All Coptic Links - Coptic Directory - Orthodox Church Directory The Agbeya - The Coptic Book of Prayers (English Agbiya + Arabic Agpeya) English Bible + Holy Bible in other languages - Arabic, French, Ethiopian Amharic Holy Bible, ArabicBible, Enjeel Saint Takla dot org - Main page - English Photo and Image Gallery: Jesus - Mary - Saints - St. Takla - Church - Priests - Bible - Activities - pictures and Icons.. Download and listen to Hymns - Carols - Midnight Praise (Tasbeha) - Midis - Videos - Liturgies - Masses - Sermons - Online Streaming St-Takla.org   Coptic Church Website Logo of Saint Takla Haymanot the Ethiopian Church Website - Alexandria - Egypt - موقع كنيسة الأنبا تكلا هيمانوت FAQ - Frequently Asked Questions and Answers - Coptic and Christan Q&A - Faith, Creed, Site, Youth, Family, Holy Bible Contact Us - Address - Map - Online Support Send a free Christian and Coptic Greeting Cards to your friends موقع الكنيسة القبطية باللغة العربية - الموقع العربي StTaklaorg Site News and Updates Downloads.. Winamp Skins - Coptic fonts - Agbeya - Software - Freeware - Icons - Gallery - Mp3s Feedback - Submit URL - ideas - Suggestions.. Kids' Corner - Coloring - Songs - Games - Stories Free Coptic Books - Christian Arabic Books, Orthodox English Books  

Portuguese Bible - BÍBLIA ON-LINE - Antigo Testamento

Salmos

 

[Salmos 1]Salmos 1

DEUS SE ALIA AOS JUSTOS
1. Feliz o homem que não vai ao conselho dos injustos, não pára no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos zombadores.
2. Pelo contrário: seu prazer está na lei de Javé, e medita sua lei, dia e noite.
3. Ele é como árvore plantada junto d'água corrente: dá fruto no tempo devido, e suas folhas nunca murcham. Tudo o que ele faz é bem sucedido.
4. Não são assim os injustos! Não são assim! Pelo contrário: são como palha que o vento arrebata...
5. Por isso os injustos não ficarão de pé no Julgamento, nem os pecadores na assembléia dos justos.
6. Porque Javé conhece o caminho dos justos, enquanto o caminho dos injustos perece.

[Salmos 2]
Salmos 2

DEUS SE ALIA À AUTORIDADE JUSTA
1. Por que as nações se rebelam, e os povos planejam em vão?
2. Os reis da terra se revoltam e, unidos, os príncipes conspiram contra Javé e contra o seu Messias:
3. "Rebentemos seus grilhões, sacudamos seu jugo!"
4. Aquele que habita no céu ri, Javé se diverte à custa deles.
5. E depois lhes fala com ira, confundindo-os com furor:
6. "Fui eu que consagrei o meu rei em Sião, minha sagrada montanha!"
7. Vou proclamar o decreto de Javé! Ele me disse: "Você é o meu filho, eu hoje o gerei.
8. Peça-me, e eu lhe darei as nações como herança, os confins da terra como propriedade.
9. Você as governará com cetro de ferro, e as quebrará como vaso de oleiro".
10. E agora, ó reis, sejam prudentes! Deixem-se corrigir, juízes da terra.
11. Sirvam a Javé com temor,
12. prestem-lhe homenagem tremendo, para que ele não se irrite, e vocês pereçam no caminho, pois a ira dele se inflama depressa. Felizes aqueles que nele se abrigam!

[Salmos 3]
Salmos 3

UM DESAFIO PARA O JUSTO
1. Salmo. De Davi. Quando fugia de seu filho Absalão.
2. Javé, como são numerosos os meus opressores, numerosos os que se levantam contra mim!
3. Numerosos aqueles que dizem a meu respeito: "Deus nunca vai salvá-lo".
4. Tu porém, Javé, és o escudo que me protege, és minha honra, aquele que me faz erguer a cabeça.
5. Em alta voz eu grito a Javé, e ele me responde do seu monte santo.
6. Posso deitar-me, dormir e despertar, pois é Javé quem me sustenta.
7. Não temo essa multidão de gente que em cerco se coloca contra mim.
8. Levanta-te, Javé! Salva-me, Deus meu! Pois golpeias no queixo meus inimigos todos, e quebras os dentes dos injustos.
9. De ti, Javé, vêm a salvação e a bênção para o teu povo.

[Salmos 4]
Salmos 4

DEUS DEFENDE O POBRE
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Salmo. De Davi.
2. Quando te invoco, responde-me, ó Deus, meu defensor! Na angústia tu me aliviaste: tem piedade de mim, ouve a minha prece!
3. Ó homens, até quando vocês ultrajarão minha honra, amando o nada e buscando a ilusão?
4. Saibam que Javé faz maravilhas por seu fiel: Javé ouve quando eu o invoco.
5. Tremam e não pequem. Reflitam no silêncio do leito.
6. Ofereçam sacrifícios justos e tenham confiança em Javé.
7. Muitos dizem: "Quem nos fará ver a felicidade?" Javé, levanta sobre nós a luz da tua face!
8. Puseste em meu coração mais alegria do que quando transbordam o trigo e o vinho deles.
9. Em paz me deito e logo adormeço, porque só tu, Javé, me fazes viver tranqüilo.

[Salmos 5]
Salmos 5

DEUS FAZ JUSTIÇA AO INOCENTE
1. Do mestre de canto. Para flautas. Salmo. De Davi.
2. Javé, escuta minhas palavras, leva em conta o meu gemido.
3. Ouve atento meu grito por socorro, meu Rei e meu Deus! É a ti que eu suplico, Javé!
4. Pela manhã ouves a minha voz; pela manhã te apresento minha causa, e fico esperando...
5. Tu não és um Deus que ame a injustiça. O malvado não é teu hóspede.
6. Não, os arrogantes não se mantêm na tua presença. Odeias todos os malfeitores
7. e destróis os mentirosos. Javé rejeita o homem sangüinário e traiçoeiro.
8. Quanto a mim, por teu grande amor, eu entro em tua casa. Cheio de temor, eu me prostro voltado para o teu sagrado santuário.
9. Guia-me, Javé, com tua justiça, por causa dos que me espreitam. Endireita na minha frente o teu caminho!
10. Pois eles não falam com sinceridade, e o seu íntimo está cheio de maquinações. Sua garganta é um túmulo aberto e sua língua é aduladora.
11. Declara-os culpados, ó Deus. Que seus planos fracassem! Expulsa-os por seus crimes numerosos, porque se revoltam contra ti.
12. Fiquem alegres todos os que se abrigam em ti, e se rejubilem para sempre. Tu os proteges, e em ti exultam os que amam o teu nome.
13. Pois tu, Javé, abençoas o justo, teu favor o protege como escudo.

[Salmos 6]
Salmos 6

DEUS LIBERTA O AFLITO
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Sobre a oitava. Salmo. De Davi.
2. Javé, não me castigues com tua ira, não me corrijas com teu furor!
3. Piedade, Javé, que eu desfaleço! Javé, cura-me, pois meus ossos tremem.
4. Todo o meu ser estremece... E tu, Javé, até quando?
5. Volta-te, Javé! Liberta-me! Salva-me, por teu amor!
6. Pois na morte ninguém se lembra de ti: quem te louvaria no túmulo?
7. Sinto-me esgotado de tanto gemer, e de noite eu choro na cama, banhando o meu leito com lágrimas.
8. Meus olhos se derretem de dor, envelhecem de tantas contradições.
9. Afastem-se de mim, malfeitores todos: Javé ouviu o meu soluço!
10. Javé ouviu o meu pedido. Javé acolheu a minha prece.
11. Envergonhem-se meus inimigos todos, retirem-se depressa, cheios de vergonha!

[Salmos 7]
Salmos 7

JAVÉ, O JUSTO JUIZ
1. Lamentação. De Davi. Ele a cantou para Javé, a propósito de Cuch, o benjaminita.
2. Javé, meu Deus, eu me abrigo em ti! Salva-me dos meus perseguidores todos! Liberta-me!
3. Que não me apanhem, como um leão, e me estraçalhem, e ninguém me liberte!
4. Javé, meu Deus, se eu fiz alguma coisa... se cometi alguma injustiça,
5. se paguei com o mal a quem me fez o bem, se poupei sem razão a quem me oprimiu,
6. que o inimigo me persiga e alcance! Que me pisoteie vivo por terra e aperte o meu ventre contra a poeira!
7. Levanta-te, Javé, com tua ira! Ergue-te contra o abuso dos meus opressores! Acorda, meu Deus! Decreta um julgamento!
8. Que a assembléia dos povos te cerque; assenta-te sobre ela, no mais alto.
9. Javé é o juiz dos povos. Julga-me, Javé, conforme a minha justiça, e segundo a minha inocência.
10. Põe fim à maldade dos injustos e apóia o justo, pois tu sondas corações e rins, ó Deus justo!
11. Quem me protege é Deus, que salva os corações retos.
12. Deus é um justo juiz. Deus ameaça a cada dia.
13. Se não se convertem, ele afia a espada, estica o arco e aponta;
14. prepara suas armas que matam, aponta suas flechas de fogo.
15. Vejam: o injusto concebeu a injustiça, está prenhe de ganância e dá à luz a mentira.
16. Ele cava e aprofunda um buraco, e acaba caindo na cova que fez!
17. Sua ganância se volta contra ele, sua violência lhe recai na cabeça!
18. Eu agradeço a Javé por sua justiça, e canto ao nome de Javé Altíssimo.

[Salmos 8]
Salmos 8

O HOMEM REFLETE A GRANDEZA DE DEUS
1. Do mestre de canto. Sobre a harpa de Gat. Salmo. De Davi.
2. Javé, Senhor nosso, como é poderoso o teu nome em toda a terra! Exaltaste a tua majestade acima do céu.
3. Da boca de crianças e bebês tiraste um louvor contra os teus adversários, para reprimir o inimigo e o vingador.
4. Quando contemplo o céu, obra de teus dedos, a lua e as estrelas que fixaste...
5. O que é o homem, para dele te lembrares? O ser humano, para que o visites?
6. Tu o fizeste pouco menos do que um deus, e o coroaste de glória e esplendor.
7. Tu o fizeste reinar sobre as obras de tuas mãos, e sob os pés dele tudo colocaste:
8. ovelhas e bois, todos eles, e as feras do campo também;
9. as aves do céu e os peixes do oceano, que percorrem as sendas dos mares.
10. Javé, Senhor nosso, como é poderoso o teu nome em toda a terra!

[Salmos 9]
Salmos 9

O POBRE NÃO FICARÁ FRUSTRADO
1. Do mestre de canto. Para oboé e harpa. Salmo. De Davi.
2. Javé, eu te agradeço de todo o coração, proclamando todas as tuas maravilhas!
3. Eu me alegro e exulto em ti, e toco ao teu nome, ó Altíssimo!
4. Meus inimigos voltam atrás, tropeçam e somem da tua presença.
5. Porque defendeste a minha causa e direito: sentaste em teu trono de justo juiz.
6. Ameaçaste as nações, destruíste o injusto, para todo o sempre apagaste o nome dele.
7. O inimigo acabou em ruínas para sempre, arrasaste as cidades, e a lembrança dele sumiu.
8. Eis que Javé sentou-se para sempre, firmou o seu trono para o julgamento.
9. Ele julga o mundo com justiça e governa os povos com retidão.
10. Que Javé seja fortaleza para o oprimido, fortaleza nos tempos de angústia.
11. Em ti confiam os que conhecem o teu nome, pois não abandonas os que te procuram, Javé.
12. Toquem para Javé, que habita em Sião; contem entre os povos as suas façanhas:
13. ele vinga o sangue derramado, ele se lembra, e não se esquece jamais do clamor dos pobres.
14. Piedade, Javé! Olha a minha aflição! Levanta-me das portas da morte,
15. para que eu proclame os teus louvores, e exulte com a tua salvação junto às portas da capital de Sião!
16. Os povos caíram na cova que fizeram, no laço que ocultaram prenderam o pé.
17. Javé apareceu fazendo justiça, apanhou o injusto em sua manobra.
18. Que os injustos voltem ao túmulo, os povos todos que se esquecem de Deus!
19. Pois o indigente não será esquecido para sempre, e a esperança dos pobres jamais se frustrará.
20. Levanta-te, Javé, que o mortal não triunfe! Que os povos sejam julgados na tua presença!
21. Infunde neles o medo, Javé: saibam os povos que são homens mortais!

[Salmos 10]
Salmos 10
(9B)
DEUS NÃO SE ESQUECE DOS POBRES
1. Javé, por que ficas longe, e te escondes no tempo da angústia?
2. A soberba do injusto persegue o infeliz. Fiquem presos nas tramas que planejaram!
3. O injusto se gloria da própria ambição, o avarento maldiz e despreza a Javé!
4. O injusto é soberbo, jamais investiga. "Deus não existe!" é tudo o que pensa.
5. Suas empresas têm sucesso em todo tempo. Tuas normas estão longe da mente dele, e ele desafia os adversários todos.
6. E pensa: "Eu sou inabalável! Jamais cairei na desgraça".
7. Fraude e astúcia lhe enchem a boca, sob sua língua existe maldade e opressão.
8. Fica de emboscada entre os juncos, e massacra o inocente às escondidas. Com os olhos ele espreita o inocente.
9. De tocaia, bem oculto, como leão no covil, ele se embosca para apanhar o pobre: agarra o pobre e o arrasta em sua rede.
10. Ele espreita, se agacha, se encurva, e o indefeso cai em seu poder.
11. E pensa: "Deus se esquece, e cobre a face para não ver até o fim!"
12. Levanta-te, Javé! Ergue a tua mão! Não te esqueças dos pobres!
13. Por que o injusto desprezaria a Deus, pensando que não investigas?
14. Mas tu vês a fadiga e o sofrimento, e observas para tomá-los na mão: a ti se abandona o indefeso, para o órfão tu és um socorro.
15. Quebra o braço do injusto e do malvado e procura sua maldade: não a encontras!
16. Javé é rei para sempre e eternamente. Os pagãos desapareceram do país.
17. Javé, tu ouves o desejo dos pobres, fortaleces o coração deles e lhes dás ouvidos,
18. fazendo justiça ao órfão e ao oprimido, para que o homem terreno já não infunda terror.

[Salmos 11]
Salmos 11
(10)
O QUE PODE O JUSTO FAZER?
1. Do mestre de canto. De Davi. Eu me abrigo em Javé. Por que vocês me dizem: "Foge para os montes, passarinho,
2. porque os injustos retesam o arco, ajustando a flecha na corda, para atirar ocultamente contra os corações retos.
3. Quando os fundamentos se corrompem, o que pode o justo fazer?"
4. Javé, porém, está no seu templo santo, Javé tem o seu trono no céu. Seus olhos contemplam o mundo, suas pupilas examinam os homens.
5. Javé examina o justo e o injusto, ele odeia quem ama a violência;
6. fará chover sobre os injustos brasas e enxofre, e um furacão violento. É a parte que lhes cabe.
7. Porque Javé é justo e ama a justiça, e os corações retos contemplarão sua face.

[Salmos 12]
Salmos 12
(11)
O FIEL ESTÁ SUMINDO
1. Do mestre de canto. Para instrumentos de oito cordas. Salmo. De Davi.
2. Socorro, Javé! O fiel está sumindo! Desaparece a fidelidade entre os homens:
3. cada qual mente ao seu próximo com lábios enganadores e segundas intenções.
4. Que Javé corte todos os lábios enganadores, e a língua arrogante
5. dos que dizem: "Nossa força está na língua, nossas armas são nossos lábios. Quem poderá nos dominar?"
6. Javé declara: "Agora eu me levanto para defender os pobres oprimidos e os necessitados que gemem. Vou salvar quem quer ser salvo!"
7. As palavras de Javé são palavras sinceras, prata pura, sem nenhuma impureza, sete vezes refinada.
8. Sim, Javé, tu nos guardarás, livrando-nos para sempre dessa gente.
9. Por toda parte rondam os injustos, quando a corrupção é exaltada entre os homens.

[Salmos 13]
Salmos 13
(12)
ATÉ QUANDO, JAVÉ?
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Javé, até quando me esquecerás? Para sempre? Até quando esconderás de mim a tua face?
3. Até quando terei sofrimento dentro de mim, e tristeza no coração, dia e noite? Até quando meu inimigo vai triunfar?
4. Atenção, Javé, meu Deus! Responde-me! Ilumina meus olhos, para que eu não adormeça na morte.
5. Que meu inimigo não diga: "Eu o venci!" E meus opressores não exultem com meu fracasso.
6. Quanto a mim, eu confio no teu amor! Meu coração exulta com a tua salvação. Vou cantar a Javé por todo o bem que ele me fez!

[Salmos 14]
Salmos 14
(13)
DEUS ESTÁ COM OS JUSTOS
1. Do mestre de canto. De Davi. O insensato diz no seu coração: "Deus não existe!" Corromperam-se, praticando abominações: não há quem pratique o bem.
2. Do céu Javé se inclina sobre os filhos de Adão, para ver se restou alguém sensato, alguém que busque a Deus.
3. Estão todos desviados e obstinados também: não há quem faça o bem, não há nem um sequer.
4. Acaso, esses malfeitores não percebem? Eles devoram o meu povo, como se comessem pão, e não invocam a Javé.
5. Eles vão tremer de medo, porque Deus está com os justos.
6. Vocês podem confundir o plano do pobre, mas o abrigo dele é Javé.
7. Tomara que venha de Sião a salvação para Israel! Quando Javé mudar a sorte do seu povo, Jacó exultará e Israel se alegrará.

[Salmos 15]
Salmos 15
(14)
CONDIÇÕES PARA CELEBRAR A FÉ
1. Salmo. De Davi. Javé, quem pode hospedar-se em tua tenda e habitar em teu monte santo?
2- . Quem age na integridade e pratica a justiça, quem fala sinceramente o que pensa
3. e não usa a língua para caluniar; quem não prejudica seu próximo, e não difama seu vizinho;
4. quem despreza o injusto, e honra os que temem a Javé; quem sustenta o que jurou, mesmo com prejuízo seu;
5. quem não empresta dinheiro com juros, nem aceita suborno contra o inocente. Quem age desse modo, jamais será abalado!

[Salmos 16]
Salmos 16
(15)
A HERANÇA DA VIDA
1. À meia-voz. De Davi. Guarda-me, Deus, pois eu me abrigo em ti.
2. Eu digo a Javé: "Tu és o meu bem!"
3. Os deuses e senhores da terra não me satisfazem.
4. Eles multiplicam as estátuas de deuses estranhos. Nunca derramarei suas libações de sangue, nem porei seus nomes em meus lábios.
5. Javé, minha parte na herança e minha taça, meu destino está em tuas mãos.
6. O cordel mediu para mim um lugar delicioso; sim, minha herança é a mais bela.
7. Bendigo a Javé que me aconselha, e, mesmo à noite, interiormente me instrui.
8. Tenho Javé à minha frente sem cessar. Com ele à minha direita, jamais vacilarei.
9. Por isso meu coração se alegra, minhas entranhas exultam, e minha carne repousa em segurança;
10. porque não me abandonarás no túmulo, nem deixarás o teu fiel ver a sepultura.
11. Tu me ensinarás o caminho da vida, cheio de alegria em tua presença, e de delícias à tua direita, para sempre.

[Salmos 17]
Salmos 17
(16)
À ESPERA DE UM MILAGRE
1. Prece. De Davi. Escuta, Javé, a minha apelação, atende ao meu clamor; dá ouvidos à minha súplica, que não sai de lábios mentirosos.
2. Que minha sentença provenha de tua face, teus olhos vejam onde está a retidão.
3. Ainda que me sondes o coração, e de noite o examines; ainda que me proves com o fogo, malícia nenhuma encontrarás em mim. Minha boca não transgrediu
4. como costumam os homens. Conforme a palavra dos teus lábios, eu observei os caminhos prescritos:
5. meus pés não vacilaram, meus passos ficaram nas tuas pegadas.
6. Eu clamo a ti, porque me respondes, ó Deus! Inclina-me teu ouvido, ouve a minha palavra,
7. manifesta a maravilha do teu amor, tu que dos agressores salvas a quem se refugia à tua direita.
8. Guarda-me como a pupila dos olhos, esconde-me à sombra de tuas asas,
9. longe dos injustos que me oprimem, dos inimigos mortais que me cercam.
10. Eles fecham seu coração com gordura e falam com boca arrogante;
11. seus passos já me rodeiam, seus olhos me fitam para jogar-me no chão.
12. Parecem leão ávido de presa, um filhote de leão agachado no covil.
13. Levanta-te, Javé! Enfrenta-os! Derruba-os! Que tua espada me liberte do injusto,
14. e tua mão, Javé, os expulse da humanidade, para fora da humanidade e do mundo: seja essa a parte deles nesta vida! Enche-lhes o ventre com o que tens de reserva: que seus filhos fiquem saciados e deixem a sobra para seus pequeninos.
15. Quanto a mim, com justiça verei a tua face; ao despertar, eu me saciarei com a tua imagem.

[Salmos 18]
Salmos 18
(17)
A FUNÇÃO DA AUTORIDADE
1. Do mestre de canto. De Davi, servo de Javé. Ele dirigiu a Javé as palavras deste cântico, quando Javé o libertou de todos os seus inimigos e da mão de Saul.
2. Ele disse: Eu te amo, Javé. Tu és a minha força!
3. Javé, meu rochedo, minha fortaleza, meu libertador; meu Deus, rocha minha, meu refúgio, meu escudo, força que me salva, meu baluarte!
4. Louvado seja! Eu invoquei Javé, e fui salvo dos meus inimigos!
5. Ondas mortais me envolviam, torrentes destruidoras me aterravam,
6. cercavam-me laços mortais, as ciladas da morte me atingiam.
7. No meu aperto invoquei Javé, ao meu Deus lancei o meu grito. Do seu templo ele ouviu a minha voz, o meu grito chegou-lhe aos ouvidos.
8. E a terra balançou e tremeu, as bases dos montes se abalaram, estremeceram com o furor dele.
9. De suas narinas subiu a fumaça e da sua boca um fogo voraz: dela saíam brasas ardentes.
10. Ele inclinou o céu e desceu, tendo aos pés uma nuvem escura;
11. ele cavalgou um querubim, e voou, planando sobre as asas do vento.
12. Das trevas fez seu manto, águas escuras e nuvens espessas o rodeavam como tenda.
13. Com o fulgor da sua presença, as nuvens se desfizeram em granizo e centelhas.
14. Javé trovejou no céu, o Altíssimo fez ouvir sua voz;
15. lançou suas flechas e os dispersou, e os expulsou, lançando seus raios.
16. O leito do mar apareceu, as bases do mundo se descobriram, por causa do teu estrondo, Javé, e do vento que soprava das tuas narinas.
17. Do alto ele me mandou buscar; tirou-me das águas torrenciais.
18. Livrou-me de um poderoso inimigo, de adversários mais fortes do que eu.
19. Atacaram-me no dia da derrota, porém Javé foi um apoio para mim.
20. Ele me fez sair para lugar espaçoso; libertou-me, porque ele me ama.
21. Javé me tratou segundo a minha justiça, e me retribuiu conforme a pureza de minhas mãos,
22. porque observei os caminhos de Javé, e não me rebelei contra o meu Deus.
23. Seus julgamentos estão todos à minha frente, nunca me apartei dos seus decretos;
24. fui íntegro para com ele e me guardei da injustiça.
25. Javé retribuiu a minha justiça, a pureza de minhas mãos em sua presença.
26. Com o fiel és fiel, com o íntegro tu és íntegro,
27. com quem é puro tu és puro, mas com o perverso tu és astuto.
28. Tu salvas o povo pobre e rebaixas os olhos altivos.
29. Javé, tu és a minha lâmpada; meu Deus, tu iluminas a minha treva.
30. Sim, contigo eu corro ao ataque, com meu Deus eu assalto a muralha.
31. O caminho de Deus é perfeito, a palavra de Javé é comprovada. Ele é um escudo para os que nele se abrigam.
32. Quem é Deus, além de Javé? E quem é rochedo, fora o nosso Deus?
33. Ele é o Deus que me cinge de força, e torna perfeito o meu caminho.
34. Ele iguala meus pés aos pés das corças e me sustenta firme nas alturas.
35. Adestra as minhas mãos para a guerra, e o meu braço estica o arco de bronze.
36. Tu me deste o teu escudo salvador, tua direita me sustentou, e me atendeste sem parar.
37. Alargaste os meus passos, e meus tornozelos não fraquejaram.
38. Persegui e alcancei os meus inimigos, e não voltei sem os ter consumido.
39. Eu os derrotei, e não puderam levantar-se; eles caíram debaixo dos meus pés.
40. Tu me cingiste com vigor para o combate e curvaste sob mim os agressores.
41. Tu me entregaste a nuca dos inimigos, e eu exterminei os meus adversários.
42. Eles gritaram, mas ninguém os socorreu. Gritaram para Javé, mas ele não respondeu.
43. Eu os reduzi como a poeira ao vento, eu os pisei como o barro das ruas.
44. Tu me livraste das contendas do meu povo, e me puseste como chefe de nações; um povo desconhecido tornou-se meu vassalo.
45. Os estrangeiros submetiam-se a mim, davam-me ouvidos e me obedeciam.
46. Os estrangeiros se enfraqueciam e saíam tremendo de suas fortalezas.
47. Viva Javé! Bendito seja o meu rochedo! Exaltado seja o meu Deus e salvador,
48. o Deus que me concedeu as vinganças e submeteu a mim os povos;
49. que me livrou de inimigos furiosos, me exaltou sobre os meus agressores, e me salvou do homem cruel.
50. Por isso eu te louvo entre as nações, Javé, e toco em honra do teu nome:
51. "Ele dá grandes vitórias ao seu rei, e age pelo seu ungido com amor, por Davi e sua descendência para sempre".

[Salmos 19]
Salmos 19
(18)
A ORDEM QUE DEUS QUER
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. O céu manifesta a glória de Deus, e o firmamento proclama a obra de suas mãos.
3. O dia passa a mensagem para outro dia, a noite a sussurra para a outra noite.
4. Sem fala e sem palavras, sem que a sua voz seja ouvida,
5. a toda a terra chega o seu eco, aos confins do mundo a sua linguagem. Aí ele pôs uma tenda para o sol,
6. e este sai, qual esposo de seu quarto, como herói alegre, percorrendo o seu caminho.
7. Ele sai de um extremo do céu, e o seu percurso vai até o outro lado; nada escapa ao seu calor.
8. A lei de Javé é perfeita, um descanso para a alma. O testemunho de Javé é firme, instrução para o ignorante.
9. Os preceitos de Javé são retos, alegria para o coração. O mandamento de Javé é transparente, é luz para os olhos.
10. O temor de Javé é puro e estável para sempre. As decisões de Javé são verdadeiras e justas igualmente.
11. São mais desejáveis do que ouro, mais do que ouro refinado. São mais doces que o mel, que vai escorrendo dos favos.
12. Com elas, também teu servo se esclarece, e observá-las traz grande proveito.
13. Quem pode discernir os próprios erros? Purifica-me das faltas escondidas!
14. Preserva do orgulho o teu servo, para que ele nunca me domine: deste modo eu serei íntegro, inocente de uma grande transgressão.
15. Que te agradem as palavras da minha boca, e o meditar do meu coração chegue à tua presença, Javé, minha rocha e redentor!

[Salmos 20]
Salmos 20
(19)
A SEGURANÇA DA NAÇÃO
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Que Javé lhe responda no dia da angústia, que o nome do Deus de Jacó o proteja!
3. Que do santuário ele mande socorro para você, e o apóie desde Sião!
4. Que ele se lembre de suas ofertas todas, e aprecie o seu holocausto!
5. Que lhe dê tudo o que o seu coração deseja, e realize todos os seus projetos!
6. Possamos alegrar-nos com a sua vitória, e hastear a bandeira em nome do nosso Deus! Que Javé realize todos os seus pedidos!
7. Agora reconheço que Javé dá a vitória ao seu ungido, e lhe responde do seu templo celeste com os prodígios de sua mão vitoriosa.
8. Uns confiam em carros, outros em cavalos; quanto a nós, invocamos o nome de Javé nosso Deus.
9. Eles se curvam e caem; nós nos mantemos de pé.
10. Javé, dá a vitória ao rei, e responde para nós, quando clamamos a ti!

[Salmos 21]
Salmos 21
(20)
A VITÓRIA É DE DEUS
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Javé, o rei se alegra com tua força, e como exulta com tua vitória!
3. Concedeste o desejo do seu coração, e não lhe negaste o pedido de seus lábios.
4. Pois tu o precedeste com grandes bênçãos, colocaste uma coroa de ouro em sua cabeça.
5. Ele te pediu vida, e tu a concedeste, dias sem fim, para sempre e eternamente.
6. Tua vitória engrandeceu a fama dele, tu o vestiste com honra e esplendor.
7. Sim, tu o estabeleces como bênção para sempre, e, com tua presença, o enches de alegria.
8. Sim, o rei confia em Javé, e jamais vacilará com o amor do Altíssimo.
9. Tua mão alcançará teus inimigos todos, tua direita encontrará teus adversários.
10. Ateia fogo neles como a um forno, no dia em que te manifestares. Javé os engolirá com sua ira, e um fogo os devorará.
11. Extirparás da terra sua posteridade, e sua descendência dentre os homens.
12. Ainda que pretendam o mal contra ti e façam planos, nada irão conseguir.
13. Pois tu os afugentarás, mirando a face deles com teu arco.
14. Levanta-te, Javé, com tua força! Nós vamos cantar e tocar ao teu poder.

