Dessa forma, você terá a verdadeira vergonha e será estimado por todos.


Eclesiástico 42

1. Contudo, não sinta vergonha das seguintes coisas, e não peque por respeito humano.
2. Não se envergonhe da Lei do Altíssimo, nem da Aliança, nem do julgamento que condena os injustos.
3. Não se envergonhe de fazer as contas com companheiros ou colegas de viagem, nem de partilhar a herança com outras pessoas.
4. Não se envergonhe da exatidão da balança e dos pesos, nem de adquirir muito ou pouco.
5. Não se envergonhe de discutir o preço com o comerciante, nem de corrigir os filhos com severidade, nem de ensangüentar as costas do escravo preguiçoso.
6. Com a mulher curiosa é bom lacrar os documentos, e use a chave onde houver muitas mãos.
7. Conte e pese bem tudo o que você deixar em depósito, e anote por escrito tudo o que der ou receber.
8. Não se envergonhe de corrigir o insensato, o imbecil e o velho decrépito que tenta competir com os jovens. Dessa forma, você mostrará que é verdadeiramente instruído, e será aprovado por todos.

A mulher é uma ameaça?

9. A filha é para o pai uma preocupação secreta, e o cuidado por ela tira o sono dele: quando jovem, que ela não passe do tempo de se casar e, quando casada, que não seja repudiada;
10. se é virgem, que não seja violada e não fique grávida ainda na casa do pai; se tem marido, que não erre e, quando casada, que não seja estéril.
11. Vigie bem a filha audaciosa, para que ela não torne você objeto da zombaria dos inimigos, assunto da cidade, chacota do povo, envergonhando você diante de todos.
12. Não se detenha na beleza de um ser humano, nem se assente no meio das mulheres,
13. porque da roupa sai a traça, e da mulher a malícia feminina.
14. É melhor a maldade do homem do que a bondade da mulher: a mulher cobre de vergonha e chega a expor ao insulto.

III. A GRANDEZA E A SABEDORIA DE DEUS

1. No universo

O universo espelha a sabedoria de Deus

15. Vou recordar agora as obras do Senhor e contar tudo o que vi. Com suas palavras, o Senhor fez as suas obras.
16. O sol brilha, iluminando todas as coisas, e a obra do Senhor está cheia de sua glória.
17. Nem mesmo os santos do Senhor são capazes de contar todas as maravilhas dele, tudo aquilo que o Senhor Todo-poderoso estabeleceu, para que o universo se consolidasse na glória de Deus.
18. Ele sonda o abismo e o coração, e penetra todos os segredos deles. O Altíssimo conhece toda a ciência e observa os sinais dos tempos,
19. anunciando as coisas passadas e futuras e revelando os vestígios das coisas escondidas.
20. Nenhum pensamento lhe escapa e nenhuma palavra lhe fica escondida.
21. Ele dispôs em ordem as maravilhas de sua sabedoria, porque só ele existe desde sempre e para sempre. Nada lhe pode ser acrescentado e nada lhe pode ser tirado, e ele não precisa do conselho de ninguém.
22. Como são agradáveis todas as suas obras, ainda que delas se veja apenas uma faísca!
23. Todas essas coisas vivem e permanecem para sempre em todas as necessidades, e todas lhe obedecem.
24. Todas as coisas existem aos pares, uma diante da outra, e ele não fez nada incompleto.
25. Uma coisa completa a bondade da outra, e ninguém se cansa de contemplar a glória de Deus.


