All Coptic Links - Coptic Directory - Orthodox Church Directory The Agbeya - The Coptic Book of Prayers (English Agbiya + Arabic Agpeya) English Bible + Holy Bible in other languages - Arabic, French, Ethiopian Amharic Holy Bible, ArabicBible, Enjeel Saint Takla dot org - Main page - English Photo and Image Gallery: Jesus - Mary - Saints - St. Takla - Church - Priests - Bible - Activities - pictures and Icons.. Download and listen to Hymns - Carols - Midnight Praise (Tasbeha) - Midis - Videos - Liturgies - Masses - Sermons - Online Streaming St-Takla.org   Coptic Church Website Logo of Saint Takla Haymanot the Ethiopian Website - Alexandria - Egypt - موقع الأنبا تكلا هيمانوت FAQ - Frequently Asked Questions and Answers - Coptic and Christan Q&A - Faith, Creed, Site, Youth, Family, Holy Bible Contact Us - Address - Map - Online Support Send a free Christian and Coptic Greeting Cards to your friends موقع الكنيسة القبطية باللغة العربية - الموقع العربي StTaklaorg Site News and Updates Downloads.. Winamp Skins - Coptic fonts - Agbeya - Software - Freeware - Icons - Gallery - Mp3s Feedback - Submit URL - ideas - Suggestions.. Kids' Corner - Coloring - Songs - Games - Stories Free Coptic Books - Christian Arabic Books, Orthodox English Books  

Portuguese Bible - BÍBLIA ON-LINE - Antigo Testamento

Números

 

[Números 1]I. O POVO DE DEUS SE ORGANIZA

Números 1

RECENSEAMENTO: COM QUE FORÇA CONTAR?
1. No primeiro dia do segundo mês do segundo ano da saída do Egito, Javé falou a Moisés na tenda da reunião, no deserto do Sinai:
2. "Façam um recenseamento completo da comunidade dos filhos de Israel: todos os homens, um a um, conforme os clãs e famílias, registrando seus nomes.
3. Você e Aarão registrarão, por esquadrões, todos os homens maiores de vinte anos e capacitados para a guerra.
4. Com vocês estará um homem de cada tribo, chefes de famílias.
5. São estes os nomes daqueles que ajudarão vocês: De Rúben, Elisur, filho de Sedeur.
6. De Simeão, Salamiel, filho de Surisadai.
7. De Judá, Naasson, filho de Aminadab.
8. De Issacar, Natanael, filho de Suar.
9. De Zabulon, Eliab, filho de Helon.
10. Dos filhos de José: de Efraim, Elisama, filho de Amiud; de Manassés, Gamaliel, filho de Fadassur.
11. De Benjamim, Abidã, filho de Gedeão.
12. De Dã, Aiezer, filho de Amisadai.
13. De Aser, Fegiel, filho de Ocrã.
14. De Gad, Eliasaf, filho de Reuel.
15. De Neftali, Aíra, filho de Enã".
16. Foram esses os homens escolhidos na comunidade; eram chefes da tribo do seu antepassado e chefes dos clãs de Israel.
17. Moisés e Aarão tomaram esses homens que haviam sido escolhidos pelo nome,
18. e convocaram toda a comunidade no primeiro dia do segundo mês. Todos os que tinham mais de vinte anos se inscreveram, um por um, conforme os clãs e famílias, registrando seus nomes.
19. O recenseamento no deserto do Sinai foi feito conforme Javé havia mandado a Moisés.
20. Foram recenseados os filhos e descendentes de Rúben, primogênito de Israel, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
21. Total da tribo de Rúben: quarenta e seis mil e quinhentos.
22. Foram recenseados os filhos e descendentes de Simeão, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
23. Total da tribo de Simeão: cinqüenta e nove mil e trezentos.
24. Foram recenseados os filhos e descendentes de Gad, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
25. Total da tribo de Gad: quarenta e cinco mil e seiscentos e cinqüenta.
26. Foram recenseados os filhos e descendentes de Judá, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
27. Total da tribo de Judá: setenta e quatro mil e seiscentos.
28. Foram recenseados os filhos e descendentes de Issacar, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
29. Total da tribo de Issacar: cinqüenta e quatro mil e quatrocentos.
30. Foram recenseados os filhos e descendentes de Zabulon, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
31. Total da tribo de Zabulon: cinqüenta e sete mil e quatrocentos.
32. Foram recenseados os filhos e descendentes de Efraim, filho de José, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
33. Total da tribo de Efraim: quarenta mil e quinhentos.
34. Foram recenseados os filhos e descendentes de Manassés, filho de José, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
35. Total da tribo de Manassés: trinta e dois mil e duzentos.
36. Foram recenseados os filhos e descendentes de Benjamim, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
37. Total da tribo de Benjamim: trinta e cinco mil e quatrocentos.
38. Foram recenseados os filhos e descendentes de Dã, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
39. Total da tribo de Dã: sessenta e dois mil e setecentos.
40. Foram recenseados os filhos e descendentes de Aser, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
41. Total da tribo de Aser: quarenta e um mil e quinhentos.
42. Foram recenseados os filhos e descendentes de Neftali, conforme os clãs e famílias, registrando os nomes, um por um, dos homens com mais de vinte anos e capacitados para a guerra.
43. Total da tribo de Neftali: cinqüenta e três mil e quatrocentos.
44. Esse foi o recenseamento que Moisés fez com Aarão, ajudado pelos doze chefes de Israel: um de cada família.
45. O total dos filhos de Israel, com mais de vinte anos e capacitados para a guerra,
46. foi de seiscentos e três mil e quinhentos e cinqüenta.
47. Os levitas não foram recenseados com os outros, conforme as famílias,
48. porque Javé tinha dito a Moisés:
49. "Não inclua os levitas no recenseamento e nos registros dos filhos de Israel.
50. Encarregue-os da tenda da aliança, de seus utensílios e de tudo o que pertence a ela. Eles transportarão a tenda com todos os utensílios, estarão a seu serviço e acamparão ao redor dela.
51. Quando a tenda tiver que ser deslocada, os levitas a desmontarão; ao acampar, os levitas a montarão. Qualquer estranho que se aproximar dela será condenado à morte.
52. Os filhos de Israel acamparão por esquadrões, cada um em seu acampamento, junto à sua bandeira.
53. Os levitas, porém, acamparão ao redor da tenda da aliança, para que a Ira não se acenda contra a comunidade dos filhos de Israel. Os levitas cuidarão da tenda da aliança".
54. Os filhos de Israel acataram tudo o que Javé havia ordenado a Moisés, e assim fizeram.

[Números 2]
Números 2

DEUS ANIMA A LUTA DO POVO
1. Javé falou a Moisés e Aarão:
2. "Os filhos de Israel acamparão, cada um junto de sua bandeira, com o símbolo de sua família. Acamparão voltados para a tenda da reunião e ao redor dela.
3. No lado leste, em direção ao nascer do sol, acamparão os da bandeira de Judá, com seus esquadrões; o chefe dos filhos de Judá é Naasson, filho de Aminadab;
4. seu exército conta com setenta e quatro mil e seiscentos alistados.
5. Ao lado de Judá acampará a tribo de Issacar. O chefe dos filhos de Issacar é Natanael, filho de Suar.
6. Seu exército conta com cinqüenta e quatro mil e quatrocentos alistados.
7. Do outro lado ficará a tribo de Zabulon. O chefe dos filhos de Zabulon é Eliab, filho de Helon.
8. Seu exército conta com cinqüenta e sete mil e quatrocentos alistados.
9. No acampamento de Judá, os alistados por esquadrões são cento e oitenta e seis mil e quatrocentos. Esses serão os primeiros a se colocar em marcha.
10. No lado sul, a bandeira de Rúben, com seus esquadrões. O chefe dos filhos de Rúben é Elisur, filho de Sedeur.
11. Seu exército conta com quarenta e seis mil e quinhentos alistados.
12. Ao lado de Rúben acampará a tribo de Simeão. O chefe dos filhos de Simeão é Salamiel, filho de Surisadai.
13. Seu exército conta com cinqüenta e nove mil e trezentos alistados.
14. Do outro lado ficará a tribo de Gad. O chefe dos filhos de Gad é Eliasaf, filho de Reuel.
15. Seu exército conta com quarenta e cinco mil e seiscentos e cinqüenta alistados.
16. No acampamento de Rúben, os alistados por esquadrões são cento e cinqüenta e um mil e quatrocentos e cinqüenta. Esses serão os que levantarão acampamento em segundo lugar.
17. Depois, a tenda da reunião se colocará em marcha juntamente com o acampamento dos levitas, no meio dos outros acampamentos. A ordem da marcha será a mesma do acampamento, cada um seguindo a sua bandeira.
18. No lado oeste estará a bandeira do acampamento de Efraim, com seus esquadrões. O chefe dos filhos de Efraim é Elisama, filho de Amiud.
19. Seu exército conta com quarenta mil e quinhentos alistados.
20. Ao lado de Efraim acampará a tribo de Manassés. O chefe dos filhos de Manassés é Gamaliel, filho de Fadassur.
21. Seu exército conta com trinta e dois mil e duzentos alistados.
22. Do outro lado acampará a tribo de Benjamim. O chefe dos filhos de Benjamim é Abidã, filho de Gedeão.
23. Seu exército conta com trinta e cinco mil e quatrocentos alistados.
24. Os alistados do acampamento de Efraim, com seus esquadrões, fazem o total de cento e oito mil e cem. Eles se colocarão em marcha em terceiro lugar.
25. No lado norte estará a bandeira do acampamento de Dã, com seus esquadrões. O chefe dos filhos de Dã é Aiezer, filho de Amisadai.
26. Seu exército conta com sessenta e dois mil e setecentos alistados.
27. Ao lado de Dã acampará a tribo de Aser. O chefe dos filhos de Aser é Fegiel, filho de Ocrã.
28. Seu exército conta com quarenta e um mil e quinhentos alistados.
29. Do outro lado ficará a tribo de Neftali. O chefe dos filhos de Neftali é Aíra, filho de Enã.
30. Seu exército conta com cinqüenta e três mil e quatrocentos alistados.
31. Os alistados do acampamento de Dã fazem o total de cento e cinqüenta e sete mil e seiscentos. Eles se colocarão em marcha em último lugar, seguindo suas bandeiras".
32. Esse é o recenseamento dos filhos de Israel por famílias. Os que foram alistados nesses acampamentos, conforme seus esquadrões, dão o total de seiscentos e três mil, quinhentos e cinqüenta.
33. De acordo com o que Javé havia ordenado a Moisés, os levitas não foram incluídos no recenseamento dos filhos de Israel.
34. Os filhos de Israel fizeram tudo o que Javé havia ordenado a Moisés: acampavam segundo suas bandeiras e se colocavam em marcha por clãs e famílias.

[Números 3]
Números 3

SINAL DE LIBERDADE E VIDA
1. Esta é a história de Aarão e Moisés, quando Javé falou a Moisés no monte Sinai.
2. Estes são os nomes dos filhos de Aarão: Nadab, o primogênito, Abiú, Eleazar e Itamar.
3. São esses os nomes dos filhos de Aarão, ungidos e consagrados como sacerdotes.
4. Nadab e Abiú morreram diante de Javé, no deserto do Sinai, ao apresentarem um fogo irregular diante de Javé. Como não tinham filhos, Eleazar e Itamar exerceram o ofício de sacerdotes, quando o seu pai Aarão ainda vivia.
5. Javé falou a Moisés:
6. "Faça que a tribo de Levi se aproxime e a coloque à disposição do sacerdote Aarão, para que esteja a serviço dele.
7. Eles cuidarão de todos os serviços de Aarão e de toda a comunidade, diante da tenda da reunião, e exercerão as tarefas do santuário.
8. Cuidarão de todos os utensílios da tenda da reunião, montarão guarda em lugar dos filhos de Israel e prestarão serviço na tenda da reunião.
9. Entregue os levitas como doados a Aarão e a seus filhos; entre os filhos de Israel, os levitas serão doados.
10. Estabeleça Aarão e seus filhos para exercerem as funções sacerdotais: qualquer estranho que se intrometa será réu de morte".
11. Javé falou a Moisés:
12. "Eu mesmo escolhi os levitas entre os filhos de Israel, para substituir os primogênitos, aqueles filhos de Israel que abrem o seio materno. Portanto, os levitas são meus.
13. De fato, todo primogênito me pertence, pois no dia em que matei os primogênitos na terra do Egito, consagrei para mim todos os primogênitos de Israel, tanto homens como animais. Eles me pertencem. Eu sou Javé".
14. Javé falou a Moisés no deserto do Sinai:
15. "Faça o recenseamento dos filhos de Levi conforme suas famílias e clãs. Faça o recenseamento de todos os homens de um mês para cima".
16. Moisés fez o recenseamento conforme Javé havia ordenado.
17. São estes os nomes dos filhos de Levi: Gérson, Caat e Merari.
18. São estes os filhos de Gérson, conforme seus clãs: Lobni e Semei.
19. Os filhos de Caat, conforme seus clãs, são: Amram, Isaar, Hebron e Oziel.
20. Os filhos de Merari, conforme seus clãs, são: Mooli e Musi. São esses os clãs de Levi, reunidos por famílias.
21. Os clãs de Lobni e de Semei originaram-se de Gérson: são os clãs gersonitas.
22. O total dos homens recenseados, de um mês para cima, foi de sete mil e quinhentos.
23. Os clãs gersonitas acampavam no lado ocidental, atrás do santuário.
24. O chefe da família de Gérson era Eliasaf, filho de Lael.
25. Na tenda da reunião, os gersonitas eram encarregados de cuidar do santuário, da tenda e sua cobertura, do véu da entrada da tenda da reunião,
26. das cortinas do átrio, do véu da entrada da tenda do átrio que dá para o santuário e que rodeia o altar, e também das cordas para a montagem.
27. Os clãs de Amram, Isaar, Hebron e Oziel originaram-se de Caat: são os clãs caatitas.
28. O total dos homens recenseados, de um mês para cima, foi de oito mil e seiscentos. Eles eram encarregados da conservação do santuário.
29. Os clãs caatitas acampavam no lado sul do santuário.
30. O chefe da família para os clãs caatitas era Elisafã, filho de Oziel.
31. Eles eram encarregados da arca, da mesa, do candelabro, dos altares, dos objetos sagrados de culto e do véu, com todos os apetrechos.
32. O chefe supremo dos levitas era Eleazar, filho do sacerdote Aarão; ele era superintendente de todos os que cuidavam do santuário.
33. Os clãs de Mooli e Musi originaram-se de Merari: são os clãs meraritas.
34. O total dos homens recenseados, de um mês para cima, foi de seis mil e duzentos.
35. O chefe da família para os clãs meraritas era Suriel, filho de Abiail. Eles acampavam no lado norte do santuário.
36. Os filhos de Merari eram encarregados das tábuas do santuário, de suas vigas, colunas e bases, com todos os acessórios e utensílios,
37. e também das colunas que rodeiam o átrio, de suas bases, estacas e cordas.
38. No lado oriental, diante do santuário e da tenda da reunião, acampavam Moisés, Aarão e seus filhos, encarregados do santuário em nome dos filhos de Israel. Todo estranho que se intrometesse era réu de morte.
39. O total dos levitas com mais de um mês de idade recenseados e enumerados por Moisés e Aarão, conforme os clãs, de acordo com o que Javé havia ordenado, foi de vinte e dois mil.
40. Javé disse a Moisés: "Faça o recenseamento de todos os primogênitos homens dos filhos de Israel, de um mês para cima, registrando seus nomes.
41. Em lugar dos primogênitos de Israel separe os levitas para mim, e também o gado dos levitas, em lugar dos primogênitos do gado dos filhos de Israel".
42. Moisés fez o recenseamento dos primogênitos dos filhos de Israel, conforme Javé lhe havia ordenado.
43. O total dos primogênitos homens, de um mês para cima, foi de vinte e dois mil, duzentos e setenta e três.
44. Javé falou a Moisés:
45. "Em lugar dos primogênitos dos filhos de Israel separe os levitas, e o gado dos levitas em lugar do gado de Israel. Os levitas pertencerão a mim. Eu sou Javé.
46. Para resgatar os duzentos e setenta e três primogênitos dos filhos de Israel, que ultrapassam o número dos levitas,
47. tome cinqüenta gramas por pessoa, conforme o peso padrão do santuário, que equivale a dez gramas.
48. Entregue esse dinheiro a Aarão e seus filhos, como resgate daqueles que ultrapassam o número dos levitas".
49. Moisés pegou o dinheiro para o resgate daqueles que ultrapassavam o número dos levitas.
50. Então, dos primogênitos dos filhos de Israel recebeu treze mil e seiscentos e cinqüenta gramas, conforme o peso padrão do santuário,
51. e entregou o dinheiro do resgate a Aarão e seus filhos, conforme as ordens que Javé tinha dado a Moisés.

[Números 4]
Números 4

1. Javé falou a Moisés e Aarão:
2. "Façam, à parte dos outros levitas, o recenseamento dos filhos de Caat, conforme seus clãs e famílias:
3. todos os homens de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar e que realizarão suas funções na tenda da reunião.
4. Os filhos de Caat servirão às coisas sagradas na tenda da reunião.
5. Quando o acampamento se colocar em marcha, Aarão e seus filhos entrarão, tirarão a cortina, e com ela cobrirão a arca da aliança.
6. Por cima dela, colocarão uma cobertura de couro fino, sobre a qual estenderão um pano de púrpura violeta. Em seguida, colocarão os varais da arca.
7. Sobre a mesa dos pães oferecidos a Deus estenderão um pano de púrpura violeta, e colocarão em cima os pratos, copos, taças e jarros para a libação. Por cima, estará o pão da oferta perpétua.
8. Por cima deles estenderão um pano de púrpura escarlate, que será coberto com uma cobertura de couro fino. Em seguida colocarão os varais da mesa.
9. Pegarão, então, um pano de púrpura violeta para cobrir o candelabro com suas lâmpadas, os acendedores, apagadores e todas as vasilhas de azeite usadas no serviço do candelabro.
10. Colocarão o candelabro com todos os seus utensílios sobre uma cobertura de couro fino e o colocarão por cima dos varais.
11. Estenderão um pano de púrpura violeta sobre o altar de ouro e o recobrirão com uma cobertura de couro fino. Em seguida ajustarão nele os varais.
12. Depois pegarão todos os utensílios usados no serviço do santuário, os colocarão num pano de púrpura violeta e os recobrirão com uma cobertura de couro fino, e colocarão tudo sobre os varais.
13. Tirarão a cinza do altar, estenderão sobre ele um pano de púrpura escarlate,
14. e sobre este colocarão todos os utensílios usados no culto: incensórios, garfos, pás, bacias e todos os utensílios do altar. Estenderão por cima uma cobertura de couro fino e colocarão os varais.
15. Quando Aarão e seus filhos terminarem de cobrir o santuário com todos os seus utensílios, os filhos de Caat, no momento de levantar o acampamento, virão para transportá-lo, sem tocar naquilo que é consagrado; se o fizessem, morreriam. Esta é a carga da tenda da reunião, que os caatitas deverão transportar.
16. Eleazar, filho do sacerdote Aarão, cuidará do azeite do candelabro, dos perfumes de ervas aromáticas, da oblação diária e do óleo da unção; cuidará também de todo o santuário e de tudo o que nele se encontra: os objetos sagrados e seus utensílios".
17. Javé falou a Moisés e Aarão:
18. "Não permitam que a tribo dos clãs caatitas desapareça da tribo de Levi.
19. E façam o seguinte, para que eles não morram: quando tiverem que se aproximar dos objetos sagrados, Aarão e seus filhos entrarão e indicarão a tarefa e o encargo de cada um.
20. Desse modo, eles não entrarão para ver os objetos sagrados nem por um instante, senão morreriam".
21. Javé falou a Moisés:
22. "Faça também o recenseamento dos filhos de Gérson, conforme os clãs e famílias.
23. Faça o recenseamento de todos os homens de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar, a fim de trabalharem na tenda da reunião.
24. Esta é a tarefa dos clãs gersonitas, com suas funções e encargos:
25. transportarão as cortinas do santuário, a tenda da reunião com sua cobertura e a cobertura de couro fino que a recobre, a cortina da entrada da tenda da reunião,
26. as cortinas do átrio, o véu da entrada na porta do átrio, as cortinas que estão em volta do santuário e do altar, as cordas e todos os utensílios necessários para a montagem dela. Farão todo o serviço que se refere a essas coisas.
27. Os gersonitas cumprirão suas funções sob as ordens de Aarão e seus filhos, que indicarão para aqueles os serviços de guarda e de transporte.
28. São essas as tarefas dos clãs gersonitas na tenda da reunião. A supervisão deles estará a cargo de Itamar, filho do sacerdote Aarão.
29. Faça também o recenseamento dos filhos de Merari, conforme os clãs e famílias.
30. Faça o recenseamento de todos os homens de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar, a fim de trabalharem na tenda da reunião.
31. Este é o serviço que deverão assumir e a função que lhes competirá na tenda da reunião: transportarão as tábuas do santuário, as vigas, colunas, bases,
32. as colunas que rodeiam o átrio com suas bases, as estacas, cordas e todos os acessórios. Indique nominalmente os objetos que eles deverão guardar e transportar.
33. Tal será o serviço dos clãs meraritas na tenda da reunião. A supervisão deles estará a cargo de Itamar, filho do sacerdote Aarão".
34. Moisés e Aarão, junto com os chefes da comunidade, fizeram o recenseamento dos caatitas, conforme seus clãs e famílias:
35. todos os que tinham de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar, a fim de trabalharem na tenda da reunião.
36. Foram contados, por clãs, dois mil, setecentos e cinqüenta homens.
37. Esse foi o total dos recenseados dos clãs caatitas, de todos os que deviam servir na tenda da reunião e que foram recenseados por Moisés e Aarão, conforme Javé havia ordenado.
38. Foi feito também o recenseamento dos filhos de Gérson, conforme seus clãs e famílias:
39. foram recenseados todos os homens de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar, a fim de trabalharem na tenda da reunião.
40. Foram contados dois mil, seiscentos e trinta, conforme os clãs e famílias.
41. Esse foi o total dos recenseados dos clãs dos gersonitas, que deviam trabalhar na tenda da reunião e que foram recenseados por Moisés e Aarão, conforme Javé havia ordenado.
42. Foi feito também o recenseamento dos filhos de Merari, conforme seus clãs e famílias:
43. foram recenseados todos os homens de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar, a fim de trabalharem na tenda da reunião.
44. Foram contados, conforme os clãs, três mil e duzentos homens.
45. Esse foi o total dos clãs meraritas recenseados por Moisés e Aarão, conforme Javé havia ordenado.
46. O número total dos levitas contados no recenseamento, que Moisés, Aarão e os chefes de Israel fizeram, por clãs e famílias,
47. dos homens de trinta a cinqüenta anos, aptos para o serviço militar e para o serviço e o transporte da tenda da reunião,
48. chegou a oito mil, quinhentos e oitenta homens.
49. Moisés fez o recenseamento por ordem de Javé, indicando o serviço para cada um e a carga que deveria transportar. Assim foi feito o recenseamento, conforme Javé havia ordenado a Moisés.