[Salmos 22]
Salmos 22
(21)
DEUS OUVE O CLAMOR DO POBRE
1. Do mestre de canto. Sobre "A corça da manhã". Salmo. De Davi.
2. Meu Deus, meu Deus, por que me abandonaste? Apesar de meus gritos, minha prece não te alcança!
3. De dia eu grito, meu Deus, e não me respondes. Grito de noite, e não fazes caso de mim!
4. E tu habitas no santuário, onde Israel te louva!
5. Nossos antepassados confiavam em ti; confiavam, e tu os salvavas;
6. gritavam a ti, e ficavam livres, confiavam em ti, e não se desapontaram.
7. Quanto a mim, eu sou verme, e não homem, riso dos homens e desprezo do povo.
8. Todos os que me vêem zombam de mim, abrem a boca e balançam a cabeça:
9. "Ele recorreu a Javé... Pois que Javé o salve! Que o liberte, se é que o ama de fato!"
10. És tu quem me tirou do ventre e me confiou aos peitos da minha mãe.
11. Fui entregue a ti desde o nascimento, desde o ventre materno tu és o meu Deus.
12. Não fiques longe de mim, que a angústia está perto, e não há ninguém para me socorrer.
13. Cercam-me touros numerosos, touros fortes de Basã me rodeiam.
14. Contra mim escancaram a boca os leões que dilaceram e rugem.
15. Estou como água derramada, e meus ossos todos se desconjuntam. Meu coração está como cera, derretendo-se dentro de mim.
16. Minha força secou como argila, e minha língua colou-se ao maxilar. Tu me colocas na poeira da morte.
17. Cães numerosos me rodeiam, e um bando de malfeitores me envolve, furando minhas mãos e meus pés.
18. Posso contar todos os meus ossos. As pessoas me observam e me encaram,
19. entre si repartem minhas vestes, e sorteiam a minha túnica.
20. Tu, porém, Javé, não fiques longe! Força minha, vem socorrer-me depressa!
21. Salva meu pescoço da espada, e a minha pessoa, das patas do cão!
22. Arranca-me da goela do leão, faze-me triunfar dos chifres do búfalo!
23. Vou contar tua fama aos meus irmãos, vou louvar-te no meio da assembléia:
24. "Vocês que temem a Javé, louvem a Javé! Glorifique-o, descendência toda de Jacó! Tema-o, descendência toda de Israel!"
25. Sim, porque ele não desprezou, não desdenhou a desgraça do pobre, nem lhe ocultou a sua face: quando gritou por socorro, ele o escutou.
26. De ti vem o meu louvor na grande assembléia. Cumprirei meus votos na presença dos que o temem.
27. Os pobres comerão e ficarão saciados, louvarão a Javé aqueles que o buscam: "Que o coração de vocês viva para sempre!"
28. Todos os confins da terra se lembrarão, e voltarão para Javé. Todas as famílias das nações se prostrarão na presença dele.
29. Pois a realeza pertence a Javé, é ele quem governa as nações.
30. Diante dele se prostrarão as cinzas da tumba, diante dele se curvarão os que descem ao pó.
31. Javé me fará viver para ele, minha descendência o servirá, falará do Senhor para a geração futura,
32. contará a justiça dele ao povo que vai nascer: tudo o que o Senhor realizou!

[Salmos 23]
Salmos 23
(22)
DEUS HOSPEDA O PERSEGUIDO
1. Salmo. De Davi. Javé é o meu pastor. Nada me falta.
2. Em verdes pastagens me faz repousar; para fontes tranqüilas me conduz,
3. e restaura minhas forças. Ele me guia por bons caminhos, por causa do seu nome.
4. Embora eu caminhe por um vale tenebroso, nenhum mal temerei, pois junto a mim estás; teu bastão e teu cajado me deixam tranqüilo.
5. Diante de mim preparas a mesa, à frente dos meus opressores; unges minha cabeça com óleo, e minha taça transborda.
6. Sim, felicidade e amor me acompanham todos os dias da minha vida. Minha morada é a casa de Javé, por dias sem fim.

[Salmos 24]
Salmos 24
(23)
O REI DA GLÓRIA
1. Salmo. De Davi. A Javé pertence a terra e tudo o que ela contém, o mundo e os que nele habitam.
2. Ele próprio fundou-a sobre os mares e firmou-a sobre os rios.
3. Quem pode subir à montanha de Javé? Quem pode estar no seu lugar santo?
4. Aquele que tem mãos inocentes e coração puro, que não confia nos ídolos, nem faz juramento para enganar.
5. Esse receberá a bênção de Javé, e do seu Deus salvador receberá a justiça.
6. Essa é a geração dos que procuram Javé, dos que buscam tua face, ó Deus de Jacó.
7. Portas, levantem seus frontões; elevem-se, portais antigos, pois vai entrar o Rei da glória!
8. Quem é esse Rei da glória? - É Javé, o herói valoroso! É Javé, o herói das guerras!
9. Portas, levantem seus frontões; elevem-se, portais antigos, pois vai entrar o Rei da glória!
10. Quem é esse Rei da glória? - É Javé dos Exércitos! Ele é o Rei da glória!

[Salmos 25]
Salmos 25
(24)
DO PECADO À CONVERSÃO
1. De Davi. A ti, Javé, elevo a minha alma.
2. Em ti confio, meu Deus. Que eu não fique envergonhado, e meus inimigos não triunfem sobre mim!
3. Os que em ti esperam não ficam envergonhados; ficam envergonhados todos os traidores.
4. Mostra-me os teus caminhos, Javé, ensina-me as tuas veredas.
5. Guia-me com tua verdade. Ensina-me, pois tu és o meu Deus salvador, e em ti espero o dia todo.
6. Javé, lembra-te da tua compaixão e do teu amor, que existem desde sempre.
7. Não te lembres de meus desvios, nem dos pecados da minha juventude. Lembra-te de mim, conforme o teu amor, por causa da tua bondade, Javé.
8. Javé é bondade e retidão, e aponta o caminho aos pecadores.
9. Ele encaminha os pobres conforme o direito, e ensina aos pobres o seu caminho.
10. As veredas de Javé são todas amor e verdade, para os que guardam sua aliança e seus preceitos.
11. Javé, por causa do teu nome, perdoa a minha falta, que é grande.
12. Existe alguém que teme a Javé? Javé o instrui sobre o caminho a seguir:
13. ele viverá feliz, e sua descendência possuirá a terra.
14. O segredo de Javé se revela para aqueles que o temem, e lhes dá a conhecer a sua aliança.
15. Meus olhos estão sempre voltados para Javé, pois ele tira da armadilha os meus pés.
16. Volta-te para mim, tem piedade de mim, pois estou solitário e infeliz.
17. Alivia as angústias do meu coração, tira-me das minhas aflições.
18. Olha a minha fadiga e miséria, e perdoa os meus pecados todos.
19. Vê meus inimigos que se multiplicam e me detestam com ódio mortal.
20. Guarda-me a vida! Liberta-me! Que eu não fique envergonhado por abrigar-me em ti!
21. Que a integridade e retidão me preservem, pois em ti espero, Javé!
22. Ó Deus, resgata Israel de todas as suas angústias!

[Salmos 26]
Salmos 26
(25)
DEUS RESGATA O ÍNTEGRO
1. De Davi. Faze-me justiça, Javé, pois eu sou íntegro, e confio em Javé, sem fraquejar.
2. Examina-me, Javé, e coloca-me à prova, depura meus rins e meu coração:
3. eu tenho diante dos olhos o teu amor, e ando na tua fidelidade.
4. Não me assento com impostores, nem caminho com hipócritas.
5. Detesto a assembléia dos maus, e não me assento com injustos.
6. Na inocência lavo as minhas mãos e rodeio o teu altar, Javé,
7. proclamando ação de graças e contando tuas maravilhas todas.
8. Javé, eu amo a beleza de tua casa e o lugar onde reside a tua glória.
9. Não me ajuntes com pecadores, nem minha vida com assassinos:
10. eles têm a infâmia nas mãos, a direita deles está cheia de subornos.
11. Quanto a mim, eu ando na integridade. Resgata-me, tem piedade de mim!
12. Meu pé está firme no caminho reto. Javé, eu te bendigo nas assembléias.

[Salmos 27]
Salmos 27
(26)
DE QUEM TEREI MEDO?
1. De Davi. Javé é minha luz e salvação: de quem terei medo? Javé é a fortaleza da minha vida: frente a quem tremerei?
2. Quando os malfeitores avançam contra mim para devorar minha carne, são eles, meus adversários e inimigos, que tropeçam e caem.
3. Que um exército acampe contra mim! Meu coração não tremerá! Que uma guerra estoure contra mim! Ainda assim estarei confiante!
4. Uma coisa peço a Javé, e só esta procuro: é habitar na casa de Javé todos os dias de minha vida, para gozar a doçura de Javé e contemplar o seu templo.
5. Pois ele me oculta na sua cabana, no dia da infelicidade; ele me esconde no segredo de sua tenda, e me eleva sobre uma rocha.
6. Agora minha cabeça se levanta sobre os inimigos que me cercam. Na tenda de Javé vou oferecer sacrifícios de aclamação. Vou cantar, vou tocar em honra de Javé!
7. Javé, escuta meu grito de apelo, tem piedade, responde-me!
8. Ouço no meu coração: "Procurem minha face!" - É tua face que eu procuro, Javé.
9. Não me escondas a tua face. Não afastes teu servo com ira, pois tu és o meu socorro! Não me deixes, não me abandones, meu Deus salvador!
10. Meu pai e minha mãe me abandonaram. Javé, porém, me acolhe!
11. Ensina-me o teu caminho, Javé! Guia-me pela vereda plana, por causa daqueles que me espreitam.
12. Não me entregues à vontade dos meus adversários, pois contra mim falsas testemunhas se levantam, respirando violência.
13. Espero ver a bondade de Javé na terra dos vivos.
14. Espere em Javé, seja firme! Fortaleça seu coração, e confie em Javé!

[Salmos 28]
Salmos 28
(27)
DEUS, NÃO FIQUES EM SILÊNCIO!
1. De Davi. A ti, Javé, eu clamo. Rocha minha, não me sejas surdo. Que o teu silêncio não me deixe como os que descem à cova.
2. Ouve a minha voz suplicante quando eu grito para ti, quando eu levanto as mãos para o teu santuário.
3. Não me arrastes com os injustos, nem com os malfeitores. Eles falam de paz com seu próximo, mas têm o mal no coração.
4. Trata-os conforme suas obras, segundo a malícia dos seus atos! Dá-lhes conforme a obra de suas mãos, paga-lhes o salário devido!
5. Eles não entendem os atos de Javé, nem as obras de suas mãos. Que ele os arrase e não os reconstrua!
6. Seja bendito Javé, pois ele escutou a minha voz suplicante!
7. Javé é minha força e meu escudo, nele confia o meu coração. Eu fui socorrido, minha carne refloresce, e de todo o coração eu lhe agradeço.
8. Javé é a força do seu povo, a fortaleza que salva o seu ungido.
9. Salva o teu povo! Abençoa a tua herança! Apascenta-os e conduze-os para sempre!

[Salmos 29]
Salmos 29
(28)
O SENHOR DA NATUREZA E DA HISTÓRIA
1. Salmo. De Davi. Filhos de Deus, aclamem a Javé, aclamem a glória e o poder de Javé.
2. Aclamem a glória do nome de Javé, adorem a Javé no seu átrio sagrado!
3. A voz de Javé sobre as águas, o Deus da glória troveja, Javé sobre as águas torrenciais.
4. A voz de Javé com poder, a voz de Javé no esplendor!
5. A voz de Javé despedaça os cedros, Javé despedaça os cedros do Líbano,
6. faz o Líbano pular como bezerro e o Sarion como cria de búfalo.
7. A voz de Javé lança chispas de fogo,
8. a voz de Javé sacode o deserto, Javé sacode o deserto de Cades!
9. A voz de Javé retorce os carvalhos e descasca as florestas. E no seu Templo, um só grito: "Glória!"
10. Javé se assenta sobre o dilúvio. Javé assentou-se. É rei para sempre!
11. Javé fortifica o seu povo, Javé abençoa seu povo com paz.

[Salmos 30]
Salmos 30
(29)
NOVO SENTIDO PARA A VIDA
1. Salmo. Cântico para a dedicação da casa. De Davi.
2. Eu te exalto, Javé, porque me livraste, não deixaste que os inimigos se rissem de mim.
3. Javé, meu Deus, eu gritei para ti, e tu me curaste.
4. Javé, tiraste do túmulo a minha vida, fizeste-me reviver dentre os que baixam à cova.
5. Toquem para Javé, fiéis seus, celebrem sua memória sagrada.
6. Sua ira dura um momento, e seu favor pela vida inteira. Pela tarde vem o pranto, e pela manhã, gritos de alegria.
7. Quanto a mim, eu dizia tranqüilo: "Nunca serei abalado!"
8. Javé, o teu favor me assegurava honra e poder, mas escondeste a tua face, e eu fiquei abalado.
9. Para ti, Javé, eu gritei, ao meu Deus eu supliquei:
10. "O que ganhas com minha morte, com minha descida à cova? Acaso te louva o pó, ou proclama tua fidelidade?
11. Javé, escuta-me, e tem piedade de mim! Sê meu socorro, Javé!"
12. Transformaste o meu luto em dança, e minha roupa de luto em roupa de festa.
13. Por isso, o meu ser canta para ti, e jamais se calará. Javé, meu Deus, eu te louvarei para sempre.

[Salmos 31]
Salmos 31
(30)
EM TUAS MÃOS ENTREGO O MEU ESPÍRITO
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Javé, eu me abrigo em ti: que eu nunca fique envergonhado. Salva-me, por tua justiça!
3. Inclina teus ouvidos para mim! Vem depressa libertar-me! Sê para mim um rochedo forte, uma fortaleza que me salve;
4. pois o meu rochedo e muralha és tu: guia-me por teu nome, conduze-me!
5. Tira-me da rede que armaram para mim, pois tu és a minha fortaleza.
6. Em tuas mãos entrego o meu espírito. Resgata-me, Javé Deus!
7. Tu detestas os que adoram ídolos vazios. Quanto a mim, eu confio em Javé.
8. Dançarei de alegria com teu amor, pois viste minha miséria, soubeste da opressão contra mim.
9. Não me entregaste nas mãos do inimigo, firmaste os meus pés em lugar espaçoso.
10. Tem piedade de mim, Javé, pois estou oprimido. A dor me consome os olhos, a garganta e as entranhas.
11. Eis que a minha vida se consome em tristeza e meus anos em gemidos; o meu vigor se enfraquece com a miséria, e meus ossos se consomem.
12. Pelos opressores todos que tenho, já me tornei um escândalo; um nojo para meus vizinhos, um terror para meus amigos. Os que me vêem na rua, fogem para longe de mim.
13. Fui esquecido como um morto, e estou como objeto perdido.
14. Ouço o cochicho de muitos, e o pavor me envolve! Eles conspiram juntos contra mim, e tramam tirar-me a vida.
15. Quanto a mim, Javé, eu confio em ti, e digo: "Tu és o meu Deus!"
16. Em tuas mãos está o meu destino: liberta-me dos inimigos que me perseguem!
17. Faze brilhar tua face sobre o teu servo. Salva-me, por teu amor!
18. Javé, que eu não me envergonhe de te invocar; envergonhados fiquem os injustos, fiquem reduzidos ao silêncio do túmulo!
19. Emudeçam os lábios mentirosos que proferem insolências contra o justo, com soberba e desprezo!
20. Como é grande a tua bondade, Javé! Tu a reservas para os que temem a ti, e a concedes aos que em ti se abrigam, diante de todos os homens.
21. Tu os escondes onde escondes a tua face, longe das intrigas humanas. Tu os ocultas em tua tenda, longe das línguas que discutem.
22. Seja bendito Javé! Ele fez por mim maravilhas de amor na cidade fortificada.
23. Quanto a mim, na minha ânsia eu dizia: "Fui excluído para longe dos teus olhos!" Tu, porém, ouviste a minha voz suplicante, quando eu gritei para ti.
24. Amem a Javé, seus fiéis todos! Javé preserva os que são leais, mas retribui com juros a quem age com soberba.
25. Sejam firmes, fortaleçam o coração, todos vocês que esperam em Javé!

[Salmos 32]
Salmos 32
(31)
A CONVERSÃO É FONTE DE ALEGRIA
1. De Davi. Poema. Feliz aquele cuja ofensa é absolvida, cujo pecado é coberto.
2. Feliz o homem a quem Javé não aponta nenhum delito.
3. Enquanto me calei, meus ossos se consumiam, o dia todo rugindo,
4. porque dia e noite a tua mão pesava sobre mim. O meu coração tornou-se como feixe de palha em pleno calor de verão.
5. Confessei a ti o meu pecado, não te encobri o meu delito. Eu disse: "Vou a Javé confessar a minha culpa!" E tu absolveste o meu delito, perdoaste o meu pecado.
6. Por isso, que todo fiel suplique a ti no tempo da angústia: se as águas caudalosas transbordarem, jamais o atingirão.
7. Tu és o meu refúgio, tu me libertas da angústia, e me envolves com cantos de libertação.
8. Vou instruir você, indicando o caminho a seguir. Com os olhos sobre você, eu serei o seu conselheiro.
9. Não seja como o cavalo ou o jumento, que não compreendem nem rédea nem freio: deve-se avançar para domá-los, sem que se aproximem de você.
10. Os injustos sofrem muitos tormentos, mas o amor envolve quem confia em Javé.
11. Alegrem-se em Javé, ó justos, e exultem. Gritem de alegria, todos os de coração reto.

[Salmos 33]
Salmos 33
(32)
O PROJETO DE DEUS SE REALIZARÁ
1. Exultem em Javé, ó justos! Aos retos convém o louvor.
2. Celebrem a Javé com cítara, toquem para ele a harpa de dez cordas.
3. Cantem para ele um cântico novo, toquem com arte na hora da ovação!
4. Pois a palavra de Javé é reta, e sua obra toda é verdade.
5. Ele ama a justiça e o direito, e o amor de Javé enche a terra.
6. O céu foi feito com a palavra de Javé, e seu exército com o sopro de sua boca.
7. Ele represa num dique as águas do mar, coloca os oceanos em reservatórios.
8. Que a terra inteira tema a Javé! Que o temam todos os habitantes do mundo!
9. Porque ele diz e a coisa acontece, ele ordena e ela se afirma.
10. Javé desfaz o plano das nações e frustra os projetos dos povos.
11. O plano de Javé permanece para sempre, os projetos do seu coração, de geração em geração.
12. Feliz a nação cujo Deus é Javé, o povo que ele escolheu como herança.
13. Do céu Javé contempla e vê todos os homens.
14. De sua morada ele observa todos os habitantes da terra:
15. ele formou o coração de cada um, e discerne todos os seus atos.
16. O rei não se salva pelo exército numeroso, o valente não se livra pela sua grande força.
17. Para salvar, o cavalo é ilusão, seu vigor todo não ajuda a escapar.
18. Javé cuida daqueles que o temem, daqueles que esperam por seu amor,
19. para livrar da morte a vida deles, e no tempo da fome fazê-los viver.
20. Quanto a nós, esperamos por Javé. Ele é o nosso auxílio e o nosso escudo.
21. Nele se alegra o nosso coração, no seu Nome santo confiamos.
22. Javé, esteja sobre nós o teu amor, como está em ti a nossa esperança.

[Salmos 34]
Salmos 34
(33)
JAVÉ SE ALIA AOS POBRES
1. De Davi. Quando se fingiu de louco diante de Abimelec, se fez perseguir por ele e foi embora.
2. Vou bendizer a Javé o tempo todo, seu louvor estará sempre em minha boca.
3. Eu me orgulho por causa de Javé: que os pobres ouçam e fiquem alegres.
4. Repitam comigo: Javé é grande! Juntos exaltemos o seu nome.
5. Consultei a Javé, ele me respondeu, e me livrou de todos os temores.
6. Olhem para ele e ficarão felizes, o rosto de vocês não ficará envergonhado.
7. Este pobre gritou, Javé ouviu, e o salvou de todos os apertos.
8. O anjo de Javé acampa ao redor dos que o temem, e os liberta.
9. Provem e vejam como Javé é bom: feliz o homem que nele se abriga.
10. Tema a Javé, povo consagrado a Javé, pois nada falta aos que o temem.
11. Os ricos empobrecem e passam fome, mas nada falta aos que buscam Javé.
12. Filhos, cheguem perto e me escutem: vou ensinar a vocês o temor de Javé.
13. Quem de vocês não deseja a vida? Quem não quer vida longa para prosperar?
14. Então guardem a língua de falar mal e os lábios de dizer mentiras.
15. Evitem o mal e pratiquem o bem, e sem descanso procurem a paz.
16. Javé cuida sempre dos justos, e ouve atentamente seus clamores.
17. Javé enfrenta os malfeitores e apaga da terra a lembrança deles.
18. Os justos gritam, Javé escuta, e os liberta de todos os apertos.
19. Javé está perto dos corações feridos, e salva os que estão desanimados.
20. O justo sofre muitas desgraças, mas de todas elas Javé o liberta;
21. Javé protege os ossos do justo: nenhum deles será quebrado.
22. O mal causa a morte do injusto; os que odeiam o justo serão condenados.
23. Javé resgata a vida de seus servos, e os que nele se abrigam não serão condenados.

[Salmos 35]
Salmos 35
(34)
DEUS RESTAURA A HONRA DO INOCENTE
1. De Davi. Javé, acusa meus acusadores, combate os que me combatem!
2. Toma a armadura e o escudo e levanta-te em meu socorro!
3. Maneja a espada e o machado contra os meus perseguidores! Dize à minha alma: "Eu sou a tua salvação!"
4. Fiquem envergonhados e arruinados os que buscam tirar-me a vida! Voltem-se para trás e sejam confundidos os que planejam o mal contra mim!
5. Sejam como palha frente ao vento, quando o anjo de Javé os empurrar!
6. Que o caminho deles seja escuro e deslizante, quando o anjo de Javé os perseguir!
7. Sem motivo estenderam a sua rede contra mim, e abriram para mim uma cova.
8. Caia sobre eles um desastre imprevisto! Sejam apanhados na rede que estenderam, caiam eles dentro da cova!
9. Minha alma exultará em Javé, e se alegrará com a sua salvação.
10. Todo o meu ser dirá: "Javé, quem é igual a ti para livrar o fraco do mais forte, e o pobre e indigente do seu explorador?"
11. Levantaram-se testemunhas falsas e me interrogaram sobre o que nem sei.
12. Pagaram o mal pelo bem e me deixaram desamparado.
13. Quanto a mim, quando eles estavam doentes, eu me vestia com pano de saco, me humilhava com jejum e por dentro repetia a minha oração.
14. Como por um amigo, um irmão, eu ia e vinha, cabisbaixo e triste, como de luto por minha mãe.
15. E quando eu tropecei, eles se alegraram, se reuniram contra mim, e me atacaram de surpresa. Dilaceravam-me sem parar,
16. cruelmente zombavam de mim, rangendo os dentes de ódio.
17. Javé, quando verás isso? Defende minha vida diante dos que rugem; defende desses leõezinhos o meu único bem.
18. Eu te agradecerei na grande assembléia, eu te louvarei entre a multidão do povo.
19. Que não se alegrem à minha custa meus inimigos traidores. Que não pisquem os olhos aqueles que me odeiam sem motivo!
20. Pois eles nunca falam de paz: contra os pacíficos da terra eles planejam calúnias.
21. Escancaram contra mim a sua boca, dizendo com desprezo: "Nós o vimos com nossos olhos!"
22. Viste isso, Javé! Não te cales! Javé, não fiques longe de mim!
23. Desperta! Levanta-te pelo meu direito, por minha causa, meu Senhor e meu Deus!
24. Julga-me segundo a tua justiça, Javé meu Deus. Que eles não se alegrem à minha custa!
25. Que não pensem: "Viva a nossa garganta!" Que não digam: "Nós o engolimos!"
26. Fiquem envergonhados e frustrados os que se alegram com a minha desgraça! Fiquem cobertos de vergonha e confusão os que se engrandecem à minha custa.
27. Cantem e fiquem alegres os que desejam a minha justiça, e repitam sempre: "Javé é grande! Ele deseja a paz para o seu servo!"
28. E a minha língua proclamará a tua justiça, e o dia todo o teu louvor!

[Salmos 36]
Salmos 36
(35)
DEUS É A FONTE DA VIDA
1. Do mestre de canto. Do servidor de Javé. De Davi.
2. O injusto ouve um oráculo pecaminoso dentro do seu coração: "Não tenho medo de Deus, nem da sua presença!"
3. Ele se enxerga com olho tão enganador que não descobre, nem detesta o seu pecado.
4. As palavras de sua boca são maldade e mentira, ele renunciou ao bom-senso de fazer o bem.
5. Em seu leito premedita a fraude, obstina-se no mau caminho e jamais reprova o mal.
6. Javé, o teu amor chega até o céu, e a tua verdade chega até às nuvens.
7. Tua justiça é como as altas montanhas, e teus julgamentos como o grande oceano.
8. Socorres a homens e animais. Ó Deus, como é precioso o teu amor! Os homens se abrigam à sombra das tuas asas.
9. Fartam-se com a gordura da tua casa, e tu os embriagas com um rio de delícias.
10. Pois em ti se encontra a fonte da vida e com a tua luz nós vemos a luz.
11. Conserva o teu amor pelos que te conhecem, e a tua justiça para os corações retos.
12. Que o pé do soberbo não me pise, e a mão dos injustos não me expulse.
13. Os malfeitores fracassaram, caíram, e já não podem levantar-se.

[Salmos 37]
Salmos 37
(36)
A ESPERANÇA DEPENDE DA PERSEVERANÇA
1. De Davi. Não se irrite por causa dos maus, nem tenha inveja dos injustos.
2. Eles são como erva: secam depressa, murcham logo como a relva.
3. Confie em Javé e pratique o bem, habite na terra e viva tranqüilo.
4. Coloque em Javé o seu prazer, e ele dará o que seu coração deseja.
5. Entregue seu caminho a Javé, nele confie, e ele agirá.
6. Ele manifestará a justiça de você como o amanhecer e seu direito como o meio-dia.
7. Descanse em Javé e nele espere, não se irrite com os que triunfam, com o homem que usa de intrigas.
8. Deixe a ira, abandone o furor, não se irrite: você só faria o mal.
9. Porque os maus vão ser excluídos, e os que esperam em Javé possuirão a terra.
10. Mais um pouco, e não haverá mais injusto; você buscará o lugar deles, e não existirá.
11. Mas os pobres vão possuir a terra e deleitar-se com paz abundante.
12. O injusto faz intrigas contra o justo, e contra ele range os dentes.
13. Mas o Senhor ri às custas do injusto, pois vê que o dia dele vem chegando.
14. Os injustos desembainham a espada e retesam o arco para matar o pobre e o indigente, para assassinar o homem reto;
15. mas a espada lhes atravessará o coração, e seus arcos se quebrarão.
16. Vale mais o pouco do justo que a riqueza de muitos injustos,
17. porque os braços do injusto serão quebrados, enquanto o apoio dos justos é Javé.
18. Javé conhece os dias dos íntegros, e a herança deles permanece para sempre;
19. não se envergonharão nos dias da seca, e nos dias da fome ficarão saciados.
20. Sim, os injustos vão perecer, os inimigos de Javé vão murchar como a beleza dos prados, vão desfazer-se como fumaça.
21. O injusto toma emprestado e não devolve, mas o justo se compadece e dá.
22. Os que ele abençoar possuirão a terra, e os que ele amaldiçoar serão excluídos.
23. Javé garante os passos do homem, e se compraz com o caminho dele.
24. Quando tropeça, não chega a cair, porque Javé o sustenta pela mão.
25. Fui jovem e já estou velho, mas nunca vi um justo abandonado, nem sua descendência mendigando pão.
26. O dia todo ele se compadece e empresta, e sua descendência é uma bênção.
27. Evite o mal e pratique o bem, e você terá uma casa para sempre,
28. porque Javé ama o direito e jamais abandona seus fiéis. Os malfeitores serão para sempre destruídos, e a descendência dos injustos será eliminada.
29. Os justos vão possuir a terra, e nela habitarão para sempre.
30. A boca do justo fala com sabedoria, e sua língua explica o direito,
31. pois ele tem no coração a lei do seu Deus, e seus passos nunca vacilam.
32. O injusto espreita o justo e procura levá-lo à morte.
33. Javé, porém, não o entrega nas mãos do injusto e no julgamento não deixa que o condene.
34. Espere em Javé e observe o seu caminho; ele exaltará você, para que possua a terra, e você verá os injustos eliminados.
35. Eu vi um injusto cheio de poder, que prosperava como cedro frondoso.
36. Voltei a passar, e não existia mais; procurei-o, e não foi encontrado.
37. Observe o íntegro, veja o homem direito: existe uma posteridade para o homem pacífico.
38. Mas os transgressores serão todos destruídos, e a descendência dos injustos será cortada.
39. A salvação dos justos vem de Javé, que é fortaleza para eles no tempo da angústia.
40. Javé os ajuda e liberta; vai livrá-los dos injustos e salvá-los, porque os justos nele se abrigam.

[Salmos 38]
Salmos 38
(37)
JAVÉ, NÃO ME ABANDONES
1. Salmo. De Davi. Para comemorar.
2. Javé, não me castigues com tua cólera, não me corrijas com teu furor.
3. Em mim se cravaram tuas flechas, sobre mim abateu-se a tua mão.
4. Por causa da tua ira, nada em meu corpo está intacto; nada está inteiro em meus ossos, por causa do meu pecado.
5. Minhas culpas ultrapassaram minha cabeça, e pesam sobre mim, como fardo pesado;
6. minhas chagas estão podres e supurando, por causa da minha insensatez.
7. Estou encurvado e encolhido, e ando entristecido o dia todo.
8. Meus rins ardem de febre, não há nada intacto em meu corpo.
9. Estou fraco e completamente esmagado. Meu coração rosna, eu solto rugidos.
10. Senhor, todo o meu desejo está à tua frente, e meu gemido não se esconde de ti.
11. Meu coração palpita, as forças me abandonam, e a luz dos meus olhos já não mora comigo.
12. Amigos e companheiros se afastam da minha praga, e meus vizinhos ficam à distância.
13. Os que atentam contra mim preparam armadilhas, os que procuram a minha ruína falam de crimes, o dia todo planejando traições.
14. E eu, como surdo, não escuto, fico mudo e não abro a boca.
15. Sou como alguém que não ouve, e que nada pode replicar.
16. É por ti, Javé, que eu espero! Senhor meu Deus, tu me responderás!
17. Eu peço: "Que não se alegrem à minha custa, não triunfem sobre mim quando eu tropeço!"
18. Sim, já estou a ponto de cair, minha dor está sempre à minha frente.
19. Sim, eu confesso a minha culpa, e me assusto com o meu pecado.
20. Meus inimigos mortais são poderosos, são muitos os que me odeiam sem motivo,
21. os que pagam o bem com o mal, e me acusam porque eu procuro o bem.
22. Javé, não me abandones! Meu Deus, não fiques longe de mim!
23. Vem socorrer-me depressa, meu Senhor, minha salvação!

[Salmos 39]
Salmos 39
(38)
O QUE POSSO ESPERAR?
1. Do mestre de canto. De Iditun. Salmo. De Davi.
2. Eu disse: "Vou vigiar a minha conduta, para não pecar com a língua; vou tapar com mordaça a minha boca, quando o injusto estiver presente".
3. Eu me calei, em silêncio. Segurei-me para não falar, e minha dor tornou-se intolerável.
4. Por dentro, o coração me queimava. Ao pensar nisso, o fogo se inflamava. Então soltei a minha língua.
5. "Mostra-me o meu fim, Javé, e qual é a medida dos meus dias, para eu saber o quanto sou frágil.
6. Olha: os dias que me deste são um palmo apenas, e a minha duração é um nada diante de ti. Sim, todo homem não passa de um vazio, todo homem é apenas aparência.
7. O homem vai e vem como sombra, e labuta por um nada: amontoa, e não sabe quem vai recolher".
8. E agora, Senhor, o que posso esperar? Em ti se encontra a minha esperança.
9. Livra-me de minhas transgressões todas, não me deixes como ultraje para o insensato!
10. Eu me calo e não abro a boca, pois quem vai agir és tu!
11. Afasta de mim a tua praga, pois eu sucumbo ao ataque da tua mão!
12. Castigando o erro, tu educas o homem, e como traça tu róis os tesouros dele. Os homens todos são apenas um sopro!
13. Javé, ouve a minha prece! Dá ouvido aos meus gritos! Não fiques surdo ao meu pranto: porque sou hóspede junto a ti, inquilino como os meus antepassados.
14. Afasta de mim o teu olhar, e deixa-me respirar! Antes que eu me vá, e já não exista mais!