Eclesiástico 43

1. O orgulho das alturas é o firmamento límpido; o espetáculo do céu é uma visão de glória.
2. Ao aparecer no horizonte, o sol proclama: "Como a obra do Altíssimo é maravilhosa!"
3. Ao meio-dia, ele seca a terra, e ninguém pode resistir ao seu calor.
4. Nós atiçamos a fornalha para produzir calor, mas o sol queima as montanhas três vezes mais, exalando vapores quentes, dardejando seus raios e deslumbrando os olhos.
5. Grande é o Senhor que o fez, e a palavra dele o faz ir mais depressa.
6. Também a lua é exata em suas fases, regulando as datas e marcando o tempo.
7. Da lua depende a indicação das festas, e vai diminuindo a claridade até desaparecer.
8. É dela que o mês recebe o nome, enquanto ela cresce admiravelmente segundo suas fases. Ela é a bandeira dos exércitos celestes, brilhando no firmamento do céu.
9. Beleza do céu é o brilho dos astros, enfeite luminoso nas alturas do Senhor.
10. Eles se comportam conforme as ordens do Santo; jamais abandonam o seu posto de guarda.
11. Contemple o arco-íris e bendiga aquele que o fez. Ele é magnífico em seu esplendor.
12. Cinge o céu com um círculo de glória, estendido pelas mãos do Altíssimo.
13. Com sua ordem, o Senhor faz cair a neve e lança os raios do seu julgamento.
14. Assim se abrem seus depósitos, e as nuvens voam como pássaros.
15. Com poder ele condensa as nuvens, que se fragmentam em pedras de granizo.
16. Quando aparece, os montes se abalam, e por sua vontade sopra o vento do sul.
17. O estrondo do seu trovão faz a terra tremer, assim como o furacão do norte e os ciclones.
18. Ele faz descer a neve como pássaros que pousam, e a sua queda é como a dos gafanhotos. O olho admira a beleza de sua brancura, e o coração se extasia ao vê-la caindo.
19. Ele derrama sobre a terra a geada como sal, que gela formando pontas de espinho.
20. O vento frio do norte sopra, e o gelo se forma sobre a água, pousa sobre a água parada, e a reveste como couraça.
21. Esse vento devora as montanhas e abrasa o deserto, consumindo como fogo o verde das plantas.
22. A névoa úmida do orvalho, depois do verão, traz alegria.
23. Com sua palavra, o Senhor domesticou o oceano, e aí plantou as ilhas.
24. Os navegantes falam do perigo do mar, e nós ficamos espantados com o que ouvimos:
25. aí existem coisas estranhas e maravilhosas, animais de toda espécie e monstros marinhos.
26. Graças ao Senhor, o seu mensageiro chega a bom porto, e por sua palavra tudo se ajusta.

Deus se espelha no universo

27. Poderíamos falar muitas coisas e nunca terminaríamos. Mas, para concluir, podemos dizer: "Ele é tudo".
28. Como poderíamos encontrar forças para louvá-lo? Ele é o Grande, e está acima de todas as suas obras.
29. O Senhor é terrível e soberanamente imenso, e o seu poder é maravilhoso.
30. Glorifiquem e exaltem o Senhor o quanto puderem, porque ele estará sempre mais alto. Ao exaltá-lo, multipliquem a própria força, e não se cansem, porque nunca chegarão ao fim.
31. Quem o contemplou, para poder descrevê-lo? Quem o louvará como ele merece?
32. Ainda há muitos mistérios maiores do que esses, pois contemplamos poucas coisas de suas obras.
33. De fato, o Senhor criou todas as coisas, e aos seus fiéis deu a sabedoria.


Eclesiástico 44

2. Na história

Recordando a história

1. Vamos fazer o elogio dos homens ilustres, nossos antepassados através das gerações.
2. O Senhor neles criou imensa fama, pois mostrou sua grandeza desde os tempos antigos.
3. Alguns exerceram autoridade de rei e ganharam fama por seus feitos. Outros, por sua inteligência, se tornaram conselheiros, e fizeram revelações proféticas.
4. Uns guiaram o povo com suas decisões, compreendendo os costumes de sua gente e tendo palavras sábias para instruí-la.
5. Outros compuseram cânticos melodiosos e escreveram narrativas poéticas.
6. Outros ainda foram ricos e cheios de poder, vivendo na paz em suas casas.
7. Todos, porém, foram honrados por seus contemporâneos e glorificados enquanto viviam.
8. Alguns deixaram o nome, que ainda é lembrado com elogios.
9. Outros não deixaram nenhuma lembrança e desapareceram como se não tivessem existido. Foram-se embora como se nunca tivessem estado aqui, tanto eles como os filhos que tiveram.
10. Mas aqueles que vamos lembrar foram homens de bem, cujos atos de justiça não foram esquecidos.
11. Na sua descendência, eles têm uma rica herança, que é a sua posteridade.
12. Seus descendentes permanecem fiéis às alianças, e graças a eles também seus netos.
13. A descendência deles permanecerá para sempre, e sua fama jamais se apagará.
14. Seus corpos foram sepultados em paz, e o nome deles viverá através das gerações.
15. Os povos proclamarão a sabedoria deles, e a assembléia celebrará o seu louvor.