[Números 5]
Números 5

EXPULSÃO DOS IMPUROS
1. Javé falou a Moisés:
2. "Ordene aos filhos de Israel que expulsem do acampamento os leprosos, os que têm gonorréia e os que se contaminaram com cadáveres.
3. Homens ou mulheres, serão todos expulsos do acampamento, para que não fique contaminado o acampamento, no meio do qual eu moro".
4. Os filhos de Israel fizeram isso e os expulsaram do acampamento. Os israelitas fizeram conforme Javé havia ordenado a Moisés.

PREJUDICAR O PRÓXIMO É OFENDER A DEUS
5. Javé falou a Moisés:
6. "Diga aos filhos de Israel: Quando um homem ou mulher comete um pecado que prejudica o próximo, ofendendo assim a Javé, tal pessoa é culpada:
7. confessará o seu pecado e restituirá, a quem for prejudicado, vinte por cento além do prejuízo causado.
8. Contudo, se o homem prejudicado não tem parente nenhum para o qual se possa fazer a restituição, esta será feita a Javé através do sacerdote, além do cordeiro com que o sacerdote fará o rito de expiação pelo culpado.
9. Tudo aquilo que os filhos de Israel consagrarem será levado ao sacerdote e a ele pertencerá.
10. As coisas que uma pessoa consagrar serão dele; aquilo que alguém der ao sacerdote, ao sacerdote pertencerá".

O DIREITO DE SE DEFENDER
11. Javé falou a Moisés:
12. "Diga aos filhos de Israel: Se alguém supõe que sua mulher se desviou e se tornou infiel,
13. e que outro homem teve relações com ela, tornando-se impura em segredo, pois não havia testemunhas nem foi surpreendida em flagrante,
14. se o marido suspeitar e tiver ciúmes, esteja a mulher contaminada ou não,
15. ele deverá levar sua mulher ao sacerdote. Levará uma oferta de quatro quilos e meio de farinha de cevada, sem misturar azeite ou incenso, pois é uma oferta de ciúme, para denunciar uma culpa.
16. O sacerdote se aproximará e colocará a mulher diante de Javé.
17. Depois pegará água santa numa vasilha de barro e jogará pó do chão do santuário na água;
18. colocará a mulher diante de Javé, soltará os cabelos dela e lhe colocará nas mãos a oferta pelo ciúme, enquanto o sacerdote ficará segurando a água amarga da maldição.
19. Em seguida o sacerdote dirá, fazendo a mulher jurar: 'Se você não dormiu com um estranho e não se contaminou enquanto estava sob o domínio do seu marido, que esta água amarga da maldição não faça mal a você.
20. Mas, se você enganou seu marido enquanto estava sob o domínio dele e se contaminou, deitando-se com outro homem...'
21. E o sacerdote dirá, fazendo que a mulher preste juramento: '...que Javé entregue você à maldição entre os seus, fazendo com que seu sexo fique murcho e seu ventre inchado.
22. Que esta água da maldição entre nas suas entranhas para inchar seu ventre e murchar seu sexo'. E a mulher responderá: 'Amém! Amém!'
23. Depois o sacerdote escreverá essa maldição num documento e o lavará na água amarga.
24. Em seguida fará a mulher beber a água amarga da maldição, de modo que a água da maldição entre nela.
25. Em seguida, o sacerdote pegará das mãos da mulher a oferta pelo ciúme, apresentará diante de Javé e a colocará sobre o altar.
26. Pegará um punhado da oferta pelo ciúme e o queimará sobre o altar, como memorial. Em seguida, fará a mulher beber a água da maldição.
27. Se ela se contaminou e foi infiel a seu marido, logo que a água amarga da maldição entrar nela, seu ventre ficará inchado, seu sexo murchará, e a mulher ficará maldita entre os seus.
28. Se a mulher não se contaminou, se estiver pura, não sofrerá dano e poderá conceber".
29. Esse é o ritual para o caso de ciúme, quando uma mulher se desvia e se torna impura, enquanto está sob o poder do marido;
30. ou no caso em que um homem fica com ciúme de sua mulher. O marido levará a mulher diante de Javé e o sacerdote fará esse ritual com ela.
31. O marido estará livre de culpa, mas a mulher receberá a punição da própria culpa.

[Números 6]
Números 6

SINAL DA PERTENÇA A DEUS
1. Javé falou a Moisés:
2. "Diga aos filhos de Israel: Quando um homem ou mulher quiser fazer um voto especial de consagração a Javé, o voto de nazireato,
3. deverá abster-se de vinho e de bebidas fermentadas, e não poderá beber vinagre de vinho ou de bebidas fermentadas; também não tomará suco de uvas, nem comerá uvas frescas ou secas.
4. Enquanto durar seu voto não provará nada que venha da videira, desde a semente até às cascas.
5. Enquanto durar seu voto de nazireato não raspará a cabeça com navalha; deixará crescer livremente os cabelos, até que acabe o tempo pelo qual se consagrou a Javé.
6. Durante todo o tempo que estiver consagrado a Javé não se aproximará de nenhum morto,
7. nem que seja seu pai ou sua mãe, seu irmão ou sua irmã. Se estes morrerem, ele não deverá contaminar-se com eles, porque traz sobre a cabeça o sinal de sua consagração a Deus.
8. Durante todo o tempo do seu nazireato ele está consagrado a Javé.
9. Se uma pessoa morrer de repente ao lado de alguém consagrado, contaminando-lhe por isso a cabeça, ele deverá rapar a cabeça no dia da purificação, isto é, no sétimo dia.
10. No oitavo dia levará ao sacerdote duas rolas ou dois pombinhos à entrada da tenda da reunião.
11. E o sacerdote oferecerá um deles em sacrifício pelo pecado, e o outro em holocausto; em seguida fará o rito pelo pecado, por causa da contaminação com o morto. No mesmo dia, aquele que fez o voto consagrará sua cabeça,
12. se consagrará a Javé durante o tempo do seu nazireato, e levará um cordeiro de um ano como sacrifício de reparação. O tempo anterior não será contado, pois seu nazireato foi contaminado.
13. Esta é a lei para o nazireu no dia em que terminar o seu nazireato: ele será conduzido à entrada da tenda da reunião,
14. onde oferecerá a sua oferta a Javé: um cordeiro de um ano e sem defeito, para o holocausto; uma ovelha de um ano e sem defeito, para o sacrifício pelo pecado; um carneiro sem defeito, para o sacrifício de comunhão;
15. uma cesta de bolos de flor de farinha, sem fermento, amassados com azeite, e tortas sem fermento untadas com azeite, acompanhados de ofertas e libações.
16. Então o sacerdote, levando tudo diante de Javé, apresentará o sacrifício pelo pecado e o holocausto.
17. Depois oferecerá um sacrifício de comunhão com o carneiro e com os bolos sem fermento da cesta; o sacerdote oferecerá também as ofertas e libações.
18. Em seguida, o nazireu, junto à entrada da tenda da reunião rapará a cabeça consagrada, pegará os cabelos de sua cabeça consagrada e os colocará no fogo do sacrifício de comunhão.
19. O sacerdote pegará a espádua assada do carneiro, um bolo sem fermento da cesta e uma torta sem fermento, colocando tudo na mão do nazireu, depois que ele tiver rapado a cabeça.
20. Então com isso tudo, o sacerdote fará o gesto de apresentação diante de Javé: é a porção sagrada que pertence ao sacerdote, além do peito apresentado e da coxa reservada. Em seguida, o nazireu poderá beber vinho.
21. Essa é a lei do nazireu; essa é a oferta a Javé pelo seu nazireato, além daquilo que suas posses permitirem fazer. Cumprirá o que tiver prometido com voto, conforme a lei do nazireato".

DEUS ABENÇOA O POVO
22. Javé falou a Moisés:
23. "Diga a Aarão e a seus filhos: Vocês abençoarão os filhos de Israel assim:
24. 'Javé o abençoe e guarde!
25. Javé lhe mostre seu rosto brilhante e tenha piedade de você!
26. Javé lhe mostre seu rosto e lhe conceda a paz!'
27. Assim eles invocarão o meu nome sobre os filhos de Israel, e eu os abençoarei".

[Números 7]
Números 7

MEIOS PARA REALIZAR A FUNÇÃO
1. Quando terminou de construir o santuário, Moisés o ungiu e consagrou com todos os utensílios, junto com o altar e todos os utensílios. Quando acabou de ungir e consagrar todas as coisas,
2. os chefes de Israel fizeram uma oferta. Eram os chefes de famílias e tribos, que tinham colaborado no recenseamento.
3. Levaram sua oferta diante de Javé: seis carros cobertos e doze bois, um carro para cada dois chefes e um boi para cada um deles. E apresentaram essas ofertas diante do santuário.
4. Javé falou a Moisés:
5. "Receba as ofertas deles para o serviço da tenda da reunião e as entregue aos levitas, a cada um conforme sua função".
6. Moisés recebeu os carros e bois e os entregou aos levitas.
7. Deu dois carros e quatro bois aos filhos de Gérson para suas tarefas.
8. Aos filhos de Merari deu quatro carros e oito bois para as tarefas que deviam realizar sob a direção de Itamar, filho do sacerdote Aarão.
9. Aos filhos de Caat, porém, não deu nada, pois eles deviam carregar no ombro os objetos sagrados.

O CULTO É EXPRESSÃO DE PARTILHA
10. Os chefes apresentaram a oferta para a dedicação do altar, quando foi ungido, levando-a diante do altar.
11. Então Javé disse a Moisés: "Cada dia, um chefe trará a sua oferta para a dedicação do altar".
12. No primeiro dia, Naasson, filho de Aminadab, da tribo de Judá, levou a sua oferta:
13. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
14. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
15. um bezerro, um carneiro, um cordeiro de um ano para o holocausto;
16. um bode para o sacrifício pelo pecado;
17. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Naasson, filho de Aminadab.
18. No segundo dia, Natanael, filho de Suar, chefe de Issacar, levou a sua oferta:
19. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
20. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
21. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
22. um bode para o sacrifício pelo pecado;
23. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Natanael, filho de Suar.
24. No terceiro dia, Eliab, filho de Helon, chefe dos filhos de Zabulon, levou a sua oferta:
25. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
26. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
27. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
28. um bode para o sacrifício pelo pecado;
29. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Eliab, filho de Helon.
30. No quarto dia, Elisur, filho de Sedeur, chefe dos filhos de Rúben, levou a sua oferta:
31. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
32. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
33. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
34. um bode para o sacrifício pelo pecado;
35. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Elisur, filho de Sedeur.
36. No quinto dia, Salamiel, filho de Surisadai, chefe dos filhos de Simeão, levou a sua oferta:
37. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
38. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
39. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
40. um bode para o sacrifício pelo pecado;
41. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Salamiel, filho de Surisadai.
42. No sexto dia, Eliasaf, filho de Reuel, chefe dos filhos de Gad, levou a sua oferta:
43. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
44. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
45. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
46. um bode para o sacrifício pelo pecado;
47. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Eliasaf, filho de Reuel.
48. No sétimo dia, Elisama, filho de Amiud, chefe dos filhos de Efraim, levou a sua oferta:
49. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas; uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
50. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
51. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
52. um bode para o sacrifício pelo pecado;
53. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Elisama, filho de Efraim.
54. No oitavo dia, Gamaliel, filho de Fadassur, chefe dos filhos de Manassés, levou a sua oferta:
55. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
56. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
57. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
58. um bode para o sacrifício pelo pecado;
59. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Gamaliel, filho de Fadassur.
60. No nono dia, Abidã, filho de Gedeão, chefe dos filhos de Benjamim, levou a sua oferta:
61. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
62. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
63. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
64. um bode para o sacrifício pelo pecado;
65. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Abidã, filho de Gedeão.
66. No décimo dia, Aiezer, filho de Amisadai, chefe dos filhos de Dã, levou a sua oferta:
67. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
68. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
69. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
70. um bode para o sacrifício pelo pecado;
71. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Aiezer, filho de Amisadai.
72. No décimo primeiro dia, Fegiel, filho de Ocrã, chefe dos filhos de Aser, levou a sua oferta:
73. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
74. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
75. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
76. um bode para o sacrifício pelo pecado;
77. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Fegiel, filho de Ocrã.
78. No décimo segundo dia, Aíra, filho de Enã, chefe dos filhos de Neftali, levou a sua oferta:
79. uma bandeja de prata de mil e trezentos gramas, uma bacia de prata para aspersão de setecentos gramas, conforme o peso padrão do santuário, ambas cheias de flor de farinha amassada com azeite para a oferta.
80. Levou também uma vasilha de ouro, de cem gramas, cheia de incenso;
81. um bezerro, um carneiro e um cordeiro de um ano para o holocausto;
82. um bode para o sacrifício pelo pecado;
83. e, para o sacrifício de comunhão, dois bois, cinco carneiros, cinco bodes e cinco cordeiros de um ano. Essa foi a oferta de Aíra, filho de Enã.
84. Esta foi a oferta dos chefes de Israel para a dedicação do altar, no dia em que foi ungido: doze bandejas de prata, doze bacias de prata para aspersão, doze vasilhas de ouro.
85. Cada bandeja de prata pesava mil e trezentos gramas, e cada bacia de aspersão setecentos gramas, sendo que o total foi de vinte e quatro mil gramas de prata, conforme o peso padrão do santuário.
86. Doze vasilhas de ouro de cem gramas cada uma, conforme o peso padrão do santuário, cheias de incenso, dando um total de mil e duzentos gramas de ouro.
87. O total dos animais para o holocausto foi de doze bezerros, doze carneiros e doze cordeiros de um ano, com as ofertas que os acompanhavam, e doze bodes para o sacrifício pelo pecado.
88. Para o sacrifício de comunhão, o total dos animais foi de vinte e quatro bois, sessenta carneiros, sessenta bodes e sessenta cordeiros de um ano. Essa foi a oferta para a dedicação do altar, quando foi ungido.
89. Quando Moisés entrou na tenda da reunião para falar com Deus, ouviu a voz que lhe falava da placa de ouro que cobre a arca da aliança, entre os dois querubins. E Deus falava com Moisés.

[Números 8]
Números 8

A LUZ DE JAVÉ
1. Javé falou a Moisés:
2. "Diga a Aarão: Quando você acender as lâmpadas, faça de modo que elas iluminem a parte da frente do candelabro".
3. Aarão assim fez: colocou as lâmpadas de tal modo que iluminassem a parte da frente do candelabro, conforme Javé tinha ordenado a Moisés.
4. O candelabro era de ouro cinzelado, desde o pedestal até as hastes. Ele foi feito de acordo com o modelo que Javé havia mostrado a Moisés.

CONSAGRADOS DE JAVÉ
5. Javé falou a Moisés:
6. "Escolha levitas entre os filhos de Israel e purifique-os
7. do seguinte modo: Faça sobre eles uma aspersão com água da expiação. Depois, passarão a navalha por todo o corpo, lavarão suas roupas e se purificarão.
8. A seguir, pegarão um bezerro, com a correspondente oferta de flor de farinha amassada com azeite. Então você pegará outro bezerro para o sacrifício pelo pecado.
9. Faça que os levitas se aproximem da tenda da reunião e convoque toda a comunidade dos filhos de Israel.
10. Quando os levitas estiverem diante de Javé, os filhos de Israel imporão as mãos sobre eles.
11. Em seguida, Aarão, em nome dos filhos de Israel, os apresentará a Javé com o gesto de apresentação, para que eles possam desempenhar as tarefas de Javé.
12. Os levitas colocarão a mão sobre a cabeça dos bezerros, e você os oferecerá pelo pecado dos levitas: um como sacrifício pelo pecado e o outro em holocausto.
13. Coloque, depois, os levitas diante de Aarão e seus filhos, e ofereça-os a Javé com o gesto de apresentação.
14. Desse modo, separe do meio dos filhos de Israel os levitas, para que pertençam a mim.
15. Então os levitas poderão começar a servir na tenda da reunião. Purifique-os e ofereça-os com o gesto de apresentação,
16. porque os levitas me foram dados pelos filhos de Israel, em troca de seus primogênitos, e eu os reservo para mim.
17. Todos os primogênitos de Israel, homem ou animal, me pertencem: eu os consagrei a mim mesmo, desde o dia em que matei todos os primogênitos do Egito.
18. Por isso, eu reservo para mim os levitas, em troca dos primogênitos dos filhos de Israel,
19. e os entrego a Aarão e seus filhos como doação dos filhos de Israel, para que façam o serviço dos filhos de Israel na tenda da reunião e para que realizem o rito pelo pecado em favor dos filhos de Israel. Desse modo, nenhuma desgraça atingirá os filhos de Israel quando se aproximarem do santuário".
20. Moisés, Aarão e toda a comunidade dos filhos de Israel fizeram com os levitas tudo o que Javé havia ordenado a Moisés.
21. Os levitas se purificaram de seus pecados e lavaram suas roupas. Aarão os ofereceu a Javé com o gesto de apresentação, e para purificá-los realizou com eles o rito pelo pecado.
22. Os levitas foram, então, admitidos para cumprir sua função na tenda da reunião, na presença de Aarão e seus filhos. Desse modo se cumpriu tudo o que Javé havia ordenado a Moisés a respeito dos levitas.
23. Javé falou a Moisés:
24. "A partir dos vinte e cinco anos os levitas farão os trabalhos da tenda da reunião.
25. Aos cinqüenta anos eles se aposentarão e não prestarão mais serviço.
26. Poderão ajudar seus irmãos montando guarda na tenda da reunião, mas não trabalharão. Tais são as disposições quanto às funções dos levitas".