[Salmos 40]
Salmos 40
(39)
ANUNCIAR A JUSTIÇA DE DEUS
1. Do mestre de canto. De Davi. Salmo.
2. Esperei ansiosamente por Javé. Ele se inclinou para mim, e ouviu o meu grito.
3. Fez-me subir da cova fatal, do brejo lodoso; colocou meus pés sobre a rocha e firmou os meus passos;
4. pôs em minha boca um cântico novo, um louvor ao nosso Deus. Vendo isso, muitos irão temer, e confiarão em Javé.
5. Feliz é o homem que confia em Javé! Ele não se volta para os soberbos, nem para os seguidores da mentira.
6. Quantas maravilhas realizaste, Javé meu Deus! Quantos projetos em nosso favor! Ninguém se compara a ti! Quero anunciá-los, falar deles, mas ultrapassam qualquer conta.
7. Não queres sacrifício, nem oferta, mas abriste os meus ouvidos. Tu não pedes holocausto pelo pecado.
8. Então eu digo: "Aqui estou" - como está escrito no livro
9. "para fazer a tua vontade". Meu Deus, eu quero ter a tua lei dentro de minhas entranhas.
10. Anunciei a tua justiça na grande assembléia, e não fechei os meus lábios: Javé, tu o sabes.
11. Não escondi tua justiça dentro do coração, falei da tua fidelidade e da tua salvação; não ocultei teu amor e tua verdade diante da grande assembléia.
12. Quanto a ti, Javé, não negues tua compaixão por mim; teu amor e tua verdade sempre irão me proteger.
13. Porque me rodeiam desgraças a não mais contar; minhas culpas me atingem, e não posso fugir; são mais que os cabelos da minha cabeça, e o meu coração me abandona.
14. Javé, vem libertar-me, por favor! Javé, vem depressa me socorrer!
15. Fiquem envergonhados e confundidos aqueles que buscam perder a minha vida! Recuem e fiquem envergonhados aqueles que tramam a minha desgraça!
16. Fiquem mudos de vergonha aqueles que se riem de mim!
17. Exultem e alegrem-se contigo, todos aqueles que te buscam! Os que amam a tua salvação repitam sempre: "Javé é grande!"
18. Quanto a mim, sou pobre e indigente, mas o Senhor cuida de mim. Tu és o meu auxílio e salvação. Meu Deus, não demores!

[Salmos 41]
Salmos 41
(40)
DEUS CUIDA DO ABANDONADO
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Feliz quem cuida do fraco e do indigente: Javé o salva no dia infeliz.
3. Javé o guarda e o mantém vivo, para que seja feliz na terra, e não o entrega à vontade dos seus inimigos.
4. Javé o sustenta no leito de dor, afofa a cama em que ele definha.
5. Eu dizia: "Javé, tem piedade de mim! Cura-me, porque eu pequei contra ti!"
6. Meus inimigos falam mal de mim: "Quando vai morrer e desaparecer o nome dele?"
7. Se alguém me visita, fala com fingimento, enche o coração de malícia e, ao sair, é disso que fala.
8. Os que me odeiam cochicham juntos contra mim, e, junto a mim, comentam a minha desgraça:
9. "Caiu sobre ele uma praga do inferno, está deitado e nunca mais vai se levantar!"
10. Até o meu amigo, em quem eu confiava e que comia do meu pão, é o primeiro a me trair.
11. Tu, porém, Javé, tem piedade de mim! Faze que eu possa levantar-me, e eu lhes darei o que eles merecem.
12. Nisto reconheço que tu me amas: se o inimigo não triunfar sobre mim.
13. Quanto a mim, tu me conservas íntegro, e me manténs para sempre em tua presença.
14. Seja bendito Javé, Deus de Israel, desde agora e para sempre! Amém! Amém!

[Salmos 42]
Salmos 42
(41)
SEDE DO DEUS VIVO
1. Do mestre de canto. Poema. Dos filhos de Coré.
2. Como a corça bramindo por águas correntes, assim minha alma está bramindo por ti, ó meu Deus!
3. Minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo: quando voltarei a ver a face de Deus?
4. As lágrimas são o meu pão, noite e dia, e todo dia me perguntam: "Onde está o seu Deus?"
5. Começo a recordar as coisas e minha alma em mim se derrama: quando eu passava, à frente do grupo, em direção à casa de Deus, em gritos de alegria e louvor, no barulho da festa.
6. Por que te curvas, ó minha alma, gemendo dentro de mim? Espera em Deus, eu ainda o louvarei: "Salvação da minha face e meu Deus!"
7. Minha alma se curva dentro de mim, e por isso eu me lembro de ti, desde a terra do Jordão e do Hermon, de ti, ó pequena montanha.
8. Grita um abismo a outro abismo com o fragor de tuas cascatas; tuas vagas todas e tuas ondas passaram sobre mim.
9. De dia Javé manda o seu amor, e durante a noite eu vou cantar uma prece ao Deus da minha vida.
10. Vou dizer a Deus: "Meu rochedo, por que te esqueces de mim? Por que devo andar pesaroso sob a opressão do inimigo?"
11. Esmigalhando-me os ossos, meus opressores me insultam, perguntando todo dia: "Onde está o seu Deus?"
12. [Salmos 43]Por que te curvas, ó minha alma, gemendo dentro de mim? Espera em Deus, eu ainda o louvarei: "Salvação da minha face e meu Deus!"

Salmos 43
(42)
ESPERANÇA DE JUSTIÇA
1. Julga-me, ó Deus, defende a minha causa contra uma nação sem piedade! Liberta-me do homem injusto e traidor!
2. Sim, tu és o meu Deus forte: por que me rejeitas? Por que devo andar pesaroso sob a opressão do inimigo?
3. Envia tua luz e tua verdade: elas me guiarão, e me levarão ao teu monte santo, para a tua moradia.
4. Eu irei até o altar de Deus, ao Deus que me alegra. Vou exultar e celebrar-te com a harpa, ó Deus, o meu Deus!
5. [Salmos 44]Por que te curvas, ó minha alma, gemendo dentro de mim? Espera em Deus, eu ainda o louvarei: "Salvação da minha face e meu Deus!"

Salmos 44
(43)
RESGATA-NOS POR TEU AMOR
1. Do mestre de canto. Dos filhos de Coré. Poema.
2. Ó Deus, nós ouvimos com nossos próprios ouvidos; nossos pais nos contaram a obra que realizaste em seus dias, nos dias de outrora.
3. Tu mesmo, com tua mão, expulsaste nações, para plantar nossos pais. Maltrataste povos, para fazer nossos pais crescer.
4. Não foi com espada que eles conquistaram a terra, nem foi o braço deles que lhes trouxe a vitória; e sim a tua direita e o teu braço, e a luz da tua face, porque os amavas.
5. Eras tu, ó meu Rei e meu Deus, que decidias a vitória de Jacó.
6. Contigo agredimos nossos opressores, por teu nome calcamos nossos agressores.
7. Não era no meu arco que eu confiava, nem era a minha espada que me trazia a vitória.
8. Eras tu que nos salvavas de nossos opressores, e envergonhavas aqueles que nos odiavam.
9. Em Deus nos orgulhávamos o dia todo, celebrando o teu nome para sempre.
10. Agora, porém, nos rejeitas e envergonhas, e já não acompanhas nossos exércitos.
11. Tu nos fazes recuar frente ao opressor, e nossos adversários nos saqueiam à vontade.
12. Tu nos entregas como ovelhas de corte, tu nos dispersaste entre as nações.
13. Vendes o teu povo por um nada, e nada lucras com o preço dele.
14. Fazes de nós o ultraje de nossos vizinhos, divertimento e zombaria para aqueles que nos cercam.
15. Fazes de nós o provérbio das nações, meneio de cabeça por entre os povos.
16. Minha desonra está o dia todo à minha frente, e a vergonha cobre o meu rosto,
17. com os gritos de ultraje e de blasfêmia na presença do inimigo e vingador.
18. Tudo isso nos aconteceu, e nem assim te esquecemos, nem traímos a tua aliança.
19. Nosso coração não voltou para trás, nossos passos não se desviaram do teu caminho.
20. E tu nos esmagaste onde vivem os chacais, e nos cobriste com a sombra da morte.
21. Se tivéssemos esquecido o nome do nosso Deus, e estendido as mãos a um deus estrangeiro,
22. será que Deus não o teria sondado, ele que conhece os segredos do coração?
23. É por tua causa que nos matam todos os dias, e nos tratam como ovelhas de corte.
24. Desperta, Senhor! Por que dormes? Acorda! Não nos rejeites mais!
25. Por que escondes a tua face, esquecendo nossa opressão e miséria?
26. Nossa garganta se afoga no pó, nosso ventre está grudado no chão!
27. Levanta-te! Vem socorrer-nos! Resgata-nos, por teu amor!

[Salmos 45]
Salmos 45
(44)
DEFENDER A VERDADE E A JUSTIÇA
1. Do mestre de canto. Sobre a ária: "Os lírios..." Dos filhos de Coré. Poema. Canto de amor.
2. Meu coração transborda em belo poema. Eu dedico a minha obra a um rei. Minha língua é ágil pena de escritor.
3. Você é o mais belo dos homens e a graça escorre de seus lábios, porque Deus o abençoa para sempre.
4. Prenda a sua espada junto à coxa, ó valente, com majestade e esplendor.
5. Cavalgue vitorioso, pela causa da verdade, da pobreza e da justiça. Que sua direita lhe ensine a fazer proezas.
6. Suas flechas são agudas, os povos se rendem a você, e os inimigos do rei perdem a coragem.
7. Seu trono é de Deus, e permanece para sempre! O cetro do seu reino é cetro de retidão!
8. Você ama a justiça e odeia a injustiça: por isso o Senhor seu Deus o ungiu com perfume de festa, entre todos os seus companheiros.
9. Mirra e aloés perfumam as suas vestes, e o som das cordas o alegra nos palácios de marfim.
10. Filhas de reis saem ao seu encontro. De pé, à sua direita, está a rainha, ornada com ouro de Ofir.
11. Ouça, filha, veja e incline o seu ouvido: esqueça o seu povo e a casa de seu pai,
12. pois o rei se apaixonou por sua beleza. Prostre-se na frente dele, pois é o seu senhor!
13. A cidade de Tiro vem com seus presentes, os povos mais ricos buscam o favor dele.
14. Entra agora a princesa, belíssima, vestida com pérolas e brocados.
15. Eles a levam perante o rei, com séquito de virgens, e suas companheiras a seguem.
16. Com júbilo e alegria a conduzem, e elas entram no palácio real.
17. "Em lugar dos seus pais, virão seus filhos, e você os nomeará príncipes sobre toda a terra".
18. Vou comemorar o nome dele de geração em geração, e os povos o louvarão, para sempre e eternamente.

[Salmos 46]
Salmos 46
(45)
DEUS ESTÁ CONOSCO
1. Do mestre de canto. Dos filhos de Coré. Com oboé. Cântico.
2. Deus é nosso refúgio e nossa força, defensor sempre alerta nos perigos.
3. Por isso não tememos se a terra vacila, se as montanhas se abalam no seio do mar;
4. se as águas do mar estrondam e fervem, e por sua fúria estremecem os montes.

Javé dos Exércitos está conosco, nossa fortaleza é o Deus de Jacó!
5. O correr das águas alegra a cidade de Deus, o Altíssimo consagra a sua moradia.
6. Deus está em seu meio: ela é inabalável. Deus a socorre ao romper da manhã.
7. Povos estrondam, reinos se abalam, mas ele ergue sua voz, e a terra estremece.
8. Javé dos Exércitos está conosco, nossa fortaleza é o Deus de Jacó!
9. Venham ver os atos de Javé, os assombros que ele fez na terra:
10. acaba com as guerras até os confins do mundo, quebra os arcos, despedaça as lanças, e ateia fogo nos carros.
11. "Rendei-vos e reconhecei: Eu sou Deus, mais alto que os povos, mais alto que a terra!"
12. [Salmos 47]Javé dos Exércitos está conosco, nossa fortaleza é o Deus de Jacó!

Salmos 47
(46)
DEUS REINA SOBRE AS NAÇÕES
1. Do mestre de canto. Dos filhos de Coré. Salmo.
2. Povos todos, batam palmas, aclamem a Deus com gritos de alegria!
3. Porque Javé Altíssimo é terrível, é o grande rei sobre toda a terra.
4. Ele submete as nações ao nosso poder, e coloca os povos debaixo de nossos pés.
5. Escolheu para nós uma herança, o orgulho de Jacó, seu amado.
6. Deus sobe por entre ovações, Javé, ao toque da trombeta.
7. Toquem para o nosso Deus, toquem! Toquem para o nosso Rei, toquem!
8. Porque Deus é o rei de toda a terra: toquem com maestria!
9. Deus reina sobre as nações, Deus se assenta em seu trono sagrado.
10. Os príncipes dos povos se aliam com o povo do Deus de Abraão, porque os grandes da terra pertencem a Deus, e ele subiu ao lugar mais alto.

[Salmos 48]
Salmos 48
(47)
O DEUS VIVO É O NOSSO ALIADO
1. Cântico. Salmo. Dos filhos de Coré.
2. Javé é grande e muito louvável na cidade do nosso Deus.
3. Seu monte santo, belo em altura, alegria de toda a terra: o monte Sião, vértice do céu, cidade do grande rei.
4. Entre seus palácios, Deus se mostrou como fortaleza.
5. Vejam: os reis se aliaram para juntos atacá-la.
6. Ao vê-la, porém, ficaram aterrados, e, apavorados, fugiram depressa;
7. Então apossou-se deles um tremor como dores de parto,
8. como vento do deserto, que destroça os navios de Társis.
9. Conforme ouvimos, assim também vimos na cidade de Javé dos Exércitos, na cidade do nosso Deus: Deus a estabeleceu para sempre!
10. Ó Deus, nós meditamos o teu amor no meio do teu templo.
11. Como o teu nome, ó Deus, também o teu louvor atinge os limites da terra. Tua direita está cheia de justiça:
12. o monte Sião se alegra e as cidades de Judá exultam, por causa dos teus julgamentos.
13. Rodeiem e percorram Sião, contando as torres dela.
14. Admirem suas muralhas e observem seus palácios, para contar à geração futura:
15. "Este Deus é o nosso Deus". Ele nos conduzirá por todo o sempre.

[Salmos 49]
Salmos 49
(48)
A VIDA É DOM, E NÃO MERCADORIA
1. Do mestre de canto. Dos filhos de Coré. Salmo.
2. Escutem isto, povos todos; prestem atenção, habitantes do mundo,
3. plebeus e nobres, ricos e pobres:
4. Minha boca falará com sabedoria, e minhas reflexões serão inteligentes.
5. Vou abrir meu ouvido a um provérbio, ao som da lira proporei o meu enigma.
6. Por que vou temer os dias maus, quando os maus me cercam e espreitam,
7. eles que confiam na sua fortuna e se gloriam da sua riqueza imensa?
8. O homem não pode comprar seu próprio resgate, nem pagar a Deus o preço de si mesmo.
9. É tão caro o resgate da vida, que nunca bastará
10. para ele viver perpetuamente, sem nunca ver a cova.
11. Vejam: os sábios morrem, perecem junto com o imbecil e o insensato, deixando sua fortuna para outros.
12. O túmulo é sua morada perpétua e sua casa, de geração em geração, embora tenham dado o seu nome às terras!
13. O homem não permanece com seu esplendor, é como animal que perece.
14. Esse é o caminho dos que confiam em si, o destino dos homens satisfeitos.
15. São como rebanho destinado ao túmulo: a morte é o seu pastor, vão direto para a sepultura; sua figura se desvanece, e o túmulo é a sua moradia.
16. Quanto a mim, Deus resgata a minha vida, tira-me das garras da morte, e me toma consigo.
17. Você, não se preocupe quando alguém enriquece, quando o luxo da casa dele se multiplica.
18. Quando ele morrer, nada levará, e seu luxo não descerá com ele.
19. Enquanto vivia, ele mesmo se felicitava: "Todos o aplaudem, pois tudo vai bem para você!"
20. Ele vai juntar-se aos antepassados, que nunca mais verão a luz.
21. O homem rico sem inteligência é como animal que perece!

[Salmos 50]
Salmos 50
(49)
DEUS NÃO É CÚMPLICE DA INJUSTIÇA
1. Salmo. De Asaf. Javé, o Deus dos deuses, fala, convocando a terra, do nascente ao poente.
2. De Sião, a formosa, Deus resplandece:
3. o nosso Deus vem, e não vai se calar. À sua frente, vem um fogo devorador, e, ao seu redor, tempestade violenta.
4. Do alto ele convoca céu e terra para julgar o seu povo:
5. "Reúnam junto a mim os meus fiéis, que selaram minha aliança com sacrifício!"
6. Que o céu proclame a sua justiça, pois o próprio Deus vai julgar.
7. "Ouça, meu povo, que eu vou falar a você, Israel, eu vou testemunhar contra você. Eu sou Deus, o seu Deus!
8. Não acuso você pelos seus sacrifícios, porque seus holocaustos estão sempre diante de mim.
9. Porém, não vou tomar nenhum novilho de sua casa, e nem mesmo um cabrito de seus currais;
10. pois são minhas todas as feras da selva, e os animais das montanhas, aos milhares.
11. Conheço todos os pássaros do céu, e o rebanho dos campos me pertence.
12. Se eu tivesse fome, não diria a você, pois o mundo é meu, e tudo o que nele existe.
13. Por acaso eu comeria carne de touros, ou beberia sangue de cabritos?
14. Ofereça a Deus um sacrifício de confissão, e cumpra os seus votos ao Altíssimo.
15. Invoque-me no dia da angústia: eu o livrarei, e você me glorificará".
16. Ao injusto, porém, Deus declara: "De que adianta você recitar meus preceitos e ter sempre na boca a minha aliança,
17. se você detesta a disciplina e rejeita as minhas palavras?
18. Se você vê um ladrão, você o acompanha e se mistura com os adúlteros.
19. Você solta sua boca para o mal, e seus lábios tramam a fraude.
20. Você se assenta para falar contra o seu irmão, e desonra o filho de sua mãe.
21. Você se comporta assim, e eu devo me calar? Você imagina que eu seja como você? Eu o acuso e coloco tudo diante dos seus olhos!"
22. Considerem isso, vocês que se esquecem de Deus. Senão, eu vou dilacerar vocês, e ninguém os libertará!
23. Quem me oferece um sacrifício de confissão me glorifica; e a quem segue o bom caminho, eu mostrarei a salvação de Deus.

[Salmos 51]
Salmos 51
(50)
DO MUNDO DO PECADO PARA O REINO DA GRAÇA
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Quando o profeta Natã foi encontrá-lo, após ele ter estado com Betsabéia.
3. Tem piedade de mim, ó Deus, por teu amor! Por tua grande compaixão, apaga a minha culpa!
4. Lava-me da minha injustiça e purifica-me do meu pecado!
5. Porque eu reconheço a minha culpa, e o meu pecado está sempre na minha frente;
6. pequei contra ti, somente contra ti, praticando o que é mau aos teus olhos. Tu és justo, portanto, ao falar, e, no julgamento, serás o inocente.
7. Eis que eu nasci na culpa, e minha mãe já me concebeu pecador.
8. Tu amas o coração sincero, e, no íntimo, me ensinas a sabedoria.
9. Purifica-me com o hissopo, e eu ficarei puro. Lava-me, e eu ficarei mais branco do que a neve.
10. Faze-me ouvir o júbilo e a alegria, e que se alegrem os ossos que esmagaste.
11. Esconde dos meus pecados a tua face, e apaga toda a minha culpa.
12. Ó Deus, cria em mim um coração puro, e renova no meu peito um espírito firme.
13. Não me rejeites para longe da tua face, não retires de mim teu santo espírito.
14. Devolve-me o júbilo da tua salvação, e que um espírito generoso me sustente.
15. Vou ensinar teus caminhos aos culpados, e os pecadores voltarão para ti.
16. Livra-me do sangue, ó Deus, ó Deus, meu salvador! E a minha língua cantará a tua justiça.
17. Senhor, abre os meus lábios, e minha boca anunciará o teu louvor.
18. Pois tu não queres sacrifício, e nenhum holocausto te agrada.
19. Meu sacrifício é um espírito contrito. Um coração contrito e esmagado tu não o desprezas.
20. Favorece a Sião, por tua bondade, reconstrói as muralhas de Jerusalém.
21. Então aceitarás os sacrifícios rituais, ofertas totais e holocaustos, e no teu altar se imolarão novilhos.

[Salmos 52]
Salmos 52
(51)
JULGAMENTO DO INJUSTO
1. Do mestre de canto. Poema. De Davi.
2. Quando Doeg, o edomita, foi advertir a Saul, dizendo: "Davi entrou na casa de Abimelec".
3. Por que você se gloria com o mal e se gaba contra o fiel?
4. Você está o dia todo planejando ciladas; sua língua é navalha afiada, autora de fraudes.
5. Você prefere o mal, e não o bem, a mentira, e não a franqueza.
6. Você gosta de palavras corrosivas, ó língua fraudulenta.
7. Por isso Deus destruirá você para sempre, o abaterá e o varrerá da sua tenda; arrancará suas raízes do solo fértil.
8. Os justos verão isso e temerão, e rirão à custa dele, dizendo:
9. "Eis o homem que não colocou Deus como sua fortaleza. Confiou em sua grande riqueza e se fortaleceu com ciladas!"
10. Quanto a mim, como oliveira verdejante na casa de Deus, é no amor de Deus que eu confio, para sempre e eternamente.
11. Vou celebrar-te para sempre, porque agiste; e diante dos teus fiéis vou proclamar teu nome, porque ele é bom.

[Salmos 53]
Salmos 53
(52)
DEUS REJEITA O OPRESSOR
1. Do mestre de canto. Para a doença. Poema. De Davi.
2. Diz o insensato no seu coração: "Deus não existe!" Corromperam-se, praticando abominações: não há um só que pratique o bem.
3. Do céu Deus se inclina sobre os filhos de Adão, para ver se existe alguém sensato, alguém que busque a Deus.
4. Todos se desviaram e ficaram obstinados: não há quem faça o bem, não há nem um sequer.
5. Será que os malfeitores não percebem, eles que devoram o meu povo, como se comessem pão, e não invocam a Deus?
6. Eles vão tremer de medo, porque Deus espalha os ossos do agressor, e ficarão envergonhados porque Deus os rejeita.
7. Oxalá venha de Sião a salvação para Israel! Quando Javé mudar a sorte do seu povo, Jacó exultará e Israel se alegrará.

[Salmos 54]
Salmos 54
(53)
DEUS É FIEL AOS OPRIMIDOS
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Poema. De Davi.
2. Quando os zifeus foram dizer a Saul: "Davi está escondido entre nós".
3. Salva-me, ó Deus, por teu nome! Pelo teu poder, faze justiça para mim!
4. Ouve, ó Deus, a minha prece, dá ouvido às palavras da minha boca!
5. Os soberbos se levantam contra mim, e os violentos perseguem a minha vida: eles não colocam Deus à sua frente.
6. Porém, Deus é o meu socorro, o Senhor é quem sustenta a minha vida.
7. Caia o mal sobre aqueles que me espreitam! Aniquila-os, Javé, por tua fidelidade!
8. Eu te oferecerei um sacrifício espontâneo, e agradecerei o teu nome, porque ele é bom;
9. porque me livrou das angústias todas, e eu contemplei a derrota dos meus inimigos.

[Salmos 55]
Salmos 55
(54)
FUGIR, OU RECORRER A DEUS?
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Poema. De Davi.
2. Dá ouvido à minha prece, ó Deus, não te furtes à minha súplica!
3. Presta atenção e responde-me, porque as ansiedades me agitam!
4. Estremeço ante a voz do inimigo, diante dos gritos do injusto. Eles fazem recair sobre mim calamidades, e me acusam com raiva.
5. Meu coração se contorce dentro de mim, e sobre mim caem terrores mortais;
6. medo e tremor me invadem, e um calafrio me envolve.
7. Então eu penso: "Quem me dera ter asas de pomba para eu sair voando e pousar...
8. Sim, eu fugiria para longe e pernoitaria no deserto.
9. Encontraria logo um refúgio contra o vento da calúnia,
10. contra o furacão que devora, Senhor, contra a torrente da língua deles". Vejo violência e discórdia na cidade:
11. dia e noite elas rondam por cima de suas muralhas. Dentro dela há crime e injustiça.
12. Dentro dela há calamidades, e a opressão e a fraude nunca se afastam de sua praça.
13. Se um inimigo me insultasse, eu poderia suportar; se meu adversário se erguesse contra mim, eu me esconderia dele.
14. Mas é você, homem igual a mim, meu amigo, meu confidente,
15. a quem me unia uma doce intimidade; andávamos juntos, em meio ao barulho, na casa de Deus.
16. Caia sobre eles a morte, desçam vivos ao túmulo, pois o mal se aninha entre eles!
17. Eu, porém, invoco a Deus, e Javé me salva.
18. De tarde, pela manhã e ao meio-dia eu me queixo, gemendo. E Deus ouve o meu grito.
19. Na paz ele resgata a minha vida da guerra que me fazem, pois são muitos contra mim.
20. Deus me ouve e os humilha, ele que reina desde sempre. Porque não querem emendar-se, nem temem a Deus.
21. Levantam as mãos contra seus próprios aliados, violando a aliança que fizeram.
22. Sua boca é mais lisa que o creme, mas a guerra está no seu coração. Suas palavras parecem suaves como óleo, porém são espadas desembainhadas.
23. Descarregue seu fardo em Javé, e ele cuidará de você. Ele jamais permitirá que o justo venha a tropeçar.
24. E tu, ó Deus, tu os farás descer ao fundo do poço! Esses homens sanguinários e impostores não chegarão à metade dos seus dias! Quanto a mim, eu confio em ti!

[Salmos 56]
Salmos 56
(55)
DEUS SOCORRE O PERSEGUIDO
1. Do mestre de canto. Sobre: "A opressão dos príncipes longínquos". De Davi. À meia-voz. Quando os filisteus o prenderam em Gat.
2. Tem piedade de mim, ó Deus, porque me atormentam, o dia todo me atacam e me perseguem;
3. o dia todo me espreitam e atormentam, são muitos os que do alto me combatem.
4. Levanta-me no dia terrível, pois eu confio em ti.
5. Em Deus, cuja promessa eu louvo, nesse Deus eu confio, e não temerei! O que pode um mortal fazer contra mim?
6. Todos os dias eles discutem e planejam, maquinando o mal contra mim;
7. eles se reúnem, se escondem e observam meus passos, espreitando com avidez a minha vida.
8. Rejeita-os, por causa da injustiça deles! Ó Deus, derruba com tua ira os povos!
9. Anota em teu livro a minha vida errante, recolhe minhas lágrimas em teu odre!
10. Meus inimigos recuarão quando eu te invocar, e assim eu saberei que tu és o meu Deus.
11. Em Deus, cuja promessa eu louvo, em Javé, cuja promessa eu louvo,
12. nesse Deus eu confio, e não temerei! O que pode um homem fazer contra mim?
13. Eu mantenho os votos que fiz a ti ó Deus, eu os cumprirei com ação de graças,
14. porque livraste da morte a minha vida, e meus pés de uma queda, para que eu ande na presença de Deus, na luz dos vivos.

[Salmos 57]
Salmos 57
(56)
A GLÓRIA DE DEUS É FAZER JUSTIÇA
1. Do mestre de canto. "Não destruas". De Davi. À meia-voz. Quando ele fugia de Saul na caverna.
2. Piedade, ó Deus, tem piedade de mim, pois eu me abrigo em ti; eu me abrigo à sombra de tuas asas, até que passe a desgraça.
3. Eu clamo ao Deus Altíssimo, ao Deus que faz tudo por mim.
4. Do céu ele me enviará a salvação, confundindo os que me atormentam! Deus enviará seu amor e sua fidelidade!
5. Estou deitado no meio de leões que devoram os homens; seus dentes são lanças e flechas, sua língua é espada afiada.
6. Eleva-te sobre o céu, ó Deus, e tua glória domine a terra inteira!
7. Eles armaram uma rede para meus pés, e eu baixei a cabeça; cavaram na minha frente um buraco, e foram eles que nele caíram.
8. Meu coração está firme, ó Deus, meu coração está firme. Vou cantar e tocar!
9. Desperta, glória minha! Despertem, cítara e harpa, que eu vou despertar a aurora!
10. Vou louvar-te entre os povos, Senhor, vou tocar para ti em meio às nações,
11. pois o teu amor é maior do que o céu, e a tua fidelidade alcança as nuvens.
12. [Salmos 58]Eleva-te sobre o céu, ó Deus, e tua glória domine a terra inteira!

Salmos 58
(57)
A MAIOR ALEGRIA DOS JUSTOS
1. Do mestre de canto. "Não destruas". De Davi. À meia-voz.
2. Poderosos, é verdade que vocês dão sentenças justas? Será que vocês julgam os homens com retidão?
3. Ao contrário! No coração, vocês planejam a injustiça, e, na terra, sua mão inclina a balança em favor do violento.
4. Desde o seio materno os injustos se extraviam, desde o ventre já falam mentiras.
5. Eles têm veneno como veneno de serpente, são como víbora surda, que tapa os ouvidos
6. para não ouvir a voz dos encantadores, do mais hábil em praticar encantamentos.
7. Ó Deus, quebra-lhes os dentes na boca! Javé arranca as presas desses leõezinhos!
8. Que se diluam como água escorrendo, que murchem como a erva pisada,
9. sejam como lesma, que se derrete ao caminhar, como aborto, que não chega a ver o sol!
10. Antes que brotem, como espinhos no espinheiro, verdes ou secos, que o furacão os carregue!
11. Que o justo se alegre ao ver a vingança, e lave seus pés no sangue do injusto.
12. E os homens comentem: "Sim! Existe um fruto para o justo, porque existe um Deus que faz justiça sobre a terra!"