Henoc

16. Henoc agradou ao Senhor e foi arrebatado, tornando-se modelo de conversão para as gerações.
17. Noé foi reconhecido como homem perfeito e justo, e no tempo da ira assegurou a reconciliação: por meio dele, um resto sobreviveu na terra, quando aconteceu o dilúvio.
18. Alianças eternas foram firmadas com ele, para que os seres não fossem mais destruídos por um dilúvio.

Abraão

19. Abraão foi o grande pai de muitos povos, e ninguém teve fama semelhante à dele.
20. Observou a Lei do Altíssimo e com ele fez uma aliança. Estabeleceu essa aliança em sua própria carne e, quando provado, foi encontrado fiel.
21. Por isso, Deus lhe prometeu com juramento abençoar os povos que dele nasceriam, e multiplicá-lo como o pó da terra, exaltando sua descendência como os astros. Prometeu dar-lhe como herança o país que se estende de um mar a outro, desde o rio Eufrates até as extremidades da terra.

Isaac e Jacó

22. Também a Isaac foi feita a mesma promessa, por causa de seu pai Abraão.
23. Deus fez pousar sobre a cabeça de Jacó a bênção de todos os homens e a aliança. Com suas bênçãos, Deus o confirmou e lhe deu o país em herança, e o dividiu em várias partes, distribuindo-as entre as doze tribos.


Eclesiástico 45

Moisés

1. De fato, Deus fez surgir de Jacó um homem de bem, que foi estimado por todos, amado por Deus e pelos homens: foi Moisés, cuja lembrança é uma bênção.
2. Deus o tornou glorioso como os santos e o engrandeceu, provocando temor entre os inimigos.
3. Pela palavra de Moisés, ele fez cessar os prodígios, e Deus o glorificou diante dos reis. Deu-lhe os mandamentos para o seu povo e lhe mostrou uma parte da sua glória.
4. Ele o consagrou pela fidelidade e mansidão dele, e o escolheu dentre todos os viventes.
5. Fez que ele ouvisse a sua voz e o introduziu na nuvem escura. Deu-lhe pessoalmente os mandamentos, a lei da vida e da inteligência, para que ensinasse sua aliança a Jacó e seus decretos a Israel.

Aarão

6. O Senhor elevou Aarão, santo como Moisés, seu irmão da tribo de Levi.
7. Estabeleceu com ele uma aliança eterna e lhe entregou o sacerdócio do povo. Honrou-o com ornamentos esplêndidos e o cobriu com veste gloriosa.
8. Revestiu-o com toda a magnificência e o cingiu com ricos ornamentos, calções, túnicas e o efod.
9. Rodeou sua veste com romãs e numerosas campainhas de ouro, para que elas tilintassem a cada passo, a fim de que o som fosse ouvido no santuário como aviso para os filhos do seu povo.
10. Enfeitou-o com veste sagrada, feita de ouro, de púrpura violeta e escarlate, obra de artista. Confiou-lhe o peitoral do julgamento com as sortes da verdade, feito de carmesim retorcido, obra de tecelão.
11. Nesse peitoral havia pedras preciosas gravadas em forma de selo e engastadas em ouro, obra de joalheiro, como memorial com as palavras gravadas, segundo o número das tribos de Israel.
12. Sobre o turbante, trazia uma coroa de ouro, na qual estava gravada a inscrição sagrada, uma insígnia de honra, obra magnífica, um enfeite que delicia os olhos.
13. Antes dele, ninguém viu coisa parecida e nenhum estrangeiro jamais usou coisa igual; foi reservada apenas a seus filhos e a seus descendentes para sempre.
14. Os sacrifícios oferecidos por ele se consumam inteiramente duas vezes por dia, sem interrupção.
15. Moisés consagrou as mãos dele e o ungiu com o óleo santo. Isso tornou-se uma aliança eterna para ele e para os seus descendentes, enquanto o céu durar, para que eles presidam o culto, exerçam o sacerdócio e abençoem o povo em nome do Senhor.
16. O Senhor o escolheu dentre todos os viventes, para que oferecesse a Deus sacrifícios, incenso e perfume, como memorial, e para que fizesse o sacrifício pelo pecado em favor do seu povo.
17. Confiou-lhe os seus mandamentos e o poder sobre as disposições legais, para ensinar seus testemunhos a Jacó, e iluminar Israel com a sua Lei.
18. Os estrangeiros se reuniram contra ele e o invejaram no deserto: homens de Datã e de Abiram, e o odioso e violento bando de Coré.
19. O Senhor viu isso e ficou indignado, e eles foram aniquilados pelo furor da sua ira. Realizou prodígios contra eles e os consumiu com a chama do seu fogo.
20. O Senhor aumentou a glória de Aarão e lhe deu um patrimônio: destinou para ele as ofertas dos primeiros frutos e principalmente pão em abundância.
21. De fato, eles se alimentam das vítimas oferecidas ao Senhor, dadas a ele e aos seus descendentes.
22. Todavia, ele não recebeu uma propriedade na terra do povo, nem lhe foi dada uma parte no meio do povo, pois o Senhor é a sua parte e a sua herança.