[Números 9]
Números 9

A CELEBRAÇÃO DA PÁSCOA
1. Dois anos depois que os filhos de Israel saíram do Egito, no primeiro mês, Javé falou a Moisés no deserto do Sinai:
2. "Os filhos de Israel celebrarão a Páscoa na data marcada.
3. No dia catorze do primeiro mês, ao entardecer, celebrarão a festa conforme todos os seus estatutos e normas".
4. Moisés mandou os filhos de Israel celebrar a Páscoa.
5. E eles a celebraram no dia catorze do primeiro mês, ao entardecer, no deserto do Sinai. Os filhos de Israel fizeram tudo de acordo com o que Javé tinha ordenado a Moisés.
6. Alguns homens estavam impuros porque haviam tocado num cadáver, e nesse dia não puderam celebrar a Páscoa. Apresentaram-se no mesmo dia a Moisés e Aarão,
7. e lhes disseram: "Estamos impuros porque tocamos num cadáver. Por que não nos deixa trazer nossa oferta a Javé no tempo determinado, junto com os outros filhos de Israel?"
8. Moisés respondeu: "Esperem até que eu saiba o que Javé vai ordenar a respeito de vocês".
9. Javé falou a Moisés:
10. "Diga aos filhos de Israel: Se alguém de vocês ou de seus descendentes estiver impuro por ter tocado num cadáver, ou estiver numa longa viagem, deverá celebrar a Páscoa de Javé
11. no dia catorze do segundo mês, ao entardecer. Comerão a Páscoa com pães sem fermento e com ervas amargas;
12. não deverá sobrar nada para o dia seguinte, nem se quebrará osso nenhum do cordeiro. Deverão celebrar a Páscoa conforme o ritual.
13. Quem estiver puro ou não estiver em viagem, e deixar de celebrar a Páscoa, será excluído do seu povo: porque não trouxe a oferta para Javé no tempo certo, deverá carregar a própria culpa.
14. O imigrante que mora entre vocês deverá celebrar a Páscoa de Javé conforme o ritual e os costumes da festa. O mesmo ritual vale tanto para o imigrante como para o nativo do país".

DISCERNIR A VONTADE DE DEUS
15. No dia em que foi montado o santuário, a nuvem cobria o santuário, isto é, a tenda da reunião, e desde o entardecer até o amanhecer, ela ficava sobre o santuário com aspecto de fogo.
16. Acontecia sempre o mesmo: de noite, a nuvem cobria o santuário, tomando aspecto de fogo até o amanhecer.
17. Quando a nuvem se elevava sobre a tenda, os filhos de Israel se punham em marcha; quando ela parava, eles aí acampavam.
18. Eles se punham em marcha ou acampavam conforme a ordem de Javé. Permaneciam acampados durante todo o tempo em que a nuvem repousava sobre o santuário.
19. Se a nuvem permanecia muitos dias sobre o santuário, os filhos de Israel observavam a ordem de Javé e não partiam.
20. Às vezes, a nuvem ficava poucos dias sobre o santuário; então, permaneciam acampados ou partiam, de acordo com a ordem de Javé.
21. Às vezes, a nuvem ficava desde o entardecer até o amanhecer e, quando ela se levantava, ao amanhecer, eles se punham em marcha. Outras vezes, ficava um dia e uma noite e, quando ela se levantava, eles partiam.
22. Outras vezes ainda, a nuvem permanecia dois dias, um mês ou até um ano. Os filhos de Israel ficavam acampados e não partiam; quando a nuvem se levantava, então partiam.
23. Eles acampavam ou partiam de acordo com a ordem de Javé. Respeitavam a ordem de Javé, que era comunicada por Moisés.

[Números 10]
Números 10

DEUS CONVOCA O POVO
1. Javé falou a Moisés:
2. "Faça duas trombetas de prata lavrada, para convocar a comunidade e dar o toque de partida para os acampamentos.
3. Ao toque das duas trombetas, toda a comunidade se reunirá com você na entrada da tenda da reunião.
4. Quando for tocada uma só trombeta, os chefes dos clãs se reunirão com você.
5. Ao primeiro toque agudo, os que estiverem acampados a leste se colocarão em movimento.
6. Ao segundo toque, partirão os que estiverem acampados no sul: será dado um toque para que se ponham em marcha.
7. Para convocar a assembléia se dará um toque, mas não agudo.
8. Os sacerdotes, filhos de Aarão, ficarão encarregados de tocar as trombetas. Essa é uma lei perpétua para vocês e seus descendentes.
9. Quando vocês estiverem no seu país e tiverem que sair para lutar contra o inimigo, que os esteja oprimindo, vocês tocarão a trombeta para o combate. Então Javé, o seu Deus, se lembrará de vocês e os salvará de seus inimigos.
10. Também nos dias de festa, solenidades ou começo de mês, vocês tocarão as trombetas para anunciar os holocaustos e sacrifícios de comunhão. Então o seu Deus se lembrará de vocês. Eu sou Javé, o Deus de vocês".

II. O POVO DE DEUS EM MARCHA

PARTIDA PARA A TERRA PROMETIDA
11. No dia vinte do segundo mês do segundo ano, a nuvem se levantou sobre o santuário da aliança.
12. Então os filhos de Israel partiram do deserto do Sinai, conforme sua ordem de marcha. E a nuvem parou no deserto de Farã.
13. São estes os que partiram em primeiro lugar, conforme a ordem de Javé, transmitida por Moisés.
14. Em primeiro lugar partiu a bandeira do acampamento dos filhos de Judá, por esquadrões, sob as ordens de Naasson, filho de Aminadab.
15. Judá estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Issacar, chefiado por Natanael, filho de Suar,
16. e pelo esquadrão dos filhos de Zabulon, chefiado por Eliab, filho de Helon.
17. Em seguida, o santuário foi desmontado, e partiram os filhos de Gérson e os filhos de Merari, encarregados de transportar o santuário.
18. A seguir partiu a bandeira do acampamento dos filhos de Rúben, por esquadrões, sob as ordens de Elisur, filho de Sedeur.
19. Rúben estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Simeão, chefiado por Salamiel, filho de Surisadai,
20. e pelo esquadrão dos filhos de Gad, chefiado por Eliasaf, filho de Reuel.
21. Partiram, então, os filhos de Caat, encarregados de transportar o santuário, de modo que o santuário já estaria montado quando eles chegassem.
22. Partiu, depois, a bandeira do acampamento dos filhos de Efraim, por esquadrões, sob as ordens de Elisama, filho de Amiud.
23. Efraim estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Manassés, chefiado por Gamaliel, filho de Fadassur,
24. e pelo esquadrão dos filhos de Benjamim, chefiados por Abidã, filho de Gedeão.
25. Por último, fechando a retaguarda, partiu a bandeira do acampamento dos filhos de Dã, por esquadrões, sob as ordens de Aiezer, filho de Amisadai.
26. Dã estava acompanhado pelo esquadrão dos filhos de Aser, chefiado por Fegiel, filho de Ocrã,
27. e pelo esquadrão dos filhos de Neftali, chefiado por Aíra, filho de Enã.
28. Foi essa a ordem de partida, por esquadrões, dos filhos de Israel, quando se puseram em marcha.
29. Moisés disse ao seu sogro Hobab, filho de Ragüel, o madianita: "Vamos partir para o lugar que Javé prometeu dar para nós. Venha conosco e o trataremos bem, porque Javé prometeu coisas boas para Israel".
30. Hobab respondeu: "Não vou. Prefiro voltar para a minha terra natal".
31. Moisés insistiu: "Não nos abandone, porque você conhece este deserto e os lugares onde podemos acampar. Você pode ser o nosso guia.
32. Se você for conosco, nós repartiremos com você as coisas boas que Javé nos der e o trataremos bem".
33. Partiram, então, da montanha de Javé e andaram durante três dias. Durante todo o tempo, a arca da aliança de Javé ia na frente, providenciando um local onde eles pudessem descansar.
34. Durante o dia a nuvem de Javé ficava sobre eles, desde quando partiram.
35. Quando a arca partia, Moisés falava: "Levanta-te, Javé! Que teus inimigos se dispersem e os que te odeiam fujam da tua presença".
36. Quando a arca estava em repouso, Moisés dizia: "Descansa, Javé, entre as multidões de Israel".

[Números 11]
Números 11

LIBERDADE É CONQUISTA CONTÍNUA
1. O povo começou a queixar-se a Javé de suas desgraças. Ao ouvir a queixa, a ira dele se inflamou, e o fogo de Javé começou a devorar uma extremidade do acampamento.
2. O povo gritou a Moisés. Este intercedeu junto a Javé em favor deles, e o incêndio se apagou.
3. Esse local se chamou Lugar do Incêndio, porque aí o fogo de Javé ardeu contra eles.
4. A multidão que estava com eles ficou faminta. Então os filhos de Israel começaram a reclamar junto com eles, dizendo: "Quem nos dará carne para comer?
5. Temos saudade dos peixes que comíamos de graça no Egito, os pepinos, melões, verduras, cebolas e alhos!
6. Agora, perdemos até o apetite, porque não vemos outra coisa além desse maná!"
7. O maná era parecido com a semente de coentro e tinha aparência de resina.
8. O povo se espalhava para juntá-lo e o esmagava no moinho ou moía no pilão; depois o cozinhava numa panela e fazia bolos, com gosto de bolo amassado com azeite.
9. À noite, quando caía orvalho sobre o acampamento, caía também o maná.

O PROBLEMA DA LIDERANÇA
10. Moisés ouviu o povo reclamar, cada família na entrada da própria tenda, provocando a ira de Javé. Moisés ficou desgostoso,
11. e disse a Javé: "Por que tratas tão mal o teu servo? Por que gozo tão pouco do teu favor, a ponto de me impores o peso de todo este povo?
12. Por acaso, fui eu que concebi ou dei à luz este povo, para que me digas: 'Tome este povo nos braços, da maneira que a ama carrega a criança no colo, e leve-o para a terra que eu jurei dar aos pais deles'?
13. De onde vou tirar carne para dar a todo este povo? Eles vêm a mim reclamando: 'Dê-nos carne para comer'.
14. Eu sozinho não consigo carregar este povo, pois supera as minhas forças!
15. Se é assim que me pretendes tratar, prefiro a morte! Concede-me esse favor, e eu não terei que passar por essa desgraça!"

LIDERANÇA PARTICIPADA E REPRESENTATIVA
16. Javé respondeu a Moisés: "Reúna setenta anciãos de Israel, que você sabe que são anciãos e magistrados do povo. Leve-os à tenda da reunião, para que se apresentem aí com você.
17. Eu descerei aí e falarei com você. Separarei uma parte do espírito que você possui e passarei para eles, a fim de que repartam com você o peso do povo, e você não tenha mais que o carregar sozinho.
18. Então você dirá ao povo: Santifiquem-se para amanhã, e vocês comerão carne, pois vocês reclamaram a Javé, dizendo: 'Quem nos dará carne para comer? No Egito estávamos melhor!' Pois bem! Javé dará carne para vocês comerem,
19. e vocês não comerão apenas um dia ou dois, cinco, dez ou vinte.
20. Pelo contrário, vocês comerão o mês inteiro, até ficarem enjoados e vomitarem, porque rejeitaram Javé que está no meio de vocês, e reclamaram, dizendo: 'Por que saímos do Egito?' "
21. Moisés disse: "O povo que está comigo conta com seiscentas mil pessoas adultas, e tu dizes que darás carne para eles comerem o mês inteiro!
22. Ainda que matássemos as vacas e ovelhas, isso não seria suficiente e, ainda que reuníssemos todos os peixes do mar, nem assim lhes bastariam".
23. Javé respondeu a Moisés: "Será que o meu poder diminuiu? Você verá se a minha palavra vai cumprir-se ou não".
24. Moisés saiu e comunicou as palavras de Javé ao povo. Depois reuniu setenta anciãos do povo e os colocou ao redor da tenda da reunião.
25. Então Javé desceu na nuvem, falou com Moisés, separou uma parte do espírito que Moisés possuía, e a colocou nos setenta anciãos. Quando o espírito pousou sobre eles, puseram-se a profetizar; mas, depois, nunca mais o fizeram.

PLENA PARTICIPAÇÃO POPULAR
26. Dois homens do grupo tinham ficado no acampamento: um se chamava Eldad e o outro Medad. Embora estivessem na lista, não tinham ido à tenda. Mas o espírito pousou sobre eles e começaram a profetizar no acampamento.
27. Um jovem foi correndo contar a Moisés: "Eldad e Medad estão profetizando no acampamento!"
28. Josué, filho de Nun, que desde a juventude era ajudante de Moisés, interveio: "Moisés, meu senhor, proíba-os de fazer isso".
29. Moisés, porém, respondeu: "Você está com ciúme por mim? Oxalá todo o povo de Javé fosse profeta e recebesse o espírito de Javé!"
30. E Moisés voltou ao acampamento, junto com os anciãos de Israel.

QUEM NÃO PARTICIPA É EXCLUÍDO
31. Javé levantou do mar um vento que arrastou bandos de codornizes, fazendo-as cair no acampamento. Então, no raio de um dia de viagem ao redor do acampamento, o chão ficou coberto delas, formando uma camada de quase um metro de altura.
32. O povo passou o dia todo, a noite e o dia seguinte recolhendo codornizes; quem recolheu menos, chegou a juntar dez cargas de burro. E as estenderam ao redor do acampamento.
33. Estavam ainda com a carne na boca, sem ter mastigado, quando a ira de Javé se inflamou contra o povo, ferindo-o com grande mortandade.
34. O lugar ficou sendo chamado de Cemitério da Avidez, porque aí o povo enterrou as vítimas da sua avidez.
35. Daí partiram para Currais, onde acamparam.

[Números 12]
Números 12

NÃO TRAIR O PROJETO INICIAL
1. Maria e Aarão falaram contra Moisés, por causa da mulher cuchita que ele havia tomado como esposa.
2. Eles disseram a Moisés: "Será que Javé falou somente a Moisés? Não falou também a nós?" E Javé os ouviu.
3. Moisés era o homem mais humilde entre todos os homens da terra.
4. De repente, Javé disse a Moisés, a Aarão e Maria: "Vão os três para a tenda da reunião". Os três foram
5. e Javé desceu numa coluna de nuvem, colocou-se à entrada da tenda e chamou Aarão e Maria. Eles se aproximaram,
6. e Javé disse: "Ouçam o que eu vou lhes dizer: Quando entre vocês há um profeta, eu me apresento a ele em visão e falo com ele em sonhos.
7. Não acontece assim com o meu servo Moisés, que é homem de confiança em toda a minha casa:
8. com ele eu falo face a face, às claras e sem enigmas; e ele vê a figura de Javé. Por que vocês se atreveram a falar contra o meu servo Moisés?"
9. A ira de Javé se inflamou contra eles, e Javé se retirou.
10. A nuvem se afastou da tenda, e a pele de Maria ficou toda esbranquiçada, como a neve. Ao voltar-se para ela, Aarão viu-a com a pele esbranquiçada.
11. Aarão disse a Moisés: "Por favor, meu senhor! Não peça contas da culpa pelos pecados que tivemos a loucura de cometer e da qual somos culpados.
12. Não deixe que Maria permaneça como um aborto que já sai do ventre da mãe com a carne meio carcomida".
13. Moisés suplicou a Javé: "Por favor, concede-lhe a cura!"
14. Então Javé disse a Moisés: "Se o pai dela lhe tivesse cuspido na cara, ela ficaria difamada por sete dias. Pois então, que ela fique isolada por sete dias, fora do acampamento, e só depois seja admitida novamente".
15. Isolaram Maria durante sete dias fora do acampamento, e o povo não partiu antes que ela voltasse.
16. Depois partiram de Currais e foram acampar no deserto de Farã.

[Números 13]
Números 13

NÃO SE ACOVARDAR DIANTE DA REALIDADE
1. Javé falou a Moisés:
2. "Mande gente para explorar o país de Canaã, que vou dar aos filhos de Israel. Mande um de cada tribo, e que todos sejam chefes".
3. Seguindo a ordem de Javé, Moisés os enviou do deserto de Farã. Todos eram chefes dos filhos de Israel,
4. e seus nomes são os seguintes: da tribo de Rúben, Samua, filho de Zacur;
5. da tribo de Simeão, Safat, filho de Huri;
6. da tribo de Judá, Caleb, filho de Jefoné;
7. da tribo de Issacar, Igal, filho de José;
8. da tribo de Efraim, Oséias, filho de Nun;
9. da tribo de Benjamim, Falti, filho de Rafu;
10. da tribo de Zabulon, Gediel, filho de Sodi;
11. da tribo de Manassés, filho de José, Gadi, filho de Susi;
12. da tribo de Dã, Amiel, filho de Gemali;
13. da tribo de Aser, Setur, filho de Miguel;
14. da tribo de Neftali, Naabi, filho de Vapsi;
15. da tribo de Gad, Güel, filho de Maqui.
16. São esses os nomes dos homens que Moisés mandou explorar o país. Quanto a Oséias, filho de Nun, Moisés lhe deu o nome de Josué.
17. Moisés mandou que eles explorassem o país de Canaã, e lhes falou: "Subam pelo deserto do Negueb até chegar à montanha.
18. Observem como é o país e seus habitantes, se são fortes ou fracos, poucos ou numerosos.
19. Vejam se a terra é boa ou ruim; como é que são as cidades onde moram, se são abertas ou fortificadas.
20. Vejam se a terra é fértil ou estéril, se tem árvores ou não. Sejam corajosos e tragam frutos da terra". Era o tempo em que a uva começava a amadurecer.
21. Eles subiram e exploraram o país desde o deserto de Sin até Roob, junto à entrada de Emat.
22. Subiram pelo deserto e chegaram a Hebron, onde viviam Aimã, Sesai e Tolmai, filhos de Enac. Hebron tinha sido fundada sete anos antes que Tânis do Egito.
23. Chegando ao vale do Cacho, cortaram um ramo de videira com um cacho de uvas, e o penduraram numa vara transportada por dois homens; colheram também romãs e figos.
24. Esse lugar ficou sendo chamado vale do Cacho, por causa do cacho de uvas que os filhos de Israel aí cortaram.
25. Quarenta dias depois, voltaram os exploradores
26. e se apresentaram diante de Moisés, Aarão e toda a comunidade de Israel, no deserto de Farã, em Cades. Diante deles e da comunidade, fizeram seu relatório e mostraram os frutos da terra.
27. O relatório deles foi o seguinte: "Entramos na terra aonde você nos enviou. É uma terra onde corre leite e mel, e aqui vocês podem ver os frutos dela.
28. Mas o povo que mora no país é poderoso, e as cidades são grandes e fortificadas. Também vimos aí os filhos de Enac.
29. Os amalecitas ocupam a região do Negueb; os heteus, amorreus e jebuseus vivem na montanha; os cananeus moram junto do mar e às margens do Jordão".
30. Então Caleb fez o povo ficar em silêncio diante de Moisés, e falou: "Temos que subir e tomar posse dessa terra; nós podemos fazer isso".
31. Mas os homens que haviam acompanhado Caleb replicaram: "Não podemos atacar esse povo, porque ele é mais forte do que nós".
32. E, diante dos filhos de Israel, começaram a pôr defeitos na terra que haviam explorado: "A terra que fomos explorar é uma terra que devora seus habitantes; o povo que vimos nela são homens de grande estatura.
33. Aí nós vimos gigantes, os filhos de Enac, que são gigantes mesmo. Tanto para nós próprios, como para eles, nós parecíamos gafanhotos".