[Salmos 59]
Salmos 59
(58)
DEUS RI DOS INJUSTOS
1. Do mestre de canto. "Não destruas". De Davi. À meia-voz. Quando Saul mandou vigiar sua casa, para o matar.
2. Meu Deus, livra-me dos meus inimigos, protege-me dos meus agressores.
3. Livra-me dos malfeitores, salva-me dos homens sangüinários!
4. Pois eles espreitam minha vida, os poderosos se reúnem contra mim. Sem que eu tenha pecado ou faltado, Javé,
5. sem eu ter culpa, eles avançam para me atacar. Desperta! Vem ao meu encontro e olha!
6. Tu, Javé, Deus dos Exércitos, Deus de Israel! Levanta-te e castiga as nações todas, não tenhas piedade desses traidores!
7. Eles voltam pela tarde, latindo como cães, e rondam pela cidade.
8. Olha: eles alardeiam com sua boca, há espadas em seus lábios: "Alguém está ouvindo?"
9. E tu, Javé, tu ris à custa deles, e te divertes com todas as nações!
10. Ó força minha, eu olho para ti! Pois tu, ó Deus, tu és a minha fortaleza.
11. Que o teu amor vá na frente, ó Deus, e me faça ver a derrota dos que me espreitam.
12. Não os mates agora, para que o meu povo não se esqueça. Torna-os errantes e derruba-os, com teu poder, ó Senhor, nosso escudo!
13. Cada palavra de seus lábios é um pecado de sua boca. Fiquem presos no seu orgulho, na mentira e maldição que proferem.
14. Que a tua cólera os destrua, os destrua e não existam mais, para que se saiba que Deus governa, desde Jacó até os confins da terra.
15. Eles voltam pela tarde, latindo como cães, e rondam pela cidade.
16. Aí estão eles, caçando para comer, e, enquanto não se fartam, ficam rosnando.
17. Quanto a mim, vou cantar em louvor à tua força, vou aclamar teu amor pela manhã, porque tu foste a minha fortaleza, um refúgio no dia da angústia.
18. Ó força minha, vou tocar para ti, porque tu foste, ó Deus, a minha fortaleza!

[Salmos 60]
Salmos 60
(59)
COM DEUS FAREMOS PROEZAS
1. Do mestre de canto. Sobre: "O lírio é o preceito". À meia-voz. De Davi. Para ensinar.
2. Quando ele lutou contra os arameus da Mesopotâmia e os arameus de Soba, e quando Joab voltou e derrotou Edom, cerca de doze mil homens, no Vale do Sal.
3. Ó Deus, tu nos rejeitaste e dispersaste. Estavas irritado. Restaura-nos!
4. Fizeste a terra tremer e a fendeste. Repara suas fendas, pois ela vacila!
5. Mostraste duras coisas ao teu povo, e nos fizeste beber um vinho estonteante.
6. Deste aos teus fiéis o sinal de retirada, para que fugissem diante dos arcos.
7. Para que teus amados sejam libertos, a tua mão salvadora responda para nós!
8. Deus falou em seu santuário: "Triunfante ocuparei Siquém, e repartirei o vale de Sucot.
9. Meu é Galaad, meu é Manassés, Efraim é o elmo da minha cabeça, Judá, o meu cetro de comando.
10. Moab é a bacia onde me lavo. Sobre Edom atiro a minha sandália, e sobre a Filistéia canto vitória".
11. Quem me levará a uma cidade-forte, quem me conduzirá até Edom,
12. se tu, ó Deus, nos rejeitaste, e já não acompanhas nossas tropas?
13. Concede-nos socorro na opressão, pois o auxílio humano é inútil!
14. Com Deus nós faremos proezas! Ele vai pisar os nossos opressores!

[Salmos 61]
Salmos 61
(60)
Ó DEUS, OUVE O MEU GRITO
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. De Davi.
2. Ó Deus, ouve o meu grito, atende à minha prece!
3. Desde os confins da terra eu te invoco de coração abatido. Eleva-me sobre a rocha! Conduze-me!
4. Porque tu és o meu refúgio, minha torre forte diante do inimigo.
5. Vou habitar para sempre na tua tenda, vou abrigar-me no amparo de tuas asas.
6. Porque tu, ó Deus, ouvirás os meus votos, e me darás a herança dos que temem o teu nome.
7. Acrescenta dias aos dias do rei, que seus anos alcancem várias gerações.
8. Que ele reine para sempre na presença de Deus, e o teu amor e fidelidade o protejam.
9. Então eu tocarei ao teu nome sem cessar, dia a dia cumprindo meus votos.

[Salmos 62]
Salmos 62
(61)
DEUS É PODER E AMOR
1. Do mestre de canto... Iditun. Salmo. De Davi.
2. Só em Deus a minha alma repousa, porque dele vem a minha salvação.
3. Só ele é a minha rocha e a minha salvação, a minha fortaleza: jamais serei abalado!
4. Até quando vocês avançarão contra um homem, todos juntos, para derrubá-lo, como se fosse parede inclinada, ou muro que está para cair?
5. Eles só pensam em me derrubar da minha posição, e sentem prazer em mentir: com a boca eles elogiam, mas por dentro amaldiçoam.
6. Só em Deus, ó minha alma, repouse, porque dele vem a minha esperança.
7. Só ele é a minha rocha e a minha salvação, a minha fortaleza: jamais serei abalado!
8. De Deus depende a minha salvação e minha fama, Deus é o meu forte rochedo. Deus é o meu refúgio.
9. Povo de Deus, confie nele em qualquer situação, desafogue o coração na presença dele, porque Deus é o nosso refúgio.
10. Somente um sopro são os homens comuns e apenas mentira os homens importantes: se subissem no prato da balança, juntos seriam menos que um sopro.
11. Não confiem na opressão, nem se iludam com o roubo. Se a riqueza de vocês aumenta, não depositem nela o coração!
12. Deus falou uma vez, e duas vezes eu escutei: "A Deus pertence o poder,
13. e a ti, Senhor, pertence o amor, porque tu pagas a cada um conforme as suas obras".

[Salmos 63]
Salmos 63
(62)
O AMOR DE DEUS DÁ SENTIDO À VIDA
1. Salmo. De Davi. Quando estava no deserto de Judá.
2. Ó Deus, tu és o meu Deus, por ti madrugo. Minha alma tem sede de ti, minha carne te deseja com ardor, como terra seca, esgotada e sem água.
3. Sim, eu te contemplava no santuário, vendo o teu poder e a tua glória.
4. Teu amor vale mais do que a vida: meus lábios te louvarão.
5. Vou bendizer-te por toda a minha vida, e ao teu nome levantar as minhas mãos.
6. Vou saciar-me como de óleo e gordura, e, com sorrisos, minha boca te louvará.
7. Quando eu me lembro de ti, no meu leito, passo vigílias meditando em ti,
8. pois tu foste um socorro para mim, e, à sombra de tuas asas, eu grito de alegria.
9. Minha alma está ligada a ti, e tua direita me sustenta.
10. Quanto aos que me querem destruir, irão todos para as profundezas da terra.
11. Serão entregues à espada, e vão tornar-se pasto de chacais.
12. O rei, porém, se alegrará com Deus, os que juram por seu nome se felicitarão, quando a boca dos mentirosos for tapada.

[Salmos 64]
Salmos 64
(63)
DEUS CASTIGARÁ OS OPRESSORES
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Ouve, ó Deus, a voz do meu lamento! Protege minha vida do terrível inimigo,
3. esconde-me da conspiração dos maus e do motim dos malfeitores.
4. Eles afiam sua língua como espada, e atiram, como flecha, a palavra venenosa,
5. para ferir o inocente às escondidas, para feri-lo de surpresa e sem risco.
6. Eles se fortalecem com seu projeto maligno, calculam como esconder armadilhas, pensando: "Quem vai descobrir?"
7. Inventam crimes e ocultam seus inventos, porque sua mente e coração não têm fundo.
8. Deus, porém, atira flechas contra eles, e ficam feridos de surpresa;
9. sua própria língua os leva à ruína, e quem os vê balança a cabeça.
10. Então todo homem se atemoriza, proclama o ato de Deus, e medita em suas obras.
11. O justo se alegra com Javé e nele se abriga. E os retos de coração se felicitam.

[Salmos 65]
Salmos 65
(64)
O DEUS VERDADEIRO É ASSIM
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi. Cântico.
2. Ó Deus, tu mereces um hino em Sião. Nós viemos aqui pagar as promessas,
3. porque tu ouves as súplicas. Todas as pessoas vêm a ti
4. por causa de seus pecados. Nossas faltas nos esmagam, mas tu perdoas nossas culpas.
5. Feliz quem tu escolhes e aproximas de ti para morar no teu Templo; nós estamos saciados com os bens da tua casa, com os dons sagrados do teu Templo.
6. Com prodígios de justiça respondes para nós, ó Deus, salvador nosso. Tu és a esperança dos confins da terra e dos mares distantes;
7. tu firmas as montanhas com tua força, repleto de poder.
8. Acalmas o estrondo do mar, o ribombar de suas ondas, e o tumulto das nações.
9. Os habitantes de terras longínquas temem diante dos teus sinais. Tu fazes gritar de alegria as portas da aurora e do poente.
10. Cuidas da terra e a regas, e sem medida a enriqueces. O riacho de Deus está cheio d'água, e preparas assim os trigais:
11. regando os sulcos, aplainando os terrões, amolecendo com chuviscos a terra, abençoando seus brotos.
12. Coroas o ano com teus bens, e tuas trilhas gotejam fartura.
13. As pastagens do deserto gotejam, e as colinas se enfeitam de alegria.
14. Os campos se cobrem de rebanhos e os vales se vestem de espigas; dão gritos de alegria e cantam.

[Salmos 66]
Salmos 66
(65)
VEJAM AS OBRAS DE DEUS!
1. Do mestre de canto. Cântico. Salmo. Aclame a Deus, ó terra inteira,
2. toque em honra do seu nome, cante hinos à sua glória.
3. Digam a Deus: "Como são terríveis as tuas obras! Por teu imenso poder, teus inimigos te adulam".
4. Que a terra toda se prostre na tua presença! Toquem em tua honra, toquem para o teu nome.
5. Venham ver as obras de Deus, seus atos terríveis em favor dos homens:
6. ele transformou o mar em terra firme, e atravessaram o rio a pé enxuto. Exultemos de alegria com Deus,
7. que governa com seu poder para sempre. Seus olhos vigiam as nações, para que os rebeldes não se revoltem.
8. Povos, bendigam o nosso Deus, façam ressoar o seu louvor.
9. É ele quem nos mantém vivos, e não deixa nossos pés tropeçar.
10. Sim, ó Deus, tu nos provaste, e nos refinaste como refinam a prata.
11. Tu nos fizeste cair na rede, puseste um peso sobre nossos ombros:
12. deixaste um mortal cavalgar nosso pescoço. Nós passamos pelo fogo e pela água, mas tu nos fizeste retomar fôlego.
13. Eu entro em tua casa com holocaustos, cumpro minhas promessas feitas a ti,
14. as promessas que meus lábios pronunciaram e que minha boca, na angústia, prometeu.
15. Vou oferecer-te gordos holocaustos com a fumaça de carneiros; vou imolar bois e cabritos.
16. Vocês todos que temem a Deus, venham escutar. Eu lhes contarei o que ele fez por mim.
17. Minha boca gritou para Deus, e minha língua o exaltou.
18. Se eu tivesse más intenções, o Senhor não me teria atendido.
19. No entanto, Deus me escutou, e atendeu ao meu grito suplicante.
20. Bendito seja Deus, que não rejeitou a minha súplica, nem retirou de mim o seu amor.

[Salmos 67]
Salmos 67
(66)
DEUS ABENÇOA A TERRA DO SEU POVO
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Salmo. Cântico.
2. Deus tenha piedade de nós e nos abençoe, fazendo a sua face brilhar sobre nós,
3. para que na terra se conheça o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação.
4. Que os povos te celebrem, ó Deus, Que todos os povos te celebrem.
5. Que as nações se alegrem e exultem, porque julgas o mundo com justiça, julgas os povos com retidão, e governas as nações da terra.
6. Que os povos te celebrem, ó Deus. Que todos os povos te celebrem.
7. A terra produziu o seu fruto: é o Senhor nosso Deus que nos abençoa.
8. Que Deus nos abençoe, e todos os confins da terra o temerão!

[Salmos 68]
Salmos 68
(67)
HISTÓRIA DA LUTA DO POVO DE DEUS
1. Do mestre de canto. De Davi. Salmo. Cântico.
2. Deus se levanta: seus inimigos debandam, seus adversários fogem de sua frente.
3. Tu os dissipas como a fumaça se dissipa; como a cera se derrete diante do fogo, assim perecem os injustos diante de Deus.
4. Os justos ao contrário se alegram, exultam na presença de Deus e dançam de alegria.
5. Cantem a Deus, toquem ao seu nome, atapetem o caminho daquele que avança pelo deserto. O nome dele é Javé: alegrem-se na presença dele.
6. Pai dos órfãos, protetor das viúvas, assim é Deus em sua morada santa.
7. Deus dá aos marginalizados uma casa, liberta os cativos e os enriquece. Somente os rebeldes permanecem na terra seca.
8. Ó Deus, quando saías à frente do teu povo, e avançavas pelo deserto,
9. a terra tremeu, o céu se dissolveu diante de Deus, o Deus do Sinai; diante de Deus, o Deus de Israel.
10. Derramaste sobre tua herança, ó Deus, uma chuva copiosa, aliviando a terra esgotada,
11. e o teu rebanho habitou na terra que tua bondade, ó Deus, preparou para o pobre.
12. O Senhor deu uma ordem, o anúncio de um exército numeroso:
13. "Reis e exércitos fogem correndo, e as mulheres repartem os despojos.
14. Enquanto vocês repousavam nos apriscos, as pombas batiam suas asas prateadas destilando ouro de suas plumas.
15. Enquanto o Todo-poderoso dispersava os reis, a neve caía sobre o monte Sombrio".
16. As montanhas de Basã são altíssimas, as montanhas de Basã são escarpadas.
17. Ó montanhas escarpadas, por que vocês invejam a montanha que Deus escolheu para habitar, a moradia perpétua de Javé?
18. Milhares e milhares são os carros de Deus. O Senhor marcha do Sinai para o santuário.
19. Subiste ao topo, levando cativos, e a ti deram homens como tributo, até mesmo os que resistiam, para que Javé Deus tivesse a sua casa.
20. Bendito seja o Senhor a cada dia! Deus leva nossas cargas: ele é o nosso salvador!
21. Nosso Deus é um Deus que liberta, ao Senhor Javé pertencem as portas da morte.
22. Sim, Deus esmaga a cabeça de seus inimigos, e o crânio cabeludo do criminoso contumaz.
23. O Senhor disse: "Eu os farei voltar de Basã, eu os farei voltar do fundo do mar.
24. Você banhará seus pés no sangue do inimigo, sangue que os cães lamberão com suas línguas".
25. O teu cortejo aparece, ó Deus, o cortejo do meu Deus, do meu rei, a caminho do santuário.
26. Na frente marcham os cantores, atrás os tocadores de harpa, no meio as jovens, tocando pandeiros.
27. "Bendigam a Deus nas assembléias, bendigam a Javé na comunidade de Israel".
28. Na frente vai Benjamim, o mais novo; os príncipes de Judá, com seu tropel; os príncipes de Zabulon, os príncipes de Neftali.
29. Desfralda, ó Deus, o teu poder, o teu poder, ó Deus, que age em nosso favor.
30. Que os reis tragam o seu tributo ao teu Templo, em Jerusalém.
31. Reprime a Fera dos caniços, a tropa dos Touros e os Novilhos dos povos. Que se rendam a ti com barras de prata. Dispersa os povos que gostam de guerras!
32. Do Egito venham os grandes, e a Etiópia estenda as mãos para Deus.
33. Cantem a Deus, reis da terra, toquem para o Senhor,
34. que avança pelos céus, os céus antigos. Ele ergue sua voz, sua voz poderosa:
35. "Reconheçam a força de Deus!" Sua majestade resplandece sobre Israel, e por sobre as nuvens o seu poder.
36. Desde o santuário Deus impõe reverência: ele é o Deus de Israel, que dá força e poder ao seu povo. Bendito seja Deus!

[Salmos 69]
Salmos 69
(68)
DEUS É A CORAGEM DOS POBRES
1. Do mestre de canto. Sobre a ária: "Os lírios..." De Davi.
2. Salva-me, ó Deus, pois a água está chegando ao meu pescoço.
3. Estou afundando no lodo profundo, sem nada que me segure; vou afundando no mais fundo das águas, e a correnteza me arrastando...
4. Esgotei-me de tanto gritar, minha garganta queima e meus olhos se consomem, esperando por meu Deus.
5. Mais que os cabelos da minha cabeça, são os que me odeiam sem motivo. Mais duros que meus ossos, são os que injustamente me atacam. Deveria eu devolver aquilo que não roubei?
6. Ó Deus, tu conheces a minha ignorância, meus crimes não são ocultos para ti.
7. Que por minha causa não fiquem envergonhados aqueles que esperam em ti, Javé dos Exércitos. Que por minha causa não fiquem confundidos aqueles que procuram a ti, ó Deus de Israel.
8. É por tua causa que eu suporto afrontas e a confusão cobre o meu rosto.
9. Tornei-me estrangeiro para os meus irmãos, um estranho para os filhos de minha mãe.
10. Porque o zelo pela tua casa me devora, e as afrontas com que te afrontam recaem sobre mim.
11. Se me aflijo com jejum, zombam de mim.
12. Se me visto com pano de saco, eles se riem de mim.
13. Assentam-se à porta, a cochichar, bebendo vinho e fazendo piadas.
14. Quanto a mim, dirijo minha prece a ti! Javé, no tempo favorável responde-me, por teu grande amor, e ajuda-me com tua fidelidade.
15. Arranca-me da lama, para que eu não me afunde. Liberta-me dos que me odeiam e das águas sem fundo.
16. Que a correnteza não me arraste, nem o lodo profundo me engula, e que o poço não feche sobre mim a sua boca.
17. Responde-me, Javé, com a bondade do teu amor! Volta-te para mim, com tua grande compaixão!
18. Não escondas a tua face para o teu servo: estou oprimido, responde-me depressa!
19. Aproxima-te de mim, resgata-me! Liberta-me dos meus inimigos!
20. Tu conheces a afronta que sofro, a minha vergonha e confusão. Meus opressores estão todos diante de ti.
21. A afronta deles partiu-me o coração, e estou desfalecendo. Espero compaixão, e nada! Espero consoladores, e não os encontro!
22. Como alimento me deram fel, e na minha sede me deram vinagre.
23. Que sua mesa seja armadilha para eles, e sua abundância uma cilada.
24. Que seus olhos fiquem turvos e não enxerguem, que suas costas fraquejem sempre!
25. Derrama sobre eles o teu furor, e o ardor da tua ira os atinja.
26. Que o seu acampamento fique deserto, e ninguém mais habite em suas tendas,
27. porque eles perseguem a quem tu feriste, e contam as chagas da tua vítima.
28. Acusa-os, crime por crime, não os declares inocentes.
29. Risca-os do livro dos vivos, e não sejam inscritos entre os justos!
30. Quanto a mim, pobre e ferido, que tua salvação, ó Deus, me proteja!
31. Louvarei o nome de Deus com um cântico, e o engrandecerei com ação de graças.
32. Isso é mais agradável a Javé do que um touro, mais que um novilho com chifres e cascos.
33. Que os pobres vejam e se alegrem. Busquem a Deus, e vocês terão coragem!
34. Porque Javé ouve os indigentes, e nunca rejeita os seus cativos.
35. Que o céu e a terra o louvem, o mar e tudo o que nele se move!
36. Sim, Deus vai salvar Sião, vai reconstruir as cidades de Judá! Nela habitarão e a possuirão!
37. A descendência dos seus servos a herdará e nela viverão aqueles que amam o nome de Deus!

[Salmos 70]
Salmos 70
(69)
DEUS DEFENDE OS POBRES
1. Do mestre de canto. De Davi. Para comemoração.
2. Ó Deus, por favor, liberta-me! Javé, vem depressa me socorrer.
3. Fiquem envergonhados e confundidos aqueles que buscam perder a minha vida! Recuem e fiquem envergonhados, os que tramam a minha desgraça!
4. Retirem-se, cheios de vergonha, os que se riem de mim.
5. Exultem e alegrem-se contigo todos os que te buscam. Os que amam a tua salvação repitam sempre: "Deus é grande!"
6. Quanto a mim, sou pobre e indigente. Ó Deus, vem depressa! Tu és o meu auxílio e salvação. Javé, não demores!

[Salmos 71]
Salmos 71
(70)
Ó DEUS, QUEM É IGUAL A TI?
1. Javé, eu me abrigo em ti: que eu nunca fique envergonhado!
2. Salva-me, por tua justiça! Liberta-me! Inclina depressa o teu ouvido para mim!
3. Sejas tu a minha rocha de refúgio, a fortaleza onde eu me salve, pois o meu rochedo e fortaleza és tu!
4. Meu Deus, liberta-me da mão do injusto, do punho do criminoso e do violento;
5. pois tu, Senhor, és a minha esperança e a minha confiança, desde a minha juventude.
6. Já no ventre materno eu me apoiava em ti, e no seio materno tu me sustentavas. Eu sempre confiei em ti.
7. Muitos olhavam para mim como para um prodígio, porque eras tu o meu abrigo seguro.
8. Minha boca está cheia do teu louvor e do teu esplendor o dia todo.
9. Não me rejeites agora que estou na velhice, não me abandones quando me faltam as forças,
10. porque meus inimigos falam de mim, juntos planejam os que espreitam minha vida:
11. "Deus o abandonou. Podem persegui-lo e agarrá-lo, que ninguém o salvará!"
12. Ó Deus, não fiques longe de mim! Meu Deus, vem depressa me socorrer.
13. Fiquem envergonhados e arruinados aqueles que perseguem a minha vida. Fiquem cobertos de ultraje e desonra os que buscam o mal contra mim.
14. Quanto a mim, fico a esperar, continuando o teu louvor.
15. Minha boca vai contar a tua justiça, e o dia todo a tua salvação.
16. Contarei as tuas proezas, Senhor Javé, vou narrar a tua vitória, toda tua!
17. Ó Deus, tu me instruíste desde a minha juventude, e até hoje eu anuncio as tuas maravilhas.
18. Agora que estou velho e de cabelos brancos, não me abandones, ó Deus, até que eu descreva o teu braço à geração futura,
19. tuas proezas e tuas sublimes vitórias, as façanhas que realizaste. Ó Deus, quem é igual a ti?
20. Tu me fizeste passar por angústias profundas e numerosas. Agora voltarás para dar-me a vida, e me farás subir da terra profunda.
21. Aumentarás a minha grandeza, e de novo me consolarás.
22. Quanto a mim, vou celebrar-te com a harpa, por tua fidelidade, meu Deus! Vou tocar cítara em tua honra, ó Santo de Israel.
23. Meus lábios te aclamarão, e também minha alma, que resgataste.
24. Minha língua o dia todo repetirá a tua justiça, pois ficaram envergonhados e confundidos aqueles que buscavam o mal contra mim!

[Salmos 72]
Salmos 72
(71)
A AUTORIDADE QUE O POVO QUER
1. De Salomão. Ó Deus, confia o teu julgamento ao rei e a tua justiça ao filho do rei.
2. Que ele governe teu povo com justiça, e teus pobres conforme o direito.
3. Que os montes tragam a paz, e as colinas a justiça.
4. Que ele defenda os pobres do povo, salve os filhos do indigente e esmague os seus opressores.
5. Que ele dure como o sol e a lua, de geração em geração.
6. Que ele desça como chuva sobre a erva, como chuvisco que irriga a terra.
7. Que em seus dias floresça a justiça e muita paz até o fim das luas.
8. Que ele domine de mar a mar, do Grande Rio até os confins da terra.
9. Que seus rivais se inclinem diante dele, e seus inimigos lambam o pó.
10. Que os reis de Társis e das ilhas lhe paguem tributos. Que os reis de Sabá e Seba lhe ofereçam seus dons.
11. Que todos os reis se prostrem diante dele, e as nações todas o sirvam!
12. Porque ele liberta o indigente que clama e o pobre que não tem protetor.
13. Ele tem compaixão do fraco e do indigente, e salva a vida dos indigentes.
14. Ele os redime da astúcia e da violência, porque o sangue deles é precioso aos seus olhos.
15. Que ele viva, e lhe tragam o ouro de Sabá! Que por ele orem continuamente, e o bendigam o dia todo!
16. Haja abundância de trigo pelo campo, e tremulando no topo das montanhas. Dêem fruto como o Líbano, e as espigas brotem como a grama do campo.
17. Que seu nome permaneça para sempre, e sua fama dure como o sol: que ele seja a bênção para todos os povos, e todas as raças da terra o proclamem feliz!
18. Seja bendito Javé, o Deus de Israel, porque só ele realiza maravilhas!
19. Para sempre seja bendito o seu nome glorioso! Que toda a terra se encha da sua glória! Amém! Amém!
20. (Fim das orações de Davi, filho de Jessé).

[Salmos 73]
Salmos 73
(72)
VALE A PENA SER JUSTO?
1. Salmo. De Asaf. De fato, "Deus é bom para Israel, para os puros de coração".
2. Mas por pouco meus pés não tropeçavam; um nada, e meus passos escorregavam,
3. porque invejei os arrogantes, vendo a prosperidade dos injustos.
4. Vejam! Para eles não há tormentos, e seu corpo é sadio e robusto.
5. A fadiga dos mortais não os atinge, eles não são molestados como os outros.
6. Daí a soberba, que eles usam como colar, e a violência que os envolve como veste.
7. O pecado lhes brota da gordura, e seu coração transborda em maus projetos.
8. Zombam e falam maliciosamente, falam do alto, oprimindo.
9. No céu colocam a boca, e sua língua percorre a terra.
10. Desse modo eles saciam a si próprios, sugando para si as águas de todo o mar.
11. E dizem: "Como Deus pode saber? Existe conhecimento no Altíssimo?"
12. Eis aí! Os injustos são assim e, sempre tranqüilos, acumulam riquezas!
13. De fato, foi inútil conservar puro o meu coração, e lavar na inocência as minhas mãos!
14. Sim, eu sou molestado o dia inteiro, e castigado a cada manhã...
15. Se eu dissesse: "Vou falar como eles!", já renegaria a assembléia de teus filhos.
16. Então refleti para compreender, mas que fadiga era isso para os meus olhos!
17. Até que fui penetrando no mistério de Deus, e então compreendi o destino deles.
18. De fato, tu os colocas em ladeiras, tu os fazes cair em ruínas.
19. Vejam: num instante são reduzidos ao terror, deixam de existir e perecem, presas do pavor!
20. Como um sonho ao despertar, ó Senhor, ao acordar, tu desprezas a imagem deles.
21. Se o meu coração se azedava e eu espicaçava meus rins,
22. é porque eu era imbecil e nada entendia. Eu era um animal junto a ti.
23. Eu, porém, estou sempre contigo. Tu me agarraste pela mão direita.
24. Tu me guias com o teu conselho e com glória me conduzes.
25. Contigo, de quem necessitarei no céu? Contigo, nada mais me satisfaz na terra.
26. Minha carne e meu coração podem se consumir: minha rocha e porção é Deus para sempre!
27. Sim, os que se afastam de ti se perdem, tu rejeitas todos os teus adúlteros.
28. Eu, porém, estou feliz de estar com Deus, e em Deus colocar o meu abrigo, para contar as tuas obras todas (junto às portas de Sião).

[Salmos 74]
Salmos 74
(73)
SERÁ QUE DEUS NOS REJEITOU?
1. Poema. De Asaf. Por que, ó Deus, rejeitar-nos até o fim? Por que arder em ira contra as ovelhas do teu rebanho?
2. Lembra-te da comunidade que adquiriste desde a origem, da tribo que redimiste como tua herança; do monte Sião, onde puseste a tua moradia.
3. Dirige teus passos para estas ruínas sem fim: o inimigo arrasou completamente o santuário.
4. Os opressores rugiram no lugar das tuas assembléias, e puseram suas insígnias no frontão da entrada,
5. insígnias que não eram conhecidas. Como quem brande o machado no bosque,
6. eles destroçaram as esculturas, golpeando com machado e com martelo.
7. Atearam fogo no teu santuário, profanaram até ao chão a moradia do teu nome.
8. Eles pensavam: "Vamos arrasá-los de uma vez!" E incendiaram todos os templos da terra.
9. Já não vemos nossos sinais, já não existem profetas, e ninguém de nós sabe até quando.
10. Até quando, ó Deus, o opressor vai blasfemar? O inimigo irá desprezar o teu nome até o fim?
11. Por que retiras tua mão esquerda e manténs a direita escondida no peito?
12. Tu, porém, ó Deus, és rei desde a origem, e operas libertações por toda a terra.
13. Tu dividiste o mar com teu poder, quebraste a cabeça do monstro do mar.
14. Tu esmagaste as cabeças do Leviatã, dando-o como alimento às feras do mar.
15. Tu abriste fontes e torrentes e secaste rios inesgotáveis.
16. O dia te pertence, e tua é a noite. Tu firmaste a lua e o sol.
17. Estabeleceste os limites da terra, e formaste o verão e o inverno.
18. Lembra-te, Javé, do inimigo que blasfema, do povo insensato que ultraja o teu nome.
19. Não entregues para a fera a vida de tua rola. Não esqueças até o fim a vida dos teus pobres.
20. Olha para a tua aliança, pois os recantos da terra estão cheios de violência.
21. Que o oprimido não volte coberto de confusão, e o pobre e o indigente louvem o teu nome.
22. Levanta-te, ó Deus! Defende a tua causa! Lembra-te do insensato que te ultraja o dia todo!
23. Não te esqueças do rumor de teus opressores, do tumulto crescente dos que se rebelam contra ti.

[Salmos 75]
Salmos 75
(74)
DEUS VEM COMO JUIZ
1. Do mestre de canto. "Não destruas". Salmo. De Asaf. Cântico.
2. Nós te celebramos, ó Deus, nós te celebramos, invocando o teu nome e contando as tuas maravilhas.
3. "No momento que eu tiver decidido, eu mesmo vou julgar com retidão.
4. Trema a terra com seus habitantes todos, eu mesmo firmei as suas colunas".
5. Eu digo aos arrogantes: Não sejam arrogantes! E aos injustos: Não levantem a fronte!
6. Não ergam altivamente a fronte, não digam insolências contra a Rocha!
7. Não é do nascente, nem do poente, nem do deserto, nem das montanhas,
8. que Deus vem como juiz: a um ele abaixa, a outro eleva.
9. Na mão de Javé existe uma taça, com vinho espumando, cheio de mistura. Ele o derrama, e eles o sugarão até o fim, todos os injustos da terra o beberão.
10. Quanto a mim, vou proclamar sempre a grandeza dele, e tocarei para o Deus de Jacó.
11. Ele quebrará o poder de todos os injustos, e o poder dos justos se levantará.