Finéias

23. Finéias, filho de Eleazar, é o terceiro em glória. Mostrou-se zeloso no temor do Senhor, mantendo-se fiel quando o povo se revoltou. Ele interveio com generosa coragem e obteve o perdão para Israel.
24. Por isso, foi estabelecida com ele uma aliança de paz, para que presidisse o santuário e o povo. A ele e aos seus descendentes foi reservada a dignidade do sacerdócio para sempre.
25. Houve também uma aliança com Davi, filho de Jessé, da tribo de Judá: a sucessão do rei passava do pai para um de seus filhos, mas a sucessão de Aarão passa para todos os seus descendentes.
26. Que o Senhor infunda a sabedoria no coração de vocês, sacerdotes, a fim de que governem o povo com justiça e os bens dos antepassados não desapareçam e a glória deles passe para seus descendentes.


Eclesiástico 46

Josué

1. Valente na guerra foi Josué, filho de Nun, sucessor de Moisés na atividade profética. Conforme o significado do seu nome, ele foi grande para a salvação dos escolhidos do Senhor, castigando os inimigos revoltados e instalando Israel em seu território.
2. Como ele era glorioso quando levantava os braços e manejava a espada contra as cidades!
3. Antes dele, quem foi assim tão firme? Ele chefiava as guerras do Senhor.
4. Não foi pela ordem dele que o sol parou e um dia se transformou em dois?
5. Ele invocou o Altíssimo poderoso, quando os inimigos o comprimiam de todos os lados. O grande Senhor o atendeu, lançando pedras de granizo com grande força.
6. Ele caiu sobre a nação inimiga, e na encosta destruiu os adversários, para que as nações reconhecessem a força de suas armas e que a sua guerra era liderada pelo Senhor.

Caleb

7. Josué permaneceu fiel ao Todo-poderoso e, no tempo de Moisés, agiu com fidelidade. Junto com Caleb, filho de Jefoné, resistiu à multidão, impediu que o povo pecasse e fez desaparecer a murmuração perversa.
8. Só eles dois foram poupados entre seiscentos mil homens de infantaria, para introduzir Israel na sua herança, na terra onde corre leite e mel.
9. O Senhor concedeu a Caleb a força que permaneceu com ele até a velhice. Ele subiu as colinas do país, que a sua descendência conservou como herança,
10. a fim de que todos os filhos de Israel soubessem que é bom seguir o Senhor.

Os juízes

11. Depois vêm os juízes, cada um com seu nome, homens que não se deixaram seduzir, nem se afastaram do Senhor. Bendita seja a memória deles!
12. Que seus ossos refloresçam em seus túmulos e o nome deles se perpetue em seus filhos, porque eles já foram glorificados.

Samuel

13. Samuel foi amado pelo seu Senhor, do qual era profeta. Ele instituiu a monarquia e consagrou chefes do seu povo.
14. Governou a comunidade conforme a Lei do Senhor, e o Senhor visitou Jacó.
15. Por sua fidelidade, mostrou que era profeta, e por suas palavras foi reconhecido como verdadeiro vidente.
16. Quando os inimigos o comprimiam de todos os lados, ele invocou o Senhor Todo-poderoso, oferecendo um cordeiro recém-nascido.
17. Então, do céu o Senhor trovejou e, com forte estrondo, fez ouvir a sua voz,
18. aniquilando os chefes do inimigo e todos os príncipes dos filisteus.
19. Antes da hora de repousar para sempre, deu testemunho diante do Senhor e do seu ungido: "Nem dinheiro, nem sandálias eu tomei de quem quer que seja". E ninguém ousou acusá-lo.
20. Mesmo depois de sua morte, ele profetizou, predizendo ao rei o seu fim. Mesmo do sepulcro, ele levantou a voz, numa profecia, para apagar a injustiça do povo.