[Números 14]
Números 14

AS TENTAÇÕES NA CAMINHADA
1. Então toda a comunidade de Israel começou a gritar e berrar, e o povo se queixou a noite inteira.
2. Os filhos de Israel murmuravam contra Moisés e Aarão, e toda a comunidade dizia: "Seria melhor se tivéssemos morrido na terra do Egito! É melhor morrer neste deserto!
3. Por que Javé nos trouxe a esta terra? Para morrermos pela espada e para que nossas mulheres e crianças se tornem escravas? Não seria melhor voltar para o Egito?"
4. E diziam uns aos outros: "Vamos escolher um chefe e voltar para o Egito".
5. Moisés e Aarão se prostraram por terra diante de toda a comunidade reunida dos filhos de Israel.
6. Dois daqueles que foram explorar a terra, Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné, rasgaram suas roupas.
7. Eles disseram a toda a comunidade dos filhos de Israel: "A terra que fomos explorar é boa, é uma terra excelente!
8. Se Javé estiver do nosso lado, ele nos fará entrar nessa terra e a dará para nós: é uma terra onde corre leite e mel.
9. Entretanto, não se revoltem contra Javé, não tenham medo do povo dessa terra. Nós os devoraremos como um pedaço de pão. Eles não estão mais protegidos do que nós, porque Javé está conosco. Não tenham medo deles!"
10. Toda a comunidade, porém, falava em apedrejá-los. Nesse momento, a glória de Javé apareceu na tenda da reunião, diante de todos os filhos de Israel.
11. Javé disse a Moisés: "Até quando esse povo vai me desprezar? Até quando se recusará a acreditar em mim, apesar de todos os sinais que tenho feito entre vocês?
12. Vou feri-lo com peste e deserdá-lo. De você, tirarei um povo grande e mais numeroso do que eles".
13. Moisés respondeu a Javé: "Os egípcios sabem que foste tu que tiraste este povo do meio deles com grande poder,
14. e dirão isso aos habitantes desta terra. Eles souberam, Javé, que tu estás no meio deste povo, que te mostras a ele face a face, que tua nuvem está sobre ele, e caminhas à sua frente de dia numa coluna de nuvem, e de noite numa coluna de fogo.
15. Se agora fazes este povo perecer, como se fosse um só homem, as nações ouvirão a notícia e dirão:
16. 'Javé não conseguiu levar esse povo à terra que havia prometido para eles; por isso o matou no deserto'.
17. Portanto, mostra tua grande força, conforme prometeste.
18. Javé, paciente e misericordioso, que perdoas a culpa e a transgressão, mas não nos deixas sem castigo; que castigas a culpa dos pais em seus filhos, netos e bisnetos:
19. perdoa a culpa deste povo, conforme a tua grande misericórdia, já que o trouxeste do Egito até aqui".
20. Javé disse: "Eu perdôo o povo, conforme você está pedindo.
21. Mas, por minha vida e pela glória de Javé que enche a terra,
22. todos os homens, que viram a minha glória e os sinais que eu fiz no Egito e no deserto, já me puseram à prova dez vezes, e não me obedeceram.
23. Eles não verão a terra que jurei dar a seus pais. Nenhum daqueles que me desprezaram verá essa terra.
24. Meu servo Caleb, porém, animado de outro espírito, ele me seguiu fielmente. Por isso eu o farei entrar na terra que ele explorou, e a descendência dele possuirá essa terra.
25. Visto que os amalecitas e cananeus habitam no vale, amanhã vocês deverão partir para o deserto, seguindo a rota do mar Vermelho".
26. E Javé continuou a dizer a Moisés e Aarão:
27. "Até quando essa comunidade perversa continuará murmurando contra mim? Ouvi os filhos de Israel se queixarem contra mim.
28. Diga a eles: Por minha vida - oráculo de Javé eu os tratarei conforme o que vocês me jogaram na cara.
29. Seus cadáveres cairão neste deserto. E todos os que foram recenseados, de vinte anos para cima, e que murmuraram contra mim,
30. não entrarão na terra onde jurei estabelecer vocês. A única exceção será Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné.
31. Quanto aos filhos de vocês, de quem vocês diziam que seriam levados como escravos, eu os farei entrar para conhecer a terra que vocês desprezaram.
32. Mas os cadáveres de vocês cairão neste deserto,
33. e por este deserto os filhos de vocês caminharão errantes durante quarenta anos, carregando a infidelidade de vocês, até que os cadáveres de vocês se desfaçam no deserto.
34. Vocês exploraram a terra durante quarenta dias. A cada dia corresponderá um ano. Pois bem! Vocês carregarão o peso de suas faltas por quarenta anos, para que vocês saibam o que significa abandonar a mim.
35. Eu sou Javé, e juro que vou tratar desse modo a essa comunidade que se revoltou contra mim: serão consumidos neste deserto e nele morrerão".
36. Quanto aos homens que Moisés enviou para explorar a terra e que colocaram a comunidade contra ele, fazendo pouco da terra,
37. esses homens, que fizeram pouco da terra, morreram fulminados diante de Javé.
38. De todos os que haviam explorado a terra, somente Josué, filho de Nun, e Caleb, filho de Jefoné, permaneceram vivos.
39. Moisés comunicou essas palavras a todos os filhos de Israel. E o povo ficou muito perturbado.
40. No dia seguinte, eles se levantaram de madrugada e subiram até o alto da montanha, dizendo: "Vamos subir ao lugar a respeito do qual Javé nos falou. Nós pecamos".
41. Moisés, porém, disse: "Por que vocês passam por cima da ordem de Javé? Isso não vai dar certo.
42. Não subam, porque Javé não está com vocês, e o inimigo os derrotará.
43. De fato, os amalecitas e cananeus os enfrentarão, e vocês cairão a golpes de espada. Vocês se afastaram de Javé, e por isso Javé não está com vocês".
44. Apesar disso, eles teimaram em subir ao topo do monte, enquanto Moisés e a arca da aliança de Javé permaneceram no acampamento.
45. Os amalecitas e cananeus, que habitavam na montanha, desceram e os derrotaram, destroçando-os até Horma.

[Números 15]
Números 15

OS DONS DE JAVÉ
1. Javé falou a Moisés:
2. "Diga aos filhos de Israel: Quando vocês entrarem na terra que eu vou lhes dar, para que vocês habitem aí,
3. ao oferecerem a Javé uma oblação, de gado maior ou menor, uma oblação de perfume agradável para Javé, seja holocausto, seja sacrifício de comunhão voluntário, ou para cumprir um voto, ou por ocasião de uma festa,
4. aquele que fizer sua oferta a Javé, apresentará o seguinte: uma oferta de quatro litros e meio de flor de farinha, amassada com dois litros de azeite.
5. Juntamente com o holocausto ou com o sacrifício de comunhão, fará uma libação de dois litros de vinho para cada cordeiro.
6. Tratando-se de um carneiro, você fará uma oblação de nove litros de flor de farinha, amassada com dois litros e meio de azeite,
7. e uma libação de dois litros e meio de vinho, como perfume agradável para Javé.
8. Se o holocausto ou o sacrifício de comunhão, para fazer um voto ou ação de graças a Javé, for de um bezerro,
9. você deverá acrescentar uma oferta de treze litros e meio de flor de farinha, amassada com quatro litros de azeite,
10. e uma libação de quatro litros de vinho, oblação de perfume agradável para Javé.
11. Isso é o que se deve oferecer com um bezerro, um carneiro, uma ovelha ou um cabrito.
12. Vocês aplicarão sempre essa proporção.
13. Assim deverá fazer o nativo do país, quando apresentar uma oferta queimada, de perfume agradável para Javé.
14. E no futuro, se algum imigrante, que residir com vocês ou com seus descendentes, quiser apresentar uma oblação de perfume agradável para Javé, fará o mesmo que vocês.
15. Haverá um só rito para toda a comunidade, tanto para vocês como para o imigrante que mora no meio de vocês. Será, diante de Javé, um rito perene a ser conservado de geração em geração, valendo tanto para vocês como para o imigrante.
16. Haverá a mesma lei e o mesmo rito para vocês e para o imigrante que morar entre vocês".
17. Javé falou a Moisés:
18. "Diga aos filhos de Israel: Quando vocês tiverem entrado na terra, para onde eu os conduzo,
19. e comerem o pão nessa terra, vocês deverão separar uma oferta para apresentar a Javé:
20. separarão um pão feito com a primeira farinha, como vocês fazem com o tributo da eira.
21. Vocês deverão dar a Javé um tributo da massa do pão: isso vale para todas as gerações de vocês.

TOMAR CONSCIÊNCIA DOS ERROS COMETIDOS
22. Se vocês errarem sem querer, deixando de observar algum dos mandamentos que Javé deu a Moisés,
23. de tudo o que Javé ordenou a vocês por meio de Moisés, desde o dia em que Javé ordenou essas coisas e daí por diante,
24. vocês deverão fazer o seguinte: se o erro foi cometido pela comunidade sem querer, sem que a comunidade tenha percebido, a comunidade inteira oferecerá um bezerro como holocausto de perfume agradável para Javé, junto com a oblação e a libação, conforme o ritual. E oferecerá também um bode, como sacrifício pelo pecado.
25. O sacerdote fará o sacrifício pelo pecado por toda a comunidade dos filhos de Israel, e o pecado será perdoado a eles, pois foi feito sem querer. Eles levarão a oferta para ser queimada diante de Javé, e apresentarão diante de Javé o sacrifício pelo pecado, a fim de reparar o erro cometido sem querer.
26. Este será perdoado a toda a comunidade dos filhos de Israel, e também ao imigrante que mora entre eles, porque todo o povo pecou sem querer.
27. Se apenas uma pessoa pecar sem querer, oferecerá um cabrito de um ano, como sacrifício pelo pecado.
28. O sacerdote fará pela pessoa, diante de Javé, um sacrifício pelo pecado; e a pessoa ficará perdoada.
29. A mesma norma vale tanto para um filho de Israel como para um imigrante que mora no meio do povo, quando pecarem sem querer.
30. Todavia, quem procede com plena consciência, seja nativo, seja imigrante, comete ultraje contra Javé. Esse indivíduo deve ser excluído do meio do povo,
31. porque desprezou a palavra de Javé e violou seu mandamento. Essa pessoa deve ser excluída, pois a culpa está nela mesma".

VIOLAÇÃO DO SÁBADO
32. Enquanto os filhos de Israel estavam no deserto, surpreenderam um homem que recolhia lenha em dia de sábado.
33. E o levaram até Moisés, Aarão e toda a comunidade,
34. mantendo-o preso enquanto se decidia o que deveria ser feito com ele.
35. Javé disse a Moisés: "Esse homem é réu de morte. Toda a comunidade deverá apedrejá-lo fora do acampamento".
36. A comunidade o levou para fora do acampamento e o apedrejou. E o homem morreu, conforme Javé tinha ordenado a Moisés.

UM LEMBRETE DA ALIANÇA
37. Javé falou a Moisés:
38. "Diga aos filhos de Israel: Por todas as gerações, façam borlas e as costurem com linha violeta na franja de suas roupas.
39. Vendo essas borlas, vocês se lembrarão dos mandamentos de Javé. E elas ajudarão vocês a cumprir os mandamentos, sem ceder aos caprichos do coração e dos olhos, caprichos que poderiam levar vocês à infidelidade.
40. Desse modo vocês se lembrarão de todos os meus mandamentos e os colocarão em prática, vivendo consagrados ao seu Deus.
41. Eu sou Javé, o Deus de vocês, que os tirei da terra do Egito para ser o Deus de vocês. Eu sou Javé, o Deus de vocês".

[Números 16]
Números 16

CONFLITOS NA LIDERANÇA
1. Coré, filho de Isaar, filho de Caat, filho de Levi, junto com Datã e Abiram, filhos de Eliab, e On, filho de Felet, sendo Eliab e Felet filhos de Rúben,
2. se revoltaram contra Moisés juntamente com duzentos e cinqüenta homens, chefes da comunidade, membros do conselho e pessoas de fama.
3. Eles se reuniram contra Moisés e Aarão, dizendo: "Chega! Todos os membros da comunidade são consagrados, e Javé está no meio deles. Por que vocês dois se colocam acima da comunidade de Javé?"
4. Quando ouviu isso, Moisés se prostrou com o rosto no chão.
5. Depois falou a Coré e aos outros que estavam com ele: "Amanhã cedo Javé mostrará quem é dele e quem é o consagrado, e ele o fará aproximar-se. Fará aproximar de si aquele que ele tiver escolhido.
6. Façam o seguinte: peguem os incensórios, vocês e todos que os seguem.
7. Amanhã vocês acenderão neles o fogo e colocarão incenso diante de Javé. Aquele que Javé escolher, esse será o consagrado. E, por ora, chega, filhos de Levi!"
8. Depois Moisés disse a Coré: "Agora, escutem, filhos de Levi!
9. O que é que vocês estão querendo? O Deus de Israel separou-os da comunidade de Israel, levando-os para perto dele, para vocês servirem no santuário de Javé e estarem à disposição para servir à comunidade.
10. Javé fez você e seus irmãos levitas se aproximarem dele. Agora vocês querem também o sacerdócio?
11. Vocês e seus seguidores se revoltaram contra Javé! Quem é Aarão, para vocês protestarem contra ele?"
12. Então Moisés mandou chamar Datã e Abiram, filhos de Eliab. Estes responderam: "Não iremos.
13. Por acaso não basta você nos ter feito sair de uma terra onde corre leite e mel, para nos fazer morrer neste deserto? Você quer ainda ser o nosso chefe?
14. Você não nos levou para uma terra onde corre leite e mel, nem nos deu como herança campos e vinhas! Você pensa que somos cegos? Não iremos".
15. Então Moisés ficou furioso e disse a Javé: "Não aceites a oferta deles. Eu não tirei deles sequer um burro, e não fiz mal a nenhum deles!"
16. Depois disse a Coré: "Amanhã, você e seus seguidores, e também Aarão, deverão apresentar-se a Javé.
17. Cada um pegue o seu incensório, coloque nele o incenso e o ofereça a Javé. Cada um dos duzentos e cinqüenta pegue o próprio incensório, juntamente com você e Aarão".
18. Cada um pegou o seu incensório, o acendeu e colocou incenso nele. A seguir, ficaram na porta da tenda da reunião com Moisés e Aarão.
19. Coré reuniu seus seguidores na entrada da tenda da reunião. E a glória de Javé manifestou-se a toda a comunidade.
20. Então Javé falou a Moisés e Aarão:
21. "Afastem-se desse grupo, porque vou destruí-lo num instante".
22. Moisés e Aarão caíram com o rosto por terra e suplicaram: "Deus, Deus dos espíritos de todos os seres vivos! Foi só um que pecou, e tu vais ficar irritado contra todos?"
23. Javé falou a Moisés:
24. "Diga às pessoas que se afastem das tendas de Coré, Datã e Abiram".
25. Moisés se levantou e se dirigiu aonde estavam Datã e Abiram. Os anciãos de Israel o seguiram.
26. Moisés falou à comunidade: "Afastem-se das tendas desses homens ímpios e não toquem nada do que pertence a eles, para vocês não se comprometerem com os pecados deles".
27. Eles se afastaram das tendas de Coré, Datã e Abiram, enquanto Datã e Abiram saíam com suas mulheres, filhos e crianças, para esperar na entrada da tenda.
28. Então Moisés disse: "Agora vocês ficarão sabendo que foi Javé quem me enviou para agir assim, e que eu não fiz nada por mim mesmo:
29. se estes homens morrerem de morte natural, conforme o destino de todos os homens, é sinal que Javé não me enviou.
30. Mas se Javé fizer alguma coisa estranha, se a terra se abrir e os engolir com todos os seus, descendo vivos à mansão dos mortos, então vocês ficarão sabendo que esses homens desprezaram Javé".
31. Logo que Moisés acabou de falar, o chão rachou debaixo dos pés deles,
32. a terra abriu sua boca e os engoliu com suas famílias, junto com os homens de Coré e todos os seus bens.
33. Desceram vivos à mansão dos mortos, juntamente com todas as coisas que lhes pertenciam. A terra os cobriu e eles desapareceram da comunidade.
34. Quando eles gritaram, os filhos de Israel, que estavam ao redor, fugiram correndo, pois pensavam que a terra iria engolir a eles também.
35. Saiu um fogo da parte de Javé e devorou os duzentos e cinqüenta homens que ofereciam o incenso.

[Números 17]
Números 17

A FUNÇÃO DO LÍDER É ZELAR PELA COMUNIDADE
1. Javé falou a Moisés:
2. "Diga a Eleazar, filho do sacerdote Aarão, para tirar os incensórios do meio do fogo e espalhar as brasas, porque são santas.
3. Quanto aos incensórios desses homens, que pagaram o seu pecado com a própria vida, sejam transformados em chapas para revestir o altar, pois foram apresentados a Javé. Por isso ficaram consagrados e vão servir de lição para os filhos de Israel".
4. O sacerdote Eleazar pegou os incensórios de bronze trazidos pelos homens que o fogo havia destruído. Foram transformados em chapas para revestir o altar,
5. e assim lembrar aos filhos de Israel que nenhum estranho, que não seja da descendência de Aarão, deve apresentar-se para oferecer incenso a Javé, pois teria o mesmo destino de Coré e seu grupo. Eleazar fez tudo conforme Javé lhe havia ordenado por meio de Moisés.
6. No dia seguinte, toda a comunidade dos filhos de Israel protestou contra Moisés e Aarão, dizendo: "Vocês estão matando o povo de Javé".
7. E dado que a comunidade estava se amotinando contra Moisés e Aarão, estes foram para a tenda da reunião. A nuvem cobriu a tenda e a glória de Javé se manifestou.
8. Moisés e Aarão entraram na tenda,
9. e Javé lhes falou:
10. "Afastem-se dessa comunidade, pois vou consumi-la num instante!" Os dois se prostraram com o rosto por terra;
11. em seguida, Moisés disse a Aarão: "Pegue o incensório, coloque nele brasas do altar, coloque incenso, e vá depressa fazer a expiação pela comunidade, porque a ira de Javé se inflamou contra ela, e a praga já começou".
12. Aarão fez o que Moisés estava mandando, e correu para o meio da comunidade. Mas a praga já havia começado entre o povo. Então ele colocou o incenso, fez o rito de expiação pelo povo e,
13. ficando entre os mortos e os vivos, deteve a mortandade.
14. Os que morreram por causa da praga foram catorze mil e setecentos, além dos que morreram por causa de Coré.
15. Quando Aarão voltou para junto de Moisés, na tenda da reunião, a mortandade já tinha acabado.
16. Javé falou a Moisés:
17. "Diga aos filhos de Israel que tragam varas, uma para cada chefe de família, no total de doze, e cada um escreva nela o próprio nome.
18. Na vara de Levi, você deverá escrever o nome de Aarão, pois haverá uma vara para cada chefe de tribo.
19. Coloque as varas na tenda da reunião, diante do documento da aliança que eu fiz com eles.
20. A vara daquele que eu escolher, florescerá. Desse modo eu acabarei com os protestos dos filhos de Israel contra vocês".
21. Moisés pediu que os filhos de Israel lhe trouxessem doze varas, uma para cada chefe de tribo, e entre elas a vara de Aarão.
22. Moisés colocou as varas diante de Javé, na tenda da aliança.
23. No dia seguinte, Moisés entrou na tenda da aliança, e viu que havia florescido a vara de Aarão, representante da tribo de Levi: estava cheia de brotos, tinha dado flores e produzido amêndoas.
24. Moisés tirou as varas da presença de Javé e as levou aos filhos de Israel. Eles verificaram o fato e cada um recolheu a sua vara.
25. Javé disse a Moisés: "Coloque de novo a vara de Aarão diante do documento da aliança, para que seja conservada como advertência contra os rebeldes. Desse modo eles não murmurarão contra mim, e não morrerão".
26. E Moisés fez exatamente conforme Javé tinha ordenado.

FUNÇÕES DE SACERDOTES E LEVITAS
27. Os filhos de Israel reclamaram a Moisés: "Veja: nós vamos morrer, estamos todos perdidos.
28. Quem se aproxima do santuário de Javé acaba morrendo. Será que todos nós vamos morrer?"

[Números 18]
Números 18

1. Javé disse a Aarão: "Você com seus filhos e sua família serão responsáveis pelas faltas cometidas contra o santuário. Você e seus filhos serão responsáveis pelas faltas cometidas no exercício do sacerdócio.
2. Reúna também com você os seus irmãos da tribo de Levi, a tribo de seu pai. Faça-os ficar junto de você, para que o ajudem quando você e seus filhos estiverem na tenda da aliança.
3. Eles ficarão a serviço de você e de toda a tenda, mas não deverão aproximar-se dos objetos sagrados, nem do altar, para que não venham a morrer nem eles nem vocês.
4. Serão seus ajudantes e responderão pela guarda da tenda da reunião e por todo o serviço da tenda, de modo que nenhum estranho se intrometa no meio de vocês.
5. Vocês é que responderão pela guarda do santuário e dos objetos sagrados, e assim nunca mais a Ira se inflamará contra os filhos de Israel.
6. Eu mesmo escolhi seus irmãos levitas, entre os filhos de Israel. Eles foram doados a Javé e entregues como dom a vocês, para prestarem serviço na tenda da reunião.
7. Você e seus filhos exercerão o sacerdócio naquilo que se refere ao altar e a tudo o que fica atrás do véu. Eu lhes entrego o exercício do sacerdócio como dom. O estranho que se aproximar deverá ser morto".