[Salmos 76]
Salmos 76
(75)
DEUS SALVA OS POBRES DA TERRA
1. Do mestre de canto. Com instrumentos de corda. Salmo. De Asaf. Cântico.
2. Deus se manifesta em Judá, sua fama é grande em Israel.
3. Sua tenda está em Jerusalém, e em Sião a sua moradia.
4. Aí quebrou os relâmpagos do arco, o escudo, a espada e a guerra.
5. Tu és luminoso e célebre, com montes de despojos conquistados.
6. Os valentes dormem o seu sono, e os braços falham aos guerreiros todos.
7. Com tua ameaça, ó Deus de Jacó, carro e cavalo ficaram parados.
8. Tu és terrível! Quem pode resistir à tua frente, quando ficas irado?
9. Do céu proclamas a sentença: a terra se paralisa de medo,
10. quando Deus se levanta para julgar e salvar todos os pobres da terra.
11. Atingido pela tua ira, o homem te louva, e os que escapam do castigo te rodearão.
12. Façam votos a Javé seu Deus, e os cumpram, e que os vassalos paguem tributo ao Terrível.
13. Ele deixa os príncipes sem alento, ele é terrível para os reis da terra!

[Salmos 77]
Salmos 77
(76)
SERÁ QUE DEUS MUDOU?
1. Do mestre de canto... Iditun. De Asaf. Salmo.
2. A Deus levanto a minha voz, e grito! A Deus ergo a minha voz, e ele me ouve!
3. No dia da angústia eu procuro pelo Senhor. À noite estendo a mão, sem descanso, e minha alma recusa consolo.
4. Lembro-me de Deus e fico gemendo, medito e sinto-me desfalecer.
5. Tu me seguras as pálpebras dos olhos, fico agitado e nem posso falar.
6. Penso nos dias de outrora, recordo os anos longínquos.
7. De noite reflito em meu coração, fico meditando, e me pergunto:
8. O Senhor vai rejeitar-nos para sempre? Nunca mais será favorável a nós?
9. Sua misericórdia já se esgotou? Sua promessa terminou para sempre?
10. Será que Deus se esqueceu da sua bondade, ou fechou as entranhas com ira?
11. E eu digo: "Este é o meu mal: a direita do Altíssimo mudou!"
12. Lembro-me das proezas de Javé, recordo tuas maravilhas de outrora,
13. medito tuas obras todas, e considero tuas façanhas.
14. Ó Deus, o teu caminho é santo! Que deus é grande como o nosso Deus?
15. Tu és o Deus que opera maravilhas, mostrando às nações a tua força.
16. Com teu braço resgataste o teu povo, os filhos de Jacó e de José.
17. O mar te viu, ó Deus, o mar te viu e tremeu, e as ondas estremeceram.
18. As nuvens derramaram suas águas, as nuvens pesadas trovejaram, e tuas flechas ziguezagueavam.
19. O estrondo do teu trovão rondava, teus relâmpagos iluminavam o mundo, e a terra se agitou, estremecida.
20. Abriste um caminho entre as águas, uma senda nas águas torrenciais, sem deixar rastro dos teus passos.
21. Guiaste o teu povo como a um rebanho, pela mão de Moisés e de Aarão.

[Salmos 78]
Salmos 78
(77)
SEM MEMÓRIA NÃO HÁ FIDELIDADE
1. Poema. De Asaf. Povo meu, escuta a minha instrução, dá ouvidos às palavras da minha boca.
2. Vou abrir minha boca em parábolas, vou expor enigmas do passado.
3. O que nós ouvimos e aprendemos, o que nos contaram nossos pais,
4. não o esconderemos aos filhos deles, nós o contaremos à geração futura: os louvores de Javé, seu poder e as maravilhas que realizou.
5. Porque ele estabeleceu uma norma para Jacó e deu uma lei para Israel: ordenou aos nossos pais que as transmitissem a seus filhos,
6. para que a geração seguinte as conhecesse, os filhos que iriam nascer. Que se levantem e as contem a seus filhos,
7. para que ponham em Deus a sua confiança, não se esqueçam dos feitos de Deus e observem os seus mandamentos.
8. Para que não sejam como seus pais, uma geração desobediente e rebelde, geração de coração inconstante, que não tem espírito fiel a Deus.
9. Os filhos de Efraim, arqueiros equipados, voltaram as costas no dia da batalha,
10. não guardaram a aliança de Deus, recusaram seguir a sua lei.
11. Esqueceram os grandes feitos dele e as maravilhas que lhes mostrara,
12. quando realizou a maravilha diante de seus pais, na terra do Egito, no campo de Tânis:
13. ele dividiu o mar e os fez atravessar, barrando as águas como num dique.
14. De dia os guiou com a nuvem, e de noite com a luz de um fogo.
15. Fendeu a rocha no deserto e lhes deu a beber águas abundantes.
16. Da pedra fez brotar torrentes, e as águas desceram como rios.
17. Mas continuaram pecando contra ele, rebelando-se contra o Altíssimo no deserto.
18. Tentaram a Deus em seus corações, pedindo comida conforme seu próprio gosto.
19. E falaram contra Deus: "Poderá Deus preparar uma mesa no deserto?"
20. Então ele feriu a rocha, a água brotou, e as torrentes transbordaram. "Acaso poderá também nos dar pão ou fornecer carne ao seu povo?"
21. Ouvindo isso, Javé se enfureceu; um fogo acendeu-se contra Jacó e a ira se ergueu contra Israel.
22. Porque eles não tinham fé em Deus, nem confiavam no auxílio dele.
23. Entretanto, ele ordenou às altas nuvens e abriu as comportas do céu:
24. fez chover sobre eles o maná, deu-lhes um trigo do céu.
25. O homem comeu pão dos anjos, Deus mandou-lhes provisões em fartura.
26. Fez soprar no céu o vento leste, e com seu poder trouxe o vento sul:
27. sobre eles fez chover carne como pó, aves numerosas como areia do mar,
28. fazendo-as cair no meio do acampamento, ao redor de suas tendas.
29. Eles comeram e ficaram saciados, pois ele os atendeu conforme queriam.
30. Mas não haviam satisfeito o apetite, tinham ainda a comida na boca,
31. quando a ira de Deus contra eles se ergueu: ele massacrou os mais fortes, e prostrou a juventude de Israel.
32. Apesar disso, continuaram a pecar, e não tinham fé nas maravilhas dele.
33. Consumiu-lhes os dias num sopro e seus anos num momento.
34. Quando os matava, então o buscavam, madrugando para voltar-se para Deus.
35. Recordavam que Deus era sua rocha, que o Deus Altíssimo era o seu redentor.
36. Eles o adulavam com a boca, mas com a língua o enganavam.
37. O coração deles não era sincero com Deus, não eram fiéis à sua aliança.
38. Ele, porém, compassivo, perdoava as faltas e não os destruía. Reprimia sua ira muitas vezes, e não despertava todo o seu furor.
39. Lembrava-se de que eles eram apenas carne, um vento que se vai, para nunca mais voltar.
40. Quantas vezes o afrontaram no deserto e o ofenderam em lugares solitários!
41. Voltaram a tentar a Deus, a irritar o Santo de Israel.
42. Não se lembravam de sua mão, que um dia os resgatou da opressão:
43. quando operou seus sinais no Egito, e seus prodígios no campo de Tânis.
44. Quando transformou em sangue seus canais e suas torrentes, privando-os de beber.
45. Quando lhes mandou moscas que os devoravam, e rãs que os devastavam.
46. Quando entregou às larvas suas colheitas, e seu trabalho aos gafanhotos.
47. Quando destruiu sua vinha com granizo, e seus sicômoros com geada.
48. Quando abandonou seu gado à saraiva, e aos relâmpagos o seu rebanho.
49. Quando lançou contra eles o fogo de sua ira: cólera, furor e aflição, anjos portadores de desgraças;
50. ele deu livre curso à sua ira, não mais os preservou da morte, mas à peste entregou suas vidas.
51. Quando feriu todo primogênito no Egito, as primícias da raça nas tendas de Cam.
52. Fez seu povo partir como rebanho, e como ovelhas conduziu-os pelo deserto.
53. Guiou-os com segurança, sem alarme, enquanto o mar cobria seus inimigos.
54. Introduziu-os pelas fronteiras santas, até a montanha que sua direita conquistara.
55. Expulsou da frente deles as nações, e designou por sorte uma herança para eles, colocando em suas tendas as tribos de Israel.
56. Ainda assim tentavam e afrontavam o Deus Altíssimo, recusando guardar seus preceitos.
57. Desviaram-se, traíam como seus pais, voltavam atrás como arco infiel.
58. Com seus lugares altos o indignavam, e o enciumavam com seus ídolos.
59. Deus ouviu e ficou enfurecido, e rejeitou Israel completamente.
60. Abandonou sua moradia em Silo, a tenda onde habitava entre os homens.
61. Entregou seus valentes ao cativeiro, e seu esplendor à mão do opressor.
62. Abandonou seu povo à espada, e se enfureceu contra a sua herança.
63. Seus jovens foram devorados pelo fogo, e suas virgens não tiveram canto de núpcias.
64. Seus sacerdotes caíram sob a espada, e suas viúvas não entoaram lamentações.
65. E o Senhor acordou como alguém que dormia, como valente embriagado pelo vinho.
66. Feriu seus opressores pelas costas e para sempre os entregou à vergonha.
67. Rejeitou a tenda de José, e não elegeu a tribo de Efraim.
68. Escolheu a tribo de Judá, e o monte Sião, seu preferido.
69. Construiu seu santuário como o céu, e o firmou para sempre, como a terra.
70. Escolheu Davi, seu servo, e o tirou do aprisco das ovelhas.
71. Da companhia das ovelhas o tirou para apascentar Jacó, seu povo, e Israel, sua herança.
72. Ele os apascentou de coração íntegro, e os conduziu com mão inteligente.

[Salmos 79]
Salmos 79
(78)
A HONRA DE DEUS ESTÁ EM JOGO
1. Salmo. De Asaf. Ó Deus, as nações invadiram a tua herança, profanaram o teu templo santo, reduziram Jerusalém a ruínas.
2. Deram os cadáveres dos teus servos como alimento às aves do céu, e a carne dos teus fiéis às feras da terra.
3. Derramaram o sangue deles como água ao redor de Jerusalém, e ninguém o enterrava.
4. Nós nos tornamos ultraje para os nossos vizinhos, divertimento e zombaria para aqueles que nos cercam.
5. Até quando, Javé? Ficarás irado até o fim? Teu ciúme vai arder como fogo?
6. Derrama o teu furor sobre essas nações que não te reconhecem, sobre esses reinos que não invocam o teu nome.
7. Eles devoraram Jacó e devastaram a sua moradia.
8. Não recordes contra nós as faltas de nossos antepassados. Que tua compaixão venha logo até nós, pois estamos muito enfraquecidos.
9. Socorre-nos, ó Deus salvador nosso, pela honra do teu nome! Liberta e perdoa os nossos pecados por causa do teu nome!
10. Por que diriam as nações: "Onde está o Deus deles?" Que diante dos nossos olhos as nações reconheçam a vingança do sangue derramado dos teus servos.
11. Chegue à tua presença o gemido do cativo: com teu braço poderoso salva os condenados à morte,
12. e aos nossos vizinhos devolve sete vezes a afronta com que te afrontaram, Senhor!
13. Quanto a nós, o teu povo, ovelhas do teu rebanho, nós te celebramos para sempre, e de geração em geração vamos proclamar o teu louvor!

[Salmos 80]
Salmos 80
(79)
DEUS RESTAURA O SEU POVO
1. Do mestre de canto. Sobre a ária: "Os lírios são os preceitos". De Asaf. Salmo.
2. Pastor de Israel, dá ouvidos, tu que diriges a José como a um rebanho; tu que te assentas sobre os querubins, resplandece
3. perante Efraim, Benjamim e Manassés! Desperta o teu poder e vem socorrer-nos.
4. Restaura-nos, ó Deus! Faze brilhar a tua face, e seremos salvos!
5. Javé Deus dos Exércitos, até quando ficarás irado enquanto o teu povo suplica?
6. Tu lhe deste pranto a comer e lágrimas aos tragos para beber.
7. Tu nos tornaste a disputa dos nossos vizinhos, e os nossos inimigos zombam de nós.
8. Restaura-nos, Deus dos Exércitos! Faze brilhar a tua face, e seremos salvos!
9. Tiraste uma videira do Egito, expulsaste nações, e a transplantaste.
10. Preparaste o terreno e, lançando raízes, ela encheu a terra.
11. Sua sombra cobria as montanhas, e seus ramos, os cedros de Deus.
12. Ela estendia os galhos até o mar, e até o rio os seus rebentos.
13. Por que lhe derrubaste as cercas? Para que os viandantes a saqueiem,
14. e os javalis da floresta a devastem, e as feras do campo a devorem?
15. Volta atrás, ó Deus dos Exércitos! Olha do céu e vê! Vem visitar tua vinha,
16. a muda que a tua direita plantou, e que tornaste vigorosa.
17. Eles a queimavam como lixo, mas vão perecer com a ameaça de tua face.
18. Que tua mão proteja o teu escolhido, o homem que tu confirmaste.
19. Nunca mais nos afastaremos de ti. Faze-nos viver, para invocarmos o teu nome.
20. [Salmos 81]Restaura-nos, Javé, Deus dos Exércitos! Faze brilhar a tua face, e seremos salvos!

Salmos 81
(80)
POR QUE VOCÊ ME ABANDONOU?
1. Do mestre de canto. Sobre a harpa de Gat. De Asaf.
2. Aclamem a Deus, nossa força, aclamem ao Deus de Jacó.
3. Acompanhem, toquem os pandeiros, a harpa melodiosa e a cítara.
4. Toquem a trombeta pelo novo mês, na lua cheia, dia da nossa festa.
5. Porque é uma lei para Israel, um preceito do Deus de Jacó,
6. uma norma estabelecida para José, quando ele saiu da terra do Egito. Ouço uma linguagem desconhecida:
7. "Eu removi a carga de seus ombros, e suas mãos deixaram o cesto.
8. Você clamou na opressão, e eu o libertei. Escondido no trovão, eu lhe respondi, e o provei nas águas de Meriba".
9. Escute, povo meu, eu vou testemunhar contra você. Oxalá você me ouvisse, Israel!
10. "Nunca haja em você um deus estranho, nunca adore um deus estrangeiro.
11. Eu sou Javé seu Deus, que o tirei da terra do Egito. Abra sua boca, e eu a encherei".
12. E o meu povo não escutou a minha voz, Israel não quis me obedecer.
13. Então eu os entreguei ao seu coração endurecido: que sigam seus próprios caminhos!
14. Ah! Se meu povo me escutasse, se Israel andasse em meus caminhos...
15. Eu derrotaria seus inimigos num momento, e contra seus opressores voltaria a minha mão.
16. Os que odeiam Javé o adulariam, e o tempo deles teria passado para sempre.
17. Eu alimentaria você com a flor do trigo e o saciaria com o mel do rochedo.

[Salmos 82]
Salmos 82
(81)
DEUS ADVERTE AS AUTORIDADES
1. Salmo. De Asaf. Deus se levanta no conselho divino, em meio aos deuses ele julga:
2. "Até quando vocês julgarão injustamente, sustentando a causa dos injustos?
3. Protejam o fraco e o órfão, façam justiça ao pobre e ao necessitado,
4. libertem o fraco e o indigente, e os livrem da mão dos injustos!"
5. Eles não sabem, não entendem, vagueiam nas trevas: todos os fundamentos da terra se abalam.
6. Eu declaro: "Embora vocês sejam deuses, e todos filhos do Altíssimo,
7. vocês morrerão como qualquer homem. Vocês, príncipes, cairão como qualquer outro".
8. Levanta-te, ó Deus, e julga a terra, pois as nações todas pertencem a ti!

[Salmos 83]
Salmos 83
(82)
Ó DEUS, NÃO TE CALES!
1. Salmo. Cântico. De Asaf.
2. Ó Deus, não te cales, não fiques mudo e imóvel, ó Deus!
3. Eis que os teus inimigos se agitam, os que te odeiam levantam a cabeça.
4. Eles tramam um plano contra o teu povo, conspiram contra os teus protegidos:
5. "Venham, vamos removê-los do meio das nações, e o nome de Israel nunca mais será lembrado!"
6. Todos em acordo conspiram e fazem aliança contra ti:
7. os beduínos edomitas e os ismaelitas, moabitas e agarenos,
8. Gebal, Amon e Amalec, os filisteus com os habitantes de Tiro;
9. também os assírios a eles se aliaram, dando reforço aos filhos de Ló.
10. Faze com eles como fizeste com Madiã e Sísara, e com Jabin na torrente Quison.
11. Foram aniquilados em Endor, tornaram-se esterco para a terra.
12. Trata seus príncipes como a Oreb e Zeb, como a Zebá e Sálmana, todos os seus chefes.
13. Esses diziam: "Tomemos posse dos territórios de Deus!"
14. Meu Deus, trata-os como folhas que voam, como a palha diante do vento;
15. como o fogo devorando uma floresta, e a chama abrasando as montanhas.
16. Persegue-os com a tua tempestade, aterroriza-os com o teu furacão.
17. Cobre de infâmia a face deles, para que busquem o teu nome, ó Javé!
18. Fiquem envergonhados e perturbados para sempre, sejam confundidos e arruinados.
19. Saberão assim que só tu tens o nome de Javé, o Altíssimo sobre toda a terra!

[Salmos 84]
Salmos 84
(83)
A CASA DE DEUS É CASA DO POVO
1. Do mestre do coro. Sobre a harpa de Gat. Dos filhos de Coré. Salmo.
2. Como são desejáveis as tuas moradas, Javé dos Exércitos!
3. Minha alma suspira e desfalece pelos átrios de Javé. Meu coração e minha carne exultam pelo Deus vivo.
4. Até o pássaro encontrou uma casa, e a andorinha, um ninho, onde põe seus filhotes: os teus altares, Javé dos Exércitos, meu rei e meu Deus!
5. Felizes os que habitam em tua casa: eles te louvam sem cessar.
6. Felizes os que encontram em ti a sua força ao preparar sua peregrinação:
7. quando atravessam vales áridos, eles os transformam em oásis, como se a primeira chuva os cobrisse de bênção.
8. Eles caminham de fortaleza em fortaleza até verem Deus em Sião.
9. Javé, Deus dos Exércitos, ouve a minha súplica, dá ouvidos, ó Deus de Jacó.
10. Vê o nosso escudo, ó Deus, olha a face do teu ungido.
11. Sim, mais vale um dia em teus átrios, do que milhares em minha casa. Prefiro o umbral da casa de Deus do que habitar na tenda dos injustos.
12. Porque Javé é sol e escudo, Deus concede graça e glória. Javé não recusa nenhum bem aos que andam na integridade.
13. Javé dos Exércitos, feliz o homem que confia em ti!

[Salmos 85]
Salmos 85
(84)
RESTAURA-NOS, Ó DEUS!
1. Do mestre de canto. Dos filhos de Coré. Salmo.
2. Favoreceste, Javé, a tua terra, restauraste os cativos de Jacó.
3. Perdoaste a culpa do teu povo, encobriste todo o seu pecado.
4. Reprimiste o teu furor todo, refreaste o ardor da tua ira.
5. Restaura-nos, ó Deus, salvador nosso, renuncia ao teu rancor contra nós!
6. Ficarás irado conosco para sempre, prolongando de geração em geração a tua ira?
7. Não nos irás devolver a vida, para que teu povo se alegre contigo?
8. Javé, mostra-nos o teu amor, concede-nos a tua salvação.
9. Vou escutar o que diz Javé: "Deus anuncia a paz ao seu povo e seus fiéis, e aos que se convertem de coração".
10. A salvação está próxima dos que o temem, e a glória habitará em nossa terra.
11. Amor e Fidelidade se encontram, Justiça e Paz se abraçam.
12. A Fidelidade brotará da terra, e a Justiça se inclinará do céu.
13. Javé nos dará a chuva, e nossa terra dará o seu fruto.
14. A Justiça caminhará à frente dele, a salvação seguirá os seus passos.

[Salmos 86]
Salmos 86
(85)
DEUS ATENDE A QUEM O INVOCA
1. Oração. De Davi. Inclina teu ouvido, Javé, responde-me, porque sou pobre e indigente!
2. Guarda-me, porque sou fiel, salva teu servo que em ti confia!
3. Tu és o meu Deus, tem piedade de mim, Senhor, pois é a ti que eu invoco o dia todo!
4. Alegra a alma do teu servo, pois a ti elevo a minha alma!
5. Tu és bom, Senhor, e perdoas. Tu és cheio de amor com todos os que te invocam.
6. Atende à minha prece, Javé, considera minha voz suplicante.
7. No dia da angústia eu grito a ti, pois tu me respondes, Senhor.
8. Entre os deuses não há outro igual a ti, nada que se iguale às tuas obras!
9. Todas as nações virão para se prostrar na tua presença, Senhor, e bendizer o teu nome:
10. "Tu és grande, e fazes maravilhas. Tu és o único Deus".
11. Ensina-me o teu caminho, Javé, e caminharei segundo a tua verdade. Conserva íntegro o meu coração no temor do teu nome.
12. Eu te agradeço de todo o coração, meu Deus, vou dar glória ao teu nome para sempre,
13. pois é grande o teu amor para comigo: tu me tiraste das profundezas da morte.
14. Ó Deus, os soberbos se levantam contra mim, um bando de violentos persegue a minha vida, e não fazem conta de ti.
15. Tu, porém, Senhor, Deus de piedade e compaixão, lento para a cólera, cheio de amor e fidelidade,
16. volta-te para mim, tem piedade de mim. Dá força ao teu servo, salva o filho da tua serva.
17. Realiza para mim um sinal de bondade: meus inimigos verão e ficarão envergonhados, porque tu, Javé, me socorres e consolas.

[Salmos 87]
Salmos 87
(86)
CIDADE DE DEUS E CIDADE DOS HOMENS
1. Dos filhos de Coré. Salmo. Cântico. Sião foi construída sobre o monte santo,
2. e Javé prefere as portas dela a todas as moradas de Jacó.
3. Que anúncio glorioso para você, ó cidade de Deus!
4. "Contarei o Egito e a Babilônia entre os meus fiéis. Filisteus, tírios e etíopes aí nasceram".
5. E de Sião será dito: "Todo homem aí nasceu. Ela foi fundada pelo Altíssimo em pessoa".
6. Javé inscreve os povos no registro: "Este homem nasceu aí".
7. E cantarão, enquanto dançam: "Em ti se encontram todas as minhas fontes".

[Salmos 88]
Salmos 88
(87)
O QUE DEUS GANHA COM A MINHA MORTE?
1. Cântico. Salmo. Dos filhos de Coré. Do mestre de canto. Para a doença. Para a aflição. Poema. De Emã, o ezraíta.
2. Javé meu Deus, de dia eu te peço auxílio, e de noite eu grito em tua presença.
3. Que minha prece chegue a ti, inclina teu ouvido ao meu clamor.
4. Porque minha alma está cheia de males, e minha vida está à beira do túmulo.
5. Sou visto como quem baixa para a cova, tornei-me homem sem forças,
6. tenho minha cama entre os mortos, como as vítimas que jazem no sepulcro, das quais já não te lembras, porque foram arrancadas de tua mão.
7. Jogaste-me no fundo da cova, em meio às trevas do abismo.
8. Tua cólera pesa sobre mim, derramas sobre mim tuas ondas todas.
9. Afastaste de mim meus conhecidos, e me tornaste repugnante para eles: estou fechado, não posso sair,
10. e meus olhos se turvam de tristeza. Eu te invoco o dia todo, estendendo as mãos para ti:
11. "Farás maravilhas pelos mortos? As sombras se levantarão para te louvar?
12. Falarão do teu amor nas sepulturas, e da tua fidelidade no reino da morte?
13. Conhecem tuas maravilhas na treva, e a tua justiça na terra do esquecimento?"
14. Mas eu grito para ti, Javé, minha prece chega a ti pela manhã.
15. Javé, por que me rejeitas e escondes de mim a tua face?
16. Fui infeliz e moribundo desde a infância, sofri teus horrores, estou esgotado.
17. Teus furores passaram sobre mim, teus terrores me deixaram consumido.
18. Eles me cercam como água o dia todo, e todos juntos me envolvem de uma vez.
19. Tu afastas de mim meus parentes e amigos, e as trevas são a minha companhia.

[Salmos 89]
Salmos 89
(88)
DEUS É AMOR FIEL
1. Poema. De Etã, o ezraíta.
2. Cantarei para sempre o amor de Javé, anunciarei de geração em geração a tua fidelidade.
3. Pois eu disse: "Teu amor é um edifício eterno. Tu firmaste a tua fidelidade mais que o céu".
4. Selei uma aliança com o meu eleito, jurando ao meu servo Davi:
5. "Vou estabelecer sua descendência para sempre, e de geração em geração vou construir um trono para você".
6. O céu proclama a tua maravilha, Javé, e a tua fidelidade na assembléia dos anjos.
7. Sobre as nuvens, quem é como Javé? Dentre os seres divinos, quem é como Javé?
8. Deus é terrível no conselho dos anjos, grande e terrível com toda a sua corte.
9. Javé dos Exércitos, quem é igual a ti? O poder e a fidelidade te envolvem.
10. Tu dominas o orgulho do mar e amansas as ondas que se elevam.
11. Tu esmagaste Raab como a um cadáver, teu braço poderoso dispersou teus inimigos.
12. Teu é o céu, e a terra pertence a ti, tu fundaste o mundo, e tudo o que nele existe.
13. O norte e o sul, tu os criaste. O Tabor e o Hermon aclamam o teu nome.
14. Teu braço é poderoso, tua esquerda é forte, e tua direita elevada.
15. Justiça e Direito sustentam o teu trono. Amor e Fidelidade precedem a tua face.
16. Feliz o povo que sabe te aclamar: ele caminhará, ó Javé, à luz da tua face.
17. Teu nome é o seu prazer a cada dia, e tua justiça é o seu orgulho.
18. Sim, tu és a honra e a força dele, e com teu favor levantas nossa fronte.
19. Porque Javé é o nosso escudo, nosso rei é o Santo de Israel.
20. Outrora falaste numa visão aos teus fiéis: "Prestei auxílio a um bravo, exaltei um eleito dentre o povo:
21. encontrei o meu servo Davi, e o ungi com meu óleo santo,
22. para que minha mão esteja sempre com ele, e meu braço o torne valoroso.
23. O inimigo não poderá enganá-lo, nem o perverso humilhá-lo.
24. Diante dele esmagarei seus opressores e ferirei seus inimigos.
25. Minha fidelidade e amor estarão com ele, e por meu nome seu poder crescerá:
26. estenderei sua esquerda até o mar, e sua direita até os rios.
27. Ele me invocará: 'Tu és o meu pai, o meu Deus e o meu rochedo salvador!'
28. E eu o tornarei meu primogênito, o altíssimo sobre os reis da terra.
29. Para sempre vou manter com ele o meu amor, e minha aliança com ele será firme.
30. Vou dar a ele uma descendência para sempre, e um trono duradouro como o céu.
31. Se os filhos dele abandonarem a minha lei e não seguirem minhas normas;
32. se profanarem meus estatutos e não guardarem meus mandamentos,
33. eu punirei a transgressão deles com vara, e suas culpas com açoites.
34. Mas nunca vou tirar-lhes o meu amor, nem desmentir a minha fidelidade.
35. Jamais violarei a minha aliança, nem mudarei as minhas promessas.
36. Por minha santidade, eu jurei uma vez: Jamais mentirei a Davi.
37. Sua descendência será perpétua, seu trono como o sol à minha frente,
38. como a lua, firmada para sempre: seu trono será mais firme que o céu".
39. Tu, porém, o rejeitaste e desprezaste, ficaste indignado com o teu ungido.
40. Quebraste a aliança com o teu servo, até ao chão profanaste a sua coroa.
41. Derrubaste suas muralhas e arruinaste suas fortalezas.
42. Todos os passantes o saqueiam, e ele se tornou zombaria dos vizinhos.
43. Exaltaste a direita dos seus opressores, alegraste seus inimigos todos.
44. Cegaste o corte da sua espada, e não o sustentaste na batalha.
45. Quebraste o seu cetro glorioso, e derrubaste o seu trono por terra.
46. Encurtaste os dias da sua juventude, e o cobriste de vergonha.
47. Javé, até quando te esconderás? Até quando arderá o fogo de tua cólera?
48. Lembra, Senhor, como é breve minha vida, como passam rápido os homens que criaste!
49. Quem viverá sem ver a morte? Quem tirará sua vida das garras do túmulo?
50. Onde está, Senhor, o antigo amor, que, por tua fidelidade, juraste a Davi?
51. Lembra-te, Senhor, da desonra dos teus servos: eu levo em meu peito todas as afrontas dos povos.
52. Lembra-te de como teus inimigos ultrajaram, ó Javé, de como ultrajaram as pegadas do teu ungido!
53. Seja bendito Javé para sempre! Amém! Amém!

[Salmos 90]
Salmos 90
(89)
DEUS, CONFIRMA A NOSSA VIDA!
1. Súplica. De Moisés, homem de Deus. Senhor, tu foste o nosso refúgio de geração em geração.
2. Antes que os montes nascessem e a terra e o mundo fossem gerados, desde sempre e para sempre tu és Deus.
3. Tu reduzes o homem ao pó, dizendo: "Voltem, filhos de Adão!"
4. Mil anos são aos teus olhos como o dia de ontem, que passou, uma vigília dentro da noite.
5. Tu os semeias ano por ano, como erva que se renova:
6. de manhã ela germina e brota, de tarde a cortam, e ela seca.
7. Sim, tua ira nos consumiu, e teu furor nos transtornou.
8. Colocaste nossas faltas à tua frente, nossos segredos sob a luz da tua face.
9. Nossos dias passaram sob a tua cólera, e como suspiro nossos anos se acabaram.
10. Setenta anos é o tempo da nossa vida, oitenta anos, se ela for vigorosa. E a maior parte deles é fadiga inútil, pois passam depressa, e nós voamos.
11. Quem conhece a força da tua ira, e quem sentiu o peso do teu furor?
12. Ensina-nos a contar os nossos anos, para que tenhamos coração sensato!
13. Volta-te, Javé! Até quando? Tem compaixão dos teus servos!
14. Sacia-nos com o teu amor pela manhã, e nossa vida será júbilo e alegria.
15. Alegra-nos, pelos dias em que nos castigaste, pelos anos em que sofremos desgraças.
16. Que os teus servos vejam a tua obra, e os filhos deles o teu esplendor.
17. Que a bondade do Senhor venha sobre nós e confirme a obra de nossas mãos.