Eclesiástico 47

Natã

1. Depois disso, surgiu Natã, que profetizou no tempo de Davi. Davi
2. Da mesma forma que se separa a gordura no sacrifício de comunhão, assim Davi foi separado dos filhos de Israel.
3. Ele brincou entre leões como se estivesse no meio de cabritos, e se divertiu com ursos como se fossem cordeiros.
4. Ainda jovem, ele matou o gigante, e tirou do povo a humilhação, quando atirou a pedra com a funda e abateu a arrogância de Golias.
5. Ele invocou o Senhor Altíssimo, que deu força à sua mão direita, para eliminar um guerreiro valente e reerguer a honra do seu povo.
6. Então o exaltaram pelos seus dez mil e o louvaram pelas bênçãos do Senhor, oferecendo-lhe uma coroa de glória.
7. Porque ele exterminou os inimigos vizinhos, aniquilou os filisteus inimigos e abateu para sempre o poder deles.
8. Em todas as suas obras, ele glorificou o Santo Altíssimo com palavras de louvor. Cantou hinos de todo o coração e amou aquele que o havia criado.
9. Colocou diante do altar tocadores de harpa, para embelezar os cânticos com o som da música.
10. Assim, deu esplendor às festas e embelezou com perfeição as solenidades, fazendo louvar o santo nome do Senhor e enchendo de harmonia o santuário desde o amanhecer.
11. O Senhor perdoou os pecados que ele cometeu e elevou o seu poder para sempre, concedendo-lhe uma aliança real e um trono glorioso em Israel.

Salomão

12. Depois de Davi, surgiu um filho sábio que, graças ao pai, teve um vasto reino.
13. Salomão reinou em tempo de paz, e Deus lhe concedeu tranqüilidade nos arredores. Isso a fim de que ele construísse uma casa para o nome do Senhor e lhe preparasse um santuário eterno.
14. Como você foi sábio na juventude e transbordou de inteligência como um rio!
15. Sua fama recobriu a terra, e você a encheu de sentenças enigmáticas!
16. Seu nome chegou até às ilhas distantes, e você foi amado em sua paz.
17. Todo o mundo admirou você por seus cânticos, provérbios, sentenças e respostas.
18. Em nome do Senhor Deus, que se chama Deus de Israel, você acumulou ouro como estanho e multiplicou a prata como chumbo.
19. Mas você entregou seu corpo a mulheres, deixando que elas o dominassem.
20. Assim, você manchou a sua glória e profanou a sua descendência, a ponto de atrair sobre seus filhos a ira divina, fazendo-os sofrer com a sua loucura.
21. O reino foi dividido em dois, e instalou-se em Efraim um reino rebelde.
22. Mas o Senhor não renunciou à sua misericórdia e não cancelou nenhuma de suas promessas. Não deixou perecer a posteridade do seu eleito, nem destruiu a descendência daquele que o tinha amado. Concedeu um resto a Jacó, e a Davi uma raiz que dele nasceu.

Roboão

23. Salomão repousou com seus antepassados e deixou depois de si um descendente. Foi Roboão, o mais louco do povo e sem qualquer bom senso. Esse, com sua decisão, fez o povo se revoltar.

Jeroboão

24. Jeroboão, filho de Nabat, fez Israel pecar e ensinou a Efraim o caminho do pecado. Dessa forma, os pecados de Efraim se multiplicaram tanto, que foi exilado para longe do seu país.
25. Cometeram todo tipo de mal, até que o castigo caiu sobre eles.