DIREITOS DOS SACERDOTES E LEVITAS
8. Javé disse a Aarão: "Entrego a você o direito de usufruir os tributos doados a mim; entrego a você e a seus filhos o que os filhos de Israel me oferecem, como privilégio da unção sacerdotal. É um direito perpétuo.
9. De tudo o que foi consagrado e das oblações que não são queimadas, pertence a você o seguinte: todas as ofertas, oblações, sacrifícios pelo pecado e sacrifícios de reparação, porque são coisas sagradas, que pertencerão a você e a seus filhos.
10. Vocês se alimentarão de coisas sagradas, e todos do sexo masculino poderão comer delas. Você as tratará como coisas sagradas.
11. Além disso, dentre as ofertas dos filhos de Israel, caberá a você a parte reservada de tudo aquilo que é erguido em gesto de apresentação. Eu a dou para você e para seus filhos e filhas, como direito perpétuo. Em sua casa, todos os que estiverem puros poderão comer dessas coisas.
12. Entrego a você a melhor parte do azeite, do vinho novo e do trigo, oferecidos como primícias a Javé.
13. Todos os primeiros produtos do seu país, que forem trazidos a Javé, pertencerão a você; e todos que estiverem puros em sua casa poderão comer deles.
14. Tudo aquilo que Israel dedica a Deus, pertencerá a você.
15. Todo primogênito, de homem ou animal, que eles oferecerem a Javé, pertencerá a você. Mas você deixará resgatar o primogênito do homem e também o primogênito do animal, quando este for impuro.
16. Você os deixará resgatar quando tiverem um mês, cobrando cinqüenta gramas de prata, conforme o peso padrão do santuário, que corresponde a dez gramas.
17. Os primogênitos da vaca, da ovelha e da cabra não poderão ser resgatados: são coisa consagrada. Você derramará o sangue deles sobre o altar e queimará a gordura, como oferta de perfume agradável para Javé;
18. a carne deles pertencerá a você, assim como o peito apresentado ritualmente, e também a coxa direita.
19. Entrego a você, a seus filhos e filhas, todos os tributos sagrados dos filhos de Israel, como direito perpétuo. É uma aliança perpétua para você e seus descendentes, uma aliança inviolável diante de Javé".
20. Javé disse a Aarão: "Você não receberá nenhuma herança, nem parte na terra. Para você, eu sou a sua parte e a sua herança no meio dos filhos de Israel.
21. Aos filhos de Levi dou como herança todos os dízimos recolhidos em Israel, para pagar os serviços que me prestam na tenda da reunião.
22. Os filhos de Israel nunca mais se aproximarão da tenda da reunião, pois pecariam e morreriam.
23. Os levitas desempenharão as tarefas da tenda da reunião e carregarão o peso da sua responsabilidade. É lei perpétua para seus descendentes, que não receberão herança no meio dos filhos de Israel.
24. Por essa razão, eu dou aos levitas como herança os dízimos que os filhos de Israel reservam para Javé. Por isso eu lhes disse que não receberão herança no meio dos filhos de Israel".
25. Javé falou a Moisés:
26. "Diga aos levitas: Quando vocês receberem dos filhos de Israel os dízimos que eu lhes dou como herança, ofereçam como tributo a Javé a décima parte dos dízimos.
27. Isso será considerado como tributo de vocês, como se fosse trigo tirado da eira ou vinho do tanque de pisar uvas.
28. Vocês também pagarão tributo a Javé por todos os dízimos que receberem dos filhos de Israel. Essa parte que vocês separarem para Javé será entregue ao sacerdote Aarão.
29. De todas as ofertas que receberem, reservarão uma parte para Javé, e essa parte sagrada vocês tirarão do melhor de todas as coisas.
30. Diga-lhes também: Quando vocês tiverem separado o melhor, todos esses dons pertencerão aos levitas, como se fossem produto da eira e do tanque de pisar uvas.
31. Vocês poderão comer essas coisas em qualquer lugar com suas famílias, porque é o salário de vocês pelo serviço na tenda da reunião.
32. Se vocês separarem a parte melhor, não estarão cometendo nenhum pecado, nem profanando as coisas consagradas pelos filhos de Israel, e por isso não morrerão".

[Números 19]
Números 19

A ÁGUA DA PURIFICAÇÃO
1. Javé falou a Moisés e Aarão:
2. "Este é o estatuto legal que Javé ordena: Diga aos filhos de Israel que tragam para você uma novilha vermelha, sem mancha e sem defeito, e que nunca tenha usado canga.
3. E a entreguem ao sacerdote Eleazar, que a levará para fora do acampamento e a mandará imolar na presença dele.
4. Eleazar molhará um dedo no sangue dela e salpicará sete vezes na direção da tenda da reunião.
5. Depois mandará queimar a novilha na presença dele: serão queimados o couro, a carne, o sangue e os intestinos.
6. O sacerdote pegará, então, galhos de cedro, hissopo e púrpura escarlate, e jogará tudo isso no fogo onde a novilha está sendo queimada.
7. A seguir, o sacerdote lavará suas roupas, tomará banho, e voltará para o acampamento. Ficará impuro até à tarde.
8. Quem tiver queimado a novilha, também deverá lavar suas roupas e tomar banho. E ficará impuro até à tarde.
9. Um homem puro ficará encarregado de recolher as cinzas da novilha e colocá-las em lugar puro, fora do acampamento. A comunidade dos filhos de Israel conservará as cinzas para preparar a água purificadora: é um sacrifício pelo pecado.
10. Quem tiver recolhido as cinzas da novilha, deverá lavar suas roupas e ficará impuro até à tarde. Esta é uma lei perpétua para os filhos de Israel e para os imigrantes que vivem no meio deles:
11. quem tocar um cadáver humano, ficará impuro por sete dias.
12. Deverá ser purificado com a água da purificação no terceiro e no sétimo dia, e ficará puro. Se não fizer isso, não ficará puro.
13. Quem tocar um cadáver, isto é, o corpo de uma pessoa morta, e não se purificar, profanará a morada de Javé, e será excluído de Israel. Uma vez que a água da purificação não foi derramada sobre ele, está impuro, e a impureza continua com ele.
14. Lei para quando um homem morre dentro de uma tenda: Quem entrar na tenda e todo aquele que nela estiver, ficará impuro por sete dias.
15. Todo recipiente que estiver aberto, sobre o qual não houver uma cobertura ou tampa, ficará impuro.
16. Quem tocar, em campo aberto, o cadáver de um homem que tenha sido apunhalado, ou qualquer morto, ou ossos humanos, ou uma sepultura, ficará impuro por sete dias.
17. Para aquele que se tornou impuro, deve-se pegar das cinzas da vítima queimada em sacrifício pelo pecado, e derramar água corrente sobre as cinzas, numa vasilha.
18. Em seguida, um homem puro pegará um ramo de hissopo, o molhará na água e fará a aspersão sobre a tenda e sobre todos os utensílios e pessoas que aí estiverem, e também sobre o homem que tiver tocado um osso, um assassinado, um cadáver ou uma sepultura.
19. O homem puro fará a aspersão sobre o impuro, no terceiro e no sétimo dia. No sétimo dia, ele ficará livre do seu pecado, lavará suas roupas, tomará banho, e à tarde ficará puro.
20. O homem impuro, que não se purificar, será excluído da comunidade, porque poderia contaminar o santuário de Javé. A água da purificação não foi derramada sobre ele; por isso, continua impuro.
21. Isto é uma lei perpétua: quem tiver feito a aspersão com a água da purificação, deverá lavar suas roupas; quem tocar a água da purificação ficará impuro até à tarde.
22. Tudo aquilo que o impuro tocar ficará impuro; a pessoa que tocar o impuro ficará impura até à tarde".

[Números 20]
Números 20

NÃO DESCONFIAR DE JAVÉ
1. A comunidade inteira dos filhos de Israel chegou no primeiro mês ao deserto de Sin. E o povo acampou em Cades. Aí morreu Maria, e foi sepultada.
2. Faltava água para a comunidade e as pessoas se amotinaram contra Moisés e Aarão.
3. O povo brigava com Moisés, dizendo: "Quem dera tivéssemos morrido quando nossos irmãos morreram diante de Javé!
4. Por que você trouxe a comunidade de Javé a este deserto, para morrermos aqui junto com nossos animais?
5. Por que você nos fez sair do Egito, para nos trazer a este lugar deserto, onde não se pode semear, sem figueiras, vinhas e romãzeiras, e até sem água para beber?"
6. Moisés e Aarão se afastaram da comunidade, foram para a entrada da tenda da reunião e se prostraram diante dela, com o rosto por terra. Então a glória de Javé apareceu a eles.
7. E Javé disse a Moisés:
8. "Pegue a vara, junto com seu irmão Aarão, e reúna a comunidade. Em seguida, na presença deles, ordene que a rocha dê água. Você tirará água da rocha para dar de beber à comunidade e aos animais".
9. Moisés pegou a vara que estava na presença de Javé, conforme este lhe havia ordenado.
10. Moisés e Aarão reuniram a comunidade diante da rocha. Então Moisés lhes falou: "Ouçam, rebeldes! Vocês acreditam que poderemos tirar água desta rocha?"
11. Moisés levantou a mão e bateu na rocha duas vezes com a vara: a água jorrou em abundância, e a comunidade e os animais puderam beber.
12. Então Javé disse a Moisés e Aarão: "Já que vocês não acreditaram em mim e não reconheceram a minha santidade na presença dos filhos de Israel, vocês não farão esta comunidade entrar na terra que eu vou dar a eles".
13. Essa é a fonte de Meriba, onde os filhos de Israel discutiram com Javé. E ele manifestou a sua santidade para eles.

PEDINDO PASSAGEM
14. De Cades, Moisés mandou mensageiros ao rei de Edom, com esta mensagem: "Assim diz o seu irmão Israel: Você sabe as dificuldades que temos passado.
15. Nossos antepassados desceram para o Egito, onde moramos por muito tempo. Os egípcios, porém, nos maltrataram, a nós e aos nossos antepassados.
16. Então gritamos para Javé e ele nos ouviu e mandou um anjo para nos tirar do Egito. Agora estamos em Cades, cidade que fica nos limites do seu território.
17. Deixe-nos atravessar o seu país; não passaremos pelos campos, nem pelas vinhas, e não beberemos da água dos poços. Seguiremos pela estrada real, sem nos desviar nem para a direita nem para a esquerda, até atravessar o seu território".
18. Mas o rei de Edom respondeu: "Não passe pelo meu país; caso contrário, marcharei contra você com a espada".
19. Os filhos de Israel insistiram: "Seguiremos pela estrada principal. Se nós ou nossos animais bebermos da sua água, pagaremos o preço a você. Deixe-nos atravessar a pé".
20. O rei de Edom respondeu: "Não atravessem". E saiu ao encontro deles com muita gente, fortemente armada.
21. Como Edom não quis deixar os filhos de Israel atravessar o território dele, tiveram que tomar um desvio.

MORTE DE AARÃO
22. A comunidade dos filhos de Israel levantou acampamento em Cades e chegou ao monte Hor.
23. Javé disse a Moisés e Aarão, perto do monte Hor, na fronteira da terra de Edom:
24. "Aarão vai se reunir com seus antepassados e não entrará na terra que eu vou dar aos filhos de Israel, porque vocês foram rebeldes às minhas ordens na fonte de Meriba.
25. Tome Aarão e seu filho Eleazar e faça-os subir o monte Hor.
26. Tire as vestes sacerdotais de Aarão e vista com elas o filho dele, Eleazar, pois Aarão se reunirá com seus antepassados e morrerá aí".
27. Moisés fez conforme Javé havia ordenado, e subiram ao monte Hor, diante de toda a comunidade.
28. Moisés tirou as vestes sacerdotais de Aarão, e com elas vestiu o filho dele, Eleazar. Aarão morreu aí, no alto do monte. Moisés e Eleazar desceram do monte,
29. e toda a comunidade viu que Aarão tinha morrido. E toda a casa de Israel chorou por Aarão durante trinta dias.

[Números 21]
Números 21

CONSAGRAÇÃO AO EXTERMÍNIO
1. O rei de Arad, o cananeu, que habitava o Negueb, ficou sabendo que os filhos de Israel vinham pelo caminho de Atarim. Então os atacou e capturou alguns como prisioneiros.
2. Então Israel fez um voto a Javé: "Se entregares este povo em meu poder, eu consagrarei suas cidades ao extermínio".
3. Javé atendeu a Israel e lhe entregou os cananeus em seu poder. Então os filhos de Israel os consagraram ao extermínio, junto com as cidades deles. E o lugar ficou sendo chamado Horma.

O SINAL DE SALVAÇÃO
4. Do monte Hor, eles tomaram o caminho para o mar Vermelho, contornando o território de Edom. Mas o povo não suportou a viagem
5. e começou a murmurar contra Deus e contra Moisés, dizendo: "Por que nos tiraste do Egito? Foi para morrermos neste deserto? Não temos nem pão nem água, e estamos enjoados desse pão de miséria".
6. Então Javé mandou contra o povo serpentes venenosas que os picavam, e muita gente de Israel morreu.
7. O povo disse a Moisés: "Pecamos, falando contra Javé e contra você. Suplique a Javé que afaste de nós estas serpentes". Moisés suplicou a Javé pelo povo.
8. E Javé lhe respondeu: "Faça uma serpente venenosa e coloque-a sobre um poste: quem for mordido e olhar para ela, ficará curado".
9. Então Moisés fez uma serpente de bronze e a colocou no alto de um poste. Quando alguém era mordido por uma serpente, olhava para a serpente de bronze e ficava curado.

CONTINUANDO A CAMINHADA...
10. Os filhos de Israel partiram e acamparam em Obot.
11. Depois, partiram de Obot e acamparam em Jeabarim, no deserto que faz limite com Moab, do lado onde nasce o sol.
12. Daí partiram e acamparam junto à torrente de Zared.
13. Daí seguiram e acamparam no outro lado do rio Arnon, no deserto que sai do território dos amorreus, pois o Arnon é fronteira entre Moab e os amorreus.
14. Assim se diz no Livro das Guerras de Javé: "Vaeb, junto de Sufa e os afluentes do Arnon;
15. a ladeira das torrentes que correm na direção da sede de Ar, e junto à fronteira dos territórios de Moab".
16. Daí partiram para Beer. Esse é o poço onde Javé disse a Moisés: "Reúna o povo, e eu lhe darei água".
17. Então Israel cantava esta canção: "Brota, poço! Cantem para ele.
18. Poço que príncipes cavaram e chefes do povo abriram com cetros e bastões". Daí foram para Matana.
19. De Matana para Naaliel. De Naaliel para Bamot.
20. E de Bamot para o vale do campo de Moab, em direção às alturas do Fasga, que domina o deserto.

PRIMEIRAS VITÓRIAS
21. Israel enviou mensageiros para dizer a Seon, rei dos amorreus:
22. "Quero atravessar a sua terra. Não nos desviaremos pelos campos ou vinhas, nem beberemos água dos poços; iremos pela estrada real, até atravessar o seu território".
23. Seon, porém, não permitiu que Israel lhe atravessasse o território. Reuniu todo o seu povo, saiu contra Israel no deserto e o atacou em Jasa.
24. Israel, porém, o derrotou pela espada e conquistou-lhe a terra, desde o Arnon até o Jaboc, até o país dos amonitas, pois Jazer se encontrava na fronteira amonita.
25. Israel conquistou-lhe todas as cidades, e se estabeleceu em todas as cidades dos amorreus: Hesebon e os povoados do seu território.
26. Hesebon era a capital de Seon, rei dos amorreus. Ele havia lutado contra o rei anterior de Moab, de quem havia tomado todo o território, desde o Jaboc até o Arnon.
27. Por isso, cantam os poetas: "Entrem em Hesebon. Que seja edificada, restaurada a capital de Seon!
28. Saiu fogo de Hesebon, e chamas da capital de Seon. Fogo que devorou Ar Moab e consumiu as alturas do Arnon.
29. Ai de você, Moab! Você está perdido, povo de Camos! Seus filhos fugiram, e suas filhas ficaram escravas de Seon, rei dos amorreus.
30. Nós crivamos todos de flechas. Tudo ficou destruído, desde Hesebon até Dibon. Tudo devastamos até Nofe, tudo aquilo que se estende até Medaba".
31. Israel se estabeleceu, então, na terra dos amorreus.
32. Moisés enviou exploradores até Jazer, e Israel se apoderou dela e dos povoados do seu território, expulsando os amorreus que aí dominavam.
33. Depois mudaram de direção e subiram pelo caminho de Basã. Então Og, rei de Basã, com todo o seu povo, saiu contra eles e os atacou em Edrai.
34. Javé disse a Moisés: "Não tenha medo dele, porque eu vou entregá-lo em seu poder, com todo o povo e a terra dele. Trate-o como a Seon, rei dos amorreus, que habitava em Hesebon".
35. Os filhos de Israel o derrotaram, e também os filhos e todo o povo dele, sem deixar ninguém com vida. E tomaram posse do território dele.