[Salmos 91]
Salmos 91
(90)
O JUSTO CONFIA EM DEUS
1. Você que habita ao amparo do Altíssimo, e vive à sombra do Onipotente,
2. diga a Javé: "Meu refúgio, minha fortaleza, meu Deus, eu confio em ti!"
3. Ele livrará você do laço do caçador, e da peste destruidora.
4. Ele o cobrirá com suas penas, e debaixo de suas asas você se refugiará. O braço dele é escudo e armadura.
5. Você não temerá o terror da noite, nem a flecha que voa de dia,
6. nem a epidemia que caminha nas trevas, nem a peste que devasta ao meio-dia.
7. Caiam mil ao seu lado e dez mil à sua direita, a você nada atingirá.
8. Basta que você olhe com seus próprios olhos, para ver o salário dos injustos,
9. porque você fez de Javé o seu refúgio e tomou o Altíssimo como defensor.
10. A desgraça jamais o atingirá, e praga nenhuma vai chegar à sua tenda,
11. pois ele ordenou aos seus anjos que guardem você em seus caminhos.
12. Eles o levarão nas mãos, para que seu pé não tropece numa pedra.
13. Você caminhará sobre cobras e víboras, e pisará leões e dragões.
14. "Eu o livrarei, porque a mim se apegou. Eu o protegerei, pois conhece o meu nome. Ele me invocará, e eu responderei.
15. Na angústia estarei com ele. Eu o livrarei e glorificarei.
16. Vou saciá-lo de longos dias e lhe farei ver a minha salvação".

[Salmos 92]
Salmos 92
(91)
CELEBRAR A AÇÃO DE DEUS
1. Salmo. Cântico. Para o dia de sábado.
2. É bom agradecer a Javé, e tocar para o teu nome, ó Altíssimo;
3. anunciar pela manhã o teu amor e tua fidelidade pela noite,
4. com a lira de dez cordas, com a cítara, e as vibrações da harpa:
5. porque teus atos, Javé, são a minha alegria, e as obras de tuas mãos o meu júbilo.
6. Como são grandes tuas obras, Javé, e teus projetos, como são profundos!
7. O imbecil não os compreende, o idiota não entende nada disso.
8. Ainda que os injustos brotem como erva, e todos os malfeitores floresçam, eles serão destruídos para sempre.
9. Porém tu, Javé, tu és elevado para sempre!
10. Eis que os teus inimigos perecem, e os malfeitores todos se dispersam.
11. Tu me dás o vigor de um touro e me unges com óleo novo.
12. Meu olho vê aqueles que me espreitam, meus ouvidos escutam os malfeitores.
13. O justo brota como palmeira, cresce como cedro do Líbano:
14. plantado na casa de Javé, brota nos átrios do nosso Deus.
15. Mesmo na velhice dará fruto, estará viçoso e frondoso,
16. para anunciar que Javé é reto, e que na minha Rocha não há injustiça.

[Salmos 93]
Salmos 93
(92)
JAVÉ É REI
1. Javé é Rei, vestido de majestade, Javé está vestido e envolto em poder: o mundo está firme e jamais tremerá.
2. Teu trono está firme desde a origem, e desde sempre tu existes.
3. Levantam os rios, ó Javé, os rios levantam a sua voz, os rios levantam o seu rumor.
4. Porém, mais que o estrondo das águas torrenciais, mais imponente que a ressaca do mar, é imponente Javé nas alturas.
5. Teus testemunhos são firmes de fato, a santidade é o adorno de tua casa, por dias sem fim, ó Javé!

[Salmos 94]
Salmos 94
(93)
DEUS FARÁ VINGANÇA
1. Javé, Deus das vinganças! Aparece, ó Deus das vinganças!
2. Levanta-te, ó juiz da terra, devolve o merecido aos soberbos!
3. Até quando os injustos, ó Javé, até quando os injustos irão triunfar?
4. Eles transbordam em palavras insolentes, todos os malfeitores se gabam.
5. Eles massacram o teu povo, Javé, eles humilham tua herança;
6. matam a viúva e o estrangeiro e assassinam os órfãos.
7. E comentam: "Javé nada vê, o Deus de Jacó nem percebe..."
8. Percebam vocês, imbecis consumados. Idiotas, quando irão entender?
9. Quem plantou o ouvido, não ouvirá? Quem formou o olho, não enxergará?
10. Quem educa as nações, não punirá? Quem ensina ao homem, não saberá?
11. Javé sabe que os pensamentos do homem são apenas um sopro.
12. Feliz o homem a quem educas, Javé, a quem ensinas com a tua lei,
13. dando-lhe descanso nos dias maus, enquanto para o injusto se abre uma cova.
14. Porque Javé não rejeita o seu povo, jamais abandona a sua herança;
15. o justo alcançará seu direito, e os corações retos terão futuro.
16. Quem se levanta a meu favor contra os maus? Quem se coloca ao meu lado contra os malfeitores?
17. Se Javé não viesse em meu socorro, eu já estaria habitando no silêncio.
18. Quando me parece que vou tropeçar, o teu amor me sustenta, Javé.
19. Quando minhas preocupações se multiplicam tuas consolações me alegram.
20. Poderá acaso aliar-se a ti um tribunal criminoso que dita injustiças em nome da lei?
21. Embora atentem contra a vida do justo, e condenem à morte o inocente,
22. Javé será a minha fortaleza, Deus será a rocha onde me abrigo.
23. Ele é quem lhes pagará pela injustiça deles, e os destruirá pela maldade que praticam. Javé nosso Deus os destruirá!

[Salmos 95]
Salmos 95
(94)
ESCUTEM O QUE DEUS FALA
1. Venham, exultemos em Javé, aclamemos o Rochedo que nos salva.
2. Entremos com louvor em sua presença, vamos aclamá-lo com instrumentos.
3. Porque Javé é um Deus grande, o soberano de todos os deuses.
4. Ele tem nas mãos as profundezas da terra, e é dele o cimo das montanhas.
5. Dele é o mar, pois foi ele quem o fez, e a terra firme, que suas mãos modelaram.
6. Entrem e se prostrem e se inclinem, bendizendo a Javé que nos fez.
7. Porque ele é o nosso Deus, e nós somos o seu povo, o rebanho que ele conduz. Oxalá vocês escutem hoje o que ele diz:
8. "Não endureçam seus corações como aconteceu em Meriba, como no dia de Massa, no deserto,
9. quando seus antepassados me provocaram e tentaram, mesmo vendo as minhas obras".
10. Por quarenta anos aquela geração me desgostou. Então eu disse: "É um povo de coração transviado, que não reconhece meus caminhos...
11. Por isso eu jurei na minha ira: Jamais entrarão no meu repouso".

[Salmos 96]
Salmos 96
(95)
DEUS VEM PARA GOVERNAR A TERRA
1. Cantem para Javé um cântico novo! Terra inteira, cante para Javé!
2. Cantem para Javé, bendigam o seu nome! Proclamem sua vitória dia após dia,
3. anunciem sua glória por entre as nações, suas maravilhas a todos os povos!
4. Porque Javé é grande e digno de louvor, mais terrível que todos os deuses!
5. Sim, os deuses dos povos são aparência; enquanto Javé fez o céu.
6. Majestade e esplendor o precedem, poder e beleza estão em seu templo.
7. Famílias dos povos, aclamem a Javé! Aclamem a glória e o poder de Javé!
8. Aclamem a glória do nome de Javé, entrem em seu átrio, trazendo-lhe ofertas.
9. Adorem a Javé no seu átrio sagrado. Terra inteira, trema na presença de Javé!
10. Digam às nações: Javé é Rei! Ele firmou o mundo, que jamais tremerá. Ele governa os povos com retidão.
11. Que o céu se alegre e a terra exulte, estronde o mar, e tudo o que ele contém.
12. Que o campo festeje, e tudo o que nele existe, e as árvores da selva gritem de alegria
13. diante de Javé, pois ele vem. Ele vem para governar a terra: governará o mundo com justiça, e as nações com fidelidade.

[Salmos 97]
Salmos 97
(96)
DEUS DERROTA OS ÍDOLOS
1. Javé é Rei! A terra exulta, e as ilhas numerosas ficam alegres!
2. Trevas e Nuvens o envolvem, Justiça e Direito sustentam o seu trono.
3. À frente dele avança um fogo, devorando seus inimigos ao redor.
4. Seus relâmpagos deslumbram o mundo, e, ao vê-los, a terra estremece.
5. Os montes se derretem como cera diante do Senhor de toda a terra.
6. O céu anuncia a sua justiça, e os povos todos contemplam a sua glória.
7. Os que adoram estátuas se envergonham, todos os que se orgulham dos ídolos. Porque diante dele os deuses todos se prostram.
8. Sião ouve e se alegra, e as cidades de Judá exultam por tuas sentenças, ó Javé.
9. Sim, porque tu és, ó Javé, o Altíssimo sobre a terra inteira, mais elevado que todos os deuses.
10. Javé ama quem detesta o mal, ele protege a vida dos seus fiéis e os liberta da mão dos injustos.
11. A luz se levanta para o justo, e a alegria para os corações retos.
12. Justos, alegrem-se com Javé, e celebrem sua memória santa!

[Salmos 98]
Salmos 98
(97)
A VITÓRIA DE DEUS É JUSTA
1. Salmo. Cantem para Javé um cântico novo, pois ele fez maravilhas: sua direita e seu braço santo lhe deram a vitória.
2. Javé fez conhecer sua vitória, revelou sua justiça às nações.
3. Lembrou-se do seu amor e fidelidade em favor da casa de Israel. Os confins da terra contemplaram a vitória do nosso Deus.
4. Terra inteira, aclame a Javé, e dê gritos de alegria!
5. Toquem para Javé com a harpa e o som dos instrumentos.
6. Com trombetas e o som da corneta, aclamem o rei Javé!
7. Estronde o mar e o que ele contém, o mundo e os seus habitantes.
8. Batam palmas os rios todos, e as montanhas gritem de alegria
9. diante de Javé, pois ele vem para governar a terra. Ele governará o mundo com justiça e os povos com retidão.

[Salmos 99]
Salmos 99
(98)
DEUS É SANTO
1. Javé é Rei: os povos estremecem! Sentado sobre querubins: a terra se abala!
2. Javé é grande em Sião, elevado sobre todos os povos.
3. Reconheçam teu nome grande e terrível: "Ele é Santo!"
4. Reinas com poder e amas a justiça. Tu estabeleceste a retidão. Administras a justiça e o direito, tu ages em Jacó.
5. Exaltem a Javé nosso Deus e se prostrem à frente do seu pedestal: "Ele é Santo!"
6. Moisés e Aarão, com seus sacerdotes, e Samuel, com os que invocam o nome de Javé, clamavam a Javé, e ele respondia.
7. Deus lhes falava da coluna de nuvem, e guardavam os testemunhos dele, e a lei que lhes dera.
8. Javé, nosso Deus, tu lhes respondias, eras para eles um Deus de perdão, e um Deus vingador de suas maldades.
9. Exaltem a Javé nosso Deus, e se prostrem perante o seu monte santo: [Salmos 100]"Javé nosso Deus é Santo!"

Salmos 100
(99)
SOMENTE JAVÉ É DEUS
1. Salmo. Para ação de graças. Terra inteira, aclame a Javé!
2. Sirva a Javé com alegria, e vá até ele com gritos jubilosos!
3. Saiba que somente Javé é Deus: Ele nos fez e a ele pertencemos, somos seu povo e ovelhas do seu rebanho.
4. Entrem por suas portas dando graças, com cantos de louvor em seus átrios, celebrem a ele e bendigam o seu nome:
5. "Sim, Javé é bom: o seu amor é para sempre, e sua fidelidade de geração em geração".

[Salmos 101]
Salmos 101
(100)
UM PROGRAMA DE GOVERNO
1. De Davi. Salmo. Vou cantar o amor e a justiça. Para ti, Javé, eu quero tocar.
2. Vou andar na integridade: quando virás a mim? Andarei de coração íntegro dentro da minha casa.
3. Não colocarei uma coisa infame diante dos meus olhos. Eu odeio quem pratica o mal; esse nunca se juntará a mim.
4. Longe de mim o coração pervertido. Eu ignoro o perverso.
5. Quem difama seu próximo em segredo, eu o farei calar. Olhar altivo e coração orgulhoso, eu não suportarei.
6. Meus olhos estão nos leais da terra, para que habitem comigo. Quem anda no caminho dos íntegros, este será o meu ministro.
7. Em minha casa não habitará quem pratica fraudes. E quem fala mentiras não permanecerá diante dos meus olhos.
8. A cada manhã eu farei calar todos os injustos da terra, para extirpar da cidade de Javé todos os malfeitores.

[Salmos 102]
Salmos 102
(101)
A DOENÇA ENCURTA A VIDA!
1. Prece de um infeliz que, desfalecido, derrama sua lamentação diante de Javé.
2. Javé, ouve a minha prece, que o meu grito chegue a ti!
3. Não escondas tua face de mim, no dia da minha angústia. Inclina teu ouvido para mim, e no dia em que eu te invoco, responde-me depressa!
4. Porque os meus dias se consomem em fumaça, e meus ossos queimam como braseiro.
5. Pisado como relva, meu coração está secando, e eu me esqueço até mesmo de comer o meu pão.
6. Por causa da violência do meu grito, os ossos já se grudam à minha pele.
7. Estou como o pelicano do deserto, como o mocho das ruínas.
8. Fico desperto, gemendo, como ave solitária no telhado.
9. Meus inimigos me ultrajam o dia todo e me amaldiçoam, furiosos contra mim.
10. Eu como cinza em vez de pão, e com a minha bebida misturo lágrimas,
11. por causa da tua cólera e do teu furor, pois me elevaste e me jogaste no chão.
12. Meus dias são sombra que se expande, e eu vou secando como relva.
13. Tu, porém, Javé, permaneces para sempre, e tua lembrança passa de geração em geração!
14. Levanta-te, tenha pena de Sião, pois é tempo de teres piedade dela. Sim, chegou a hora,
15. porque teus servos amam suas pedras, compadecidos de sua ruína.
16. As nações temerão o teu nome, e os reis da terra a tua glória.
17. Quando Javé reconstruir Sião e aparecer com a sua glória;
18. quando se voltar para a prece do indefeso e não desprezar sua prece,
19. fique escrito isto para a geração futura, e um povo recriado louvará a Deus:
20. Javé se inclinou do seu alto santuário e do céu contemplou a terra,
21. para ouvir o gemido dos prisioneiros e libertar os condenados à morte;
22. para proclamar em Sião o nome de Javé, e em Jerusalém o seu louvor,
23. quando se reunirem povos e reinos para servir a Javé.
24. Ele esgotou a minha força no caminho, encurtou os meus dias.
25. Então eu disse: "Meu Deus, não me arrebates na metade dos meus dias". Teus anos duram gerações de gerações.
26. No princípio, tu firmaste a terra, e o céu é obra de tuas mãos.
27. Eles perecerão, mas tu permaneces. Ficarão gastos como roupa, serão como veste que se muda.
28. Tu, porém, és o mesmo sempre, e teus anos jamais se acabarão.
29. Os filhos de teus servos viverão seguros, e a descendência deles se manterá na tua presença.

[Salmos 103]
Salmos 103
(102)
DEUS É AMOR
1. De Davi. Bendiga a Javé, ó minha alma, e todo o meu ser ao seu nome santo!
2. Bendiga a Javé, ó minha alma, e não esqueça nenhum dos seus benefícios.
3. Ele perdoa suas culpas todas, e cura todos os seus males.
4. Ele redime da cova a sua vida, e a coroa de amor e compaixão.
5. Ele sacia seus anos de bens e sua juventude se renova, como a da águia.
6. Javé faz justiça e defende todos os oprimidos.
7. Revelou seus caminhos a Moisés, e suas façanhas aos filhos de Israel.
8. Javé é compaixão e piedade, lento para a cólera e cheio de amor.
9. Ele não vai disputar perpetuamente, e seu rancor não dura para sempre.
10. Nunca nos trata conforme os nossos erros, nem nos devolve segundo as nossas culpas.
11. Como o céu se ergue por sobre a terra, seu amor se levanta por aqueles que o temem.
12. Como o oriente está longe do ocidente, assim ele afasta de nós as nossas transgressões.
13. Como um pai é compassivo com seus filhos, Javé é compassivo com aqueles que o temem:
14. Porque ele conhece a nossa estrutura, ele se lembra do pó que somos nós.
15. Os dias do homem são como a relva, ele floresce como a flor do campo.
16. Roça-lhe um vento, e já não existe, e ninguém mais reconhece o seu lugar.
17. Mas o amor de Javé existe desde sempre, e para sempre existirá para aqueles que o temem. Sua justiça é para os filhos dos filhos,
18. para os que observam a sua aliança e se lembram de cumprir as suas ordens.
19. Javé pôs no céu o seu trono, e sua realeza governa o universo.
20. Bendigam a Javé, anjos seus, executores poderosos de suas ordens, obedientes ao som de sua palavra.
21. Bendigam a Javé, seus exércitos todos, ministros que cumprem a sua vontade.
22. Bendigam a Javé, todas as suas obras, nos lugares todos onde ele governa. Bendiga a Javé, ó minha alma!

[Salmos 104]
Salmos 104
(103)
HINO AO SENHOR DA VIDA
1. Bendiga a Javé, ó minha alma! Javé, meu Deus, como és grande! Vestido de esplendor e majestade,
2. envolto em luz como num manto, estendendo os céus como tenda,
3. construindo tua morada sobre as águas. Tomando as nuvens como teu carro, caminhando sobre as asas do vento.
4. Tu fazes dos ventos os teus mensageiros, e das chamas de fogo os teus ministros!
5. Assentaste a terra sobre suas bases, inabalável para sempre e eternamente.
6. Cobriste a terra com o manto do oceano, e as águas pousaram por cima das montanhas.
7. Diante da tua ameaça, porém, elas fugiram, precipitaram-se, ao fragor do teu trovão.
8. Subiram pelos montes, desceram pelos vales, para o lugar que tinhas fixado para elas.
9. Marcaste um limite que elas não podem transpor, e não voltarão a cobrir a terra.
10. Tu fazes brotar fontes de água pelos vales, e elas correm por entre as montanhas.
11. Dão de beber a todas as feras do campo, e os asnos selvagens aí matam a sede.
12. Junto a elas se abrigam as aves do céu, desferindo seu canto por entre a folhagem.
13. De tuas altas moradas regas os montes, e a terra se sacia com tua obra fecunda.
14. Tu fazes brotar relva para o rebanho, e plantas úteis para o homem. Dos campos ele tira o pão,
15. e o vinho que alegra seu coração; o azeite, que dá brilho ao seu rosto, e o alimento, que lhe dá forças.
16. As árvores de Javé se saciam, os cedros do Líbano que ele plantou.
17. Aí se aninham os pássaros, no seu topo a cegonha tem sua casa.
18. As altas montanhas são para as cabras, e os rochedos um refúgio para as ratazanas.
19. Tu fizeste a lua para marcar os tempos, o sol conhece o seu próprio ocaso.
20. Mandas as trevas e vem a noite, e nela rondam as feras da selva;
21. rugem os leõezinhos em busca da presa, pedindo a Deus o sustento.
22. Ao nascer do sol se retiram e se entocam nos seus covis.
23. O homem sai para sua faina, e para o seu trabalho até à tarde.
24. Como são numerosas as tuas obras, Javé! A todas fizeste com sabedoria. A terra está repleta das tuas criaturas.
25. Eis o vasto mar, com braços imensos, onde se movem, inumeráveis, animais pequenos e grandes.
26. Aí circulam os navios, e o Leviatã, que formaste para com ele brincares.
27. Todos eles esperam de ti que a seu tempo lhes atires o alimento:
28. tu o atiras e eles o recolhem, abres tua mão, e se saciam de bens.
29. Escondes tua face e eles se apavoram, retiras deles a respiração, e expiram, voltando a ser pó.
30. Envias o teu sopro e eles são criados, e assim renovas a face da terra.
31. Que a glória de Javé seja para sempre; que ele se alegre com suas obras!
32. Ele olha a terra e ela estremece, toca as montanhas e elas fumegam.
33. Vou cantar para Javé, enquanto eu viver, louvarei o meu Deus, enquanto existir.
34. Que o meu poema lhe seja agradável, e eu me alegrarei com Javé.
35. Que os pecadores desapareçam da terra, e os injustos nunca mais existam. Bendiga a Javé, ó minha alma! Aleluia!

[Salmos 105]
Salmos 105
(104)
A HISTÓRIA TESTEMUNHA A AÇÃO DE DEUS
1. Celebrem a Javé, invoquem o seu nome, anunciem entre os povos as suas façanhas!
2. Cantem para ele, ao som de instrumentos, recitem suas maravilhas todas!
3. Gloriem-se do seu nome santo, alegre-se o coração dos que buscam Javé!
4. Procurem Javé e sua força, busquem sempre a sua face.
5. Recordem as maravilhas que ele fez, os prodígios e as sentenças de sua boca.
6. Descendência de Abraão, seu servo, filhos de Jacó, seu escolhido!
7. O nosso Deus é Javé, ele governa a terra inteira.
8. Ele se lembra para sempre da sua aliança, da palavra empenhada por mil gerações.
9. Da aliança que selou com Abraão, do juramento feito a Isaac,
10. confirmado como lei para Jacó, como aliança eterna para Israel:
11. "Eu lhe darei a terra de Canaã, como sua parte na herança".
12. Quando era possível contá-los, eram pouco numerosos, estrangeiros na terra:
13. iam e vinham, de nação em nação, de um reino para um povo diferente.
14. Ele não deixou que ninguém os oprimisse, e por causa deles, até reis castigou:
15. "Não toquem nos meus ungidos, não maltratem os meus profetas!"
16. Ele chamou a fome sobre a terra e cortou o sustento de pão.
17. Tinha mandado um homem à sua frente: José, vendido como escravo.
18. Com grilhões lhe afligiram os pés e lhe puseram ferros no pescoço,
19. até que se cumpriu sua predição, e a palavra de Javé lhe deu crédito.
20. O rei mandou soltá-lo, o senhor dos povos o livrou.
21. E o constituiu senhor da sua casa, administrador de todos os seus bens,
22. para instruir a seu gosto os príncipes, e ensinar sabedoria aos anciãos.
23. Então Israel entrou no Egito, e Jacó residiu na terra de Cam.
24. Deus fez seu povo crescer muito, e o tornou mais poderoso que seus opressores.
25. A esses ele mudou o coração, para que odiassem o povo dele, e com os servos dele usassem de astúcia.
26. Então ele enviou Moisés, seu servo, e Aarão, a quem escolhera.
27. Contra aqueles fizeram seus sinais, prodígios na terra de Cam.
28. Ele mandou-lhes a treva e tudo escureceu, mas eles afrontaram suas ordens.
29. Transformou suas águas em sangue, fazendo perecer os seus peixes.
30. Sua terra pululou de rãs, até nos aposentos reais.
31. Ordenou que viessem insetos, mosquitos sobre todo o território.
32. Em lugar de chuvas, deu-lhes granizo, chamas de fogo em sua terra.
33. Feriu suas vinhas e figueiras, e quebrou as árvores do território deles.
34. Ordenou e vieram os gafanhotos, inumeráveis saltadores,
35. que comeram toda a erva de sua terra, e devoraram o fruto do seu campo.
36. Feriu todos os primogênitos de sua terra, os primeiros frutos de sua raça.
37. Tirou o seu povo carregado de ouro e prata, e entre suas tribos ninguém tropeçava.
38. O Egito se alegrou quando saíram, porque sobre ele haviam infundido seu terror.
39. Ele estendeu uma nuvem para cobri-los, e um fogo para iluminar a noite.
40. Pediram, e ele fez vir codornizes, e os saciou com o pão do céu.
41. Fendeu a rocha e brotaram águas, correndo no deserto como um rio.
42. Porque se lembrou de sua palavra sagrada, que dera ao seu servo Abraão:
43. fez seu povo sair com alegria, e seus eleitos com gritos jubilosos.
44. Deu a eles as terras das nações, e se apossaram do trabalho dos povos:
45. para que guardassem os seus estatutos e observassem as suas leis. Aleluia!

[Salmos 106]
Salmos 106
(105)
A HISTÓRIA TESTEMUNHA A INFIDELIDADE DO HOMEM
1. Aleluia! Agradeçam a Javé, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!
2. Quem poderá contar as proezas de Javé e proclamar todo o seu louvor?
3. Feliz quem observa o direito e pratica a justiça em todo o tempo!
4. Javé, lembra-te de mim, por amor do teu povo, visita-me com a tua salvação,
5. para que eu experimente a felicidade dos teus eleitos, me alegre com a alegria do teu povo, e me glorie com a tua herança!
6. Nós pecamos com nossos antepassados, cometemos maldades e injustiças.
7. Nossos antepassados no Egito não compreenderam as tuas maravilhas. Não se lembraram do teu grande amor, e se rebelaram contra o Altíssimo, junto ao mar Vermelho.
8. Deus, porém, os salvou por causa do seu nome, para manifestar o seu poder.
9. Ameaçou o mar Vermelho, e ele secou, guiou-os pelo abismo, como em terra firme.
10. Salvou-os da mão do adversário, redimiu-os da mão do inimigo.
11. As águas cobriram seus opressores, e nenhum deles pôde escapar.
12. Então acreditaram nas palavras dele e cantaram o seu louvor.
13. Bem depressa se esqueceram das obras dele, e não confiaram no seu projeto:
14. ardiam de ambição no deserto e tentaram a Deus em lugares solitários.
15. Ele concedeu-lhes o que pediam, mas enviou uma cólica para a gula deles.
16. Enciumaram Moisés no acampamento, e Aarão, o consagrado a Javé:
17. a terra se abriu e engoliu Datã, e recobriu o grupo de Abiram.
18. Um fogo abrasou seu grupo, uma chama devorou os injustos.
19. Em Horeb fabricaram um novilho, adoraram um ídolo de metal.
20. Eles trocaram sua Glória pela imagem de um touro, comedor de capim.
21. Esqueceram o Deus que os salvou, realizando prodígios no Egito,
22. maravilhas na terra de Cam, coisas terríveis junto ao mar Vermelho.
23. Então ele decidiu exterminá-los, não fosse por Moisés, seu escolhido, que intercedeu diante dele para desviar seu furor em destruí-los.
24. Desprezaram uma terra de delícias, não tiveram fé na palavra dele.
25. Murmuravam dentro de suas tendas, não obedeceram à voz de Javé.
26. Ele ergueu a mão e jurou que os faria morrer no deserto,
27. que dispersaria a descendência deles entre as nações, e os espalharia entre as terras.
28. Ligaram-se depois ao Baal de Fegor, e comeram sacrifícios feitos a deuses mortos.
29. Provocaram a Deus com suas perversões, e um flagelo irrompeu contra eles.
30. Porém Finéias se levantou e fez justiça, e o flagelo foi contido.
31. Seja-lhe isso considerado como justiça, de geração em geração, para sempre.
32. Eles o irritaram junto às águas de Meriba e por sua causa sobreveio o mal para Moisés:
33. haviam irritado o espírito dele, e Moisés falou sem refletir.
34. Eles não exterminaram os povos, de quem Javé lhes falara.
35. Eles se misturaram com as nações e aprenderam os costumes delas.
36. Adoraram seus ídolos, que se tornaram cilada para eles.
37. Sacrificaram aos demônios seus filhos e suas filhas.
38. Derramaram o sangue inocente, e profanaram a terra com sangue.
39. Sujaram-se com suas próprias obras, e se prostituíram com suas ações.
40. Javé se inflamou contra o seu povo, e rejeitou a sua herança.
41. Entregou-os na mão das nações, e seus adversários os dominaram.
42. Seus inimigos os tiranizaram e sob a mão deles ficaram curvados.
43. Quantas vezes ele os livrou! Mas eles, obstinados na revolta, pereciam por causa de sua própria injustiça.
44. Ele, porém, viu a angústia deles e ouviu seus gritos.
45. Lembrou-se de sua aliança com eles e moveu-se por seu grande amor.
46. Concedeu-lhes que se movessem de compaixão todos aqueles que os mantinham cativos.
47. Salva-nos, Javé nosso Deus! Congrega-nos dentre as nações, para que celebremos teu nome santo, felicitando-nos com teu louvor!
48. Seja bendito Javé, Deus de Israel, desde agora e para sempre! E todo o povo diga: Amém! Aleluia!

[Salmos 107]
Salmos 107
(106)
DEUS INVERTE AS SITUAÇÕES
1. Agradeçam a Javé, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!
2. Repitam isso os redimidos por Javé, que ele redimiu da mão do opressor,
3. que ele reuniu do meio das trevas, do oriente e do ocidente, do norte e do sul.
4. Eles erravam por um deserto solitário, sem achar o caminho para uma cidade habitada.
5. Estavam famintos e sedentos, e a vida já os abandonava.
6. Na sua aflição, clamaram para Javé, e ele os libertou de suas angústias.
7. Ele os guiou pelo caminho certo, para que chegassem a uma cidade habitada.
8. Que eles agradeçam a Javé o seu amor, as maravilhas que faz pelos homens.
9. Ele saciou a garganta sedenta e encheu de bens a garganta faminta.
10. Eles habitavam sombras e trevas, prisioneiros de ferros e miséria,
11. por se revoltarem contra as ordens de Deus, desprezando o projeto do Altíssimo.
12. Ele humilhou seu coração com fadigas: sucumbiam, e ninguém os socorria.
13. Na sua aflição, clamaram para Javé, e ele os libertou de suas angústias.
14. Ele os tirou das sombras e trevas, e rompeu seus grilhões.
15. Que eles agradeçam a Javé o seu amor, as maravilhas que faz pelos homens.
16. Ele quebrou as portas de bronze, despedaçou as trancas de ferro.
17. Insensatos, no caminho da transgressão, eram afligidos por suas próprias injustiças;
18. rejeitavam qualquer alimento e já batiam às portas da morte.
19. Na sua aflição, clamaram para Javé, e ele os libertou de suas angústias.
20. Ele enviou sua palavra para curá-los, e para salvá-los da perdição.
21. Que eles agradeçam a Javé o seu amor, as maravilhas que faz pelos homens.
22. Ofereçam sacrifícios de louvor, proclamem suas obras com gritos de alegria.
23. Desciam de navio pelo mar, comerciando na imensidão das águas.
24. Eles viram as obras de Javé, suas maravilhas em alto-mar.
25. Ele falou, levantando um vento impetuoso, que elevou as ondas do mar.
26. Eles subiam até o céu e baixavam até o abismo, a vida deles se agitava na desgraça.
27. Rodavam, balançando como bêbados, e de nada adiantou a perícia deles.
28. Na sua aflição, clamaram para Javé, e ele os libertou de suas angústias.
29. Ele transformou a tempestade em leve brisa e as ondas emudeceram.
30. Ficaram alegres com a bonança, e ele os guiou ao porto desejado.
31. Que eles agradeçam a Javé o seu amor, as maravilhas que faz pelos homens.
32. Que o exaltem na assembléia do povo, e o louvem no conselho dos anciãos!
33. Ele transforma rios em deserto, nascentes em terra sedenta,
34. terra fértil em salina, por causa do mal de seus habitantes.
35. Transforma o deserto em lençóis de água, terra seca em nascentes;
36. e aí faz morar os famintos, que fundam uma cidade habitada.
37. Eles semeiam campos e plantam vinhas, e colhem frutos em abundância.
38. Ele os abençoa e sempre mais se multiplicam, e não deixa o rebanho deles diminuir.
39. Depois diminuem e vão minguando pela opressão do mal e sofrimento.
40. Ele espalha o desprezo contra os poderosos, fazendo-os vagar na confusão sem saída.
41. Mas tira o indigente da miséria e multiplica famílias como rebanhos.
42. Os corações retos admiram e ficam alegres, e toda injustiça fecha a boca.
43. Quem é sábio? Observe essas coisas, e saiba discernir o amor de Javé!