Eclesiástico 48

Elias

1. Então surgiu o profeta Elias como um fogo, e a sua palavra queimava como tocha.
2. Fez vir contra eles a fome e, por causa de seu zelo, os reduziu a pequeno número.
3. Por ordem do Senhor, ele fechou o céu e, por três vezes, fez descer o fogo.
4. Elias, como você se tornou famoso com seus prodígios! Quem pode orgulhar-se de ser igual a você?
5. Você fez um homem se levantar da morte e sair do mundo dos mortos, por ordem do Altíssimo.
6. Você levou reis à ruína e tirou do leito homens ilustres.
7. Você ouviu censuras no Sinai e decretos de vingança no Horeb.
8. Você ungiu reis como vingadores, e profetas para lhe sucederem.
9. Você foi arrebatado num turbilhão de fogo, num carro puxado por cavalos de fogo.
10. Nas ameaças para os tempos futuros, você foi designado para apaziguar a ira antes do furor, a fim de reconduzir o coração dos pais até os filhos e restabelecer as tribos de Jacó.
11. Felizes aqueles que viram você e os que adormeceram no amor, porque nós também possuiremos a vida.

Eliseu

12. Quando Elias foi envolvido pelo turbilhão, Eliseu ficou repleto do espírito dele. Durante a vida, Eliseu não tremeu diante dos poderosos, e ninguém conseguiu dominá-lo.
13. Nada era difícil demais para ele e, mesmo morto, ainda profetizou.
14. Durante a vida realizou prodígios e, depois de morto, suas obras foram maravilhosas.
15. Apesar de tudo, o povo não se converteu, nem renunciou a seus pecados, até que foi exilado de sua pátria e disperso por toda a terra.

Ezequias

16. Restou apenas um povo pouco numeroso e um chefe da família de Davi. Alguns deles fizeram o que Deus aprova, mas outros multiplicaram os pecados.
17. Ezequias fortificou a sua cidade e conduziu água para dentro dela. Cavou com ferro um canal na rocha e construiu reservatórios de água.
18. No seu tempo, Senaquerib fez uma expedição de guerra e enviou Rabsaces. Este partiu e levantou a mão contra Sião, vangloriando-se em seu orgulho.
19. Então os corações e mãos estremeceram e ficaram sofrendo como as mulheres em dores de parto.
20. Invocaram o Senhor misericordioso e estenderam as mãos para ele. Do céu, o Santo os escutou imediatamente e os libertou por meio de Isaías.
21. O Senhor feriu o acampamento dos assírios, e seu anjo os exterminou.

Isaías

22. Ezequias fez o que o Senhor aprova, e seguiu com firmeza os caminhos de seu pai Davi, conforme lhe ordenou Isaías, o profeta grande e verdadeiro em suas visões.
23. No seu tempo, o sol recuou, e ele prolongou a vida do rei.
24. Com grande inspiração, viu o fim dos tempos e consolou os aflitos de Sião.
25. Revelou o que vai acontecer até o fim dos tempos, e as coisas ocultas antes de acontecerem.


Eclesiástico 49

Josias

1. A lembrança de Josias é mistura de incenso, preparada pela arte do perfumista; é como o mel, que é doce em todas as bocas, ou a música num banquete.
2. Ele se dedicou à conversão do povo e eliminou as abominações da injustiça.
3. Dirigiu seu coração para o Senhor e, em tempo de injustiça, fez prevalecer a fidelidade.

Jeremias

4. Exceto Davi, Ezequias e Josias, todos os reis cometeram pecados. Os reis de Judá desapareceram porque abandonaram a Lei do Altíssimo.
5. Eles entregaram seu poder a outros e sua riqueza para uma nação estrangeira.
6. Os inimigos incendiaram a cidade santa escolhida e tornaram desertas as suas ruas.
7. Isso aconteceu conforme a palavra de Jeremias, a quem eles maltrataram, embora tivesse sido consagrado profeta desde o seio materno, para arrancar, destruir e arruinar, mas também para construir e plantar.

Ezequiel

8. Ezequiel contemplou uma visão da Glória, que Deus lhe mostrou sobre o carro dos querubins.
9. Deus se lembrou dos inimigos, mandando a tempestade, mas salvou aqueles que andam por caminhos retos.

Os doze profetas

10. Quanto aos doze profetas, que seus ossos floresçam no sepulcro, porque eles consolaram Jacó e com sua confiante esperança o resgataram.

Zorobabel e Josué

11. Como fazer o elogio de Zorobabel? Ele é como o sinete na mão direita.
12. O mesmo se diga de Josué, filho de Josedec. Os dois, em sua época, reconstruíram o Templo e ergueram ao Senhor um templo santo, destinado a uma glória eterna.