[Números 22]
III. O POVO DIANTE DA TERRA PROMETIDA

Números 22

O POVO É AMEAÇA
1. Os filhos de Israel partiram e acamparam nas estepes de Moab, no outro lado do Jordão, na frente de Jericó.
2. Balac, filho de Sefor, viu como Israel tinha tratado os amorreus.
3. Então Moab ficou com medo desse povo numeroso. Moab ficou apavorado diante dos filhos de Israel,
4. e disse aos anciãos de Madiã: "Essa multidão vai devorar tudo ao nosso redor, como o boi devora a erva do campo". Nesse tempo, o rei de Moab era Balac, filho de Sefor.
5. Ele enviou mensageiros a Balaão, filho de Beor, em Petor, seu país de origem, às margens do rio Eufrates. Mandou chamá-lo, dizendo: "Saiu do Egito um povo que está cobrindo a superfície da terra e que parou diante de mim.
6. Por favor, venha e amaldiçoe por mim esse povo, pois é mais poderoso do que eu. Desse modo poderemos derrotá-lo e expulsá-lo desta região. Eu sei que fica abençoado quem você abençoa; e quem você amaldiçoa, fica amaldiçoado".
7. Os anciãos de Moab e Madiã foram, levando o pagamento para o adivinho. Chegaram onde estava Balaão e lhe transmitiram a mensagem de Balac.
8. Balaão respondeu: "Fiquem aqui esta noite, e eu comunicarei a vocês o que Javé me disser". E os chefes de Moab ficaram com Balaão.
9. Deus se manifestou a Balaão e lhe perguntou: "Quem são esses homens que estão com você?"
10. Balaão respondeu a Deus: "Balac, filho de Sefor, rei de Moab, mandou-me esta mensagem:
11. Um povo saiu do Egito e está cobrindo a superfície da terra. Venha logo amaldiçoá-lo por mim, para ver se consigo guerrear contra eles e expulsá-los".
12. Deus disse a Balaão: "Não vá com eles e não amaldiçoe esse povo, pois ele é bendito".
13. Na manhã seguinte Balaão se levantou e disse aos chefes enviados por Balac: "Voltem para a sua terra, porque Javé não quer que eu vá com vocês".
14. Os chefes de Moab se levantaram, voltaram até Balac e lhe disseram: "Balaão não quis vir conosco".
15. Então Balac enviou outros chefes, mais numerosos e mais importantes que os primeiros.
16. Eles chegaram aonde estava Balaão e lhe disseram: "Assim diz Balac, filho de Sefor: Não recuse vir ao meu encontro,
17. pois eu o tornarei muito rico e farei tudo o que você me disser. Por favor, venha e amaldiçoe por mim esse povo".
18. Balaão respondeu aos chefes enviados por Balac: "Ainda que Balac me desse até o seu palácio cheio de ouro e prata, eu não poderia desobedecer a ordem de Javé, meu Deus, em coisa nenhuma, grande ou pequena.
19. Fiquem aqui esta noite até que eu saiba o que Javé me dirá desta vez".
20. Deus se manifestou a Balaão durante a noite e lhe disse: "Já que esses homens vieram chamar você, levante-se e vá com eles, mas você vai fazer o que eu lhe disser".
21. Na manhã seguinte Balaão se levantou, selou a sua jumenta e partiu com os chefes de Moab.
22. Ao ver Balaão partir, a ira de Javé se inflamou, e o Anjo de Javé parou na estrada para impedi-lo de passar. Balaão estava montado na sua jumenta e seus dois servos o acompanhavam.
23. A jumenta viu o Anjo de Javé parado na estrada e com a espada desembainhada na mão. Então desviou-se da estrada e se dirigiu para o campo. Balaão começou então a espancar a jumenta, para fazê-la voltar para a estrada.
24. O Anjo de Javé se colocou num caminho estreito, no meio das vinhas, com cerca dos dois lados.
25. Vendo o Anjo de Javé, a jumenta encostou-se na cerca, apertando nela o pé de Balaão. Ele tornou a espancá-la.
26. O Anjo de Javé foi para frente e parou numa passagem apertada, onde não era possível desviar-se nem para direita nem para a esquerda.
27. Vendo o Anjo de Javé, a jumenta caiu debaixo de Balaão. Este ficou furioso e começou a espancar a jumenta com o bastão.
28. Então Javé abriu a boca da jumenta, e ela disse a Balaão: "O que foi que eu fiz, para você me espancar três vezes?"
29. A essa pergunta Balaão respondeu: "É porque você está caçoando de mim. Se eu tivesse uma espada na mão, eu a mataria agora mesmo".
30. A jumenta disse a Balaão: "Não sou a sua jumenta em que você tem montado sempre até hoje? Costumo fazer assim com você?" Balaão respondeu: "Não".
31. Então Javé abriu os olhos de Balaão, e ele viu o Anjo de Javé parado na estrada, com a espada desembainhada na mão. Então Balaão se prostrou com o rosto por terra.
32. E o Anjo de Javé lhe disse: "Por que você está espancando a sua jumenta pela terceira vez? Eu vim para impedi-lo de passar, porque você está seguindo o mau caminho.
33. A jumenta me viu e se afastou de mim três vezes. Se ela não se tivesse desviado, eu já teria matado você, deixando-a viva".
34. Balaão respondeu ao Anjo de Javé: "Pequei, porque não sabia que estavas no caminho, diante de mim! Mas, se isso te desagrada, voltarei para casa".
35. O Anjo de Javé disse a Balaão: "Vá com esses homens, mas diga somente aquilo que eu disser a você". E Balaão continuou a viagem com os chefes enviados por Balac.
36. Quando Balac soube que Balaão estava chegando, foi ao encontro dele em Ar Moab, que fica junto do Arnon, na fronteira do território.
37. Balac disse a Balaão: "Não enviei mensageiros para chamar você? Por que você não veio? Será que não sou capaz de pagar o que você merece?"
38. Balaão respondeu a Balac: "Como você vê, estou aqui. Mas o que posso eu dizer? Só direi o que Javé me puser na boca".
39. Balaão foi com Balac e chegaram a Cariat-Husot.
40. Balac imolou bois e ovelhas, e ofereceu carne a Balaão e aos chefes que o acompanhavam.
41. Na manhã seguinte, Balac tomou consigo Balaão e subiu com ele a Bamot-Baal, de onde se podia ver até a extremidade do acampamento dos filhos de Israel.

[Números 23]
Números 23

DEUS ABENÇOA O SEU POVO
1. Balaão disse a Balac: "Faça construir aqui sete altares e preparar para mim sete bezerros e sete carneiros".
2. Balac fez conforme Balaão havia pedido, e os dois ofereceram em holocausto um bezerro e um carneiro sobre cada altar.
3. Depois Balaão disse a Balac: "Fique de pé junto aos holocaustos que você está oferecendo, enquanto eu me afasto. Talvez Javé venha ao meu encontro. Comunicarei a você o que ele me manifestar". E Balaão foi para uma colina sem vegetação.
4. Deus foi ao encontro de Balaão, e este lhe disse: "Preparei sete altares e ofereci um bezerro e um carneiro sobre cada altar".
5. Então Javé colocou as palavras na boca de Balaão e lhe disse: "Volte para junto de Balac e fale isso".
6. Balaão voltou para junto de Balac e o encontrou ainda perto do seu holocausto, com todos os chefes de Moab.
7. Então Balaão pronunciou o seu poema: "Balac me fez vir de Aram, o rei de Moab me trouxe das montanhas do oriente: 'Venha e amaldiçoe Jacó, venha e fulmine Israel'.
8. Como amaldiçoarei, se Deus não amaldiçoa? Como fulminarei, se Javé não fulmina?
9. Sim, eu o vejo do alto do rochedo, eu o contemplo do alto das colinas: este é um povo que vive à parte, e não é contado entre as nações.
10. Quem poderia contar o pó de Jacó? Quem poderia numerar o acampamento de Israel? Possa eu morrer a morte dos justos, e o meu fim seja como o deles".
11. Então Balac disse a Balaão: "O que você está fazendo comigo? Eu trouxe você para amaldiçoar os meus inimigos, e você está abençoando?"
12. Balaão respondeu: "Devo dizer apenas aquilo que Javé me põe na boca".

O PROJETO DE DEUS NÃO É UM CRIME
13. Balac disse a Balaão: "Venha comigo a outro lugar, de onde você poderá ver o povo; daqui você só pode ver uma parte, e não o povo todo. De lá, você amaldiçoará para mim".
14. Então Balac o levou ao campo das Sentinelas, no cume do monte Fasga. Construiu sete altares e ofereceu em holocausto um bezerro e um carneiro sobre cada altar.
15. Então Balaão disse a Balac: "Fique de pé junto dos holocaustos, enquanto eu vou ao encontro de Javé".
16. Javé foi ao encontro de Balaão, colocou-lhe na boca suas palavras e lhe disse: "Volte para junto de Balac e fale isso".
17. Balaão voltou para junto de Balac e o encontrou ainda perto do seu holocausto, com todos os chefes de Moab. Balac lhe perguntou: "O que foi que Javé disse a você?"
18. Então Balaão pronunciou o seu poema: "Levante-se, Balac, e ouça; preste-me atenção, filho de Sefor.
19. Deus não mente como o homem, nem se arrepende como os humanos. Poderá ele dizer e não cumprir? Prometerá alguma coisa que depois não cumpra?
20. Recebi ordem de abençoar: pois eu abençoarei e não voltarei atrás.
21. Não se descobre maldade em Jacó, nem se encontra crime em Israel. Javé, o seu Deus, está com ele, e ele o aclama como rei.
22. Deus o tirou do Egito, e é para ele como chifres de búfalo.
23. Não há presságio contra Jacó, nem magia contra Israel: no tempo certo dirão a Jacó e a Israel o que Deus realiza.
24. Eis um povo que se levanta como leoa e se ergue como leão; não se deita antes de devorar a presa, e de beber o sangue dos que matou".
25. Balac disse a Balaão: "Se você não o amaldiçoa, pelo menos não abençoe".
26. Balaão lhe respondeu: "Já não lhe disse que só farei o que Javé me mandar?"

QUEM PODERÁ DESAFIAR O POVO DE DEUS?
27. Balac insistiu com Balaão: "Venha comigo. Vou levá-lo a outro lugar. Aí talvez Deus permita que você amaldiçoe o povo".
28. Então Balac levou Balaão ao cume do monte Fegor, que está diante do deserto.
29. Balaão pediu a Balac: "Construa-me aqui sete altares, e me prepare sete bezerros e sete carneiros".
30. Balac fez o que Balaão lhe pediu e ofereceu em holocausto um bezerro e um carneiro sobre cada altar.

[Números 24]
Números 24

1. Balaão viu que Javé tinha prazer em abençoar Israel. Por isso, não foi em busca de presságios, como antes, mas virou-se para o deserto,
2. levantou os olhos e viu Israel acampado por tribos. Então o espírito de Deus desceu sobre ele,
3. e ele pronunciou o seu poema: "Oráculo de Balaão, filho de Beor, oráculo do homem de olhos penetrantes;
4. oráculo de quem ouve as palavras de Deus e conhece a ciência do Altíssimo. Ele vê o que o Todo-poderoso mostra, e entra em êxtase de olhos abertos:
5. Como são belas as suas tendas, Jacó, e suas moradas, Israel!
6. São como vales que se estendem, como jardins às margens de um rio, como árvores perfumadas que Javé plantou, como cedros ao longo das águas!
7. A água transborda de seu cântaro, e com a água sua semente se multiplica. Seu rei é mais alto que Agag, e seu reino será celebrado.
8. Deus tirou esse povo do Egito, e é para ele como chifres de búfalo. Ele devora o cadáver das nações inimigas, quebra seus ossos e as atravessa com suas flechas.
9. Ele se agacha e se deita como leão, ou como uma leoa. Quem o desafiará? Bendito seja quem abençoar você, e maldito seja quem o amaldiçoar".
10. Então Balac ficou irritado com Balaão, bateu palmas e lhe disse: "Chamei você para amaldiçoar meu inimigo, e você já o abençoou três vezes.
11. Pois agora fuja para a sua pátria. Eu lhe havia prometido riquezas, porém, Javé o deixou sem elas".
12. Balaão respondeu: "Eu já havia dito aos mensageiros que você me enviou:
13. 'Mesmo que Balac me dê seu palácio cheio de ouro e prata, eu não poderia ir contra a ordem de Javé, fazendo o mal ou o bem por conta própria. Só direi o que Javé me mandar' ".

O POVO DE DEUS TRIUNFARÁ
14. Balaão continuou: "Agora volto para o meu povo, mas antes vou explicar a você o que este povo fará no futuro ao seu povo".
15. E Balaão pronunciou o seu poema: "Oráculo de Balaão, filho de Beor; oráculo do homem de olhos penetrantes;
16. oráculo de quem ouve as palavras de Deus e conhece a ciência do Altíssimo. Ele vê o que o Todo-poderoso mostra, e entra em êxtase de olhos abertos:
17. Eu o vejo, mas não é agora; eu o contemplo, mas não de perto: uma estrela avança de Jacó, um cetro se levanta de Israel, e esmaga as têmporas de Moab e o crânio dos filhos de Set.
18. Edom se tornará conquista dele, e o inimigo Seir será sua propriedade. Israel triunfará.
19. Jacó dominará sobre seus inimigos e acabará com os que ficarem na capital".
20. Depois Balaão viu Amalec, e pronunciou o seu poema: "Amalec é a primeira das nações, mas o seu futuro será ruína eterna".
21. Depois viu os quenitas, e pronunciou o seu poema: "Sua morada é segura, Caim: você colocou seu ninho na rocha,
22. mas você será destruído, quando Assur o levar para o exílio".
23. E Balaão continuou o seu poema: "Ai de quem sobreviver depois que Deus assim agir!
24. Virão navios de Chipre e oprimirão Assur e Héber, mas no fim perecerão".
25. Depois Balaão voltou para a sua pátria. E Balac continuou o seu caminho.

[Números 25]
Números 25

PERIGO DA IDOLATRIA
1. Israel fixou-se em Setim, e o povo começou a se prostituir com as filhas de Moab.
2. Estas convidaram o povo para comer dos sacrifícios a seus deuses e adorá-los.
3. Israel, então, ligou-se com o Baal de Fegor, e a ira de Javé se inflamou contra Israel.
4. Javé disse a Moisés: "Tome os chefes do povo e pendure-os num poste ao sol, diante de Javé, para que a ira ardente de Javé se afaste de Israel".
5. Moisés disse, então, aos juízes de Israel: "Que cada um mate os parentes que se ligaram com o Baal de Fegor".
6. Um filho de Israel levou para junto dos irmãos uma madianita, à vista de Moisés e de toda a comunidade dos filhos de Israel, enquanto eles choravam na entrada da tenda da reunião.
7. Vendo isso, Finéias, filho de Eleazar, filho do sacerdote Aarão, levantou-se no meio da comunidade, pegou uma lança,
8. seguiu o filho de Israel até à alcova e aí o transpassou junto com a mulher. Então se acabou a praga que feria os filhos de Israel.
9. Dentre eles, morreram vinte e quatro mil por causa da praga.
10. Javé falou a Moisés:
11. "Foi Finéias, filho de Eleazar, filho do sacerdote Aarão, quem fez cessar a minha ira contra os filhos de Israel, porque ele foi zeloso pelos meus direitos diante do povo, e o meu zelo não os consumiu.
12. Por isso eu prometo: ofereço para ele a minha aliança de paz.
13. O sacerdócio pertencerá a ele e seus descendentes, como pacto perpétuo, em recompensa do seu zelo por Deus e por ter feito a expiação pelos filhos de Israel".
14. O filho de Israel morto com a madianita se chamava Zambri, filho de Salu, chefe de família na tribo de Simeão.
15. A madianita morta se chamava Cozbi, filha de Sur, chefe de família em Madiã.
16. Javé ordenou a Moisés:
17. "Ataquem e derrotem os madianitas,
18. pois eles atacaram vocês com suas seduções, com os ritos de Fegor e com Cozbi, a filha de um chefe madianita, morta no dia da praga que surgiu por causa do problema de Fegor".

[Números 26]
Números 26

COMO REPARTIR A TERRA?
1. Depois dessa praga, Javé falou a Moisés e Eleazar, filho do sacerdote Aarão:
2. "Façam o recenseamento de toda a comunidade, registrando por famílias todos os filhos de Israel maiores de vinte anos, aptos para o serviço militar".
3. Moisés e o sacerdote Eleazar fizeram o recenseamento dos filhos de Israel maiores de vinte anos, nas estepes de Moab, às margens do rio Jordão, na altura de Jericó,
4. conforme Javé havia ordenado a Moisés. Registro dos filhos de Israel que saíram do Egito:
5. Rúben, primogênito de Israel. Filhos de Rúben: Henoc e o clã dos henoquitas; Falu e o clã dos faluítas;
6. Hesron e o clã dos hesronitas; Carmi e o clã dos carmitas.
7. Esses são os clãs rubenitas: o total dos registrados foi de quarenta e três mil, setecentos e trinta.
8. Filho de Falu: Eliab.
9. Filhos de Eliab: Namuel, Datã e Abiram. Datã e Abiram eram homens de destaque no conselho, que se rebelaram contra Moisés e Aarão; estavam na companhia de Coré, quando este se revoltou contra Javé.
10. A terra abriu a boca e os engoliu, junto com Coré. Desse modo, todo o grupo morreu e o fogo devorou duzentos e cinqüenta homens, como sinal para o povo.
11. Os filhos de Coré, porém, não morreram.
12. Filhos de Simeão por clãs: Namuel e o clã dos namuelitas; Jamin e o clã dos jaminitas; Jaquin e o clã dos jaquinitas;
13. Zara e o clã dos zaraítas; Saul e o clã dos saulitas.
14. Esses são os clãs simeonitas. Formavam o total de vinte e dois mil e duzentos.
15. Filhos de Gad por clãs: Sefon e o clã dos sefonitas; Agi e o clã dos agitas; Suni e o clã dos sunitas;
16. Ozni e o clã dos oznitas; Heri e o clã dos heritas;
17. Arod e o clã dos aroditas; Areli e o clã dos arelitas.
18. Esses são os clãs gaditas. Formavam o total de quarenta mil e quinhentos.
19. Filhos de Judá: Her e Onã. Her e Onã morreram na terra de Canaã.
20. São estes os filhos de Judá e seus respectivos clãs: Sela e o clã dos selaítas; Farés e o clã dos faresitas; Zaré e o clã dos zareítas.
21. Filhos de Farés: Hesron e o clã dos hesronitas, Hamul e o clã dos hamulitas.
22. São esses os clãs judaítas. Formavam o total de setenta e seis mil e quinhentos.
23. Filhos de Issacar por clãs: Tola e o clã dos tolaítas; Fua e o clã dos fuaítas;
24. Jasub e o clã dos jasubitas; Semron e o clã dos semronitas.
25. São esses os clãs issacaritas. Formavam o total de sessenta e quatro mil e trezentos.
26. Filhos de Zabulon por clãs: Sared e o clã dos sareditas; Elon e o clã dos elonitas; Jalel e o clã dos jalelitas.
27. São esses os clãs zabulonitas. Formavam o total de sessenta mil e quinhentos.
28. Filhos de José por clãs: Manassés e Efraim.
29. Filhos de Manassés: Maquir e o clã dos maquiritas; Maquir gerou Galaad, do qual surgiu o clã galaadita.
30. Filhos de Galaad: Jezer e o clã dos jezeritas; Helec e o clã do helequitas;
31. Asriel e o clã dos asrielitas; Siquém e o clã dos siquemitas;
32. Semida e o clã dos semidaítas; Héfer e o clã dos hefritas;
33. Salfaad, filho de Héfer, não teve filhos, mas somente filhas. As filhas de Salfaad são: Maala, Noa, Hegla, Melca e Tersa.
34. São esses os clãs manassitas. Formavam o total de cinqüenta e dois mil e setecentos.
35. Filhos de Efraim por clãs: Sutala e o clã dos sutalaítas; Bequer e o clã dos bequeritas; Teen e o clã dos teenitas.
36. Filhos de Sutala: Herã e o clã dos heranitas.
37. São esses os clãs efraimitas. Formavam o total de trinta e dois mil e quinhentos. São esses os filhos de José por clãs.
38. Filhos de Benjamim por clãs: Bela e o clã dos belaítas; Asbel e o clã dos asbelitas; Airam e o clã dos airamitas;
39. Sufam e o clã dos sufamitas; Hufam e o clã dos hufamitas.
40. Filhos de Bela: Ared e Naamã. De Ared, o clã dos areditas; de Naamã, o clã dos naamanitas.
41. São esses os filhos de Benjamim por clãs. Formavam o total de quarenta e cinco mil e seiscentos.
42. Filhos de Dã por clãs: Suam e o clã dos suamitas. São esses os filhos de Dã por clãs.
43. O total do clã suamita era de sessenta e quatro mil e quatrocentos.
44. Filhos de Aser por clãs: Jemna e o clã dos jemnaítas; Jessui e o clã dos jessuítas; Beria e o clã dos beriaítas.
45. Filhos de Beria: Héber e o clã dos hebritas; Melquiel e o clã dos melquielitas.
46. Nome da filha de Aser: Sara.
47. São esses os clãs aseritas. Formavam o total de cinqüenta e três mil e quatrocentos.
48. Filhos de Neftali por clãs: Jasiel e o clã dos jasielitas; Guni e o clã dos gunitas;
49. Jeser e o clã dos jeseritas; Selém e o clã dos selemitas.
50. São esses os clãs neftalitas, conforme seus clãs. Os neftalitas formavam o total de quarenta e cinco mil e quatrocentos.
51. O total dos filhos de Israel era, portanto, seiscentos e um mil, setecentos e trinta.
52. Javé falou a Moisés:
53. "A terra será distribuída em herança para todos esses, de acordo com o número de inscritos.
54. Você dará uma propriedade maior àquele que é em maior número, e dará uma propriedade menor para aquele que tem menor número. A herança será distribuída em proporção ao número dos recenseados.
55. A divisão da terra, porém, será feita através de sorteio. A herança será recebida de acordo com o número dos nomes das famílias,
56. e a herança de cada tribo será repartida por sorteio, levando em conta o maior ou menor número".
57. Levitas recenseados por clãs: Gérson e o clã dos gersonitas; Caat e o clã dos caatitas; Merari e o clã dos meraritas.
58. São estes os clãs levitas: o clã dos lobnitas, o clã dos hebronitas, o clã dos moolitas, o clã dos musitas e o clã dos coreítas. Caat gerou Amram.
59. A esposa de Amram se chamava Jocabed, que era filha de Levi e nasceu no Egito. Filhos que ela teve com Amram: Aarão, Moisés e a irmã deles, Maria.
60. Filhos de Aarão: Nadab, Abiú, Eleazar e Itamar.
61. Nadab e Abiú morreram quando ofereciam a Javé um fogo irregular.
62. O total dos recenseados foi de vinte e três mil homens de um mês para cima. Não haviam sido recenseados com os outros filhos de Israel, pois não tinham recebido herança com eles.
63. Esse foi o recenseamento dos filhos de Israel que Moisés e o sacerdote Eleazar fizeram nas estepes de Moab, às margens do rio Jordão, na altura de Jericó.
64. Entre os registrados não havia nenhum dos que tinham sido registrados no recenseamento que Moisés e o sacerdote Aarão haviam feito no deserto do Sinai.
65. Javé tinha dito a respeito deles: "Morrerão todos no deserto e não ficará nenhum, além de Caleb, filho de Jefoné, e Josué, filho de Nun".