[Salmos 108]
Salmos 108
(107)
COM DEUS FAREMOS PROEZAS
1. Cântico. Salmo. De Davi.
2. Meu coração está firme, ó Deus. Para ti cantarei e tocarei, ó glória minha.
3. Despertem, cítara e harpa, que eu vou despertar a aurora.
4. Vou louvar-te entre os povos, Javé, vou tocar para ti em meio às nações,
5. pois o teu amor é maior do que o céu, e a tua fidelidade chega até as nuvens.
6. Eleva-te acima do céu, ó Deus, e tua glória domine a terra inteira,
7. para que os teus amados sejam libertos, e tua mão salvadora responda para nós.
8. Deus falou no seu santuário: "Triunfante ocuparei Siquém, e repartirei o vale de Sucot.
9. Meu é Galaad, meu é Manassés. Efraim é o elmo da minha cabeça, e Judá o meu cetro de comando.
10. Moab é a bacia onde me lavo, sobre Edom lanço minha sandália, e sobre a Filistéia canto vitória".
11. Quem me levará a uma cidade-forte, quem me conduzirá até Edom,
12. se tu, ó Deus, nos rejeitaste, e já não sais com nossas tropas?
13. Concede-nos socorro na opressão, porque o auxílio humano é inútil!
14. Com Deus nós faremos proezas: ele pisará nossos opressores!

[Salmos 109]
Salmos 109
(108)
DEUS É ADVOGADO DOS POBRES
1. Do mestre de canto. De Davi. Salmo. Deus do meu louvor, não te cales,
2. pois uma boca maldosa e traiçoeira abriu-se contra mim. Com língua mentirosa falam para mim;
3. e me rodeiam com palavras de ódio, e me combatem sem motivo.
4. Em troca da minha amizade, me acusam, e eu fico suplicando.
5. Eles me devolvem o mal pelo bem, o ódio em paga da minha amizade.
6. Nomeia contra ele um injusto, um acusador que esteja à direita dele.
7. Saia condenado do julgamento, e sua defesa não dê certo.
8. Que seus dias sejam breves, e outro ocupe o seu emprego.
9. Que seus filhos fiquem órfãos, e sua mulher se torne viúva.
10. Que seus filhos fiquem vagando a mendigar, e sejam expulsos das ruínas.
11. Que o usurário roube o que ele possui, e estrangeiros depredem os seus bens.
12. Que ninguém lhe mostre clemência, e ninguém se compadeça de seus órfãos.
13. Que sua descendência seja cortada, e seu nome se extinga numa só geração.
14. Que Javé se lembre da culpa de seus pais, e o pecado de sua mãe nunca seja apagado.
15. Que Javé os tenha sempre na sua frente, e corte da terra a lembrança deles!
16. Porque ele não se lembrou de agir com clemência, porque perseguiu o pobre e o indigente, e até à morte o coração contrito.
17. Ele amou a maldição: que esta recaia sobre ele. Ele não buscou a bênção: que ela o abandone.
18. Vestia-se de maldição como de um manto: que ela penetre suas entranhas como água, e como óleo em seus ossos.
19. Seja para ele como roupa a cobri-lo, como cinto que o aperte sempre!
20. Que Javé pague assim os que me acusam, os que proferem o mal contra mim!
21. Tu, porém, Javé, trata-me bem, por teu nome, liberta-me, pela ternura do teu amor,
22. porque eu sou um pobre indigente, e, dentro de mim, o meu coração está ferido.
23. Vou passando, como sombra que se expande, sou atirado para longe, como gafanhoto.
24. Jejuei tanto, que meus joelhos se dobram, e sem óleo minha carne emagrece.
25. Tornei-me para eles um ultraje, e os que me vêem balançam a cabeça.
26. Javé, meu Deus, vem socorrer-me! Salva-me, por teu amor!
27. Reconheçam que tudo isso vem da tua mão, que foste tu, Javé, quem o fez!
28. Que eles maldigam... Bendize-me tu! Que meus inimigos fracassem, enquanto o teu servo se alegra.
29. Cubram-se de infâmia os que me acusam, e a vergonha os envolva como um manto.
30. Agradecerei a Javé em alta voz, e o louvarei no meio da multidão,
31. pois ele se colocou à direita do pobre, para salvar a sua vida da mão dos juízes.

[Salmos 110]
Salmos 110
(109)
A FUNÇÃO DO REI
1. De Davi. Salmo. Oráculo de Javé ao meu senhor: "Sente-se à minha direita, e eu farei de seus inimigos o estrado de seus pés".
2. Desde Sião, Javé estenderá o poder do seu cetro: submeta na batalha os seus inimigos.
3. "Você é príncipe desde o dia do seu nascimento, entre esplendores sagrados. Eu mesmo o gerei, como orvalho, antes da aurora".
4. Javé jurou e jamais desmentirá: "Você é sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedec".
5. O Senhor está à sua direita e esmagará os reis no dia da ira.
6. Pronunciará a sentença contra as nações, amontoará cadáveres, e esmagará cabeças por toda a imensidão da terra.
7. Em seu caminho beberá da torrente, e por isso levantará a cabeça.

[Salmos 111]
Salmos 111
(110)
A VERDADEIRA TRADIÇÃO
1. Aleluia! Eu celebro a Javé de todo o coração, na companhia dos retos, no conselho.
2. São grandes as obras de Javé, dignas de estudo para quem as ama.
3. Sua obra é esplendor e majestade, sua generosidade permanece para sempre.
4. Ele fez maravilhas memoráveis. Javé é piedade e compaixão:
5. dá alimento aos que o temem, sempre se lembrando da sua aliança.
6. Ao seu povo mostrou a força do seu agir, entregando-lhe a herança das nações.
7. Justiça e Verdade são as obras de suas mãos, seus preceitos todos merecem confiança.
8. São estáveis para sempre e eternamente, vão cumprir-se com verdade e retidão.
9. Enviou a libertação ao seu povo, confirmando sua aliança para sempre. Seu nome é santo e terrível.
10. O princípio da sabedoria é o temor de Javé. Todos quantos o praticam têm bom senso. O louvor a Javé permanece para sempre.

[Salmos 112]
Salmos 112
(111)
RETRATO DO HOMEM JUSTO
1. Aleluia! Feliz o homem que teme a Javé e se compraz com seus mandamentos!
2. Sua descendência será poderosa na terra, a descendência dos retos será abençoada.
3. Na sua casa há abundância e riqueza. Sua justiça permanece para sempre.
4. Ele brilha na treva como luz para os retos, ele é piedade, compaixão e justiça.
5. Feliz quem tem piedade e empresta, e conduz seus negócios com retidão.
6. Eis que ele jamais vacilará. A memória do justo é para sempre.
7. Ele nunca teme as notícias más: seu coração está firme em Javé.
8. Seu coração está seguro e não teme nada, até ver seus opressores derrotados.
9. Ele dá esmola aos indigentes. Sua justiça permanece para sempre, e ele ergue a fronte com dignidade.
10. O injusto olha e se desgosta, range os dentes e definha. A ambição dos injustos fracassará.

[Salmos 113]
Salmos 113
(112)
O GRANDE MISTÉRIO DE DEUS
1. Aleluia! Louvem, servos de Javé, louvem o nome de Javé!
2. Seja bendito o nome de Javé, desde agora e para sempre.
3. Do nascer do sol até o poente, louvado seja o nome de Javé!
4. Javé se eleva sobre todos os povos, sua glória está acima do céu!
5. Quem é igual a Javé nosso Deus, que se eleva em seu trono,
6. e se abaixa para olhar pelo céu e pela terra?
7. Ele ergue da poeira o fraco e tira do lixo o indigente,
8. fazendo-o sentar-se com os príncipes, ao lado dos príncipes do seu povo.
9. Ele faz a estéril sentar-se em sua casa, como alegre mãe de filhos. Aleluia!

[Salmos 114]
Salmos 114
(113A)
O POVO É SANTUÁRIO DE DEUS
1. Quando Israel saiu do Egito, e a casa de Jacó de um povo balbuciante,
2. Judá se tornou o seu santuário, e Israel o seu domínio.
3. Ao vê-los, o mar fugiu, o Jordão voltou atrás.
4. Os montes saltaram como carneiros, e as colinas como cordeiros.
5. Mar, o que você tem para fugir assim? E você, Jordão, para voltar atrás?
6. E as montanhas, para saltar como carneiros? E as colinas, para saltar como cordeiros?
7. A terra estremece diante do Senhor, ante a presença do Deus de Jacó:
8. ele transforma as rochas em lago e a pedreira em fontes de água.

[Salmos 115]
Salmos 115
(113B)
DEUS NOS MANTÉM VIVOS
1. Não a nós, Javé, não a nós! Honra, sim, o teu próprio nome, por teu amor e fidelidade.
2. Por que diriam as nações: "Onde está o Deus deles?"
3. O nosso Deus está no céu, e faz tudo o que deseja.
4. Os ídolos deles são prata e ouro, obras de mãos humanas:
5. têm boca e não falam, têm olhos e não vêem;
6. têm ouvidos e não ouvem, têm nariz e não cheiram;
7. têm mãos e não tocam, têm pés e não andam, sua garganta não tem voz.
8. Aqueles que os fazem ficam como eles, todos aqueles que neles confiam!
9. A casa de Israel confia em Javé: ele é seu auxílio e seu escudo!
10. A casa de Aarão confia em Javé: ele é seu auxílio e seu escudo!
11. Os que temem a Javé confiam em Javé: ele é seu auxílio e seu escudo!
12. Que Javé se lembre de nós e nos abençoe: abençoe a casa de Israel, abençoe a casa de Aarão,
13. abençoe os que temem a Javé, pequenos e grandes.
14. Que Javé os multiplique, a vocês e seus filhos!
15. Sejam abençoados por Javé, que fez o céu e a terra.
16. O céu pertence a Javé, mas a terra ele a deu para os homens.
17. Os mortos já não louvam a Javé, nem os que descem ao lugar do silêncio.
18. Nós, os vivos, nós bendizemos a Javé, desde agora e para sempre! Aleluia!

[Salmos 116]
Salmos 116
(114 E 115)
COMO AGRADECER A DEUS?
1. Eu amo a Javé, porque ele ouve a minha voz suplicante,
2. porque inclina seu ouvido para mim, no dia em que eu o invoco.
3. Laços de morte me cercavam, eram redes mortais, e eu caí na angústia e aflição.
4. Então eu invoquei o nome de Javé: "Javé, salva minha vida!"
5. Javé é justo e clemente, o nosso Deus é compassivo.
6. Javé protege os simples: eu fraquejava, e ele me salvou.
7. Volte ao repouso, ó minha vida, porque Javé foi bondoso com você.
8. Libertou minha vida da morte, meus olhos das lágrimas e meus pés de uma queda.
9. Caminharei na presença de Javé, na terra dos vivos.
10. Eu tinha fé, mesmo ao dizer: "Estou por demais arrasado!"
11. Em meu apuro eu dizia: "Os homens são todos mentirosos!"
12. Como retribuirei a Javé todo o bem que ele me fez?
13. Erguerei o cálice da salvação, invocando o nome de Javé.
14. Cumprirei meus votos a Javé, na presença de todo o seu povo!
15. É valiosa aos olhos de Javé a morte dos seus fiéis.
16. Eu sou teu servo, Javé, teu servo e filho de tua serva. Tu rompeste os meus grilhões.
17. Vou oferecer-te um sacrifício de louvor, invocando o nome de Javé.
18. Cumprirei meus votos a Javé, na presença de todo o seu povo,
19. nos átrios da casa de Javé, em seu meio, ó Jerusalém! Aleluia!

[Salmos 117]
Salmos 117
(116)
DEUS É O NOSSO ALIADO
1. Louvem a Javé, nações todas, e o glorifiquem todos os povos!
2. Pois o seu amor por nós é firme, e sua fidelidade é para sempre! Aleluia!

[Salmos 118]
Salmos 118
(117)
AGRADEÇAM A DEUS!
1. Agradeçam a Javé, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!
2. A casa de Israel repita: o seu amor é para sempre!
3. A casa de Aarão repita: o seu amor é para sempre!
4. Os que temem a Javé repitam: o seu amor é para sempre!
5. Na minha angústia, eu gritei para Javé: ele me ouviu e me aliviou.
6. Javé está comigo: jamais temerei! O que o homem me poderia fazer?
7. Javé está comigo, ele me ajuda: eu verei a derrota dos meus inimigos!
8. É melhor refugiar-se em Javé do que depositar confiança no homem.
9. É melhor refugiar-se em Javé do que depositar confiança nos chefes.
10. As nações todas me cercaram: em nome de Javé, eu as rechacei!
11. Cercaram-me, fecharam o cerco: em nome de Javé, eu as rechacei!
12. Cercaram-me como vespas, ardendo como fogo no espinheiro: em nome de Javé, eu as rechacei!
13. Iam empurrando para me derrubar, Javé porém me socorreu.
14. Javé é minha força e energia, ele é a minha salvação.
15. Há gritos de júbilo e vitória nas tendas dos justos: "A direita de Javé é poderosa!
16. A direita de Javé é sublime! A direita de Javé é poderosa!"
17. Não vou morrer. Eu viverei para contar as obras de Javé.
18. Javé me castigou e castigou, mas não me entregou à morte!
19. Abram para mim as portas do triunfo: vou entrar agradecendo a Javé.
20. Esta é a porta de Javé: os vencedores entrarão por ela.
21. Eu te agradeço, porque me ouviste, e foste a minha salvação!
22. A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular.
23. Isso vem de Javé, e é maravilha aos nossos olhos.
24. Este é o dia em que Javé agiu: exultemos e alegremo-nos com ele.
25. Javé, dá-nos a salvação! Dá-nos a prosperidade, Javé!
26. Bendito o que vem em nome de Javé! Desde a casa de Javé nós abençoamos vocês.
27. Javé é Deus: ele nos ilumina! Formem procissão com ramos até os ângulos do altar.
28. Tu és o meu Deus, eu te agradeço. Meu Deus, eu te exalto!
29. Agradeçam a Javé, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!

[Salmos 119]
Salmos 119
(118)
A PALAVRA DE DEUS ILUMINA O CAMINHO DO HOMEM
1. Felizes os íntegros em seu caminho, os que andam conforme a vontade de Javé.
2. Felizes os que guardam os seus testemunhos, procurando-o de todo o coração,
3. aqueles que andam no caminho dele, sem praticar a injustiça!
4. Tu promulgaste os teus preceitos para serem observados à risca.
5. Que os meus caminhos sejam firmes, para que eu observe os teus estatutos.
6. Então eu não sentirei vergonha, ao considerar os teus mandamentos todos.
7. Eu te celebrarei de coração reto, aprendendo tuas justas normas.
8. Vou observar os teus estatutos, não me abandones nunca.
9. Como um jovem poderá conservar puro o seu caminho? Observando a tua palavra.
10. Eu te busco de todo o coração, não me deixes afastar dos teus mandamentos.
11. Conservei tuas promessas no meu coração, para não pecar contra ti.
12. Sejas bendito, Javé! Ensina-me os teus estatutos.
13. Com meus lábios eu enumero todas as normas de tua boca.
14. Eu me alegro com o caminho dos teus testemunhos, mais do que com todas as riquezas.
15. Vou meditar os teus preceitos e considerar os teus caminhos.
16. Eu me delicio com a tua vontade e não me esqueço da tua palavra.
17. Faze o bem ao teu servo, e eu viverei observando a tua palavra.
18. Abre os meus olhos, para eu contemplar as maravilhas da tua vontade.
19. Eu sou estrangeiro na terra, não escondas de mim os teus mandamentos.
20. Minha alma se consome, desejando tuas normas todo o tempo.
21. Tu ameaças os soberbos, os malditos que se desviam dos teus mandamentos.
22. Retira de mim o ultraje e o desprezo, pois eu guardo os teus testemunhos.
23. Os príncipes podem se reunir e falar contra mim, o teu servo medita os teus estatutos.
24. Teus testemunhos são minhas delícias, teus estatutos são meus conselheiros.
25. Minha garganta está pegada ao pó, dá-me vida, pela tua palavra.
26. Eu enumero meus caminhos, tu me respondes: ensina-me os teus estatutos.
27. Faze-me entender o caminho dos teus preceitos, e eu meditarei sobre as tuas maravilhas.
28. Minha alma se desfaz de tristeza; põe-me de pé, conforme a tua palavra.
29. Afasta-me do caminho da mentira, e dá-me a graça da tua vontade.
30. Eu escolhi o caminho da verdade, e me conformo com as tuas normas.
31. Eu me apego aos teus testemunhos. Javé, não me deixes envergonhado.
32. Correrei pelo caminho dos teus mandamentos, quando alargares o meu coração.
33. Javé, mostra-me o caminho dos teus estatutos, eu quero guardá-los como recompensa.
34. Ensina-me a cumprir a tua vontade, para observá-la de todo o coração.
35. Guia-me pelo caminho dos teus mandamentos, pois nele está o meu prazer.
36. Inclina o meu coração para os teus testemunhos, e não para o interesse.
37. Evita que meus olhos vejam o que é inútil; dá-me vida, pela tua palavra.
38. Confirma para o teu servo a promessa que fizeste aos teus fiéis.
39. Desvia de mim o ultraje que eu temo, pois tuas normas são boas.
40. Eis que eu desejo teus preceitos; dá-me vida, pela tua justiça.
41. Javé, que o teu amor venha até mim, e a tua salvação, conforme a tua promessa!
42. Aos que me ultrajam, eu responderei que confio na tua palavra.
43. Não me tires da boca a palavra sincera, pois eu espero em tuas normas.
44. Cumprirei a tua vontade sem cessar, para sempre e eternamente.
45. Andarei por caminho largo, procurando os teus preceitos.
46. Vou falar de teus testemunhos diante dos reis, sem ficar envergonhado.
47. Minhas delícias são os teus mandamentos, que eu amo tanto.
48. Levanto para ti as minhas mãos, recitando os teus estatutos.
49. Lembra-te da tua palavra ao teu servo, na qual tu me fazes esperar.
50. Esta é a minha consolação na miséria: tua promessa me traz vida.
51. Os soberbos zombam de mim à vontade, mas eu não me desvio da tua lei.
52. Javé, recordo as tuas normas de outrora, e me consolo.
53. Fiquei enfurecido diante dos injustos que abandonam a tua vontade.
54. Teus estatutos são cânticos para mim, na minha casa de peregrino.
55. Javé, eu me lembro do teu nome durante a noite, e observo a tua lei.
56. Esta é a parte que cabe a mim: observar os teus preceitos.
57. Minha porção, Javé, eu o digo, é observar as tuas palavras.
58. De todo o coração busco acalmar a tua face: tem piedade de mim, conforme a tua promessa!
59. Reflito em meus caminhos, voltando meus passos para os teus testemunhos.
60. Eu me apresso, e não me atraso, em observar os teus mandamentos.
61. Os laços dos injustos me envolvem, eu não me esqueço da tua vontade.
62. À meia noite eu me levanto para te agradecer por tuas normas justas.
63. Eu me associo a todos os que temem a ti e observam as tuas normas.
64. A terra, Javé, está cheia do teu amor: ensina-me os teus estatutos.
65. Javé, agiste bem com o teu servo, segundo a tua palavra.
66. Ensina-me o bom senso e o saber, pois eu creio nos teus mandamentos.
67. Antes de sofrer, eu me desviava; agora eu observo a tua promessa.
68. Tu és bom e benfeitor: ensina-me os teus estatutos.
69. Os soberbos lançam calúnias contra mim, mas de todo o coração eu guardo os teus preceitos.
70. O coração deles é espesso como gordura, mas eu me delicio com a tua vontade.
71. Para mim, é bom sofrer, pois aprendo os teus estatutos.
72. A lei da tua boca é um bem para mim, mais que milhões em ouro e prata.
73. Tuas mãos me fizeram e formaram: ensina-me, para que eu aprenda teus mandamentos.
74. Os que temem a ti me olhem com alegria, pois eu espero em tua palavra.
75. Javé, eu sei que as tuas normas são justas, e que por fidelidade me fazes sofrer.
76. Que o teu amor seja a minha consolação, conforme a tua promessa ao teu servo!
77. Que a tua misericórdia venha até mim, e eu viverei, pois a tua vontade é a minha delícia.
78. Que se envergonhem os soberbos, que lançam calúnias contra mim! Eu medito nos teus preceitos.
79. Voltem-se para mim os que temem a ti, os que conhecem os teus testemunhos.
80. Que o meu coração seja íntegro em teus estatutos, para que eu não fique envergonhado.
81. Eu me consumo pela tua salvação, esperando pela tua palavra.
82. Meus olhos se consomem pela tua promessa: quando me consolarás?
83. Estou como odre na fumaça; nunca me esqueço dos teus estatutos.
84. Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os meus perseguidores?
85. Os soberbos abriram covas para mim; eles não andam conforme a tua vontade.
86. Teus mandamentos todos são verdadeiros; eles me perseguem sem razão: ajuda-me!
87. Por pouco não me derrubavam por terra, mas eu não abandono os teus preceitos.
88. Faze-me viver, por teu amor, e eu observarei o testemunho da tua boca.
89. Javé, tua palavra é para sempre, é mais estável do que o céu.
90. Tua fidelidade continua, de geração em geração, como a terra que fixaste, e ela permanece.
91. Tudo existe até hoje conforme as tuas normas, pois as coisas todas servem a ti.
92. Se tua vontade não fosse o meu prazer, eu já teria perecido na miséria.
93. Jamais vou esquecer os teus preceitos, pois é com eles que tu me fazes viver.
94. Eu pertenço a ti: salva-me, pois eu busco os teus preceitos.
95. Que os injustos esperem a minha ruína: eu sei discernir os teus testemunhos.
96. Eu vi o limite de toda perfeição: o teu mandamento se dilata sem fim.
97. Quanto eu amo a tua vontade! Eu medito nela o dia todo.
98. Teu mandamento me torna mais sábio que os meus inimigos porque ele me pertence para sempre.
99. Sou mais sábio que todos os meus mestres, porque medito em teus testemunhos.
100. Sou mais sagaz que os idosos, porque observo os teus preceitos.
101. Eu desvio os meus pés de qualquer caminho mau, para observar a tua palavra.
102. Jamais me desvio de tuas normas, porque és tu quem me ensina.
103. Como é doce ao meu paladar a tua promessa, é mais do que o mel em minha boca!
104. Com teus preceitos, sou capaz de discernir e detestar qualquer caminho mau.
105. Tua palavra é lâmpada para os meus pés, e luz para o meu caminho.
106. Eu jurei, e sustento: observar as tuas justas normas.
107. Estou por demais humilhado, Javé, faze-me viver, conforme a tua palavra.
108. Javé, aceita os votos que pronuncio, e ensina-me as tuas normas.
109. Minha vida está sempre em perigo, porém não me esqueço da tua vontade.
110. Os injustos estendem um laço para mim, porém não me desvio dos teus preceitos.
111. Teus testemunhos são a minha herança para sempre, a alegria do meu coração.
112. Aplico o meu coração em praticar os teus estatutos; essa é a minha recompensa para sempre.
113. Eu detesto os corações divididos e amo a tua vontade.
114. Tu és o meu refúgio e o meu escudo, eu espero pela tua palavra.
115. Afastem-se de mim, perversos, que eu vou guardar os mandamentos do meu Deus.
116. Sustenta-me, conforme a tua promessa, e eu viverei; não deixes que a minha esperança me envergonhe.
117. Apóia-me, e serei salvo e estarei sempre atento aos teus estatutos.
118. Tu desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois o seu cálculo é mentira.
119. Tens como escória todos os injustos da terra, por isso eu amo os teus testemunhos.
120. Minha carne se arrepia com temor de ti, e eu temo, por causa de tuas normas.
121. Pratiquei o direito e a justiça; não me entregues aos meus opressores.
122. Sê fiador do teu servo para o bem, e que os soberbos não me oprimam.
123. Meus olhos se consomem pela tua salvação, e pela promessa da tua justiça.
124. Age com o teu servo conforme o teu amor, e ensina-me os teus estatutos.
125. Eu sou teu servo, faze-me discernir, e compreenderei os teus testemunhos.
126. Javé, é tempo de agir: eles violaram a tua vontade.
127. É por isso que eu amo os teus mandamentos, mais que ao ouro, e ouro refinado.
128. É por isso que aprecio os teus preceitos e odeio o caminho da mentira.
129. Teus testemunhos são maravilhas, por isso eu os guardo.
130. A descoberta das tuas palavras ilumina, e traz discernimento aos simples.
131. Abro a boca e aspiro, ansiando por teus mandamentos.
132. Volta-te para mim, tem piedade de mim: é a justiça para os que amam o teu nome.
133. Firma os meus passos com a tua promessa e não deixes que mal nenhum me domine.
134. Resgata-me da opressão do homem, e observarei os teus preceitos.
135. Ilumina a tua face para o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.
136. Torrentes de lágrimas me descem dos olhos, porque não cumprem a tua vontade.
137. Javé, tu és justo, e tuas normas são retas.
138. Como justiça, ordenaste os teus testemunhos, como verdade suprema.
139. O meu zelo me consome, pois os meus adversários esquecem as tuas palavras.
140. Tua promessa é puríssima, e o teu servo a ama.
141. Sou pequeno e desprezado, porém não esqueço os teus preceitos.
142. Tua justiça é justiça para sempre, e tua vontade é verdadeira.
143. Angústia e opressão me atingiram, teus mandamentos são minhas delícias.
144. Teus testemunhos são justiça para sempre, dá-me discernimento, e eu viverei.
145. Eu clamo de todo o coração. Javé, responde para mim! Eu observarei os teus estatutos.
146. Eu grito para ti: salva-me! Eu guardarei os teus testemunhos.
147. Antecipo a aurora e imploro, esperando pelas tuas palavras.
148. Meus olhos antecipam as vigílias, para meditar a tua promessa.
149. Javé, ouve a minha voz, por teu amor, faze-me reviver, conforme as tuas normas.
150. Perseguidores infames se aproximam, estão longe da tua vontade.
151. Tu estás bem perto, Javé, e os teus mandamentos são todos estáveis.
152. Conheço os teus mandamentos há muito tempo, porque os firmaste para sempre.
153. Olha a minha miséria e liberta-me, pois não me esqueço da tua vontade.
154. Redime a minha causa e defende-me, e pela tua promessa faze-me reviver.
155. A salvação está longe dos injustos, pois eles não procuram os teus estatutos.
156. Javé, tua compaixão é grande: faze-me reviver, conforme as tuas normas.
157. Meus perseguidores e opressores são numerosos, porém não me afastei dos teus testemunhos.
158. Vi os traidores e fiquei desgostoso: eles não observam a tua promessa.
159. Vê como eu amo teus preceitos, Javé, faze-me reviver, conforme o teu amor.
160. O compêndio da tua palavra é a verdade, e as tuas normas são justiça para sempre.
161. Príncipes me perseguem sem motivo, porém o meu coração teme as tuas palavras.
162. Alegro-me com a tua promessa, como quem acha um rico despojo.
163. Detesto e abomino a mentira, e amo a tua vontade.
164. Sete vezes por dia eu te louvo, por causa das tuas justas normas.
165. É grande a paz dos que amam a tua lei: para eles não existe tropeço.
166. Eu aguardo a tua salvação, Javé, e pratico os teus mandamentos.
167. Observo os teus testemunhos: eu os amo intensamente.
168. Observo os teus preceitos e testemunhos, e os meus caminhos estão todos à tua frente.
169. Que o meu clamor chegue à tua presença, Javé! Dá-me discernimento, conforme a tua palavra!
170. Que a minha súplica chegue à tua presença! Liberta-me, conforme a tua promessa!
171. Que os meus lábios publiquem o louvor, pois tu me ensinas os teus estatutos.
172. Que minha língua cante a tua promessa, pois os teus mandamentos todos são justos.
173. Que a tua mão venha socorrer-me, porque escolhi os teus preceitos.
174. Eu desejo a tua salvação, Javé, e a tua vontade é a minha delícia.
175. Que eu possa viver para te louvar, e tuas normas me auxiliem.
176. Eu me extraviei como ovelha perdida: vem procurar o teu servo, pois eu não esqueço os teus mandamentos.

[Salmos 120]
Salmos 120
(119)
ANGÚSTIA DO EMIGRANTE
1. Cântico das subidas. Em minha angústia eu gritei a Javé, e ele me respondeu.
2. Javé, livra-me dos lábios mentirosos e da língua traidora!
3. O que Deus te dará ou mandará, ó língua traidora?
4. Flechas de guerreiro, afiadas com brasas de giesta.
5. Ai de mim, exilado em Mosoc, acampado nas tendas de Cedar!
6. Já faz muito que eu moro com os que odeiam a paz.
7. Quando eu digo: "Paz", eles dizem: "Guerra".

[Salmos 121]
Salmos 121
(120)
DEUS É O GUARDA DO SEU POVO
1. Cântico para as subidas. Ergo os olhos para os montes: de onde virá o meu socorro?
2. O meu socorro vem de Javé, que fez o céu e a terra.
3. Ele não deixará que o seu pé tropece, o seu guarda jamais dormirá!
4. Sim, não dorme nem cochila o guarda de Israel.
5. Javé guarda você sob a sua sombra, ele está à sua direita.
6. De dia o sol não ferirá você, nem a lua de noite.
7. Javé guarda você de todo o mal, ele guarda a sua vida.
8. Javé guarda suas entradas e saídas, desde agora e para sempre.

[Salmos 122]
Salmos 122
(121)
A PAZ QUE VEM DA JUSTIÇA
1. Cântico das subidas. De Davi. Alegrei-me quando me disseram: "Vamos à casa de Javé!"
2. Nossos passos já se detêm junto aos teus umbrais, Jerusalém!
3. Jerusalém é fundada como cidade bem compacta.
4. Para ela sobem as tribos, as tribos de Javé, segundo o costume de Israel, para celebrar o nome de Javé.
5. Aí estão os tribunais da justiça, no palácio de Davi.
6. Desejem a paz para Jerusalém: "Vivam seguros os que amam você,
7. haja paz dentro de seus muros e segurança em seus palácios!"
8. Por meus irmãos e meus amigos, eu digo: "A paz esteja com você!"
9. Pela casa de Javé nosso Deus, desejo todo o bem a você.