Neemias

13. Também a memória de Neemias é grande. Ele reconstruiu para nós as muralhas que estavam em ruínas, instalou portas e ferrolhos, e reergueu nossas casas.

Recapitulação

14. Ninguém na terra foi criado igual a Henoc, pois ele foi arrebatado da terra.
15. Também não nasceu outro homem como José, que foi chefe dos irmãos e sustentáculo do povo. Até mesmo seus ossos receberam honras.
16. Sem e Set foram glorificados entre os homens, mas acima de qualquer outra criatura viva está Adão.


Eclesiástico 50

O sumo sacerdote Simão

1. Simão, filho de Onias, o sumo sacerdote, durante a vida restaurou o templo e, em sua época, fortificou o santuário.
2. Ele mesmo colocou os alicerces do edifício duplo, o alto contraforte da muralha do templo.
3. No seu tempo, foi cavado o reservatório de água, um tanque grande como o mar.
4. Preocupado em evitar a ruína do seu povo, ele fortificou a cidade contra a possibilidade de um cerco.
5. Como ele era majestoso, cercado pelo povo, quando saía do santuário por trás da cortina!
6. Ele era como a estrela da manhã entre as nuvens, como a lua nos dias em que está cheia!
7. Era como o sol fulgurante sobre o templo do Altíssimo, como o arco-íris brilhando entre nuvens de glória!
8. Era como a rosa na primavera, como lírio junto da água corrente, como ramo de árvore de incenso no verão!
9. Era como fogo e incenso no turíbulo, como vaso de ouro maciço ornado com todo tipo de pedras preciosas!
10. Era como oliveira carregada de frutos e como cipreste elevando-se até as nuvens!
11. Como ele era majestoso quando vestia os paramentos solenes e usava seus enfeites mais belos! Quando subia ao altar sagrado e enchia de glória todo o santuário!
12. Como era majestoso ao receber das mãos dos sacerdotes as porções do sacrifício, de pé, junto ao braseiro do altar, cercado de uma coroa de irmãos, como brotos de cedros do Líbano, que o rodeavam como troncos de palmeiras!
13. Todos os descendentes de Aarão, em seu esplendor, traziam nas mãos a oferta para o Senhor, e se mantinham diante de toda a assembléia de Israel.
14. Terminando a liturgia sobre os altares e para tornar mais bela a oferta ao Altíssimo Todo-poderoso,
15. Simão estendia a mão sobre a taça e fazia a libação com suco de uva, derramando-o sobre as bases do altar, como perfume agradável ao Altíssimo, Rei do universo.
16. Nesse momento, os descendentes de Aarão aclamavam, tocavam as trombetas de metal maciço, fazendo ouvir um som possante como memorial diante do Altíssimo.
17. Então, imediatamente, todo o povo se prostrava junto com ele, com o rosto por terra, para adorar o Senhor, o Deus Todo-poderoso e Altíssimo.
18. Os cantores entoavam cantos de louvor, e o seu canto era acompanhado por música melodiosa.
19. O povo suplicava ao Senhor Altíssimo, dirigindo orações ao Misericordioso, até que terminasse o culto do Senhor e acabasse a cerimônia.
20. Nessa hora, Simão descia do altar e estendia as mãos sobre toda a assembléia de Israel, para dar a bênção do Senhor em alta voz e ter a honra de pronunciar o seu Nome.
21. Então o povo se prostrava de novo, para receber a bênção do Altíssimo.

Convite ao louvor

22. E agora, bendigam o Deus do universo, que realiza por toda parte coisas grandiosas. Ele exaltou os nossos dias desde o seio materno e age conosco segundo a sua misericórdia.
23. Que ele nos dê um coração alegre e conceda a paz aos nossos dias em Israel, para todo o sempre.
24. Que a sua misericórdia permaneça fielmente conosco, e nos resgate enquanto vivermos.

Contra os estrangeiros

25. Há duas nações que eu detesto, e uma terceira que sequer é nação:
26. os habitantes da montanha de Seir, os filisteus e o povo idiota que habita em Siquém.

Conclusão do livro

27. Jesus, filho de Sirac, neto de Eleazar de Jerusalém, gravou neste livro uma instrução de sabedoria e ciência, derramando como chuva a sabedoria do seu coração.
28. Feliz o homem que medita nessas coisas, pois quem as coloca no coração se tornará sábio.
29. Se as colocar em prática, será forte em tudo, porque a luz do Senhor é o seu caminho.