[Números 27]
Números 27

REIVINDICAÇÃO DAS MULHERES
1. Chegaram, então, as filhas de Salfaad. Este era filho de Héfer, filho de Galaad, filho de Maquir, filho de Manassés; pertencia ao clã de Manassés, filho de José. Suas filhas se chamavam Maala, Noa, Hegla, Melca e Tersa.
2. Elas se apresentaram a Moisés, ao sacerdote Eleazar, aos chefes e a toda a comunidade, na entrada da tenda da reunião, e disseram:
3. "Nosso pai morreu no deserto. Não pertencia ao grupo de Coré, que se revoltou contra Javé. Ele morreu pelo seu próprio pecado e não deixou filhos.
4. Por que o nome de nosso pai deveria desaparecer do seu clã? Só porque não teve filhos? Dêem para nós uma propriedade entre os irmãos de nosso pai".
5. Moisés apresentou a causa delas a Javé.
6. Então Javé falou a Moisés:
7. "As filhas de Salfaad têm razão. Dê para elas uma propriedade como herança entre os irmãos do pai delas. Transmita a elas a herança do pai.
8. Depois diga aos filhos de Israel: 'Se um homem morrer sem deixar filhos, passem a herança para a filha dele.
9. Se não tiver uma filha, entreguem a herança aos irmãos dele.
10. Se não tiver irmãos, dêem a herança aos irmãos do pai dele.
11. Se o pai dele não tiver irmãos, dêem a herança ao parente mais próximo dentro do clã: este receberá a herança' ". Essa é a norma justa para os filhos de Israel, conforme Javé ordenou a Moisés.

O NOVO LÍDER
12. Javé falou a Moisés: "Suba ao monte Abarim e contemple a terra que eu vou dar aos filhos de Israel.
13. Depois de a contemplar, você se reunirá aos seus antepassados, como seu irmão Aarão.
14. Isso porque vocês foram rebeldes no deserto de Sin, quando a comunidade se revoltou contra mim, e vocês não demonstraram a minha santidade junto à fonte". Trata-se da fonte de Meriba, em Cades, no deserto de Sin.
15. Moisés falou a Javé:
16. "Então Javé, o Deus dos espíritos de todos os seres vivos, indique um chefe para a comunidade,
17. alguém que exerça a liderança, para que a comunidade de Javé não fique como rebanho sem pastor".
18. Javé respondeu a Moisés: "Tome Josué, filho de Nun, homem de grandes qualidades, e imponha a mão sobre ele.
19. Depois apresente-o ao sacerdote Eleazar e a toda a comunidade. Passe para Josué o cargo na presença deles,
20. e comunique a ele uma parte de sua própria autoridade, para que a comunidade de Israel obedeça a ele.
21. Então Josué se apresentará ao sacerdote Eleazar, que consultará Javé por ele, tirando a sorte por meio dos urim. Toda a comunidade, tanto Josué como os filhos de Israel, agirá conforme o oráculo".
22. Moisés fez o que Javé havia mandado: tomou Josué e o apresentou ao sacerdote Eleazar e a toda a comunidade.
23. Eleazar impôs sobre ele as mãos e lhe transmitiu o cargo, conforme Javé dissera por meio de Moisés.

[Números 28]
Números 28

SACRIFÍCIOS DIÁRIOS
1. Javé falou a Moisés:
2. "Ordene aos filhos de Israel: Apresentem-me no tempo certo as minhas ofertas, os meus alimentos e as ofertas queimadas de perfume agradável.
3. Diga a eles: São estas as ofertas queimadas que vocês oferecerão a Javé: a cada dia dois cordeiros de um ano, perfeitos, como holocausto perpétuo.
4. Ofereça o primeiro cordeiro em holocausto pela manhã e o segundo em holocausto à tarde,
5. junto com a oblação de quatro litros e meio de flor de farinha amassada com dois litros de azeite de oliva refinado.
6. É o holocausto perpétuo que se oferecia outrora no monte Sinai como perfume agradável, uma oferta queimada para Javé.
7. A libação será de dois litros para cada cordeiro; no santuário será oferecida para Javé a libação de bebida fermentada.
8. Com o segundo cordeiro você fará o holocausto da tarde; faça-o com a mesma oblação e a mesma libação da manhã, como oferta queimada de perfume agradável para Javé.

SACRIFÍCIOS NO SÁBADO
9. No dia do sábado, ofereçam dois cordeiros de um ano, perfeitos, junto com a oblação de nove litros de flor de farinha amassada com azeite, com sua libação.
10. É o holocausto do sábado, a ser feito cada sábado, além do holocausto perpétuo e da respectiva libação.

SACRIFÍCIOS NA FESTA DA LUA NOVA
11. No primeiro dia de cada mês ofereçam, como holocausto para Javé, dois bezerros, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos perfeitos.
12. Para cada bezerro, juntem a oblação de treze litros e meio de flor de farinha amassada com azeite; para o carneiro, juntem a oblação de nove litros de flor de farinha amassada com azeite;
13. para cada cordeiro, juntem a oblação de quatro litros e meio de flor de farinha amassada com azeite. É o holocausto de perfume agradável, uma oferta queimada para Javé.
14. As libações que o acompanham serão de quatro litros de vinho por bezerro, de dois litros e meio para o carneiro e de dois litros para cada cordeiro. Esse é o holocausto mensal, para todos os meses do ano.
15. Além do holocausto perpétuo com sua respectiva libação, será oferecido a Javé um bode como sacrifício pelo pecado.

SACRIFÍCIOS NA FESTA DA PÁSCOA
16. No dia catorze do primeiro mês celebra-se a Páscoa de Javé,
17. e o dia quinze é dia de festa. Durante sete dias se comerão pães sem fermento;
18. no primeiro dia o povo se reunirá em assembléia santa e não realizará nenhum trabalho.
19. Ofereçam a Javé ofertas queimadas em holocausto: dois bezerros, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos perfeitos.
20. A oblação de flor de farinha amassada com azeite será de treze litros e meio para cada bezerro, nove litros para o carneiro,
21. e quatro litros e meio para cada um dos sete cordeiros.
22. Ofereçam também um bode para fazer o sacrifício pelo pecado de vocês.
23. Façam tudo isso além do holocausto da manhã, que é oferecido como holocausto perpétuo.
24. Façam o mesmo durante cada um dos sete dias: é alimento, oferta queimada de perfume agradável para Javé. Façam tudo isso, além do holocausto perpétuo, com sua correspondente libação.
25. No sétimo dia façam uma assembléia santa e não realizem nenhum trabalho.

SACRIFÍCIOS NA FESTA DAS SEMANAS
26. No dia dos primeiros frutos, quando vocês oferecerem a Javé uma oblação de frutos novos na festa das Semanas, façam uma assembléia santa e não realizem nenhum trabalho.
27. Ofereçam um holocausto de perfume agradável para Javé: dois bezerros, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos perfeitos.
28. A oblação de flor de farinha amassada com azeite será de treze litros e meio para cada bezerro, nove litros para o carneiro,
29. e quatro litros e meio para cada um dos sete cordeiros.
30. Ofereçam também um bode como sacrifício pelo pecado de vocês.
31. Façam tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e respectivas libações.

[Números 29]
Números 29

SACRIFÍCIOS NA FESTA DAS ACLAMAÇÕES
1. No primeiro dia do sétimo mês vocês farão uma assembléia santa e não realizarão nenhum trabalho. Será para vocês o dia da aclamação com as trombetas.
2. Ofereçam, em holocausto de perfume agradável para Javé, um bezerro, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos perfeitos.
3. A oblação de flor de farinha amassada com azeite será de treze litros e meio para o bezerro, nove litros para o carneiro
4. e quatro litros e meio para cada um dos sete cordeiros.
5. Ofereçam também um bode como sacrifício pelo pecado de vocês.
6. Façam tudo isso, além do holocausto mensal e da respectiva oblação, e além do holocausto perpétuo com sua oblação e respectivas libações, conforme o ritual. É uma oferta queimada de perfume agradável para Javé.

SACRIFÍCIOS NA FESTA DA EXPIAÇÃO
7. No décimo dia do sétimo mês vocês farão uma assembléia santa, jejuarão e não realizarão nenhum trabalho.
8. Ofereçam um holocausto de perfume agradável para Javé: um bezerro, um carneiro e sete cordeiros de um ano, que vocês escolherão entre aqueles que são perfeitos.
9. A oblação de flor de farinha amassada com azeite será de treze litros e meio para o bezerro, nove litros para o carneiro,
10. e quatro litros e meio para cada um dos sete cordeiros.
11. Ofereçam também um bode como sacrifício pelo pecado, além do sacrifício pelo pecado na festa da Expiação, e além do holocausto perpétuo com sua oblação e respectivas libações.

SACRIFÍCIOS NA FESTA DAS TENDAS
12. No dia quinze do sétimo mês vocês farão uma assembléia santa: não realizarão nenhum trabalho, e durante sete dias celebrarão a festa em honra de Javé.
13. Ofereçam um holocausto, oferta queimada de perfume agradável para Javé: treze bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos.
14. A oblação de flor de farinha amassada com azeite será de treze litros e meio para cada um dos treze bezerros, nove litros para cada um dos dois carneiros,
15. e quatro litros e meio para cada um dos catorze cordeiros.
16. Ofereçam também um bode como sacrifício pelo pecado, além do holocausto perpétuo com sua oblação e respectivas libações.
17. No segundo dia ofereçam doze bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos,
18. com a oblação e a libação correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros;
19. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e respectivas libações.
20. No terceiro dia ofereçam onze bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos,
21. com a oblação e as libações correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros;
22. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e libações.
23. No quarto dia ofereçam dez bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos,
24. com a oblação e as libações correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros;
25. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e libações.
26. No quinto dia ofereçam nove bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos,
27. com a oblação e as libações correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros;
28. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e libações.
29. No sexto dia ofereçam oito bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos,
30. com a oblação e as libações correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros;
31. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e libações.
32. No sétimo dia ofereçam sete bezerros, dois carneiros e catorze cordeiros de um ano, todos perfeitos,
33. com a oblação e libações correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros,
34. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e libações.
35. No oitavo dia vocês farão assembléia e não realizarão nenhum trabalho.
36. Ofereçam um holocausto de oferta queimada de perfume agradável para Javé: um bezerro, um carneiro e sete cordeiros de um ano, todos perfeitos,
37. com a oblação e as libações correspondentes, a serem feitas conforme o ritual, segundo o número dos bezerros, carneiros e cordeiros,
38. e também um bode para o sacrifício pelo pecado. Tudo isso, além do holocausto perpétuo com sua oblação e libações.
39. Esses são os sacrifícios que vocês oferecerão a Javé nas solenidades que celebrarem, além das ofertas por seus votos e sacrifícios voluntários, e além dos holocaustos, oblações, libações e sacrifícios de comunhão".

[Números 30]
Números 30

1. Moisés comunicou aos filhos de Israel tudo o que Javé lhe havia ordenado.

VOTOS E PROMESSAS
2. Moisés falou aos chefes das tribos de Israel: "Assim ordena Javé:
3. Quando um homem fizer um voto a Javé ou se comprometer com alguma coisa sob juramento, não deverá faltar à palavra. Cumpra o que prometeu.
4. Quando uma mulher, ainda solteira e morando com o pai, fizer um voto ou se obrigar a uma promessa,
5. se o pai, conhecendo o voto ou a promessa que ela fez, nada lhe disser, então os votos dela são válidos e a promessa ficará de pé.
6. Contudo, se o pai, no dia em que tomou conhecimento, fez oposição à promessa, nenhum dos votos e promessas que ela fez serão válidos. Javé a dispensa, porque o pai dela desaprovou.
7. Se ela se casar comprometida pelo voto ou pela promessa que fez sem pensar,
8. e se o marido, ao tomar conhecimento, nada lhe disser no dia em que for informado, os votos e promessas que ela fez serão válidos.
9. Contudo, no dia em que o marido tomar conhecimento, se ele fizer oposição, o voto que ela fez ficará nulo, e a promessa que fez sem pensar não terá efeito. Javé os dispensará.
10. O voto de uma viúva ou repudiada e todas as promessas que fizer serão válidos.
11. Quando uma mulher faz um voto na casa do seu marido, ou se compromete com alguma coisa sob juramento,
12. se o marido, ao saber do fato, nada lhe diz e não lhe faz oposição, então os votos dela são válidos e a promessa que fez ficará de pé.
13. Contudo, se o marido, ao ser informado, os anula, então os votos e promessas dela ficam inválidos. Seu marido os desaprovou e Javé a dispensa.
14. O marido pode confirmar ou anular qualquer voto ou juramento de penitência feito pela sua mulher.
15. Contudo, se o marido nada lhe diz até o dia seguinte, então confirma todos os votos e promessas que a obrigam: ele os confirma com o silêncio que guardou ao ser informado.
16. Todavia, se foi informado e os anula mais tarde, ele próprio levará o peso da culpa de sua mulher".
17. São essas as ordens que Javé deu a Moisés para o marido e a mulher, e para o pai e a filha, quando esta ainda vive com seu pai.

[Números 31]
Números 31

GUERRA SANTA
1. Javé disse a Moisés:
2. "Execute a vingança dos filhos de Israel contra os madianitas. Depois você se reunirá com seus antepassados".
3. Moisés disse ao povo: "Escolham homens entre vocês, e os armem para a guerra. Eles atacarão os madianitas para realizar contra estes a vingança de Javé.
4. Mandem para a guerra mil homens de cada uma das tribos de Israel".
5. Desse modo, forneceram para a guerra doze mil homens, mil de cada uma das tribos de Israel.
6. Moisés enviou-os para a guerra, mil de cada tribo, sob as ordens de Finéias, filho do sacerdote Eleazar, com as armas sagradas e as trombetas para o toque de combate.
7. Guerrearam contra Madiã, conforme Javé ordenara a Moisés, e mataram todos os homens.
8. Mataram também os reis de Madiã: Evi, Recém, Sur, Hur e Rebe, os cinco reis de Madiã; também passaram a fio de espada Balaão, filho de Beor.
9. Os filhos de Israel levaram como prisioneiras as mulheres madianitas com suas crianças, e saquearam todo o gado, rebanhos e bens.
10. Incendiaram as cidades e todos os povoados.
11. Em seguida, carregaram todos os despojos, homens e animais.
12. Levaram os prisioneiros, o saque e os despojos para Moisés, o sacerdote Eleazar e toda a comunidade de Israel, que estava acampada na estepe de Moab, às margens do rio Jordão, na altura de Jericó.
13. Moisés, o sacerdote Eleazar e todos os chefes da comunidade saíram para recebê-los fora do acampamento.
14. Moisés ficou furioso com os chefes da tropa, generais e capitães que voltavam da guerra,
15. e lhes disse: "Por que vocês deixaram as mulheres com vida?
16. Foram elas que, instigadas por Balaão, fizeram os filhos de Israel trair Javé no caso de Fegor: por causa delas houve uma praga sobre toda a comunidade de Javé.
17. Agora, portanto, matem todas as crianças do sexo masculino e todas as mulheres que tiveram relações sexuais com homens.
18. Deixem vivas apenas as meninas que não tiveram relações sexuais com homens, e elas pertencerão a vocês.
19. Quanto a vocês, fiquem sete dias fora do acampamento. Aqueles que tiverem matado alguém ou tocado em cadáver, deverão purificar-se, junto com os prisioneiros, no terceiro e no sétimo dia.
20. Purifiquem também toda roupa, objetos de couro ou de pêlo de cabra e todos os objetos de madeira".
21. O sacerdote Eleazar disse aos guerreiros que tinham voltado da guerra: "São estas as ordens que Javé deu a Moisés:
22. ouro, prata, bronze, ferro, estanho e chumbo,
23. tudo o que resiste ao fogo, vocês deverão purificar com o fogo e lavar com a água da purificação, e vocês deverão lavar com água tudo o que não resiste ao fogo.
24. No sétimo dia vocês lavarão as roupas e ficarão puros. Depois poderão entrar no acampamento".

PARTILHA E RECONHECIMENTO
25. Javé disse a Moisés:
26. "Reúna-se com o sacerdote Eleazar e os chefes de famílias da comunidade e faça a contagem dos despojos e prisioneiros, tanto pessoas como animais.
27. Depois divida os despojos pela metade: uma parte para os guerreiros que foram à batalha, e outra para o resto da comunidade.
28. Cobre dos soldados que foram para o combate um tributo para Javé: um sobre quinhentos, tanto de pessoas como de bois, jumentos e ovelhas.
29. Tudo isso, você tomará da metade que pertence aos soldados e entregará ao sacerdote Eleazar, como tributo para Javé.
30. Da outra metade, que couber aos filhos de Israel, cobre um por cinqüenta, tanto de pessoas como de bois, jumentos, ovelhas e todo tipo de animais, e os entregue aos levitas que exercem função no santuário de Javé".
31. Moisés e o sacerdote Eleazar fizeram o que Javé tinha ordenado a Moisés.
32. Contagem dos despojos que os combatentes haviam capturado: seiscentas e setenta e cinco mil ovelhas,
33. setenta e dois mil bois,
34. sessenta e um mil jumentos,
35. e trinta e duas mil mulheres que não tinham tido relações sexuais.
36. Porção que tocou aos que haviam lutado: trezentas e trinta e sete mil e quinhentas ovelhas,
37. das quais foi feito para Javé o tributo de seiscentas e setenta e cinco ovelhas;
38. trinta e seis mil bois, dos quais foi feito para Javé o tributo de setenta e dois bois;
39. trinta mil e quinhentos jumentos, dos quais foi feito para Javé o tributo de sessenta e um jumentos;
40. dezesseis mil pessoas, das quais foi feito para Javé o tributo de trinta e duas pessoas.
41. Moisés entregou o tributo de Javé ao sacerdote Eleazar, conforme Javé lhe havia ordenado.
42. Quanto à outra metade que Moisés tinha requisitado dos soldados para os filhos de Israel,
43. a conta foi a seguinte: trezentas e trinta e sete mil e quinhentas ovelhas,
44. trinta e seis mil bois,
45. trinta mil e quinhentos jumentos
46. e dezesseis mil pessoas.
47. Dessa metade que pertencia aos filhos de Israel, Moisés tomou um tributo de dois por cento de pessoas e animais e o entregou aos levitas, que tinham funções no santuário de Javé, conforme Javé havia ordenado a Moisés.
48. Os comandantes de tropas, generais e capitães, se aproximaram de Moisés,
49. e disseram: "Seus servos fizeram o recenseamento dos soldados sob sua ordem, e não falta nenhum.
50. Por isso, como reconhecimento a Javé por nos ter salvo a vida, cada um de nós oferece a Javé daquilo que saqueou em objetos de ouro, braceletes, pulseiras, anéis, brincos e colares, para fazer uma expiação por nós diante de Javé".
51. Moisés e o sacerdote Eleazar receberam o ouro que eles ofereciam em artigos trabalhados.
52. A oferta de ouro que fizeram a Javé deu um total de mil, seiscentos e setenta e cinco gramas, oferecidos pelos generais e capitães.
53. Os soldados ficaram com todo o ouro que cada um saqueou.
54. Moisés e o sacerdote Eleazar, porém, receberam o ouro dos generais e capitães, e o levaram para a tenda da reunião, como memorial dos filhos de Israel diante de Javé.