[Salmos 123]
Salmos 123
(122)
TEM COMPAIXÃO DE NÓS!
1. Cântico das subidas. Para ti eu levanto os meus olhos, para ti, que habitas no céu.
2. Como os olhos dos escravos, fixos nas mãos do seu senhor, e como os olhos da escrava, fixos nas mãos da sua senhora, assim estão os nossos olhos fixos em Javé nosso Deus, até que se compadeça de nós.
3. Compaixão, Javé! Tem compaixão de nós, porque estamos fartos de desprezo!
4. Nossa vida está farta por demais do sarcasmo dos satisfeitos e do desprezo dos soberbos.

[Salmos 124]
Salmos 124
(123)
É DEUS QUEM PROTEGE O POVO
1. Cântico das subidas. De Davi. Não estivesse Javé do nosso lado, Israel que o diga
2. não estivesse Javé do nosso lado, quando os homens nos assaltaram...
3. nos teriam tragado vivos, tal o fogo de sua ira!
4. As águas nos teriam inundado, a torrente chegando ao pescoço;
5. as águas espumejantes chegariam ao nosso pescoço!
6. Seja bendito Javé! Ele não nos entregou como presas para os dentes deles.
7. Fugimos vivos, como o pássaro foge da rede do caçador: a rede rompeu-se, e nós escapamos.
8. O nosso auxílio é o nome de Javé, que fez o céu e a terra!

[Salmos 125]
Salmos 125
(124)
DEUS É A FORÇA DO POVO
1. Cântico das subidas. Aqueles que confiam em Javé são como o monte Sião: nunca se abala, está firme para sempre.
2. Jerusalém é rodeada de montanhas, e Javé envolve o seu povo, desde agora e para sempre.
3. O cetro do injusto não pesará sobre a parte dos justos, para que a mão dos justos não se estenda para o crime.
4. Javé, faze o bem aos bons, aos corações retos.
5. E os que se desviam por trilhas tortuosas, que Javé os rejeite com os malfeitores. Paz sobre Israel!

[Salmos 126]
Salmos 126
(125)
DEUS TRANSFORMA O SOFRIMENTO EM ALEGRIA
1. Cântico das subidas. Quando Javé mudou a sorte de Sião, parecíamos sonhar:
2. a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua de canções. Até entre as nações se comentava: "Javé foi grande com eles!"
3. Sim, Javé foi grande conosco, e por isso estamos alegres.
4. Que Javé mude a nossa sorte, como as torrentes do Negueb.
5. Os que semeiam com lágrimas, ceifam em meio a canções.
6. Vão andando e chorando ao levar a semente. Ao regressar, voltam cantando, trazendo seus feixes.

[Salmos 127]
Salmos 127
(126)
DEUS DÁ VIDA AOS SEUS AMIGOS
1. Cântico das subidas. De Salomão. Se Javé não constrói a casa, em vão labutam os seus construtores. Se Javé não guarda a cidade, em vão vigiam os guardas.
2. É inútil que vocês madruguem e se atrasem para deitar, para comer o pão com duros trabalhos: aos seus amigos, ele o dá enquanto dormem!
3. A herança que Javé concede são os filhos, seu salário é o fruto do ventre:
4. os filhos da juventude são flechas na mão de um guerreiro.
5. Feliz o homem que enche sua aljava com elas: não será derrotado nas portas da cidade quando litigar com seus inimigos.

[Salmos 128]
Salmos 128
(127)
A FELICIDADE VEM DA PARTILHA
1. Cântico das subidas. Feliz quem teme a Javé e anda em seus caminhos!
2. Você comerá do trabalho de suas próprias mãos, tranqüilo e feliz.
3. Sua esposa será como vinha fecunda, na intimidade do seu lar. Seus filhos, rebentos de oliveira, ao redor de sua mesa.
4. Essa é a bênção para o homem que teme a Javé.
5. Que Javé abençoe você desde Sião, e você veja a prosperidade de Jerusalém todos os dias de sua vida.
6. Que você veja os filhos de seus filhos. Paz sobre Israel!

[Salmos 129]
Salmos 129
(128)
A VITÓRIA NASCE DA RESISTÊNCIA
1. Cântico das subidas. Quanto me oprimiram desde a juventude, Israel que o diga
2. quanto me oprimiram desde a juventude! Mas nunca puderam comigo!
3. Os lavradores lavraram minhas costas e alongaram os seus sulcos.
4. Mas Javé é justo: ele cortou os chicotes dos injustos.
5. Voltem para trás, envergonhados, os que odeiam a Sião.
6. Sejam como a erva do telhado, que seca, e ninguém a corta,
7. que não enche a mão do ceifador, nem a braçada daquele que enfeixa.
8. E que os passantes não digam: "Javé abençoe vocês!" Nós abençoamos vocês em nome de Javé.

[Salmos 130]
Salmos 130
(129)
O PERDÃO QUE LIBERTA
1. Cântico das subidas. Das profundezas eu clamo para ti, Javé:
2. Senhor, ouve o meu grito! Que os teus ouvidos estejam atentos ao meu pedido por graça!
3. Javé, se levas em conta as culpas, quem poderá resistir?
4. Mas de ti vem o perdão, e assim infundes respeito.
5. Minha alma espera em Javé, espera em sua palavra.
6. Minha alma aguarda o Senhor, mais que os guardas pela aurora. Mais que os guardas pela aurora,
7. aguarde Israel a Javé. Pois de Javé vêm a graça e a redenção em abundância.
8. Ele vai redimir Israel de todas as suas culpas.

[Salmos 131]
Salmos 131
(130)
A MATURIDADE DA FÉ
1. Cântico das subidas. De Davi. Javé, meu coração não é ambicioso, nem meus olhos altaneiros. Não ando atrás de grandezas, nem de maravilhas que me ultrapassam.
2. Não! Eu fiz calar e repousar meus desejos, como criança desmamada no colo de sua mãe.
3. Israel, coloque a esperança em Javé, desde agora e para sempre!

[Salmos 132]
Salmos 132
(131)
DEUS NO MEIO DO POVO
1. Cântico das subidas. Javé, lembra-te de Davi, de suas fadigas todas:
2. como ele jurou a Javé e fez voto ao Poderoso de Jacó:
3. "Não entrarei na tenda, na minha casa, nem subirei à cama em que repouso,
4. não darei sono aos meus olhos, nem descanso às minhas pálpebras,
5. enquanto não encontrar um lugar para Javé, moradia para o Poderoso de Jacó".
6. Ouvimos que ela estava em Éfrata, e a encontramos nos Campos de Jaar.
7. Entremos em sua moradia, e nos prostremos diante do seu pedestal.
8. Levanta-te, Javé, vem para a tua mansão, vem com a arca da tua força.
9. Que teus sacerdotes se vistam de gala, e teus fiéis exultem de alegria.
10. Por causa de Davi, teu servo, não rejeites a face do teu messias.
11. Javé jurou a Davi uma promessa que jamais retratará: "É um fruto do seu ventre que eu vou colocar em seu trono.
12. Se seus filhos guardarem a minha aliança e o testemunho que lhes ensinei, também os filhos deles, para sempre, irão sentar-se em seu trono".
13. Porque Javé escolheu Sião, e a desejou como sua residência própria:
14. "Ela é a minha mansão para sempre, aí vou habitar, pois eu a desejei.
15. Vou abençoar suas provisões com largueza e saciar seus indigentes de pão.
16. De gala vestirei seus sacerdotes, e seus fiéis exultarão de alegria.
17. Farei brotar o vigor de Davi, acenderei uma lâmpada para o meu messias.
18. Vestirei seus inimigos de vergonha, e sobre ele vai brilhar a minha coroa".

[Salmos 133]
Salmos 133
(132)
DEUS AGE ATRAVÉS DA UNIÃO DO POVO
1. Cântico das subidas. De Davi. Vejam como é bom, como é agradável os irmãos viverem unidos.
2. É como óleo fino sobre a cabeça, descendo pela barba, a barba de Aarão; descendo sobre a gola de suas vestes.
3. É como o orvalho do Hermon, descendo sobre os montes de Sião. Porque aí Javé manda a bênção e a vida para sempre.

[Salmos 134]
Salmos 134
(133)
DEUS OS ABENÇOE!
1. Cântico das subidas. E agora, bendigam a Javé, servos todos de Javé, que passam a noite na casa de Javé.
2. Levantem as mãos para o santuário e bendigam a Javé!
3. Que de Sião Javé abençoe você, ele que fez o céu e a terra.

[Salmos 135]
Salmos 135
(134)
O SENHOR DA NATUREZA E DA HISTÓRIA
1. Aleluia! Louvem o nome de Javé, louvem, servos de Javé,
2. vocês que servem na casa de Javé, nos átrios da casa do nosso Deus.
3. Louvem a Javé, porque ele é bom. Toquem ao seu nome, porque é agradável.
4. Pois ele escolheu Jacó para si, fez de Israel a sua propriedade.
5. Sim, eu sei que Javé é grande, que o nosso Deus supera os deuses todos.
6. Javé faz tudo o que deseja no céu e na terra, nos mares e oceanos.
7. Faz subir as nuvens do horizonte, desata a chuva com os relâmpagos, solta o vento de seus reservatórios.
8. Ele feriu os primogênitos do Egito, desde os homens até os animais.
9. Enviou sinais e prodígios, no meio de você, ó Egito, contra o Faraó e seus ministros.
10. Ele feriu povos numerosos e destruiu poderosos reis:
11. Seon, rei dos amorreus, Og, rei de Basã, e todos os reis de Canaã.
12. Deu a terra deles como herança, herança para o seu povo Israel.
13. Javé, teu nome é para sempre! Javé, tua lembrança passa de geração em geração.
14. Javé governa o seu povo e se compadece de seus servos.
15. Os ídolos das nações são prata e ouro, obras de mãos humanas:
16. têm boca e não falam, têm olhos e não vêem,
17. têm ouvidos e não ouvem, não há um sopro sequer em sua boca.
18. Aqueles que os fazem ficam como eles, todos aqueles que neles confiam!
19. Casa de Israel, bendiga a Javé! Casa de Aarão, bendiga a Javé!
20. Casa de Levi, bendiga a Javé! Fiéis de Javé, bendigam a Javé!
21. Javé seja bendito em Sião, ele que habita em Jerusalém. Aleluia!

[Salmos 136]
Salmos 136
(135)
O GRANDE LOUVOR
1. Celebrem a Javé, porque ele é bom, porque o seu amor é para sempre!
2. Celebrem ao Deus dos deuses, porque o seu amor é para sempre!
3. Celebrem ao Senhor dos senhores, porque o seu amor é para sempre!
4. Só ele fez grandes maravilhas, porque o seu amor é para sempre!
5. Ele fez os céus com inteligência, porque o seu amor é para sempre!
6. Ele firmou a terra sobre as águas, porque o seu amor é para sempre!
7. Ele fez os grandes luminares, porque o seu amor é para sempre!
8. O sol para governar o dia, porque o seu amor é para sempre!
9. A lua para governar a noite, porque o seu amor é para sempre!
10. Ele feriu o Egito em seus primogênitos, porque o seu amor é para sempre!
11. Ele tirou Israel do meio deles, porque o seu amor é para sempre!
12. Com mão forte e braço estendido, porque o seu amor é para sempre!
13. Ele dividiu o mar Vermelho em duas partes, porque o seu amor é para sempre!
14. E por entre elas fez passar Israel, porque o seu amor é para sempre!
15. Mas nele arrojou o Faraó e seu exército, porque o seu amor é para sempre!
16. Ele guiou seu povo pelo deserto, porque o seu amor é para sempre!
17. Ele feriu reis famosos, porque o seu amor é para sempre!
18. Ele matou reis poderosos, porque o seu amor é para sempre!
19. Seon, rei dos amorreus, porque o seu amor é para sempre!
20. Og, rei de Basã, porque o seu amor é para sempre!
21. Ele deu a terra deles como herança, porque o seu amor é para sempre!
22. Como herança ao seu servo Israel, porque o seu amor é para sempre!
23. Ele se lembrou de nós em nossa humilhação, porque o seu amor é para sempre!
24. Ele nos livrou dos nossos opressores, porque o seu amor é para sempre!
25. Ele dá o pão a todo ser vivo, porque o seu amor é para sempre!
26. Celebrem ao Deus dos céus, porque o seu amor é para sempre!

[Salmos 137]
Salmos 137
(136)
FIDELIDADE ATÉ NO EXÍLIO
1. Junto aos canais de Babilônia nos sentamos e choramos, com saudades de Sião.
2. Nos salgueiros de suas margens penduramos nossas harpas.
3. Lá, os que nos exilaram pediam canções, nossos raptores queriam diversão: "Cantem para nós um canto de Sião!"
4. Como cantar um canto de Javé em terra estrangeira?
5. Se eu me esquecer de você, Jerusalém, que seque a minha mão direita.
6. Que a minha língua se cole ao paladar, se eu não me lembrar de você, e se eu não elevar Jerusalém ao topo da minha alegria!
7. Javé, pede contas aos filhos de Edom no dia de Jerusalém, quando diziam: "Arrasem a cidade! Arrasem até os alicerces!"
8. Ó devastadora capital de Babilônia, feliz quem lhe devolver o mal que você fez para nós!
9. Feliz quem agarrar e esmagar seus nenês contra o rochedo!

[Salmos 138]
Salmos 138
(137)
DEUS OLHA O HUMILDE
1. De Davi. Eu te agradeço, Javé, de todo o meu coração. Na presença dos anjos eu canto para ti.
2. Eu me prostro em direção ao teu santuário, e agradeço ao teu nome, por teu amor e fidelidade, pois a tua promessa supera a tua fama.
3. Quando eu gritei, tu me ouviste, e aumentaste a força em minha alma.
4. Todos os reis da terra te agradeçam, Javé, pois eles ouvem as promessas de tua boca.
5. Cantem os caminhos de Javé, porque a glória de Javé é grande!
6. Javé é sublime, mas olha para o humilde, e conhece de longe o soberbo.
7. Quando eu caminho entre perigos, tu me conservas a vida. Estendes o braço contra a ira do meu inimigo, e a tua direita me salva.
8. Javé fará tudo por mim. Javé, o teu amor é para sempre! Não abandones a obra de tuas mãos!

[Salmos 139]
Salmos 139
(138)
É DEUS QUE REVELA QUEM SOMOS
1. Do mestre de canto. De Davi. Salmo. Javé, tu me sondas e me conheces.
2. Tu conheces o meu sentar e o meu levantar, de longe penetras o meu pensamento.
3. Examinas o meu andar e o meu deitar, meus caminhos todos são familiares a ti.
4. A palavra ainda não me chegou à língua, e tu, Javé, a conheces inteira.
5. Tu me envolves por detrás e pela frente, e sobre mim colocas a tua mão.
6. É um saber maravilhoso que me ultrapassa, é alto demais: não posso atingi-lo!
7. Para onde irei, longe do teu sopro? Para onde fugirei, longe da tua presença?
8. Se subo ao céu, tu aí estás. Se me deito no abismo, aí te encontro.
9. Se levanto vôo para as margens da aurora, se emigro para os confins do mar,
10. aí me alcançará tua esquerda, e tua direita me sustentará.
11. Se eu digo: "Ao menos as trevas me cubram, e a luz se transforme em noite ao meu redor",
12. mesmo as trevas não são trevas para ti, e a noite é clara como o dia.
13. Sim! Pois tu formaste meus rins, tu me teceste no seio materno.
14. Eu te agradeço por tão grande prodígio, e me maravilho com as tuas maravilhas! Conhecias até o fundo de minha alma,
15. e meus ossos não te eram escondidos. Quando eu era formado, em segredo, tecido na terra mais profunda,
16. teus olhos viam as minhas ações, e eram todas escritas no teu livro. Os meus dias já estavam calculados, antes mesmo que chegasse o primeiro.
17. Mas a mim, como são difíceis os teus projetos! Meu Deus, como é grande a soma deles!
18. Se os conto... são mais numerosos que areia! E, ao despertar, ainda estou contigo!
19. Ah! meu Deus, se matasse o injusto! Se os assassinos se apartassem de mim!
20. Eles falam de ti com ironia, e em vão se rebelam contra ti!
21. Não odiaria eu aqueles que te odeiam? Não detestaria eu aqueles que se rebelam contra ti?
22. Eu os odeio com ódio implacável! Eu os tenho por meus inimigos!
23. Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração! Prova-me, e conhece os meus sentimentos!
24. Vê se não ando por um caminho fatal, e conduze-me pelo caminho eterno.

[Salmos 140]
Salmos 140
(139)
TU ÉS O MEU DEUS!
1. Do mestre de canto. Salmo. De Davi.
2. Javé, salva-me do homem perverso, defende-me do homem violento.
3. Eles planejam o mal em seu coração e a cada dia provocam brigas.
4. Afiam a língua como serpentes, e sob seus lábios existe veneno de víbora.
5. Javé, defende-me das mãos do injusto, guarda-me do homem violento. Eles planejam tropeços para os meus passos.
6. Os soberbos me preparam armadilhas, os perversos me estendem uma rede e me colocam ciladas no caminho.
7. Mas eu digo a Javé: "Tu és o meu Deus". Javé, ouve a minha voz suplicante!
8. Senhor Javé, meu forte salvador, tu me cobres a cabeça no dia da batalha!
9. Javé, não aproves os desejos dos injustos, não favoreças os planos deles! Que os que me cercam não levantem a cabeça.
10. Que a maldade de seus próprios lábios os recubra!
11. Chovam sobre eles brasas acesas. Caiam em abismos e não consigam levantar-se!
12. Que o caluniador não se afirme sobre a terra, e que o mal persiga o violento até a morte!
13. Eu sei que Javé faz justiça ao pobre e defende o direito dos indigentes.
14. Os justos louvarão o teu nome, e os retos viverão na tua presença.

[Salmos 141]
Salmos 141
(140)
A TENTAÇÃO DO JUSTO
1. Salmo. De Davi. Javé, eu te chamo, socorre-me depressa! Ouve a minha voz quando eu clamo para ti!
2. Suba a minha prece como incenso à tua presença, minhas mãos erguidas como oferta vespertina!
3. Javé, coloca em minha boca uma guarda, uma sentinela à porta dos meus lábios.
4. Impede meu coração de se inclinar para o mal, de cometer crimes junto com os malfeitores. Não vou participar de seus banquetes!
5. Que o justo me bata, que o bom me corrija. Que o óleo do injusto não me perfume a cabeça, pois eu iria me comprometer com suas maldades.
6. Seus chefes caíram, despencando-se, embora ouvissem as minhas palavras amáveis.
7. Como pedra de moinho, rebentada por terra, nossos ossos estão espalhados junto à boca do túmulo.
8. Para ti, Javé, eu elevo os meus olhos, eu me refugio em ti, não me deixes indefeso.
9. Guarda-me das armadilhas que prepararam para mim, e das ciladas dos malfeitores.
10. Caiam os injustos em suas próprias redes, enquanto eu escapo, em liberdade!

[Salmos 142]
Salmos 142
(141)
A PERSISTÊNCIA DO JUSTO
1. Poema. De Davi. Quando estava na caverna. Prece.
2. Gritando para Javé, eu imploro! Gritando para Javé, eu suplico!
3. Derramo à frente dele o meu lamento, diante dele exponho a minha angústia,
4. enquanto o meu alento desfalece. Tu, porém, conheces o meu caminho, e foi no caminho por onde eu ando que eles me prepararam uma armadilha.
5. Olha para a direita e vê: ninguém mais me reconhece, nenhum lugar de refúgio, ninguém que olhe por mim!
6. Eu grito para ti, Javé, e digo: "Tu és o meu refúgio, a minha parte na terra da vida".
7. Presta atenção ao meu clamor, pois já estou esgotado. Livra-me dos meus perseguidores, pois são mais fortes do que eu!
8. Faze-me sair da minha prisão, para que eu agradeça ao teu nome! Os justos se ajuntarão ao meu redor, por causa do bem que tu me fizeste.

[Salmos 143]
Salmos 143
(142)
A HONRA DE DEUS EM JOGO
1. Salmo. De Davi. Javé, ouve a minha prece! Tu és fiel, atende as minhas súplicas! Tu és justo, responde-me!
2. Não entres em julgamento contra o teu servo, pois, diante de ti, nenhum vivente é justo!
3. O inimigo me persegue, esmaga por terra a minha vida, e me faz habitar nas trevas, como aqueles que estão mortos para sempre.
4. Meu alento já vai desfalecendo, e dentro de mim meu coração se assusta.
5. Recordo os dias de outrora, medito em todas as tuas ações, refletindo sobre a obra de tuas mãos.
6. Para ti estendo os meus braços, a minha vida é terra sedenta de ti.
7. Javé, responde-me depressa, pois o meu alento se extingue! Não me escondas a tua face: eu ficaria como os que baixam à cova.
8. Faze-me ouvir o teu amor pela manhã, pois é em ti que eu confio. Indica-me o caminho a seguir, pois a ti elevo a minha alma.
9. Livra-me dos meus inimigos, Javé, pois eu me refugio junto a ti.
10. Ensina-me a cumprir a tua vontade, pois tu és o meu Deus. Que o teu bom espírito me conduza por uma terra aplainada.
11. Javé, por teu nome, conserva-me vivo, e por tua justiça tira-me da angústia.
12. Por teu amor, aniquila os meus inimigos e destrói os meus adversários todos, porque eu sou o teu servo.

[Salmos 144]
Salmos 144
(143)
AUTORIDADE JUSTA
1. De Davi. Seja bendito Javé, o meu rochedo, que adestra minhas mãos para a batalha e meus dedos para a guerra.
2. Meu benfeitor, minha fortaleza, minha torre forte e meu libertador, meu escudo e meu refúgio, que a mim submete os povos.
3. Javé, o que é o homem para que o conheças, o filho de um mortal, para que o leves em conta?
4. O homem é como sopro, e seus dias como sombra que passa.
5. Javé, inclina o teu céu e desce, toca os montes, e eles fumegarão.
6. Fulmina o raio, e dispersa-os, lança tuas flechas, e afugenta-os!
7. Do alto estende a tua mão, salva-me, livra-me das águas torrenciais, da mão dos estrangeiros.
8. Sua boca fala mentiras, e sua direita jura falso.
9. Ó Deus, eu cantarei para ti um cântico novo, tocarei para ti a harpa de dez cordas.
10. És tu que dás a vitória aos reis e salvas a Davi, teu servo. Defende-me da espada cruel,
11. livra-me da mão dos estrangeiros. Sua boca fala mentiras, e sua direita jura falso.
12. Sejam nossos filhos como plantas, crescidos desde a adolescência. Nossas filhas sejam colunas talhadas, estruturas de um templo.
13. Nossos celeiros estejam repletos de frutos de toda espécie. Nossos rebanhos, aos milhares, se multipliquem em nossos campos,
14. e nossos bois estejam carregados. Não haja brecha nem fuga, nem grito de alarme em nossas praças.
15. Feliz o povo onde isso acontece. Feliz o povo cujo Deus é Javé!

[Salmos 145]
Salmos 145
(144)
DEUS MERECE O LOUVOR
1. Louvor. De Davi. Eu te exalto, meu Deus, meu Rei, e bendigo o teu nome para sempre e eternamente.
2. Vou te bendizer todos os dias e louvar o teu nome para sempre e eternamente.
3. Grande é Javé! Ele merece todo o louvor. É incalculável a sua grandeza.
4. Uma geração apregoa tuas obras para a outra, proclamando as tuas façanhas.
5. Tua fama é esplendor de glória: eu cantarei o relato das tuas maravilhas.
6. Falarão do poder dos teus terrores, e eu cantarei a tua grandeza.
7. Difundirão a lembrança da tua bondade imensa, e aclamarão a tua justiça.
8. Javé é piedade e compaixão, lento para a cólera e cheio de amor.
9. Javé é bom para todos, compassivo com todas as suas obras.
10. Que tuas obras todas te agradeçam, Javé, e teus fiéis te bendigam.
11. Proclamem a glória do teu reino e falem das tuas façanhas,
12. para anunciar tuas façanhas aos homens, e a majestade gloriosa do teu reino.
13. Teu reino é reino para os séculos todos, e teu governo para gerações e gerações. Javé é fiel às suas palavras, amoroso em todas as suas obras.
14. Javé ampara todos os que caem, e endireita todos os encurvados.
15. Em ti esperam os olhos de todos, e no tempo certo tu lhes dás o alimento.
16. Abres a mão, e sacias à vontade todo ser vivo.
17. Javé é justo em seus caminhos todos, e fiel em todas as suas obras.
18. Ele está perto de todos aqueles que o invocam, de todos os que o invocam sinceramente.
19. Ele realiza o desejo dos que o temem, ouve o grito deles e os salva.
20. Javé guarda todos os que o amam, mas vai destruir todos os injustos.
21. Minha boca pronuncie o louvor de Javé, e todo ser vivo bendiga seu nome santo, para sempre e eternamente!

[Salmos 146]
Salmos 146
(145)
DEUS É FIEL AOS OPRIMIDOS
1. Aleluia! Louve a Javé, ó minha alma!
2. Vou louvar a Javé, enquanto eu viver. Vou tocar ao meu Deus, enquanto existir!
3. Não coloquem a segurança nos poderosos, num homem que não pode salvar!
4. Exalam o espírito e voltam ao pó, e no mesmo dia perecem seus planos!
5. Feliz quem se apóia no Deus de Jacó, quem coloca sua esperança em Javé seu Deus.
6. Foi ele quem fez o céu e a terra, o mar e tudo o que nele existe. Ele mantém sua fidelidade para sempre,
7. fazendo justiça aos oprimidos, e dando pão aos famintos. Javé liberta os prisioneiros.
8. Javé abre os olhos dos cegos. Javé endireita os encurvados. Javé ama os justos.
9. Javé protege os estrangeiros, sustenta o órfão e a viúva, mas transtorna o caminho dos injustos.
10. Javé reina para sempre. O teu Deus, ó Sião, reina de geração em geração! Aleluia!

[Salmos 147]
Salmos 147
(146-147)
É BOM LOUVAR A DEUS
1. Aleluia! Louvem a Javé, pois é bom cantar. O nosso Deus merece harmonioso louvor.
2. Javé reconstrói Jerusalém, reúne os exilados de Israel.
3. Cura os corações despedaçados e cuida dos seus ferimentos.
4. Ele conta o número das estrelas, e chama cada uma pelo nome.
5. Nosso Senhor é grande e poderoso, e a sua sabedoria é sem medida.
6. Javé sustenta os pobres e rebaixa os injustos até o chão.
7. Entoem o agradecimento a Javé, cantem ao nosso Deus com a harpa.
8. Ele cobre o céu com nuvens, preparando a chuva para a terra. Faz brotar erva sobre os montes e plantas úteis ao homem.
9. Fornece alimento para o rebanho, e aos filhotes do corvo que grasnam.
10. Ele não se compraz com o vigor do cavalo, nem aprecia os músculos do homem.
11. Javé aprecia aqueles que o temem, aqueles que esperam por seu amor.
12. Glorifique a Javé, Jerusalém, louve o seu Deus, ó Sião.
13. Ele reforçou as trancas de suas portas, abençoou os filhos de você em seu seio.
14. Colocou paz em suas fronteiras, saciou você com a flor do trigo.
15. Ele envia suas ordens à terra, e sua palavra corre velozmente.
16. Faz cair a neve como lã, e espalha a geada como cinza.
17. Ele atira seu gelo em migalhas e congela as águas com o frio.
18. Ele envia sua palavra e as derrete, sopra seu vento e as águas correm.
19. Ele anuncia sua palavra a Jacó, seus estatutos e normas a Israel.
20. Com nação nenhuma agiu desse modo, e nenhuma conheceu as normas dele. Aleluia!

[Salmos 148]
Salmos 148

O LOUVOR DO POVO DE DEUS
1. Aleluia! Louvem a Javé no céu, louvem a Javé nas alturas.
2. Louvem a Javé, todos os anjos, louvem a ele seus exércitos todos!
3. Louvem a Javé, sol e lua, louvem a ele, astros de luz!
4. Louvem a Javé, céus dos céus, e águas acima dos céus!
5. Louvem o nome de Javé, pois ele mandou e foram criados.
6. Fixou-os eternamente, para sempre, deu-lhes uma lei que jamais passará.
7. Louvem a Javé na terra, monstros marinhos e abismos todos,
8. raio e granizo, neve e nevoeiro, e furacão cumpridor da sua palavra.
9. Montes e colinas todas, árvores frutíferas e cedros todos,
10. feras e animais domésticos, répteis e pássaros que voam.
11. Reis da terra e povos todos, príncipes e juízes da terra,
12. jovens e também as donzelas, os velhos com as crianças!
13. Louvem o nome de Javé: o único nome sublime! A majestade dele está além da terra e do céu,
14. e ele reforça o vigor do seu povo! Louvor de todos os seus fiéis, dos filhos de Israel, seu povo íntimo. Aleluia!

[Salmos 149]
Salmos 149

CELEBRAÇÃO DA GRANDE VITÓRIA
1. Aleluia! Cantem para Javé um cântico novo! Cantem seu louvor na assembléia dos fiéis!
2. Alegre-se Israel com o seu Criador, os filhos de Sião festejem o seu Rei!
3. Louvem o seu nome com danças, toquem para ele cítara e tambor!
4. Sim! Porque Javé ama o seu povo, e enfeita os pobres com vitória!
5. Que os fiéis festejem a glória dele, e, em filas, cantem jubilosos.
6. Com exaltações para Deus na garganta, e nas mãos espadas de dois gumes,
7. para tomar vingança dos povos, e aplicar o castigo às nações,
8. para prender seus reis com algemas, e seus nobres com grilhões de ferro.
9. Cumprir neles a sentença prescrita é uma honra para todos os seus fiéis! Aleluia!

[Salmos 150]
Salmos 150

LOUVOR SEM FIM
1. Aleluia! Louvem a Deus no seu templo, louvem a ele no seu poderoso firmamento!
2. Louvem a Deus por suas façanhas, louvem a ele por sua imensa grandeza!
3. Louvem a Deus tocando trombetas, louvem a ele com cítara e harpa!
4. Louvem a Deus com dança e tambor, louvem a ele com cordas e flauta!
5. Louvem a Deus com címbalos sonoros, louvem a ele com címbalos vibrantes!
6. Todo ser que respira louve a Javé! Aleluia!

Send this page to a friend

St. Takla Church - Main IndexIndex of Antigo Testamento - BÍBLIA ON-LINE - Portuguese Bible (Brazil)

___________________________________________________________________________________
© Saint Takla Church - Alexandria, Egypt / URL: http://St-Takla.org / Contact us at

http://st-takla.org/Bibles/Portuguese-Bible/01-Antigo-Testamento/21-salmo.html