Eclesiástico 51

IV. APÊNDICE

Deus liberta da morte

1. Eu te agradeço, Senhor Rei, e te louvo, meu Deus Salvador, glorificando o teu nome,
2. porque foste para mim um protetor e socorro, e libertaste meu corpo da perdição, do laço da língua caluniadora e dos lábios que produzem a mentira. Na presença dos meus adversários, tu foste meu apoio e me libertaste,
3. conforme a grandeza da tua misericórdia e do teu Nome, das mordidas daqueles que estavam prestes a me devorar. Tu me livraste das mãos dos que procuravam tirar-me a vida e das numerosas provas que sofri.
4. Tu me livraste do fogo que me rodeava, de um fogo que não acendi,
5. das profundas entranhas do mundo dos mortos, da língua impura, da palavra mentirosa.
6. Uma calúnia de uma língua injusta tinha chegado junto ao rei. Minha alma esteve perto da morte e minha vida chegou junto à porta do mundo dos mortos.
7. Por todos os lados me rodeavam, e não havia quem me ajudasse. Procurei pelo socorro dos homens, mas foi inútil.
8. Então me lembrei da tua misericórdia, Senhor, e das tuas obras feitas desde a eternidade, porque tu libertas os que esperam em ti e os salvas da mão dos inimigos.
9. Fiz subir da terra a minha oração, e pedi para ser libertado da morte.
10. Invoquei o Senhor, Pai do meu senhor: "Não me abandones no dia da provação, no tempo do abandono causado pelos orgulhosos. Mas eu vou louvar para sempre o teu Nome e cantar para ti hinos de agradecimento".
11. Minha súplica foi atendida, e tu me salvaste da ruína, livrando-me do tempo mau.
12. Por isso, eu te agradeço e te louvo, bendizendo o nome do Senhor.

Convite à busca da sabedoria

13. Na minha juventude, antes de viajar, em minha oração procurei abertamente a sabedoria.
14. Diante do santuário, eu a pedi, e até o fim vou procurá-la.
15. Meu coração se alegrava em sua flor, como na uva que amadurece. Meu pé andou pelo caminho reto, e segui suas pegadas desde a juventude.
16. Inclinei um pouco o ouvido para recebê-la, e acabei encontrando ensinamento abundante.
17. Com ela, fiz progressos, e por isso vou agradecer a quem me concedeu a sabedoria.
18. Sim, eu resolvi colocá-la em prática, e procurei ardentemente o bem, e não serei confundido.
19. Minha alma lutou para possuir a sabedoria e observei atentamente a Lei. Estendi minhas mãos para o alto, deplorando a minha ignorância.
20. Para ela dirigi o meu desejo, e a encontrei na pureza. Com ela, desde o princípio, adquiri inteligência, e por isso não serei abandonado.
21. Minhas entranhas se comoveram quando eu a procurava, e por isso adquiri um bem precioso.
22. Como recompensa, o Senhor me deu língua e, com ela, eu o louvarei.
23. Aproximem-se de mim, vocês que não têm instrução, e entrem para a minha escola.
24. Por que vocês pretendem privar-se dessas coisas, quando a alma de vocês tem sede delas?
25. Abro a boca e proclamo: "Comprem a sabedoria sem dinheiro.
26. Coloquem o pescoço debaixo do seu jugo e acolham a sua instrução. Ela está próxima, e pode ser encontrada.
27. Vejam com seus próprios olhos como trabalhei pouco, e acabei encontrando profundo repouso.
28. Comprem instrução, mesmo que seja com muito dinheiro, pois com ela vocês vão ganhar ouro em abundância.
29. Que vocês se alegrem com a misericórdia do Senhor, e não se envergonhem de louvá-lo.
30. Realizem o trabalho de vocês antes do tempo fixado, e ele dará a vocês a recompensa na hora certa".


Send this page to a friend

St. Takla Church - Main IndexIndex of Antigo Testamento - BÍBLIA ON-LINE - Portuguese Bible (Brazil)

Like & share St-Takla.org

_


© Saint Takla Haymanout Website: Coptic Orhtodox Church - Alexandria, Egypt / URL: http://St-Takla.org / Contact us at

http://st-takla.org/Bibles/Portuguese-Bible/01-Antigo-Testamento/26-eccesiastico.html