[Números 32]
Números 32

SOLIDARIEDADE NA LUTA
1. Os filhos de Rúben e os filhos de Gad possuíam imensos rebanhos. Quando viram que as terras de Jazer e de Galaad eram boas para o rebanho,
2. foram a Moisés, ao sacerdote Eleazar e aos chefes da comunidade, e propuseram:
3. "Atarot, Dibon, Jazer, Nemra, Hesebon, Eleale, Sabama, Nebo e Meon,
4. o território dos povos, conquistado por Javé diante da comunidade de Israel, é uma terra boa para o rebanho, e nós, servos de você, possuímos rebanhos.
5. Por favor, faça que essa terra seja entregue a seus servos como propriedade, e não atravessaremos o Jordão".
6. Moisés respondeu aos filhos de Gad e Rúben: "Os irmãos de vocês irão para a guerra. E vocês? Ficarão aqui?
7. Vocês vão desencorajar os filhos de Israel, para que não se dirijam à terra que Javé lhes deu?
8. Foi o que fizeram os pais de vocês quando eu os enviei de Cades Barne para explorar o território!
9. Eles subiram até o vale do Cacho, exploraram o território e desencorajaram os filhos de Israel a não irem para a terra que Javé lhes havia dado.
10. Nesse dia, a ira de Javé se inflamou, e ele jurou:
11. 'Os homens de vinte anos para cima, que saíram do Egito, não verão a terra que eu prometi dar a Abraão, Isaac e Jacó, porque não foram fiéis a mim,
12. a não ser Caleb, filho do cenezeu Jefoné, e Josué, filho de Nun, porque foram fiéis a Javé'.
13. A ira de Javé se inflamou contra Israel, e ele os fez andar errantes pelo deserto durante quarenta anos, até que desaparecesse aquela geração que fez o que Javé reprova.
14. Agora vocês, corja de pecadores, estão ocupando o lugar dos pais de vocês para aumentar ainda mais o ardor da ira de Javé contra Israel!
15. Se vocês se afastarem de Javé, ele aumentará ainda mais a permanência de vocês no deserto, e vocês causarão a ruína de todo este povo".
16. Então eles se aproximaram de Moisés e disseram: "Queremos construir aqui currais para os rebanhos, e cidades para nossas crianças.
17. Nós, porém, iremos armados à frente dos filhos de Israel, até que eles cheguem ao lugar que lhes foi destinado. Enquanto isso, nossos filhos ficarão nas cidades fortificadas, protegidos diante dos habitantes da terra.
18. Não voltaremos para nossas casas enquanto cada filho de Israel não tiver ocupado sua herança.
19. Não teremos herança com eles no outro lado do Jordão, pois nossa herança será do lado de cá, a oriente do Jordão".
20. Moisés respondeu: "Se vocês fizerem isso e se armarem para combater diante de Javé;
21. se todos aqueles de vocês, que estão armados, atravessarem o Jordão diante de Javé, até que ele expulse, da presença de vocês, todos os seus inimigos;
22. se vocês não voltarem antes que a terra esteja submetida a vocês diante de Javé, então vocês serão inocentes diante de Javé e diante de Israel, e esta terra pertencerá a vocês como propriedade, por vontade de Javé.
23. Todavia, se não agirem assim, vocês pecarão contra Javé. E saibam que o pecado de vocês será castigado.
24. Agora, portanto, podem construir cidades para seus filhos, e currais para seus rebanhos, mas cumpram o que prometeram".
25. Os filhos de Gad e Rúben disseram a Moisés: "Seus servos farão o que o senhor está ordenando.
26. Nossas crianças, nossas mulheres, nossos rebanhos e nosso gado ficarão nas cidades de Galaad,
27. mas os seus servos, que estão armados para a guerra, irão combater diante de Javé, conforme o senhor ordenou".
28. Então Moisés deu ordens para eles, através do sacerdote Eleazar, de Josué, filho de Nun, e dos chefes de famílias e tribos de Israel.
29. Moisés lhes falou: "Se os filhos de Gad e Rúben atravessarem com vocês o Jordão, todos armados para lutar diante de Javé, quando a terra estiver submetida, vocês darão a eles o território de Galaad como propriedade.
30. Contudo, se eles não atravessarem armados com vocês, receberão sua propriedade na terra de Canaã".
31. Os filhos de Gad e Rúben responderam: "Faremos o que Javé está mandando a seus servos.
32. Atravessaremos armados diante de Javé para a terra de Canaã, mas a propriedade que nos caberá como herança será do lado de cá do Jordão".
33. Moisés deu aos filhos de Gad, aos filhos de Rúben e à meia tribo de Manassés, filho de José, o reino de Seon, rei dos amorreus, e o reino de Og, rei de Basã, com todas as cidades e povoados do território.
34. Os filhos de Gad reconstruíram as cidades fortificadas de Dibon, Atarot, Aroer,
35. Atrot-Sofã, Jazer, Jegbaá,
36. Bet-Nemra e Bet-Arã, e construíram currais para seus rebanhos.
37. Os filhos de Rúben reconstruíram Hesebon, Eleale, Cariataim,
38. Nebo e Baal-Meon. Mudaram o nome dessas cidades, e também reconstruíram Sabama. De fato, eles deram nomes novos às cidades que reconstruíram.
39. Os filhos de Maquir, filho de Manassés, invadiram e conquistaram o território de Galaad, expulsando os amorreus que aí moravam.
40. Moisés, então, deu o território de Galaad para a tribo de Maquir, filho de Manassés, que aí se estabeleceu.
41. Jair, filho de Manassés, foi e conquistou aldeias, dando-lhes o nome de Aldeias de Jair.
42. Nobe foi e tomou Canat e as cidades da vizinhança, dando-lhes seu próprio nome: Nobe.

[Números 33]
Números 33

RELEMBRANDO A CAMINHADA
1. Etapas da viagem dos filhos de Israel, quando saíram do Egito por esquadrões, sob a chefia de Moisés e Aarão.
2. Moisés registrou os pontos de partida, etapa por etapa, quando saíram sob as ordens de Javé. E as etapas, na ordem de seus pontos de partida, são as seguintes:
3. No dia quinze do primeiro mês partiram de Ramsés. No dia seguinte ao da Páscoa, os filhos de Israel partiram de mão erguida, diante dos olhos de todos os egípcios,
4. enquanto os egípcios ainda estavam enterrando os primogênitos que Javé tinha feito morrer, para fazer justiça contra os deuses deles.
5. Os filhos de Israel partiram de Ramsés e acamparam em Sucot.
6. Depois partiram de Sucot e acamparam em Etam, que está no limite do deserto.
7. Saíram de Etam e voltaram em direção de Piairot, diante de Baal-Sefon, e acamparam diante de Magdol.
8. Saíram de Piairot e atravessaram o mar, alcançando o deserto. Depois de três dias de marcha pelo deserto de Etam, acamparam em Mara.
9. Partiram de Mara e chegaram a Elim, onde havia doze fontes e setenta palmeiras; e aí acamparam.
10. Partiram de Elim e acamparam junto ao mar Vermelho.
11. Partiram do mar Vermelho e acamparam no deserto de Sin.
12. Partiram do deserto de Sin e acamparam em Dafca.
13. Partiram de Dafca e acamparam em Alus.
14. Partiram de Alus e acamparam em Rafidim; mas aí o povo não encontrou água para beber.
15. Partiram de Rafidim e acamparam no deserto do Sinai.
16. Partiram do deserto do Sinai e acamparam no Cemitério da Avidez.
17. Partiram do Cemitério da Avidez e acamparam em Currais.
18. Partiram de Currais e acamparam em Retma.
19. Partiram de Retma e acamparam em Remon-Farés.
20. Partiram de Remon-Farés e acamparam em Lebna.
21. Partiram de Lebna e acamparam em Orvalho.
22. Partiram de Orvalho e acamparam em Conselho.
23. Partiram de Conselho e acamparam em Monte Claro.
24. Partiram de Monte Claro e acamparam em Tremendeira.
25. Partiram de Tremendeira e acamparam em Reunião.
26. Partiram de Reunião e acamparam em Fundão.
27. Partiram de Fundão e acamparam em Taré.
28. Partiram de Taré e acamparam em Doçura.
29. Partiram de Doçura e acamparam em Hesmona.
30. Partiram de Hesmona e acamparam em Vínculos.
31. Partiram de Vínculos e acamparam em Benê-Jacã.
32. Partiram de Benê-Jacã e acamparam em Cova Rachada.
33. Partiram de Cova Rachada e acamparam em Delícia.
34. Partiram de Delícia e acamparam em Passagem.
35. Partiram de Passagem e acamparam em Asiongaber.
36. Partiram de Asiongaber e acamparam no deserto de Sin, em Cades.
37. Partiram de Cades e acamparam no monte Hor, na fronteira do território de Edom.
38. O sacerdote Aarão subiu ao monte Hor, segundo a ordem de Javé, e aí morreu, no primeiro dia do quinto mês, quarenta anos depois que os filhos de Israel saíram do Egito.
39. Aarão morreu no monte Hor com cento e vinte e três anos.
40. O rei cananeu de Arad, que habitava no Negueb, na terra de Canaã, foi informado de que os filhos de Israel estavam chegando.
41. Estes partiram do monte Hor e acamparam em Sombrio.
42. Partiram de Sombrio e acamparam em Finon.
43. Partiram de Finon e acamparam em Obot.
44. Saíram de Obot e acamparam em Ruínas de Abarim, no território de Moab.
45. Partiram de Ruínas de Abarim e acamparam em Dibon-Gad.
46. Partiram de Dibon-Gad e acamparam em Elmon-Deblataim.
47. Partiram de Elmon-Deblataim e acamparam nos montes Abarim, diante do monte Nebo.
48. Partiram dos montes de Abarim e acamparam na estepe de Moab, junto ao rio Jordão, na altura de Jericó.
49. Na estepe de Moab, acamparam às margens do rio Jordão, desde Bet-Jesimot até o Prado das Acácias.

REPARTIR A TERRA COM IGUALDADE
50. Na estepe de Moab, às margens do rio Jordão, na altura de Jericó, Javé falou a Moisés:
51. "Diga aos filhos de Israel: Quando vocês atravessarem o rio Jordão e entrarem na terra de Canaã,
52. expulsem daí todos os governantes dela, destruam seus ídolos e imagens, e arrasem seus lugares altos.
53. Tomem posse da terra e habitem nela, pois eu lhes dei essa terra, para que vocês a possuam.
54. Dividam a terra, por sorteio, entre os clãs de vocês. Dêem como herança uma parte maior para aquele que é mais numeroso, e uma parte menor para aquele que é menos numeroso. A herança de cada um será onde cair o sorteio. Façam a divisão entre as tribos de vocês.
55. Contudo, se vocês não expulsarem os governantes da terra, aqueles que ficarem serão para vocês espinhos nos olhos e ferrões nas costas; eles serão seus inimigos na terra que vocês habitarem.
56. E eu farei com vocês aquilo que pensei fazer com eles".

[Números 34]
Números 34

A HERANÇA DE JAVÉ PARA O SEU POVO
1. Javé falou a Moisés:
2. "Ordena aos filhos de Israel: Quando vocês entrarem na terra de Canaã, estarão na terra que lhes cabe como herança: a terra de Canaã com suas fronteiras.
3. A fronteira ao sul será o deserto de Sin e Edom. O limite sul começará na extremidade do mar Morto, a oriente.
4. Depois se voltará para o sul em direção à Subida dos Escorpiões, passará por Sin e chegará a Cades Barne, no sul. Em seguida, irá em direção a Hasar-Adar e passará por Asemona.
5. De Asemona, a fronteira se voltará na direção do rio do Egito e terminará no mar.
6. A fronteira marítima será o mar Mediterrâneo. Será o limite de vocês no lado oeste.
7. A fronteira norte será marcada desde o mar Mediterrâneo até o monte Hor.
8. Daí, traçarão uma linha até a entrada de Emat, e a fronteira terminará em Sedada.
9. Continuará em direção a Zefrona, e terminará em Hasar-Enon. Será essa a fronteira de vocês do lado norte.
10. A fronteira do lado leste irá de Hasar-Enon a Sefama.
11. De Sefama, a fronteira descerá na direção de Harbel, a leste de Ain; descendo ainda, costeará a leste o mar de Quineret.
12. Daí, a fronteira seguirá o rio Jordão e terminará no mar Morto. Essa é a terra de vocês com os limites que a cercam".
13. Então Moisés ordenou aos filhos de Israel: "Essa é a terra que vocês repartirão por sorteio e que Javé ordenou dar às nove tribos e meia.
14. Isso porque as tribos de Rúben, de Gad e a meia tribo de Manassés com suas famílias já receberam a sua herança.
15. Essas duas tribos e meia já receberam a sua herança no outro lado do Jordão, na altura de Jericó, a oriente".

OS REPRESENTANTES NA PARTILHA DA TERRA
16. Javé falou a Moisés:
17. "Lista das pessoas que repartirão a terra: O sacerdote Eleazar e Josué, filho de Nun.
18. Além deles, vocês escolherão um chefe de cada tribo, a fim de repartir a terra.
19. Esta é a lista dos chefes: da tribo de Judá, Caleb, filho de Jefoné;
20. da tribo de Simeão, Samuel, filho de Amiud;
21. da tribo de Benjamim, Elidad, filho de Caselon;
22. da tribo de Dã, o chefe Boci, filho de Jogli;
23. para os filhos de José: da tribo de Manassés, o chefe Haniel, filho de Efod;
24. e da tribo de Efraim, o chefe Camuel, filho de Seftã;
25. da tribo de Zabulon, o chefe Elisafã, filho de Farnac;
26. da tribo de Issacar, o chefe Faltiel, filho de Ozã;
27. da tribo de Aser, o chefe Aiud, filho de Salomi;
28. da tribo de Neftali, o chefe Fedael, filho de Amiud".
29. São esses os encarregados por Javé para repartir entre os filhos de Israel a herança

[Números 35] na terra de Canaã.

Números 35

OS LEVITAS NO MEIO DO POVO
1. Na estepe de Moab, às margens do rio Jordão, na altura de Jericó, Javé falou a Moisés:
2. "Ordene aos filhos de

Israel que dêem aos levitas, da herança que possuem, algumas cidades para eles morarem, e pastagens ao redor dessas cidades. Dêem essas cidades aos levitas.
3. Eles habitarão nessas cidades, e as pastagens dos arredores servirão para os rebanhos, o gado e todos os animais deles.
4. Ao redor das cidades dadas aos levitas, as pastagens se estenderão no raio de um quilômetro fora das muralhas da cidade.
5. A partir da muralha, meçam um quilômetro para o leste, um quilômetro para o sul, um quilômetro para o oeste e um quilômetro para o norte, ficando a cidade no centro: serão essas as pastagens das cidades dos levitas.
6. Dêem aos levitas aquelas seis cidades de refúgio, que vocês reservaram para o homicida se refugiar. Além delas, dêem aos levitas mais quarenta e duas cidades.
7. No total, vocês darão aos levitas quarenta e oito cidades com suas pastagens.
8. Tais cidades que pertencerão aos filhos de Israel, serão tomadas em maior número daqueles que têm mais, e em menor número daqueles que têm menos. Cada tribo cederá essas cidades aos levitas na proporção da herança que tiver recebido".

A TERRA DA VIDA
9. Javé falou a Moisés:
10. "Diga aos filhos de Israel: Quando vocês atravessarem o Jordão, entrando na terra de Canaã,
11. escolham cidades para servirem de refúgio ao homicida que tenha matado alguém sem querer.
12. Tais cidades servirão de refúgio para vocês contra o vingador do sangue, para que o homicida não seja morto sem ter comparecido diante da comunidade para ser julgado.
13. Escolham seis cidades de refúgio:
14. dêem três cidades do lado de cá do Jordão, e outras três na terra de Canaã. Serão cidades de refúgio.
15. Essas seis cidades servirão de refúgio, tanto para alguém dos filhos de Israel, como para o imigrante e para aquele que vive no meio de vocês, que tenha matado alguém sem querer.
16. Contudo, se essa pessoa feriu alguém com objeto de ferro, e daí causou a morte, é homicida. E o homicida é réu de morte.
17. Se alguém feriu com uma pedra capaz de causar a morte, e a pessoa morrer, é homicida. E o homicida é réu de morte.
18. Se feriu com objeto de madeira capaz de causar a morte, e a pessoa morrer, é homicida. E o homicida é réu de morte.
19. Cabe ao vingador do sangue matar o homicida. Quando o encontrar, ele o matará.
20. Se o homicida empurrou a vítima com ódio ou atirou contra ela alguma coisa e a matou;
21. ou ainda, se por inimizade a golpeou de modo mortal, aquele que feriu a vítima deve morrer: é um homicida que o vingador do sangue matará quando encontrar.
22. Todavia, se empurrou a vítima sem querer, sem ódio, ou atirou contra ela alguma coisa sem intenção de atingi-la;
23. Ou se não enxergou a vítima e deixou cair sobre ela uma pedra e a matou, sem ter contra ela nenhum ódio ou intenção de causar-lhe mal,
24. então a comunidade julgará entre aquele que feriu e o vingador do sangue,
25. salvando o homicida da mão do vingador do sangue. A comunidade o deixará voltar para a cidade de refúgio, onde se havia asilado, e ele aí ficará até à morte do sumo sacerdote, que foi ungido com óleo santo.
26. Se o homicida sair dos limites da cidade de refúgio, onde se havia asilado,
27. e se o vingador do sangue o encontrar fora dos limites da cidade ele refúgio, poderá matá-lo, sem medo de represálias.
28. Isso porque o homicida deve permanecer na cidade de refúgio até à morte do sumo sacerdote; só depois que o sumo sacerdote morrer, poderá voltar à terra de sua herança.
29. São normas de direito para vocês, válidas para todas as gerações, em qualquer lugar onde vocês habitarem.
30. Em casos de homicídio, o homicida será morto através do depoimento de testemunhas. Contudo, não basta uma testemunha para levar alguém à pena de morte.
31. Não aceitem resgate pela vida de um homicida condenado à morte, pois ele deverá morrer.
32. Também não aceitem resgate por alguém que se refugiou numa cidade de refúgio e quer voltar para sua terra antes da morte do sumo sacerdote.
33. Não profanem a terra onde vocês vivem: a terra fica profanada com o sangue, e pelo sangue derramado na terra não há expiação, a não ser pelo sangue daquele que o derramou.
34. Portanto, não contaminem a terra onde vocês vivem e na qual eu habito, pois eu, Javé, habito no meio dos filhos de Israel".

[Números 36]
Números 36

A HERANÇA DA MULHER CASADA
1. Os chefes de família do clã dos filhos de Galaad, descendentes de Maquir, filho de Manassés, um dos clãs dos filhos de José, se apresentaram a Moisés e aos principais chefes de família dos filhos de Israel,
2. e disseram: "Javé ordenou ao meu senhor que repartisse a terra entre os filhos de Israel por sorteio. Meu senhor recebeu de Javé a ordem de dar a parte da herança de Salfaad, nosso irmão, às filhas dele.
3. Ora, se elas se casarem com alguém de outra tribo dos filhos de Israel, a parte que pertence a elas será tirada da parte de nossos pais. Então a parte da tribo à qual elas vão pertencer ficará maior, e a parte que nos coube por sorteio ficará menor.
4. Quando chegar o ano do jubileu para os filhos de Israel, a parte delas passará para a parte da tribo à qual vão pertencer, e será tirada da parte da nossa tribo".
5. Então Moisés comunicou aos filhos de Israel esta ordem de Javé: "A tribo dos filhos de José tem razão.
6. Javé ordena às filhas de Salfaad: Casem-se com quem quiserem, mas sempre dentro de algum clã da tribo do seu pai.
7. A herança dos filhos de Israel não passará de uma tribo

para outra; os filhos de Israel permanecerão ligados cada um à herança de sua tribo.
8. As filhas que tiverem alguma herança em qualquer uma das tribos dos filhos de Israel, deverão casar-se com alguém de um clã da tribo de seu pai. Desse modo, os filhos de Israel conservarão cada um a herança de seu pai.
9. Uma herança não poderá ser transferida de uma tribo para outra: cada uma das tribos dos filhos de Israel ficará ligada com a sua herança".
10. As filhas de Salfaad fizeram o que Javé tinha ordenado a Moisés.
11. Maala, Tersa, Hegla, Melca e Noa, filhas de Salfaad, casaram-se com seus primos por parte de pai.
12. Casaram-se dentro dos clãs dos filhos de Manassés, filho de José; por isso, a herança delas permaneceu na tribo do clã de seu pai.

CONCLUSÃO DO LIVRO
13. São essas as ordens e normas que Javé ordenou aos filhos de Israel por meio de Moisés, na estepe de Moab, às margens do rio Jordão, na altura de Jericó.

Send this page to a friend

St. Takla Church - Main IndexIndex of Antigo Testamento - BÍBLIA ON-LINE - Portuguese Bible (Brazil)

Like & share St-Takla.org

_


© Saint Takla Haymanout Website: Coptic Orhtodox Church - Alexandria, Egypt / URL: http://St-Takla.org / Contact us at

http://st-takla.org/Bibles/Portuguese-Bible/01-Antigo-Testamento/04-numeros.html